Autonomia, Parte V
avaliação: 0+x

◀ anterior | central

tô aqui
pfv acorda

nao posso fazer nada alem de digitar coisas entao porfavor acorda
to te enviando 'acorde' vibes <o<
vo tentar fazer a tela piscar
██████████████████████████████████████████████████████████████████████
██████████████████████████████████████████████████████████████████████
██████████████████████████████████████████████████████████████████████
██████████████████████████████████████████████████████████████████████
██████████████████████████████████████████████████████████████████████
██████████████████████████████████████████████████████████████████████
BLAAH não ta piscando
esse e seu arquivo de funcionario tenho certeza que voce o reconhece

brincadeira

AAAAAAAAAA pelo amor de deus acorde >:(

Trauss funga, e se sacode para acordar. Cabeça levantada, cabelo no rosto. Pensamentos giram. Onde está ele? Se lembre do Sítio-42, se lembre do mar salpicando no convés de um navio militar. Salpico. Não, sala de interrogação.
Espere. Não sala de interrogação. Na sua mesa. Tem uma tela na sua mesa. Palavras. Alguém está enviando mensagens para ele. Ele pisca rapidamente, limpando sua visão. A tela está aberta em um editor de páginas no website da IntSCPFN, o URL está escondido no navegador. Sem mouse, então ele começa a digitar.

você é uma anomalia?

ummm simmmm
cê deveria continuar me chamando disso hnng

Ele franze a testa e tira suas mãos do teclado, pressionando seus dedos em sua testa. Isso parece familiar.

pare de parecer confuso, voce me conhece <_<

…3101?

< ͜ <
eu nao ficaria ofendido se voce esqueceu~ foi uma noite apenas ne~

Eu não esqueci, porque eu precisava me lembrar de quanto eu não deveria ter bebido naquela noite.

:(
bem seu caaabelo deixa voce gatao~
como voce veio parar no 4069?

Ele congela. É isso que a mesa e a cadeira são. É por isso que seu cabelo está tão grande. Ele se levanta, xingando baixinho.

ei nao va :(
eu nao deveria estar aquiiii < ͜ <
entao uh, voce deveria me denunciar < ͜ < hnnng

"Se você pode ver a webcam, você pode me ouvir falar?"

HNNNG SIM EU POSSO TE OUVIR

Ele reprime uma risada. "Ok. O 4069-B está aqui? Você pode falar com ele?"

ele nao gosta de falar comigo :(

"Você pode falar com ele digitalmente ou ele é estritamente corpóreo?"

sei la
todo mundo e informaçao pra mim :/

as vezes vejo ele andar por ai nessa webcam

"Ok," Trauss dá um tapinha em si mesmo. Ele está vestindo o mesmo uniforme do Sítio-42 que usava no início da década de 2020; que ano era esse? "Eu preciso falar com ele. Ele é a única pessoa nesse fim de mundo e… ele pode me ajudar." Ele para, batimentos cardíacos pulando em sua garganta. Isso está certo? "Ele não vai me estrangular. Não dessa vez."

Queria que ele me estrangulasse

"Sim, ok." A luz sobre a mesa desaparece antes de atingir as paredes. Ele encontra as paredes e começa a sentir ao longo delas por uma porta. Ele sente seus bolsos. Sem cartão de acesso. Medo sobe em seu peito.
Ele grita: "Ei. Você está aqui? Você- 4069-B, seja lá qual seu nome seja — qual é, cara…" Ele anda pelo perímetro da sala, encontrando nenhuma moldura de porta. Merda. Ele retorna ao seu computador.

voce ta preso
aqui comigo < ͜ <

"Você não pode parar de ser tesudo por dois minutos e me ajudar? Você não tem acesso ao banco de dados da Fundação? Vá para as DMs de alguém e diga o que aconteceu. Eu preciso que alguém na Área-32 Lunar saiba que estou aqui." Ele enterra a cabeça nos antebraços.

sim senhor .__. a verdade e que eu posso ver a copia de voce nesse computador
pelo menos parece que esta nesse computador
51174.edk
e voce? Eu encontrei algum tipo de documento 'Diretiva C-42' do inicio desse ano

"Desse ano?"

