Ético?
avaliação: +2+x

"Diga seu nome para o registro, por favor." A voz ecoou através do vasto espaço, amplificada pelo microfone.

"Hum, Dr, hum, Dr. Robert Feldon, senhor," ele disse ao microfone timidamente. Essa era a primeira vez que ele conseguia se lembrar estar tímido. Normalmente, ele era aquele com a voz estrondosa, ecoando lá do alto em uma sala escura.

Claro, essa sala dificilmente era escura, de fato ela estava tão bem iluminada quanto, ou até mesmo melhor do que algumas das salas na instalação em que Feldon havia trabalhado antes da falha da Máscara. E os homens, ou melhor, homens e mulheres acusando ele estavam apenas um pouco acima dele.

Ele observou com cuidado o grupo diante dele, procurando, assim como no passado, por fraquezas, por medos, por qualquer coisa que ele pudesse usar para sua vantagem.

Eles olhavam de volta para ele com a mesma expressão.

Feldon começou a suar.

"E sua antiga posição com seu antigo empregador, Dr. Feldon?" o homem no meio disse novamente.

Careca, pouco corpulento, roupas pretas, óculos. Um olhar vazio. A mesma expressão que muitos pensavam que Feldon já havia utilizado em momentos similares. Exceto que Feldon era levemente mais jovem e com melhor condição física. Completamente calvo, mas em sua antiga linha de trabalho isso era de se esperar.

Feldon limpou sua garganta e falou ao microfone novamente. "Antigo chefe do Comitê de Éticas da Fundação, senhor. Antes de ter sido passado para este corpo, senhor."

"E por quanto tempo você manteve esta posição?"

"Pelos últimos sete anos, senhor."

Apesar de si, Feldon ouviu um pouco de orgulho penetrar em sua voz e se envergonhou um pouco por dentro. Uma rápida olhada confirmou suas suspeitas. Eles ouviram também e estavam contentes para não dizer o contrário.

O grupo murmurava por um momento antes de um olhar do homem no meio quietá-los. Ele parecia ser o homem no comando e, presumidamente, iria conduzir toda a audiência.

"… Entendo. E para quantos desses… objetos SCP… você esteve envolvido na invenção dos 'Procedimentos de Contenção,' Dr. Feldon?"

"Bem, depende do que você quer dizer por 'envolvido' na verdade. Você se refere aos objetos cuja contenção e pesquisa eu estive pessoalmente envolvido antes de entrar no Comitê de Éticas, ou você se refere aos objetos cujos procedimentos de contenção eu estive envolvido na aprovação ou revisão durante meu mandato no Comitê de Éticas?"

"Responda a pergunta, por favor."

"Certo," disse Feldon, olhando um tanto quanto nervosamente para os outros membros quietos do painel. "Hum, em um chute, eu diria que, hum, 435. Talvez 437."

"Algum procedimento particularmente…notável… Doutor?"

"Para ser honesto, senhor, eles começam a se misturar depois de um tempo. E quando você considera toda a informação da qual fui privado até para aqueles acima do seu nível salarial, não é de se maravilhar que eu não me lembre de algum procedimento em especifico. Senhor."

Merda, por que eu estou retrucando esse grupo, as pessoas que vão determinar meu futuro? pensou Feldon.

"Sim e, bem, isso está sujeito a mudanças. Muito em breve nós devemos ter acesso a toda a informação. Como sendo o Novo Comitê das Nações Unidas para a Contenção Ética de Objetos, Eventos, e Criaturas Anômalas, nós iremos exigir conhecimento de tudo aquilo que a Fundação conteve e tem contido atualmente. Processos considerados antiéticos serão revisados. Se a revisão não for possível, contenção do objeto será cessada. Se o objeto em si for considerado inerentemente inimigo da vida humana, será destruído sem exceção."

Feldon imaginava quantos deles restariam no conselho quando descobrissem alguns dos segredos mais sombrios da Fundação. Coisas que apenas o antigo Conselho O5 e o Comitê de Éticas tinham permissão para saber.

"Doutor, por favor, a questão."

"Me desculpe, senhor. Você poderia repetir a questão por favor?"

"Por acaso você esteve envolvido na contenção dos objetos numerados como 453, 231, 158, 239, ou quaisquer outros objetos classificados como 'humanoides' pelo seu antigo empregador?"

