DIRETIVA A-42
avaliação: 0+x

SUMÁRIO DA DIRETIVA

Por ordem executiva do CONSELHO O5, os seguintes operativos foram instruídos a desocupar o SÍTIO-42 e relocar para ÁREA-32 LUNAR até a data de lançamento especificada:

  1. C-511741
  2. A-18012
  3. B-80923

OPCIONAL: Cada um dos funcionários listados acima é legível a selecionar até CINCO (5) funcionários adicionais de liberação NÍVEL 2 ou mais alto do SÍTIO-42 para acompanha-los se desejado.

DATA DE LANÇAMENTO DA DIRETIVA

09:00 4 de Julho, 2041

REQUERIMENTOS DE OPERAÇÃO

  1. Segundo a DIRETIVA O5-230, todos os funcionários transferindo permanentemente para fora do planeta4 seguindo os eventos do CENÁRIO ED-K LETHE II são requeridos a passar pela instalação de um PII/N3 MK. III5
  2. Desde que ele passe pelos testes de lealdade pós-instalação, C-51174 deve ser promovido de liberação NÍVEL 4 para NÍVEL 5.

RELEVANT DOCUMENTS

PROCEDIMENTOS

  1. C-51174, A-1801, e B-8092, assim como até QUINZE (15) funcionários adicionais de sua escolha, devem prosseguir à SALA 120B da ala médica do SÍTIO-42 às 0900 HORAS em 4 de JULHO de 2041.
  2. Todos os funcionários devem passar pela instalação de PII/N3s MK. III.
  3. Todos os funcionários devem passar por inspeção pós-instalação por funcionários médicos e considerados aptos para viagem espacial de curto prazo.
  4. Quando todos os funcionários estiverem liberados para viagem segura, os funcionários entrarão abordo do The Loose Neutron, a principal e maior embarcação de resposta marítima, e aportar com o SÍTIO-3069 no Oceano Atlântico.
  5. Seguindo a chegada dos funcionários, eles irão desembarcar do SÍTIO-3069 em uma Nave de Transporte Tsade-10H e relocar para a ÁREA-32 LUNAR.
  6. Da ÁREA-32 LUNAR, cada indivíduo e seu grupo selecionado de funcionários acompanhantes serão nomeados e transferidos para as seguintes localizações:
    1. C-51174 e associados: POSTO AVANÇADO ZETA VERMELHO DO CINTURÃO DE KUIPER (Tarefa de Especialidade)
    2. A-1801 e associados: ÁREA-11 ORBITAL (Administração da Divisão de Atividades Extra-Solares)
    3. B-8092 e associados: ÁREA-11 ORBITAL (Pesquisa & Desenvolvimento da Divisão de Atividades Extra-Solares)

TAREFAS DOS FUNCIONÁRIOS

C-51174: Com a assistência de seus funcionários de campo selecionados do SÍTIO-42, C-51174 irá operar disfarçado para localizar e deter uma equipe de vendas da Marshall, Carter e Dark que está buscando ampliar o comércio de artefatos anômalos perigosos na região do Cinturão de Kuiper, primariamente através dos canais de venda estabelecidos dentro de ZETA-01. O POSTO AVANÇADO ZETA VERMELHO DO CINTURÃO DE KUIPER está localizado abaixo da superfície de um grande asteroide de gelo, e está próximo do PONTO DE INTERESSE ZETA-01, uma entrada de dimensão de bolso que serve como ponto de acesso para ZETA-01, uma localização extradimensional, não governada e não incorporada com uma sociedade e estrutura comercial estabelecidas.

A-1801: Seguindo instruções, A-1801 será nomeado à posição de Supervisor de Segurança de Operações, e será esperado que aplique o conhecimento colhido de mais de 20 anos como o sendo o Diretor do SÍTIO-42 de uma maneira efetiva. A seleção de funcionários de A-1801 do SÍTIO-42 será nomeada a várias posições dentro do mesmo departamento.

B-8092: B-8092 tem a tarefa de liderar sua equipe de pesquisadores selecionados do SÍTIO-42 — assim como alguns pesquisadores estacionados na ÁREA-11 ORBITAL — no desenvolvimento da tecnologia PII/N3. Espera-se que ela gerencie a equipe de pesquisa, gerencie a alocação de recursos de testes6, e adicionalmente providenciar informações sobre o desenvolvimento dos sistemas de tradução de Ortothan para Inglês.



Agente Trauss coloca a cópia impressa da DIRETIVA A-42 na mesa do Diretor de Sítio Radford com um suspiro. "Espaço?"