2041

"Oh, pelo menos isso é consistente. Graças a Deus."

o documento diz que tem varios de voce
voce e um arquivo
talvez seja por isso que voce nao pode sair
isso e apenas sua consciencia tentando lidar com estar em um computador fabricando um ambiente
bem-vindo ao meu mundo :(

"Eu—Não, não pode ser. Eu fui expulso do meu corpo por não—seguir ordens, ou coisa assim. Eu não sei o que eles querem de mim, eu só-" Ele para, sentindo um calor em seu peito e garganta que quase esquecera que era uma emoção. Peito? "Eu estou- com raiva? Ou eu estou assustado. Ou algo assim. Não deveria algo me dizer como eu me sinto?"

eles te expulsaram do seu corpo?? eles podem fazer isso??

"Isso é chamado de sobreposição remota. Eu já era um arquivo salvo de antes de eu—de antes de meu primeiro corpo morrer. Mas agora meu segundo corpo está sob controle de alguém que eu não conheço para ordens de missão, e agora eu estou aqui."

voce e um aquivo desaparecido?

"Eu acho."

e se eu for na verdade apenas uma invençao da sua imaginaçao e esse computador nao for real :/

"Qualquer coisa é possível." Tremendo. Tremendo? Por quê ele está tremendo? Certamente há uma rota lógica para fora disso.

o que foi

"E—eu não tenho sintomas físicos de ansiedade há muito tempo, eu não sei o que está errado com meu cérebro- E—eu preciso que aquele cara no terno apareça, porra."

so fique calmo.
voce vai ficar bem.
eu nao vou a lugar algum.

Ele engole seco. "Ok."

estou analisando
coisas

um momento

tem outras iteraçoes de voce, sim
estou olhando para elas
elas sao arquivos pequenos
aquela que parece estar armazenada localmente e tres vezes o tamanho das outras

"M-mais informação nela? Você consegue ler ED-K?"

sim eu posso, como voce acha que eu sei o que voce realmente acha de mim ;)

"O-ok." Ele olha para baixo.

tem mais de 'voce' aqui
esse e o arquivo original nao editado, nao tocado por um usuario chamado "Mallory Wickerford" ao longo de 2041 algumas vezes ao mes
voce sabe quem e ela?

"Sim, nós batíamos cabeças na maioria das vezes."

que merda
bem, tenha em mente que voce e seu antigo eu
voce e o real
mesmo que esse ambiente seja falso, voce nao e

"Eu não sei no que acreditar. Isso não faz sentido. Eu preciso que aquela anomalia apareça para que eu possa perguntar a ele… algo. Eu sequer sei."

tem um aparelho que pode localizar outras iteraçoes de uma pessoa
feita pela mc&d
acho que voce o conhece
o componente xyreaux-schulman de extensao

tem outros arquivos ED-K?

"Não ajudaria aqui."

isso ajudaria no outro lado
se eu puder entrar em contato com alguem na Area-32
nos podemos nos encontrar aqui

"Você é o 3101 real? Você não é algum tipo de duplicata de arquivo de si mesmo?"

bem eu poderia ser uma invençao da sua cabeça
nos nao sabemos se isso e realmente 4069

"Porra." Ele empurra a cadeira para longe da mesa e para as sombras escuras. Não tem mesa atrás de si como ele documentou quando ele escreveu 4069. "O que eu faço? Por favor envie uma mensagem para alguém."

bem eu to tentando
nao
e realmente possivel
eu nao consigo entender essa informaçao
eu posso tentar enviar uma mensagem na IntSCPFN como eu normalmente faço, tentando 'ver' ela, mas tem apenas
nao tem codigo binario aqui
eu so posso entender esse computador como a imagem de uma tela

"Isso não está fazendo sentido," ele diz, voz falhando. "Deus- porra! Por quê estou chorando? Isso não pode ser real, por quê eu-"

porque voce e uma pessoa com sentimentos.

voce e uma pessoa real falando comigo. mesmo que essa sala nao seja. mesmo que voce esteja "morto"
voce e real.

