Filhos Do Iluminado
avaliação: +6+x

Eram 16:51, ou pelo menos era o que dizia meu velho relógio… O dia da semana? Boa pergunta. Faz mais de 3 anos desde que a civilização caiu diante do Iluminado… Uma história até que engraçada, mas triste ao mesmo tempo…

Tudo começou quando um homem, meu antigo chefe, encontrou um livro enterrado na fábrica dele, ou perto dela, não me lembro direito… Enfim, esse livro não era um livro normal… Não, esse livro era as "escrituras" de um antigo povo indígena, escrituras que não teriam uma forma física definida… Elas poderiam assumir qualquer forma física… Um livro… Um pergaminho… Qualquer coisa que contenha conteúdo escrito… Como eu sei disso? Meu chefe me contou.

Pensei que eu e meu chefe éramos próximos, pensei que eu conhecia ele… Mas… Depois daquele dia… Minha visão sobre isso mudou… Mas isso fica para depois, agora… Onde eu estava? Ah, é.

Meu chefe costumava contar tudo quanto é coisa desde que ele se converteu para um culto… Um tal de "Culto do Iluminado"… Só mais uma religião besta, né? Errado.

O culto era liderado por alguém chamado "Kauê"… Esse Kauê tinha um cocar que, quando combinado com o livro, culminava na invocação da entidade cultuada por eles, o Iluminado… Se ao menos eu soubesse que não era meu chefe alucinando coisas quando ele me contou ter ouvido o Iluminado… Visto o Iluminado… Recebido visões do próprio Iluminado… As coisas teriam sido muito diferentes do que são agora.

Conforme os dias foram passando, eu podia ver… Eu podia ver nos olhos do meu chefe que algo estava errado… Era como se a vida estivesse sendo drenada dele… Era como se meu chefe aos poucos estivesse perdendo o que fazia dele um ser humano… E agora eu sei… Eu sei que isso é culpa do Iluminado! Eu sei que isso é culpa desse maldito livro!

Enfim, os dias foram passando e meu chefe mudando, ele começou a conversar sozinho, ele começou a gritar aleatoriamente ao longo do dia, ele ficava cada vez mais obcecado em "fazer seu sonho se tornar uma realidade"… E aparentemente esse sonho era ditado pelo livro, esse sonho era ditado pelo Iluminado! Eu sei que ele era bem menos obcecado com essas coisas antes do livro, EU SEI! TÁ?

Calma… Calma… Respire…

Pronto…

Um dia, ele revelou seu sonho a nós, seus funcionários. "Nós estaremos fazendo uma máquina climática!", ele disse. Eu achava que ele tinha perdido um parafuso na cabeça, eu me lembro… Eu me lembro que a primeira coisa que fiz assim que deu a hora do almoço foi.. Ir até a sala dele… E dar uma palestra sobre como o clima funciona! HAHAHAHAHA! Tão hilário! Tão… Fofo.

Conforme o tempo passava na fábrica ele conversava mais e mais comigo, contando histórias, conversando sobre sonhos… Ele era tão fofo… Tão charmoso com suas palavras, quase como se não fosse ele próprio falando… E temo que isso tenha sido verdade, temo que todo aquele papo fiado tenha sido a porra do livro usando ele como uma ferramenta esse tempo todo!

Eventualmente ele começou a ir em encontros comigo… Até viajamos uma vez para o Rio de Janeiro… Ele tinha se "confessado" para mim… Eu achei tão… Fofo… Tão… Romântico… Ha… Eu fui uma idiota! É isso que eu fui! Uma idiota por ter mordido a isca tão facilmente! Sabe por quê? Eu te conto! Ele queria me usar para fazer a máquina climática dele! Como? O LIVRO!

Com o livro ele fez um guarda-chuva capaz de produzir qualquer fenômeno climático, porém, tinha uma pegada: Não tinha como controlar esse guarda-chuva! Ele simplesmente agia por livre e espontânea vontade!

A solução que ele encontrou para isso? Pegar a porra de uma mente humana e enfiar nesse guarda-chuva para que ela o controle! Não só isso! Ele pretendia também controlar essa mente por meio de outro ritual capaz de escravizar mentes! Ou seja, ELE QUERIA ME TRANSFORMAR NA PORRA DE UM GUARDA-CHUVA E EM SEGUIDA ESCRAVIZAR MINHA MENTE! E EU ACHANDO QUE ELE ESTAVA APAIXONADO POR MIM! ELE SÓ TINHA INTERESSE NO FATO DE EU ESTAR ESTUDANDO METEOROLOGIA! Argh…

