Documento Recuperado da Fossa das Marianas
avaliação: +3+x

Preciso escrever isso, porque às vezes esqueço as coisas e acho que o que ouvi hoje foi importante. Não para mim, o tempo para mim ou quase qualquer outra pessoa viva na Terra que tentar fazer a diferença passou, mas alguém, em algum lugar, pode ser capaz de fazer algo, ou pelo menos achar útil, ou algo assim. Quando terminar esta escrita, vou selar em um tubo, cobrir em cera e jogar escrita na ravina. Talvez algum dia alguém leia isto e tente juntar as coisas. Se eles puderem.

Eu adoraria começar do começo, mas honestamente não tenho certeza quando o mundo começou a acabar. Poderia ter sido anos e anos antes de um tempo, ou poderia ter sido tudo de uma vez. Tudo era tão sombrio, com ar mais quente, mares mais frios, pouco gás e muita gente, coisas que poderiam ter sido desvendadas por anos antes das coisas se grudarem aos olhos do público. O que eu e outros mais lembramos foi quando o navio Disney Magic afundou. Foi então que, na minha opinião, a maioria das pessoas começou a pensar que as coisas poderiam ser piores do que pareciam.

Disney Magic era um grande navio, um desses navios que contornavam ilhas e outras coisas. Um dia, a notícia foi toda se espalhando e de repente foi esquecida quando eu estava perto de saber disso. A coisa estranha sobre isso era como não havia vídeo dele por um longo tempo. Algumas fotos retratavam que o navio estava bem, mas nenhum navio estava realmente caindo. Então, de alguma forma, encontrei uma fita de gravação, e as notícias começaram a se espalhar de novo. Eu tenho que imaginar que eles não o revisaram primeiro.

O navio estava navegando de uma forma muito rápida, pequenos barcos estavam vagando ao redor, parecendo o sonho de todo amante de férias, quando de repente parou. Quero dizer, parado, apenas uma parada como se tivesse acabado de bater em uma montanha. Você podia ver pessoas indo para a frente por todo o convés, um monte de lixo caindo dos lados, uma verdadeira bagunça. Ainda é tudo por alguns segundos, então de repente há essa espuma atrás do navio. A maioria das pessoas achava que era o motor que tentava religar novamente… então um braço apareceu.

Não tenho certeza se na verdade era um braço, mas era algum tipo de membro, e deve ter pelo menos 30 metros de comprimento. Ele chegou ao lado do barco e… apenas destruiu, quero dizer desabotoou o barco como um casaco, e você pode ver todas as pessoas lá gritando e correndo… foi horrível. Então você viu algo balançar, uma entidade grande e espinhosa atacando contra essa lacuna, empurrando… então houve uma explosão em suas costas, e a câmera se levantou para mostrar alguns jatos em alta velocidade… então acabou.

Lembro-me de estar sentado ali, atordoado, olhando para a TV, mal percebendo o presidente chegando para declarar estado de emergência. Acho que foi dois ou três dias depois, quando a TV ficou sob controle total do governo, mas pode ter sido uma semana, não tenho certeza. Internet foi dominada, tudo que você podia ouvir, ler ou ver era “fiquem calmos, vai ficar tudo sob controle”. O mais estranho foi que a vida realmente não mudou muito por um tempo. Contas ainda vieram, tinha que trabalhar, ir para a escola, tudo isso. Apenas rostos muito mais assustados, e muito mais conversa estranha.

Logo estávamos vendo vários habitantes da cidade fugindo, que havia uma praga, uma revolta, uma bomba terrorista ou algum outro pesadelo. Meu irmão disse que eles estavam assim por causa de um enorme incêndio. O estranho era que o fogo se movia estranhamente… parecia se locomover para gasolina, não fica imóvel. Que depois de um tempo, ele jurou que viu o que parecia ser um homem de fogo com vinte metros de altura andando e comendo tudo. A ligação foi cancelada logo depois que ele disse isso. Eu não falei com ele desde então.

Então as coisas pioraram pouco a pouco. As pessoas continuavam fugindo, e não havia mais uma maneira de se comunicar para umas com as outras que fosse realmente segura, então era difícil dizer o quão ruim as coisas eram. Ainda assim, as palavras ainda saiam, e foi assustador. Merda, realmente, coisas sobre zumbis no norte, matando vários no leste, um lugar perto do oceano onde algo estava vivo e comendo pessoas, um monte de gente gritando sobre a segunda vinda e matando pessoas para comprar de Deus… Eu comecei a ficar mais longe das pessoas, apenas para obter alguma paz. Olhando para trás, isso provavelmente salvou minha vida.

E finalmente, um dia, acordei e havia sangue na minha janela. Estava do lado de fora, e eu podia ouvir alguma coisa estava acontecendo do lado de fora… gritos, brigas, tiros e um cheiro de arame em chamas. Eu tive que se esconder. Não tenho vergonha de admitir isso, deixei meu companheiro apodrecer e me escondi por quase uma semana inteira, muito tempo depois que o barulho parou. Depois do quinto dia, a eletricidade e o gás cederam, junto com a água. Quando finalmente me recuperei com os suprimentos, eu consegui respirar lá fora e vi que todo o lado oeste do mundo tinha desaparecido.