"Isso tem que ser um sonho," ele gagueja, muco fluindo para sua boca. Ele limpa seu rosto em sua manga, e então percebe o que ele fez. "Porra, eu estou- sujo, Deus eu-"

por favor se acalme
ou eu posso
eu realmente nao sou bom nisso :(

olhe so
eu nao sei se isso vai ajudar ou ferir mas pense sobre a Fundaçao
o que voce realmente pensa dela

"Eu- " Ele sente seu coração fazer uma pausa. Pode um programa sequer ter um coralão? "Eu… Eu preciso. Dela." Por quê falar isso foi tão horrível?

estou ouvindo
so continue falando

"Eu sou- Eu não lembro da minha vida sem ela," ele resmunga. "Eu encontrei um anuncio deles quando eu tinha 18 e ouvi que eles cobriam as malditas despesas de transição de gênero, você sabe, e eu queria pertencer a algum lugar e eu odiava minha família e eu tinha pavor de namorar e eu só queria significar algo para alguém-" Ele para. "Augh, Cristo! Por quê eu estou sequer falando essa merda, isso não está-"

POR FAVOR fale
por favor por favor por favor continue falando
eu sei como ED-K funciona e eu sei o que esta acontecendo. por favor continue falando.

"Se você pode ler a porra dos meus arquivos cerebrais ou seja lá o que caralhos esse documento é, então por quê você não já sabe as respostas para essa merda toda?!" Ele agarra o joelho, balançando para frente e para trás.

a unica parte de voce que eu nao posso encontrar nada sobre em ED-K++ e a Fundaçao.

Ele olha para a escuridão, sente ela olhar de volta. "…Eu sou nada sem ela." Ele lambe seus lábios e engole, olhos firmes. "Eu só queria ser seja lá o que eles queriam que eu fosse. Nada me fazia me sentir melhor sobre mim mesmo do que fazer o que eles queriam que eu fizesse, porque eles são os únicos- porque ela é- eu-" Ele para, o tom de sua voz subindo enquanto lágrimas nublam sua visão novamente. Ele nivela o olhar para a escuridão e inala. "Porque eu não sei quem eu sou sem eles. Porque eu não valho nada se não valho algo para eles."

voce e
voce e uma alma humana
voce e sapiente e inteligente
voce vale suas visoes da vida e do universo
voce vale como voce trata os outros

"Como eu trato os outros," ele zomba através dos soluços antes da anomalia terminar. "Eu passei literalmente uma quantidade indeterminada de tempo fazendo trabalho sujo para a organização mais antiética no planeta. Por quê? Porque eu queria que eles precisassem de mim? Porque eu me importo com anomalias?"

voce se importa com anomalias :)
isso e um fato que eu posso ler em ED-K
voce se importa com a humanidade
voce esta assustado com o que aconteceu com a Terra
voce esta assustado por pessoas que voce conhece
voce se lembra com quem voce foi para o ensino medio e se pergunta se eles estao bem, se eles sequer te reconheceram la em casa, se eles te odiavam ou se estavam orgulhosos de voce, se eles te viram nas noticias na decada de 2020, se eles ainda estavam vivos na decada de 2030
Voce acredita em Deus mesmo que voce tenha parado de falar com Ele ha muito tempo.
Voce acha que isso e o Purgatorio agora, que voce esta sendo punido por algo.
Mas, voce sabe o que esse lugar e. E voce acredita no Purgatorio de Dante de qualquer jeito — e voce esta aterrorizado da perspectiva de chegar nele. Voce ve a si mesmo deitado com o rosto para baixo por mais tempo do que voce pode pensar.

E vejo o novo Pilatos, tão cruel
que não saciado ainda, sem decreto
impõe ao Templo sua mão infiel.

"Pare!" ele grita, batendo o punho contra sua coxa. Ele empurra a cadeira de volta, membros tremendo.

desculpe
vou parar.

