Feras das Cartas Antigas
avaliação: +1+x

Você segura nas suas mãos as chaves de papel, as chaves que podem desbloquear a Fantasia.

Quando eu descobri esta terra maravilhosa, eu mal pude imaginar tudo o que estava diante de mim. As montanhas flutuantes a rodar em espiral que chegavam tão alto que os anéis de nuvens estavam debaixo delas. As grandes cascatas que eram projetadas a partir dos rios ancestrais que fluíam pelas florestas com árvores sábias, cheias de conhecimento. Os oceanos com as suas praias douradas e ondas frias quebrando-se que nunca rugiam ou tempesteavam.

E a vida dentro. Criaturas tão únicas e maravilhosas que andavam por este mundo Fantástico. Levou anos para que eu as visse a todas. Quem sabe? Talvez houvesse mais para ver.

Apesar disso, já não as posso ver. A terra é agora infértil e fria, tão vazia e triste que até a Icy Ridge1 que delimita as florestas do Norte ofereceria mais calor. Tudo desapareceu, toda a maravilha sumiu, todas as coisas vibrantes e incríveis que este mundo uma vez ofereceu, desapareceram. Eu ainda me pergunto para onde terão ido. Duvido que alguma vez saiba. Tudo o que eu sei é que tenho os meus livros, as minhas histórias, e as memórias que já começam a desvanecer conforme eu vou ficando velho e sozinho, na mente de um homem idoso que ainda acredita que uma Fantasia de há muito tempo possa regressar. Não acho que irei viver para vê-las voltar. Mas deixo estas histórias para quem quer que as ache, para que saibam que elas existiram.

FERAS DAS CARTAS ANTIGAS

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License