Registro de Missão Exploratória 354-Alpha
rating: +1+x

Registro pessoal do Dr. ██████
Nossa expedição para explorar SCP-354, aquela ferida escancarada no meio do Canadá, foi finalmente aceita! Os rapazes do I&D trouxeram algo que pode ser descrito apenas como um submarino com uma broca presa nele. Nós sabemos que a poça se torna mais densa à medida que você desce, então nós suspeitamos que em algum ponto não estaremos afundando, tanto quanto cavando. Por isso o enorme dispositivo de mineração construído nele. Não é hidrodinâmico, mas nós realmente não vamos sair nadando aqui. Meu intestino me diz que há algo no outro lado da Poça Vermelha, e assim como cavando para baixo (cima?) até a China, tudo que temos que fazer é cavar isso para baixo (cima?).

Registro pessoal do Dr. ██████
Tive um longo, bom debate com O5-█ sobre quem tem permissão para vir. Eu queria FTM Ω-7 para vir conosco para proteção, ou pelo menos SCP-076, mas eles não permitiram. Depois de todos os danos maciços que ele continua a causar, eles ainda o vêem como muito valioso para arriscar perder. Não que ele seja, você sabe, IMORTAL ou coisa assim. Talvez eles só não tivessem a coragem de pedir para que ele fosse explorar…?

Ackler, aquele imbecil, queria que levássemos SCP-███ conosco, mas eu não iria permitir. O arquivo diz que SCP-███ nasceu antes de ele chegar, então ele seria tão inútil quanto um guia. Ele talvez tenha algum uso como parte da segurança, mas isso foi cancelado principalmente pelo fato de que ele [DADOS EXPURGADOS]. Ele provavelmente só ███████████████ de qualquer forma.

O complemento final da tripulação além de mim mesmo consiste em três agentes, dois funcionários Classe-D, um geólogo, e algum cara do I&D que vai pilotar a embarcação. Eu já esqueci o nome de todos eles.

Time Exploratório 354-Alpha (TE354a) registro de missão, dia 1:
Dia podre para começar uma missão. Rumores dizem que ontem à noite teve uma brecha de contenção em alguma Área ou outra. E então acontece que café não é permitido em nenhum lugar dentro da Área-354 por alguma razão ou outra. E toda a missão quase terminou em desastre quando acontece que quase se esqueceram de carregar combustível extra a bordo. Quem caralhos está comandando o show por aqui?

Enfim, estamos agora a caminho. Por um tempo eu tive um sentimento definitivo de que estávamos indo para baixo, mas agora a gente tá descendo muito mais devagar. Marty (esse é o nome do cara do I&D) diz que estamos afundando numa taxa de dez metros por hora. Aparentemente a essa profundidade, a poça vermelha é densa para caramba.

TE354a registro de missão, dia 2:
Nada de interessante aconteceu, mas eu aprendi o nome de todo mundo. Nós temos Marty, nosso "piloto"; Agente Swanson; Agente Turquesa; Agente 86; Dr. Jay Macarthur; Chris Simmons; e Leroy Tucker. Bem emocionante.

TE354a registro de missão, dia 3:
Às 4:30 da manhã, a gravidade mudou de direção subitamente. Cara, foi divertido acordar assim. Estamos agora subindo, em vez de afundar, o que quer dizer que estamos mais que na metade do caminho.

TE354a registro de missão, dia 4:
Nós alcançamos a superfície! Pelas portinholas é escuro, o que quer dizer que é noite. Nós não podemos sair ainda porque pelo que sabemos a atmosfera pode ser ácido clorídrico. Nós temos uma porrada de sensores fora da embarcação analisando um monte de coisa; se o ar é respirável, com que tipo de bactéria transmitida pelo ar nós temos que lidar, e coisas simples como temperatura. Vamos saber em oito horas se é seguro para a vida humana lá fora.

TE354a registro de missão, dia 5:
Aconteceu que o ar é totalmente seguro. Exceto que já é noite por… 28 horas a partir de agora. O que tá acontecendo?

TE354a registro de missão, dia 6:
O amanhecer finalmente veio. O sol era enorme e vermelho. Eu sou um biólogo, mas eu sei o suficiente sobre astronomia para saber que estamos orbitando uma estrela totalmente diferente. Isso é um tempo diferente, um lugar diferente, ou uma dimensão diferente? Leroy supôs que estamos em "outro plano de existência" e eu acho que ele foi o mais próximo.

A poça desse lado era bem maior, mais como uma lagoa extensa ou talvez um lago pequeno. As margens estão mais definidas do que no nosso lado também. Nós trouxemos uma balsa inflável para a costa (Marty e Simmons ficaram para trás) e fomos para o norte. O chão aqui, ou pelo menos em volta da poça, é quase totalmente desprovido de vida vegetal. O único verde que vimos foi um tipo de musgo difuso crescendo no chão que pareceu mais como uma espécie de mofo. O chão é um solo bronzeado acinzentado que parece uma mistura de areia com flúor. Macarthur disse que era certo minério ou outro, mas eu esqueci como ele o chamou.