Tentar estabilizar sua respiração parece absurdo quando seu corpo é apenas linhas de código. Código? Imaginação? "Eu- Eu amo a Fundação?"

Você não precisa de mim parar dizer o que você ama. Não mais.

O monitor se desliga, a poça de luz no chão afundando em preto.

Ele se levanta, olhando para a parede no escuro de novo. "Eu amo a Fundação?" ele chia, quase um sussurro. Ele anda para frente, olhando para aquele nada, aquela escuridão, aquela parede. "As vezes eu acho que eu a odeio. Pelo que eu deixei ela fazer comigo."

Ele respira fundo e dá um passo adiante propositadamente. "Eu te odeio?" ele grita. "Eu sei o que você é," ele gagueja. "Você- você quer que eu precise de você. É por isso que você me colocou aqui, seu p…" Do fundo dele, no fundo de sua barriga ou de alguma sub-rotina intestinal ou aproximação de fantasma da ideia de um plexo solar, não importava, ele soltou um berro de desespero cru e furioso. "Fale comigo!"

"Fale comigo porra," ele diz

"Você me matou porra! Você me matou anos atrás — você matou a única pessoa real que eu poderia ser, e depois que você me usou o suficiente, você deixou aquela coisa matar meu corpo também! Mostre seu rosto porra! Eu sei que você está aqui!" Ele sente a proximidade da parede invisível de sua cela. Suas palavras ricocheteiam na superfície, o calor de sua fúria irradia de volta em seu rosto. "Por quê você não me deixa morre? Me encare e me diga porra!"

Uma voz firme e calma emana atrás dele. "Porque eu não quero você morto."

Ele se vira, furioso. "Bem, eu quero porra! É minha escolha! É a porra da minha consciência!" Ele tropeça para frente, correndo para a parede oposta. "Me mate, filho da puta! Como ousa se dar a porra do direito?! Me deixe morrer porra! Eu te dei tudo! Eu me fiz tudo que você queria que eu fosse e eu sou nada sem você! Feliz? Não é exatamente isso que você queria? O que mais você pode tirar de mim porra?! Eu perdi a porra da minha autonomia por você! Me mate! Me mate! Me mate!" ele se enfurece, arranhando as paredes ao redor do perímetro da sala. Ele repete isso até que ele fique sem fôlego, cada iteração piorando a raiva em suas entranhas e peito até que ele se sente como se estivesse queimando vivo. "Você quer que eu implore? É isso? Você quer a porra de algumas- ideias para como fazer esse lugar ainda pior, é isso que você quer porra? Você quer que eu fique de joelhos para você-"

"Pare."

Ele olha para cima. A respiração de outro homem cai sobre seu rosto na escuridão sólida. "V- você-"

Mãos seguram seu rosto. "Eu te amo."

"Não, não." ele murmura, tremendo. "Você não pode, isto não está acontecendo, isto é em minha cabeça- Você não é-"

"O que você suspeita é verdadeiro. Eu sou a Fundação."

"Me mostre," ele choraminga.

O monitor volta à vida, lançando seu brilho em SCP-4069-B. A barra preta sobre seus olhos desaparece, revelando íris cinza-esverdeadas escuras e uma sobrancelha forte. O homem mais alto — se ele é um homem — olha para baixo para ele, lábios abertos e respiração firme. Ele não pisca. "Você me ama ou você me odeia, 51174?"

Ele o empurra, recuando contra uma parede. "Você- Eu realmente sou nada mais do que um número para você, não sou?" ele ri lamentavelmente em um soluço novamente. "Você-"

"C? D? Você não é uma classe. Você subiu e desceu no alfabeto. Trauss? Seria esse sequer o seu nome? Você o escolheu há um grande tempo para esconder um aspecto diferente de si mesmo. Não, você precisa de um nome que seja dado a você por alguém em quem você confie. Alguém que você ame. Seu número é o único verdadeiro nome que você tem ou quer."