Feldon olhou para outro lado, desejando que ele pudesse mentir e negar qualquer envolvimento.

"Sim. Inevitavelmente, todos os membros do Comitê de Éticas estiveram envolvidos em algum momento com um objeto humanoide. Nós fizemos o nosso melhor para reduzir o desconforto do objeto enquanto o mantínhamos contido. Ele ou ela, eu quero dizer."

"Você está ciente, Doutor, de que vários dos seus procedimentos de contenção para humanoides violam diversas leis em diversos países?"

"Nós não tínhamos uma escolha! Se nós não o fizéssemos o mundo poderia acabar!"

"Doutor, o público geral ainda tem muito pouco conhecimento do que sua organização chama de 'dobradores da realidade'. Sendo assim, acredita-se que seria muito improvável que uma mulher grávida ou uma jovem criança poderiam possivelmente destruir o mundo. Você teria alguma evidência do contrário?"

"Bastante," disse Feldon, começando a se mover da bancada em que tinha sido colocado, antes de perceber que os dois grandes homens que o acompanharam até lá não o deixariam andar por aí. "Antes de eu me tornar chefe do Comitê de Éticas, eu observei testes envolvendo SCP-239. Durante testes eu vi 239 transformar salas inteiras em uma instalação segura da Fundação para acomodar seus desejos. Nesse caso, uma casa de bonecas gigante. Isso não seria tão ruim se ela não tivesse transformado os funcionários nas salas em bonecas de pano animadas em tamanho real, completo com suas memórias e personalidades. Quando nós falamos para ela transformar tudo de volta, ela disse para o pesquisar chefe, e eu digo isso, 'ir embora, cara de bunda'. Eu creio que eu não precise explicar o que aconteceu com o rosto do pobre homem, mas bastou dizer isso, ele foi embora. Saiu pela porta e desapareceu. Eventualmente ela se cansou de brincar com suas 'bonecas' e elas simplesmente desapareceram também. Esse foi apenas um de vários incidentes e esse foi um dos menos sérios."

"E a mulher que vocês designaram como SCP-231?" perguntou o homem no centro, já desaprovando da resposta que ainda não saiu da boca de Feldon.

"Senhor, tem algumas coisas que ninguém quer saber sobre. Eu lhe garanto que esta é uma delas."

"Então você consistentemente impõe um ser humano a algo tão horrível que você sequer quer falar em voz alta ou se comprometer a isto em papel e você não vê nada de antiético nisto?"

"Oh, eu vejo várias coisas antiéticas nisso… se tratando de éticas convencionais, pelo menos," ele disse com um sorriso sombrio, "Veja só, o que a maioria das pessoas não sabe sobre SCP-231 é que ela não é uma única mulher grávida. O que todos no público geral sabem sobre SCP-231 está, de fato, incorreto. O público geral e, francamente, a maioria do público iluminado, com vocês inclusos, não sabem que SCP-231 é na verdade designado como SCP-231-7. Ela é a sétima e última das mulheres que contemos com a designação de SCP-231-X. As outras todas morreram. Elas ou morreram devido a uma brecha nos procedimentos de contenção que nós designamos, ou por conta própria, ou por nossas tentativas de remover o… feto. Em uma ocasião, SCP-231-1 realmente realizou o parto. E o incidente resultante causou centenas de casualidades. Você estava ciente disso, senhor?"

O painel permaneceu em silêncio, absorvendo a informação.

"E você sabia que cada feto teve a capacidade de causar ou mesmo causou um dano catastrófico maior do que o causado pelo anterior?"

O painel permaneceu parado, silencioso, um pouco inquieto. O doutor calvo agora tinha a vantagem.

"Vocês podem conferir os fatos quando vocês tiverem a liberação, não importa o quão banal isso soe."

O painel parecia desconfortável por um momento até o homem no centro falar novamente.

"Doutor, esse corpo irá determinar isso por conta própria. Mesmo levando em conta o que nós sabemos sobre o que sua organização chama de 'dobradores da realidade', nós achamos difícil
que qualquer coisa abaixo da idade de dez anos tenha poder o suficiente para, como alguns de vocês falaram, 'vaporizar minha cabeça' apesar da informação que você providenciou. Adicionalmente, seja lá o que você tem feito para a pessoa que você objetificou como 231 vai parar assim que esse corpo tiver o poder oficial de fazer isso."