Eu meio esperei que todos os nossos eletrônicos não fossem funcionar lá fora, mas isso não foi a primeira coisa a falhar. Depois de quase duas horas de caminhada sobre o chão liso e chato, o compasso mudou de direção subitamente. Agora ele aponta para o que pensávamos ser o leste. Evidentemente o magnetismo deste planeta (é mesmo um planeta?) não funciona da mesma forma que o nosso.

Não querendo arriscar se perder, nós imediatamente fizemos um 180 e voltamos para a embarcação. Eu poderia jurar que a viagem de volta foi menos da metade do tempo do que a viagem de ida. Amanhã nós vamos procurar um jeito de navegação que não depende do compasso estar sensato.

TE354a registro de missão, dia 7:
Noite de sono ruim. O sol nunca foi embora. Pelos meus cálculos, o ciclo de dia/noite aqui parece durar por 43 horas e meia, ao contrário de 24 horas em casa. Isso vai levar algum tempo para se acostumar.

Nós concordamos com um sistema de navegação. Primeiramente, nós vamos viajar somente em uma linha reta, para ter certeza que nós podemos voltar para a embarcação por simplesmente dando a volta e seguindo para a outra direção. A não ser que encontremos algum tipo de selva inavegável, nós devemos ficar bem.

Em segundo lugar, Marty conseguiu equipar um rádio… farol… alguma coisa. Eu realmente não lembro a explicação dele, mas se estivermos em qualquer lugar dentro de 800 milhas (1280 quilômetros, aproximadamente), o pequeno aparelho dele será capaz de nos dizer exatamente que direção devemos seguir para voltar, e quão longe estamos.

TE354a registro de missão, dia 9:
Nos estabelecemos algumas horas antes do sol nascer como agendado. Mas quando fomos para a costa, nós encontramos aquele musgo verde em TODO LUGAR. Tinha crescido em massa significativamente. Meu palpite é que a coisa se encolhe ao sol durante o dia, e se expande à noite para sugar os nutrientes ou algo assim. Nós decidimos que não queremos andar sobre isso, então voltamos e esperamos o sol nascer.
O sol veio e nos estabelecemos de novo. O musgo voltou para o seu estado menor. Só me ocorreu que não tem nenhum vento nesse lugar. O resultado é um silêncio mortal. Não tenho vergonha de admitir que o vazio total desse lugar é bem assustador.

Nós encontramos uma área sem nenhum musgo por algumas centenas de metros ao redor, e decidimos acampar pela 'noite'. O sol ainda está ativo, mas é hora de nós humanos dormimos, então eu estou chamando de 'noite'.

TE354a registro de missão, dia 10:
Alguma hora durante a 'noite' (que era na verdade dia… porra, isso vai ficar confuso) nós fomos todos acordados por um tipo de rugido. Você lembra como o tiranossauro sooava naquele filme antigo Jurassic Park? O rugido sooava muito assim, grande e reptiliano. Foi tão alto que eu tive certeza que seja lá o que estivesse fazendo aquilo não poderia estar mais que seis metros distante. Mas quando todos saímos de nossas tendas, não vimos nada. A área inteira é tão lisa que veríamos qualquer espécie de animal dentro de oitocentos metros ou mais, mas não tinha nada. Assustador para caralho.

Nós arrumamos o acampamento e continuamos. Depois de um tempo paramos de ver o musgo (talvez só cresça em volta da poça vermelha?) e o solo ficou mais rochoso. Na distância a terra parece crescer mais montanhosa. Eu acho que vejo árvores.

TE354a registro de missão, dia 11:
O terreno vazio acabou, agora estamos andando sobre um vasto campo de grama verde belíssima. Quase pareceu um gramado bem aparado. A grama parecia normal o suficiente até que Turquesa tropeçou em uma rocha, e ergueu-se para encontrar suas mãos cobertas com várias dúzias de picadas sangrentas. Aparentemente a ponta de uma lâmina desta grama é incrivelmente afiada, e perfura facilmente a pele. Não é uma ameaça para nossas botas de edição da Fundação, mas devemos todos ser cuidadosos para não cair sobre isso.

Chegamos a um pequeno córrego, na verdade não mais que um gotejamento. Swanson sugeriu que poderíamos reabastecer nossos cantis, mas Leroy e Macarthur queriam checar a água por alguma coisa ou outra primeiro. Macarthur tirou alguns equipamentos e depois de alguns minutos anunciou que não era água, mas sim dióxido de carbono em sua forma líquida. CO2 é normalmente um gás nessa temperatura, e nunca um líquido. As leis da física não aparentam estar funcionando da forma certa.

TE354a registro de missão, dia 14:
Não tive tempo de registrar nada por alguns dias. Movemos-nos para uma área escassamente populosa por árvores. A grama lá era murcha e marrom, e já não era afiada o bastante para perfurar a pele. As árvores eram comuns, pareciam bétulas, mas as folhas estavam erradas.