Isso tudo veio à tona numa noite de Lua cheia… Ele me levou para o culto… O cocar foi levado ao encontro do livro e eu vi… Eu vi ele… O Iluminado… Pela primeira vez… E eu sentia como se… se… Não fosse para eu estar ali… Eu entrei em pânico… Comecei a correr assim que eu vi ele vindo na minha direção… Tentei fugir mas bloquearam meu caminho… Mas… Quando eu pensei que este fosse ser o fim… Ha… Hahaha… Não é engraçado quando ganhamos uma força sobrehumana em situações de vida ou morte? Foi o que aconteceu comigo, eu consegui dar um belo soco na cara do idiota que estava bloqueando meu caminho e eu fugi… No último instante… Aquele era o ritual para ligar minha mente ao guarda-chuva! Mas eu fugi! Mas, mesmo assim, poucos meses depois eu vi… Na televisão… Os anúncios desses guarda-chuva… Acho que ele conseguiu alguma outra pobre alma para fazer isso…

Tudo começou com um guarda-chuva… Mas então vieram coisas uma atrás da outra! Roupas que se auto-resfriavam, chocolates que não derretiam, copos de água infinita… Tudo quanto é coisa que deveria ser impossível começou a ser produzida em larga escala para o mundo inteiro!

O que antes era uma única fábrica se tornou duas, e então três… Seis… Vinte… De nacional foi para multinacional! Ele estava faturando milhões ao ano! Não! Bilhões! Seu sonho se tornou realidade… Ele começou a tomar cada área de cada indústria… Ele dominou a indústria automobilística… A indústria alimentícia… A indústria de eletrodomésticos… Chegado o ano de 2020, a marca Sonhos Lúcidos estava em cada canto do globo, na maioria dos produtos consumidos pelas pessoas no dia a dia…

Mas então veio o dia… Cada objeto produzido começou a agir de maneira anormal, isso é, mais anormal do que eles já eram. Carros autônomos da marca Sonhos Lúcidos começaram a bater nas ruas, atropelar pedestres, simplesmente explodir… Copos de água infinita começaram a produzir sangue… mas o pior foi o último evento… Qualquer coisa da marca Sonhos Lúcidos que tivesse uma tela começou a mostrar algo, eu não sei o que, mas começou a mostrar algo… As pessoas que olhavam para essas telas entravam em pânico, começavam a correr para cá e para lá, estavam enlouquecendo!

Nas primeiras horas após o início de tudo isso a internet estava surtando, mas… Mas então… Silêncio. Todos os posts de fim do mundo, todos os posts no Facebook, todas as mensagens simplesmente pararam… Transmissões de rádio cessaram… Tudo parou… Bom, mais ou menos, acho que estou exagerando um pouco ao falar que TUDO parou… Ainda tinha aquela pessoa ocasional se perguntando o que aconteceu com todo mundo…

De repente, eu ouvi, ouvi pessoas nas ruas gritando glórias ao Iluminado, eu vi multidões de pessoas andando pelas ruas dando glórias ao Iluminado. Parecia um cenário pós-apocalíptico. Eu sai de minha casa e olhei para cima em horror… Não sou muito religiosa mas, depois do que eu vi, eu dou graças a Deus todos os dias por não ter olhado para ou sequer comprado uma daquelas malditas telas da marca Sonhos Lúcidos. O céu estava vermelho, as nuvens choviam sangue e o Sol havia se transformado num grande olho brilhante, olhando diretamente para a Terra, como se estivesse procurando algo…

Eu sai da minha casa pela primeira vez desde o início do apocalipse… E de fato parecia um cenário pós-apocalíptico. O horizonte era tomado por torres de fumaça negra que se erguiam dos prédios flamejantes de São Paulo, que se erguiam de carros acidentados pelas ruas, que se erguiam de florestas inteiras pegando fogo! Quanto mais tempo se passava mais as nuvens negras dos incêndios tomavam o céu e se misturavam com as nuvens negras de chuva, chovendo o inferno para a Terra e chorando seu sangue vermelho como o céu.

Milhões de pessoas andavam pelas ruas de São Paulo dando glórias e louvores ao Iluminado… Outras corriam por suas vidas, mas eram logo alcançadas pelas multidões de adoradores do Iluminado e desmembradas, rasgadas vivas, pedaço por pedaço… Era uma verdadeira carnificina. Eu tive sorte que apenas um dos adoradores me perseguiu… Eu conseguia ver em seus olhos que ele tinha perdido sua humanidade… Assim como meu antigo chefe… Quando eu vi isso eu tive um flashback daquele maldito livro! Eu queria voltar no tempo e rasgar aquele maldito livro com minhas mãos! Assim que eu o encontrasse, é claro.

Hoje em dia nós chamamos esses caras simplesmente de adoradores, mas, lá no início, eu precisava resistir o impulso de chamá-los de zumbis.