Mas eles estavam com menos certeza, com menos arrogância, Feldon podia ver isso. Ele sentiu o poder mudar de posição na sala. Esse era seu palco agora.

"Tudo bem… às vezes ver é acreditar. Mas se vocês descobrirem que vocês estão errados, o que vocês pretendem fazer?" ele perguntou presunçosamente.

"Dr. Feldon, essa audiência não é sobre o que nós como um corpo pretendemos fazer. Essa audiência é sobre você e seus cúmplices e seu tratamento decisivamente antiético de vários seres humanos de várias nacionalidades. Sendo assim, esta via de discussão está fechada. Entendido?"

"Claro. Você tem mais alguma questão?"

"Por acaso vocês contêm alguma coisa que não destrua o mundo?"

"Bem, nós temos uma fantasia de lhama para duas pessoas usando galochas. Antes de a tomarmos ela estava sendo usada para recriação dissociativa-psíquica, mas então seus usuários tiveram uma overdose e morreram."

"…o quê?"

"Deixa para lá. Mais alguma questão?"

"Sim. Até onde seu conhecimento vai, por acaso algum dos procedimentos de contenção de sua autoria ou que você revisou continha prejuízo físico intencional para seres humanos?"

"…sim."

O painel como um todo não gostou disso.

"E algum dos procedimentos de contenção de sua autoria ou que você revisou por acaso colocam outros seres humanos em perigo?"

"Sim. Mas nós—"

"E algum dos procedimentos de contenção de sua autoria ou que você revisou por acaso envolvem tratamento cruel ou fora do normal de seres humanos?"

"…defina 'cruel e fora do normal'."

"Doutor, isso que você acaba de falar por si só é suficiente para convencer esse painel de que você tenha um julgamento moral questionável. Suas ações, em suas próprias palavras, tem sido antiéticas."

"Então, tendo isto em vista, tendo em vista a possível morte de centenas ou milhares ou até mais, que poderiam ser causadas por uma das anomalias que contemos, o que é ético? O que é certo e o que é errado? O que é cruel e fora do normal? Vocês estão preparados para perguntar estas perguntas todos os dias pelo resto de seus dias?"

O painel ficou em silêncio por um longo momento novamente.

"Como sendo o Comitê de Éticas, a vocês não foi confiado manter a Fundação ética? Nisso, vocês fracassaram."

"Vocês acham que eu falhei? Espere até vocês saberem. Vocês vão querer que eu volte, vão querer que eu tome seus trabalhos de vocês."

"Devido ao que você disse, Doutor, fique sabendo que esse comitê está recomendando que você seja permanentemente afastado de qualquer trabalho com a Fundação em sua iteração atual. Adicionalmente, nós recomendamos uma avaliação psicológica completa em uma instituição de nossa escolha. Se algum problema for encontrado, tratamento, não importando o quão demorado, é mandatório. Removam-no."

Dois homens grandes, os mesmos que tinham trazido Feldon à sala, levaram o antigo chefe do Comitê de Éticas para fora da sala para um veículo em espera que o levaria para uma instituição mental, um de vários antigos empregados da Fundação que estavam sendo enviados regularmente seguindo a nova necessidade de seguir leis internacionais.

O homem que servia como chefe do painel olhou para os membros agrupados junto a ele.

"Tragam o próximo."

Duas semanas depois

MANCHETE: ANTIGO CHEFE DO

COMITÊ DE "ÉTICAS" DA FUNDAÇÃO

LIBERADO E RETORNADO PARA

SERVIÇO

10 de Maio, 2014

Hoje, Dr. Robert Feldon, o antigo chefe do Comitê de "Éticas" da Fundação foi liberado da instituição onde ele foi colocado seguindo a audiência com o Comitê das Nações Unidas duas semanas atrás e retornado a sua antiga posição. A maioria do painel se recusou a comentar sobre sua decisão de repelir sua escolha e retornar Dr. Feldon a sua antiga posição, substituindo o antigo chefe do painel e do Comitê Gregory Rexin como líder do Novo Comitê das Nações Unidas para a Contenção Ética de Objetos, Eventos, e Criaturas Anômalas.

Quando questionado, Rexin apenas disse, "Neste mundo, este mundo em que tudo que nós sabíamos foi virado pelo avesso, o que é ético? O que é certo e errado e como nós definimos cruel e fora do normal?"

Novos comentários foram recusados. Cont. pg. 2A ÉTICAS.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License