"Espaço, filho. Não aja surpreso. Nós sabemos como as coisas tem se saído aqui já faz bastante tempo."

Ele coloca sua cabeça nas mãos.

"Bem, você vai fazer isso?" Radford se recosta na cadeira, o sol poente iluminando suas íris cinzas. Ele parece desconfortável.

Trauss olha pela janela para a linha escura de árvores. "O jeito que isso está escrito, faz parecer que eu tenho que fazer isso. Que nós temos de fazer isso."

"O Comitê de Éticas especificou que se você não quiser o implante, você não precisa tê-lo."

"Bem, eu preciso dele se eu for proceder com esta diretiva."

"Sim, mas não é sua única opção. Você poderia ficar aqui."

"Não tem mais nada aqui, Eric. Eu só não gosto disso por causa de quantas pessoas-" Ele para. "Eu não sei. Eu não sei o quê eu quero fazer. Mas eu consigo dizer quando você não acha que uma sugestão seja uma boa ideia, e eu acabei de o fazer, então seja franco comigo."

Radford acena com a cabeça em concordância e gira para ficar de cara com a tela plana enorme na parede de seu escritório. Ele pega seu controle remoto e olha enquanto ele passa pelas gravações de satélite da área ao redor de cada instalação da Fundação.

SÍTIO-42
SEABREEZE CAROLINA DO NORTE EUA
POPULAÇÃO ORIGINAL RESTANTE: <3%

"É isso que estou falando sobre." Trauss gesticula para o vídeo atrás da caixa de texto, onde imagens de satélite mostram as ruas ensolaradas e quentes da Carolina Beach e dos subúrbios de Wilmington sem vida humana. "Digo, é isto que eu tenho visto desde pelo menos alguns anos atrás. As pessoas que eu encontro não fazem ideia de quem eu sou, com ou sem a parte do emprego na Fundação — até meus vizinhos. E cacete, eu não tenho visto esses vizinhos há mais tempo do que eu posso lembrar, de qualquer jeito."

Radford olha de vola para o homem mais novo. "Certamente você não está feliz trabalhando nas alas de contenção."

"Eu não gosto de ficar no subsolo, mas essa não é a era dos cargos de primeira escolha. E além disso, eu já trabalhei alguns turnos lá uma vez. Eu já estava acostumado, pelo menos o suficiente para lidar com isso."

Radford não fala nada, ao invés disso pressionando um botão no controle e trocando para a próxima gravação de satélite.

SÍTIO-92
LOS ANGELES CALIFÓRNIA EUA
POPULAÇÃO ORIGINAL RESTANTE: <7%

Trauss tem um vislumbre da vista aérea da cidade, mas é principalmente estática, e não consegue ser exibida completamente depois de alguns segundos. Radford muda para a próxima gravação.

SÍTIO-19
[INFORMAÇÃO CONFIDENCIAL RESTRINGIDA]
POPULAÇÃO ORIGINAL RESTANTE: 0%

"Eu não sei o que está acontecendo nas filiais dos outros países, mas não está com uma cara muito boa para nós." Radford gesticula para a imagem de satélite do portão principal do Sítio-19, que parece ter sido fortemente danificada, seu aço brilhante brilhando ao sol do deserto.

"Entendo."

SÍTIO-81
BLOOMINGTON INDIANA EUA
POPULAÇÃO ORIGINAL RESTANTE: <5%

Uma visão de cima para baixo do supermercado adjacente à cerca do perímetro do Sítio-81 mostra um grupo de pessoas montando uma estrutura massiva similar a uma torre de rádio. "O que eles estão fazendo, você sabe?" Trauss murmura.

"Relatório do 81 indica que a maioria das pessoas de Indiana se esqueceram sobre o serviço de telefone celular, então agora os engenheiros da cidade e os estudantes de STEM estão tentando fazer seu próprio sistema de comunicações."

"Mas as torres de celular ainda não funcionam?"

"A maioria delas. Mas eles não sabem disso, e não tem jeito de ensiná-los. Você esteve trabalhando com o impacto de 3848 por tempo o suficiente para saber como essas coisas funcionam."

"Foi retórica, eu acho."

Radford acena com a cabeça e desliga o monitor. "Olhe, Cyrus, nós tentamos. Nós tentamos por dez anos. Você tentou por dez anos."

"Ainda há humanos aqui."

"Uma maior porcentagem da população humana agora está no espaço ao invés de na Terra."

"Nosso trabalho não é proteger 51 por cento ou mais da humanidade, ele é proteger toda a humanidade."

"O que é impossível e ilógico. Claro que nosso trabalho é proteger a maioria da humanidade. É a única forma pela qual nossa missão pode ser efetiva."