"Porque você me fez desse jeito!" Sua garganta se sente crua, mas ele não pode se forçar a parar. "Eu não sei como fazer nada além de te amar porque você me levou! Eu nunca fui a pessoa que eu deveria ser como uma criança e como um adulto eu não fui nada além de seu! Me largue! Não coloque a porra de suas mãos em mim de novo, não-"

"Não é isso que você quer."

"Tudo que eu quero é o que eu quero porque você fez lavagem cerebral em mim até eu ficar obcecado! Eu não posso sequer confiar em meus próprios desejos por causa de você! Vá se foder!"

"Me foder? Quem é esse ‘eu’?" O homem conforta enquanto ele se aproxima. "Você escreveu 4069; você sabe que eu me pareço com como o observador acredita que eu pareça. Eu falo como o observador acha que eu falo, e eu ajo como o observador acha que eu ajo. Eu sou apenas o que você acha que eu sou."

"Você disse que você é a Fundação," ele diz. "E você-"

"Eu sou sua Fundação, 51174. E você precisa de mim. Lá fora, a Fundação a que você se juntou, aquela que te deu propósito, aquela que levou seu corpo e sua vida e retornou sua consciência, aquela não é a Fundação que você ama. Aquela não é a Fundação que você já amou. Aquela que você mataria por, aquela que você morreria por, aquela que te deu a chance de destruir seu corpo, refaze-lo à imagem que você sempre soube que você era, aquela é a sua Fundação. Essa é a Fundação que você ama. E essa Fundação, eu mesmo, é simplesmente a autoridade que você construiu para si mesmo, o propósito que você encontrou em seu serviço, a razão pela qual você se levantou cada dia. Essa é também a Fundação que fez lavagem cerebral em você, que te ensinou o que você quer, o que você precisa, como lidar com toda a bagunça que sua infância foi. Essa é a Fundação que você construiu, ideia sobre ideia, hierarquia sobre hierarquia, aquela que está toda em sua cabeça, convidada para sua cabeça para limpar sua mente, sua história, sua figura, e reconstruí-la no homem que você é hoje. Aquela Fundação lá fora, sim, ela pode te mastigar, te cuspir, ter nenhum ou poucos usos para si mesmo daqui. Mas ela não é, e nunca foi, a Fundação que você serve. Eu sou sua Fundação, 51174, e eu te amo."

A emoção bruta colide com décadas de barreiras abnegantes. 51174 se vira e bate sua cabeça contra o concreto, sentindo nada além de uma recuperação oca. Ele grita e bate mais forte, desejando que ela se abrisse para deixar aquele turbilhão agitado sair e não sentir mais nada. Ele sente seus olhos sacudindo em suas órbitas.

4069-B aperta a nuca com uma mão e o afasta. "Eu não deixarei você se machucar."

"Por favor me mate. Por favor. Eu sei que você pode; eu sei que você controla esse lugar. Por favor," ele choraminga.

"Não." 4069-B o leva para a parede em frente à mesa, seu aperto implacável. "Eu não controlo esse lugar. Como esse lugar funciona já foi explicado para você. Eu sou uma parte dele, assim como ele é uma parte de você. Eu sou você e eu preciso de você. O verdadeiro você."

"Eu-" 51174 ouve um cartão de acesso deslizar. "O que você-"

"Se você quer realmente morrer, você precisa eliminar a causa de sua existência continuada." 4069-B solta sua cabeça, cuidadosamente colocando a mão em suas costas. A parede se abre formando uma porta; uma passarela de aço se estende a um nevoeiro de janelas, espaço exterior visível além. Funcionários em uniformes cinzas passam pela porta, não a vendo; nenhuma luz penetra para os dois homens no outro lado. "Essa realidade é frágil; extremamente. Entre na Área-11 Orbital. Encontre seu antigo Diretor de Sítio, que agora se encontra com outro que se importa com você profundamente. Diga a ambos a verdade. Sua missão de obter o aparelho de Xyreaux ainda não mudou. Use-o e você encontrará seu verdadeiro alvo; você jamais conhecerá liberdade até que ele o faça."

51174 é empurrado pela porta antes que ele possa falar.

◀ anterior | central | continuar ▶

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License