Agora, eu não sei ao certo se realmente se foi, mas há um penhasco que começa a trinta pés a oeste da minha casa, e não consigo ver o fundo do penhasco. Eu também não posso ver o outro lado desta ravina, então, pelo o que sei, essa parte do mundo se foi para mim. O subúrbio em que eu estava parecia uma zona de guerra, sangue e coisas quebradas por todo o lugar, casas sendo demolidas… sem corpos, o que eu ainda acho que era estranho. Eu peguei alguma comida e coisas de algumas das casas, então voltei para minha casa.

Eu tenho feito isso por um tempo agora. Eu não tenho certeza quanto tempo, realmente. Podem ter sido anos e anos, ou apenas alguns meses, é difícil dizer. Às vezes, o sol só fica em um ponto durante o que parecem dias… outras vezes essas nuvens se acumulam e você não consegue ver nada. Há… coisas ao redor também. Eu tinha ouvido um barulho e fui áte lá, eram entidades humanoides que parecem gostar de metal. Outras, pequenas coisas correm nos escombros, então eu tento me manter limpo. Eu vi uma coisa que parecia ser um inseto do tamanho de um gato, a coisa olhou para mim e gritou “PARE!” em inglês. Eu me escondi por dias.

Há também essas grandes coisas que aparecem por lá ás vezes. Eles têm pequenas pernas de inseto, e parecem um pouco com vermes, mas com os olhos por todo o corpo. Eles comem tudo quando pousam, mas na maioria das vezes ficam voando. Um deles tinha acabado de desaparecer quando eu encontrei um cara ferido. Ele estava tudo estraçalhado, e parecia um membro daquelas equipes que você vê na tv, mas sua roupa estava toda arregaçada. Eu o arrastei de volta para casa e depois conversamos.

Ele disse que estava caçando a coisa, mas foi atacado. Ele não diria por quê, mas parecia que a coisa estava em suas pernas. Eu dei alguns feijões enlatados e um pouco de água para ele, e ele se recuperar. Me perguntou quem eu era, se eu estava bem e tudo mais. Ele parecia meio chocado quando eu disse que ele era a primeira pessoa que eu vi desde que o lado oeste do mundo desapareceu. Ele me disse que não tinha ido embora, apenas se mudou, mas não diria o que isso significava. Ajudei ele a se recuperar dos danos e continuei perguntando quem ele era, mas ele não disse nada. Finalmente, ele disse, que suas ordens provavelmente não eram boas de qualquer maneira, e me disse.

Ele disse que trabalhava para uma Fundação ou algo assim, e que eles eram como policiais e um centro de pesquisa. Ele disse que ele era um dos agentes que andavam por aí tentando encontrar coisas estranhas e impedir que ferissem as pessoas. Eu disse que ele estava fazendo um bom trabalho até agora, e ele riu bastante. Ele disse que algo havia acontecido e que muitas dessas coisas escaparam e fizeram com que a Fundação perdesse o controle. Ele disse que isso era um “Cenário 'Efeito Estufa' de Classe GH-0”.

Perguntei o que aquilo significava e ele me olhou por um tempo antes de continuar. Ele disse que é o que eles chamam de um evento onde todos os seres vivos da Terra morrem, mas a própria Terra ainda estaria disponível para suportar vida. Perguntei o que importava se todos estivessem mortos e ele sorria estranhamente. Perguntei a ele se alguém na Terra ainda estava vivo, e ele disse que sim, mas estavam cuidadosamente contidos. Depois disso, eu apenas sentei para pensar, e o homem começou a ver seus machucados. Ele estava começando a calçar as botas quando perguntei para ele, o que aconteceria agora.

Ele disse que ele e a equipe iam “organizar” as coisas. Disse que eles têm a tecnologia para recriar quase tudo, e que recriar as pessoas é realmente muito fácil. Disse que limpariam e conteriam coisas, reconstruiriam as cidades quebradas e as habitariam. Demoraria muito, muito tempo, mas ele disse que acabaria por levar as coisas de volta ao que eram antes. Mesmo disse que eles poderiam recriar memórias e outras coisas. Eu apenas sentei, meio atordoado, e o observei enquanto ele apenas continuava, se vestindo como se isso não fosse grande coisa. Eu disse a ele que ele estava louco, que não havia como as pessoas esquecerem, que tudo isso poderia ser simplesmente esquecido. Ele parou, olhou para mim, sorriu e disse “Por que não? Já tínhamos feito isso antes.”

Não sei se esse homem era louco ou não, mas acho que ele era razoável. Quando ele estava saindo, ele disse algo sobre colocar minha casa debaixo d'água. Por favor, não deixe eles. Não deixe que eles nos escondam. Tente e encontre mais, eu sei que tem mais pessoas que tentaram deixar algo para trás. Não deixe o mundo morrer em vão. Lembre-se de nós.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License