"E se sair da Terra não seja a coisa certa a se fazer? E os skips?" Ele olha para os papéis saindo de uma pasta bagunçada na mesa de Radford. Um deles é um folheto brilhante com a logo pós-Coreia no topo, "Proteção" se destacando em vermelho do branco e cinza no papel. O que aconteceu com o significado daquele marketing nos últimos 10 anos? "E as duzias e duzias de anomalias humanas que não podem se manter vivas sem nós e que vão continuar se tornando anômalas conforme 4427 começa a alvejar comunidades como aquelas pessoas construindo a torre de rádio porque não tem mais interseções movimentadas de cidades? E que tal-"

"Tem muitas delas, Cyrus. Enquanto os diretores de segurança da Área-32 estão dispostos a aceitar algumas anomalias humanas — e sim, incluindo 4427-B, porque eu sei que você está prestes a perguntar — nós não podemos continuar usando recursos para um planeta que o Conselho O5 julgou insalvável. 4427 apenas tem como alvo a Terra, afinal."

Ele sacode sua cabeça. "Só não parece certo. Simplesmente não."

"Isso não é sobre os subjetivos 'certo' e 'errado'. É sobre a sobrevivência de nossa espécie. Tudo isto está perfeitamente alinhado com os objetivos da Fundação."

"Tem anomalias na Terra que precisam de nós para permanecer vivas e a melhor opção é simplesmente sair? Tem pessoas inocentes — os civis humanos que nós supostamente nos preocupamos tanto sobre — tendo suas mentes apagadas por 3848 e você acha que a melhor opção é simplesmente sair?"

"Eu te disse que você pode ficar para trás se você quiser!" Radford diz. "Se você quer desperdiçar suas habilidades aqui em baixo na- na porra de um planeta esquecido, se curvando para trás para proteger cada residente de Wilmington que não se importa um tiquinho com quem você é mais e cada pessoa que não consegue ajudar o fato de que ela dispara fogo pelos olhos ou seja lá quais sejam os problemas da porra dos afetados pelo 4427, você está certo." Ele respira e olha de um lado pro outro. "Desculpe, mas pelo amor de Deus, pense sobre o que você está fazendo. Suas oportunidades estão lá fora. Minhas oportunidades estão lá fora. As operações da Funda-"

"Eu não vou ficar aqui."

"Oh, graças a Deus."

"Eu sei que não é a opção lógica. E sim, eu ficou absolutamente miserável trabalhando na contenção."

Radford acena com a cabeça. "Você está vindo, então?"

"Contra o meu melhor julgamento, sim."

"Você quer dizer em conformidade com seu melhor julgamento."

"Eu digo contra meu melhor julgamento, e em conformidade com o julgamente que Wickerford programou em mim dez anos atrás. Digo, doze. Treze."

"Bem, desde que você esteja autoconsciente dele."

Trauss olha fixamente para Radford, mordendo a língua. "…Ok. Bem, seguindo em frente, então, eu realmente preciso de uma cirurgia no cérebro?"

"Não é cirurgia, é um processo de uma hora que não é muito diferente de usar um aparelho Schulman."

"E isso… não vou mentir, Eric, a linguagem usada nesse esquema está me dando muitas bandeiras vermelhas. Eles querem sobrescrever remotamente a resposta à dor e ao prazer? Me lembre de que porra de ano é esse, de novo?

"É 2041-"

"Certo, e veja, e eu achei que nós não jogaríamos baixo assim até a década de 60. Como essa tecnologia é sequer estável?"

"Se eu pudesse responder este tipo de pergunta, eu seria um pesquisador, não um diretor de sítio. Mas eu tenho certeza de que a tecnologia anômala presente no aparelho Schulman original foi o catalisador destes desenvolvimentos." Radford endireita as cópias da DIRETIVA A-42 e as coloca em um canto da mesa.

"Ok, isso é dado. Mas controle mental? Nós perdemos coletivamente nossa sanidade, aqui, ou apenas o Comitê de Éticas?"

"O Comitê de Éticas está ok com isso porque nós só estamos fazendo isso com funcionários que dão consentimento a isso. E 'controle mental', sério? Preste atenção a que partes do cérebro o implante realmente modifica. Seu pensamento não é prejudicado."

"Mas minhas emoções são? Que porra é essa?"

"O que o esquema negligência em falar é que a rede neural pode estar até constantemente ativa, mas não está afetando você constantemente. Você estará sempre em comunicação direta com seu manipulador, que será o único capaz de alterar qualquer coisa, e será uma pessoa que você confia que respeita sua autonomia pessoal."