Em dado momento perdemos Swanson. Esse lugar é tão quieto que nenhum de nós se sente confortável para falar, então não tínhamos ideia de quando perdemos ele. Tem um bom intervalo de oito horas em que ele poderia ter desaparecido. Nós o chamamos, mas nenhum de nós queria se separar para procurar por ele.
Durante a 'noite', uma árvore caiu na tenda do 86. Ele não foi machucado e nenhum equipamento foi danificado, embora a tenda tenha sido mutilada além do reparo. 86 jura que a árvore não estava tão perto assim quando ele armou a tenda, e nenhum de nós sabe dizer o que a levou a cair. O tronco apenas… se rompeu. Todos concordamos em não armar nossas tendas em nenhum lugar perto de uma árvore a partir de agora.

No 'dia' seguinte (que foi noite, na verdade) nós ouvimos o mesmo rugido de alguns dias atrás. Soou exatamente como antes, e novamente não tínhamos ideia do que produziu o som, e nenhum de nós sequer concorda de que direção ele veio.

E aí começou a chover. Todos armamos nossas tendas para a 'noite', dessa vez muito mais juntos do que antes. A árvore mais próxima está a noventa metros de distância. Macarthur confirmou que era chuva de verdade e não mais a droga do CO2, e nós estabelecemos um tipo de funil para reabastecer nossos cantis.
Leroy doou a tenda dele para o Agente 86, e eu ofereci dividir a minha, já que é um pouco maior que a dos outros caras. Eu perguntei para o Leroy o que ele fez para acabar como um funcionário Classe-D. Ele disse que ele estuprou umas pessoas. Eu acho que ele talvez estivesse tentando me assustar, mas quem sabe? De qualquer forma, ele é um dos Classe-D mais bem educados que eu já conheci, então eu não acho que ele vai, sabe, tentar me agredir enquanto eu durmo.

TE354a registro de missão, dia 17:
Pelo amor de DEUS, a chuva finalmente parou. Tudo está encharcado, incluindo nós. Exceto pelo chão. Depois de tanta água você esperaria que o chão estivesse enlameado para cacete, mas o chão debaixo da grama mal ficou úmido. Possivelmente as plantas absorvem a umidade do solo mais eficientemente do que as com que convivemos.
Estamos saindo de novo. Talvez a chuva tenha despertado alguma vida animal.

[DADOS CORRUPTOS]

istro de missão, dia 25:
O que parecia ser um penhasco gigante à distância revelou-se como uma parede artificialmente construída. É feita de ferro enferrujado sólido e possivelmente se ergue a quatro metros e meio de altura. Para a esquerda e para a direita, vai mais longe do que o olho pode ver. Eu não consigo imaginar o quão espesso isso é. Nós não temos como contornar isso. Nós vamos ter que passar por cima ou através dela. Nós acampamos pela noite. Vamos descobrir o que fazer pela manhã.

TE354a registro de missão, dia 26:
Leroy improvisou um tipo de maçarico com o nosso equipamento. Eu juro, esse cara é a porra do Macguyver.

Nós cortamos um buraco na parede de ferro grande o suficiente para passarmos. Acontece que tem a espessura de apenas cerca de seis milímetros, mas existe outra parede atrás desta com menos de trinta centímetros no meio. Aparentemente essa coisa tem múltiplas camadas. Leroy cortou oito delas antes de finalmente passarmos para o outro lado.

A grama desse lado é preta. Não queimada ou algo assim, é apenas uma cor diferente. E finalmente tem algum vento! Eu já estava me cansando de

[DADOS CORRUPTOS]

oncluí que vir aqui foi um erro. Nós temos que voltar.

TE354a registro de missão, dia 39:
Nós passamos pela segunda barreira, e estamos de volta para o lugar estranho com a grama preta. Eu meio que esperava que o buraco que o Leroy cortou tivesse sido lacrado ou algo assim, mas ainda estava lá. Obrigado deus, ou quem quer que esteja no comando desse mundo.

Eu não acho que Macarthur vai conseguir sobreviver pela noite. Ele perdeu muito sangue.

TE354a registro de missão, dia 40:
Nós acordamos ao descobrir que o Macarthur tinha passado para o outro lado. Nós não queríamos fazer isso, mas não tivemos escolha a não ser terminá-lo. 86 tinha dito que ele tinha algo em casa que poderia ajudá-lo, e talvez ele estivesse certo, mas não poderíamos deixar que ele nos atrasasse. Nós só temos alguns dias antes qu

[DADOS CORRUPTOS]

ia 48:
Nós conseguimos voltar à embarcação com apenas uma ou duas horas de sobra. A primeira coisa que perguntaram foi que diabos tinha acontecido com Swanson, Turquesa, Macarthur e 86. Como se alguns membros do time mortos fossem nossos maiores problemas agora. Marty nos têm a caminho, e estamos definitivamente afundando. Eu só espero que eles não

[DADOS CORRUPTOS]

[FIM DO REGISTRO]

Esse documento foi descoberto na central da base de dados da Fundação. Nenhuma missão desse gênero para explorar SCP-354 foi ainda sugerida ou aprovada. Nenhuma ficha de qualquer funcionário mencionado nesse registro existe. A origem do registro é desconhecida.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License