"Certo. Eles, e o Conselho O5."

Radford franze as sobrancelhas por trás de seus óculos. "Você acha que eles de todos os funcionários não tem algo melhor a fazer?"

Trauss cruza seus braços e suspira. "Ok, deixe-me ver se eu entendi, aqui. Você disse que nosso futuro está no espaço, e agora estou lendo que qualquer um que queira fazer parte deste futuro deve passar por esse procedimento. Este é o meu único calma aí."

"É verdade, sim. Olhe, isso está além de mim. Você pode inferir pelo jeito que este documento fala sobre nós dois. Eu não sou seu superior mais, Cyrus. Pelo menos, estou prestes a não ser mais. Isso depende de você e você sozinho. Se você não vai prosseguir com nada disso, eu não posso fazer nada além de tentar te convencer."

Trauss permanece em silêncio, pensando.

Radford se inclina para frente. "Mas depois de conhecer você por vinte anos, eu me pergunto: O que tem sobre o N3 que te preocupa? Ou melhor ainda, o que tem sobre o N3 que é de algum modo pior do que os scripts de complacência ED-K que você mesmo foi programado com e programou outras pessoas com? Não é tão extremo assim, para mim."

"Aquilo era apenas uma ideia. Era colocar uma ideia na cabeça de alguém. Ele adicionava coisas, mas tirava nada. Significando que não alterava a identidade de uma pessoa, apenas adicionava traços enquanto deixava os originais intactos. Isto é simplesmente… isto é simplesmente deixar a Fundação tomar conta da operação de alguém."

"Eu não vejo como controle sobre respostas a estímulos físicos batem com esses critérios. Eu não estou cego em relação aos arrepios gerais do que está envolvido, mas ele não está fazendo mudanças na personalidade. Mudar como alguém responde a estimulos no momento não é lavagem cérebro, são alterações pequenas."

"Porém, quem está no outro lado dessa merda? Quem está pressionando os botões? Quem estará pilotando meu corpo quando-"

"Ninguém, Cristo. Ninguém estará controlando nada a menos que tenha uma emergência. Você não estava me ouvindo um minuto atrás?"

"Você disse meu 'manipulador', mas eu não sei como eu devo confiar em alguém que eu vou simplesmente conhecer lá fora em algum foguete. Digo, isso é tudo maluquice. E que tipo de 'emergência' iria requirir tomar controle do meu pensamento emocional?"

"Eu tenho o exemplo perfeito para isso. Você sabe como que é morrer no espaço?"

"Eu sempre ouço que seu sangue ferve. Eu realmente não sei."

"Não. A primeira coisa que você deveria fazer é soltar o ar, ou os gases em seus pulmões vão expandir e romper seus pulmões. Você talvez viva por dois minutos, dando ou tirando. O tempo todo, você estará sufocando enquanto a radiação da estrela mais próxima queima toda a sua carne exposta."

"Certo."

"E a umidade na sua língua vai ferver, também."

"Sim, eu entendo agora. Obrigado."

"Meu ponto é, imagine que seu manipulador detecte o que está acontecendo com seu corpo e seja capaz de artificialmente contrariar a resposta à dor. Não seria preferível isso a uma morte agonizante e visceral?"

Trauss estremece e remove seu colete enquanto se levanta, suando. "Eu acho. Vou precisar ser informado sobre a maioria disso. O que tenho certeza de que vai acontecer." Ele acena com a cabeça para Radford para ele andar até a porta com ele."

"Claro que vai. E olhe, a coisa mais importante a se levar em consideração é que qualquer um 'remotamente gerenciando' — como o esquema o diz — vai estar fazendo isso como um último recurso, e obviamente você vai se encontrar com seu manipulador antes de tudo para que você conheça quem que irá sobrescrever suas ações se necessário. Tem ameaças que você não pode imaginar no espaço, e eu aposto que quando você estiver a anos-luz de distância de Wilmington e todo mundo que você já conheceu, você se sentirá muito menos assustado e sozinho com a Fundação em sua cabeça."

"Isso é insano."

"Você está realmente surpreso? E além disso, deixe de besteira comigo. Olhe pro seu histórico. Você deixaria a Fundação fazer seja lá o que ela queira com você e seu corpo."

"Porra, não. Essa é uma afirmação geral perigosa."

"Você está corando, então você sabe que é verdade."

"Cala a boca, Eric."

Ele sorri pela primeira vez desde que Trauss entrou pela porta. "Vejo você na Sala 120B, então?"

Trauss balança a cabeça e se levanta para sair. "Esta vai ser uma crise de meia idade daquelas."

"Bem-vindo ao clube, eu acho."

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License