Por meses eu vaguei as ruas de São Paulo sozinha, sobrevivendo nas ruínas do mundo… Evitando os milhões de adoradores que vagavam pelas ruas com seu líder… Argh… Eu precisava tanto resistir a vontade de invadir aquelas multidões de adoradores e socar aquele no meio da multidão… Meu antigo chefe… Ele estava no centro da maior das multidões de adoradores, com o cocar em sua cabeça e o livro em suas mãos levantadas ao alto. Eu precisava tanto resistir à vontade de saltar nele e rasgar o corpo dele com a minha faca…

Enfim, por meses eu vaguei as ruas de São Paulo sozinha… Sozinha… Sem ninguém… Totalmente sozinha… Meu melhor amigo era uma bola de futebol com um rosto desenhado nela… O nome dele era Julio. Eu e Julio brincávamos durante a noite nas casas em que nos escondíamos… Depois do primeiro mês descobri que sequer precisávamos reforçar a casa contanto que a gente não chamasse muito atenção durante a noite… Os adoradores simplesmente vagam as ruas! Eles não invadem as casas nem nada! Só andam… E andam… Adorando ao Iluminado… Basta a gente não chamar a atenção deles que eles continuam tomando conta de seus próprios negócios!

Depois do segundo mês as pessoas começaram a mudar de fisionomia… Elas estavam desnutridas, mas ainda andando na mesma velocidade de sempre… Elas estavam desidratadas, mas continuavam em seu rumo… Seus cabelos estavam caindo, mas elas não se importavam… Sua pele ficava pálida… Suas mandíbulas caíam ao chão… Um circo de horrores ambulante…

Mas o clima… O clima estava maluco! Se lembra que eu disse que estava chovendo sangue? No meu segundo mês após o apocalipse eu vi uma tempestade! Raios vermelhos, ruas pintadas de vermelho… Tudo. Eu vi um dos adoradores sendo atingido por um desses raios vermelhos e sendo torrado vivo! Mas sabe o pior dessa história? Ele continuou andando como se nada tivesse acontecido!

Ao terceiro mês os adoradores já mal pareciam pessoas… Sua pele derreteu ou coisa assim, eles estavam só a carne viva exposta! Mandíbulas deshumanas! Olhos vazios de vida! Braços tão longos quanto as pernas! Deformações que nem Deus seria capaz de descrever!

Após o quinto mês eu já estava enlouquecendo… Estava considerando me esfaquear até a morte… Estava considerando me entregar aos adoradores e deixar eles fazerem o serviço de me desfigurar por mim… Pelo menos me desfigurar mais do que eu já estava desfigurada… Meu bafo era podre… A comida que eu comia era podre… Maquiagem? HA! Imagina! Eu passava noites em claro! Eu estava paranoica!

Sete meses se passaram e eu não podia estar em pior condição… Sobrevivendo de qualquer coisa comestível que apareça na minha frente… Incluindo restos de pessoas que cruzaram caminhos com os adoradores… Tão delicioso… Tão comestível… Tão… Imoral… Ha… Hahaha…

Ao oitavo mês eu conversava sozinha, eu brigava comigo mesma… Embora de alguma forma eu ainda conseguia derrotar a mim mesma em argumentos… Você não faz ideia da minha situação oito meses depois do apocalipse… VOCÊ NÃO FAZ IDEIA!

Nove meses se passaram e eu estava prestes a me esfaquear no coração quando alguém arrombou a porta da casa em que eu estava e arrancou a faca de minhas mãos antes que eu pudesse fazer qualquer coisa… Minha situação era tão ruim que eu sequer me importei na hora com a pessoa invadindo a casa… Foda-se se era um dos adoradores, foda-se tudo! Na realidade ela não era um dos adoradores… Era um sobrevivente… Assim como eu…

Eu me lembro de ter chorado e abraçado a pessoa desconhecida assim que eu percebi que ela não era um dos adoradores… Uma pessoa normal! Assim como eu! Finalmente!

Eu fui levada a um grupo de sobreviventes no que parecia ser um laboratório, ou coisa assim, abandonado… Passei meses em terapia com a Carla… Carla era uma das integrantes do grupo, ela era uma terapeuta antes do apocalipse… Ela certamente sabia o que fazia ao tratar de mim… Ela se certificou que eu recuperasse minha sanidade depois de tantos meses sozinha…

Uma coisa que permaneceu comigo desde que eu conheci aquele grupo é o lema deles… "Sobreviventes devem permanecer unidos até o fim."

Hoje eu fui mandada pelo grupo para procurar por mais sobreviventes pela cidade de São Paulo, nunca se sabe quando iremos encontrar alguma cara nova. Olhe para mim! Eu sobrevivi por meses sozinha! Talvez tenha mais alguma pobre alma por aí também sozinha assim como eu estava, perdendo sua sanidade, aos poucos caindo em loucura…

Enfim, o grupo é composto de umas 5 pessoas: Eu, Carla, João, Roberto e Matheus. Como eu já falei, Carla é a terapeuta do grupo, assim como também a médica do grupo, já que ela tem alguns conhecimentos médicos. João é… Não sei dizer, ele só faz a coisa dele e funciona pro grupo, então nós só deixamos ele fazer isso. Roberto e eu somos os recrutadores do grupo, que saem em busca de mais sobreviventes, Roberto também é o responsável por administrar nossos recursos, ele é quem decide quem recebe o que e se é seguro comer algo. Matheus é o chefe do grupo, ele já foi um bombeiro e todas as decisões passam por ele antes de serem aprovadas pelo grupo.

E aqui estamos nós, nas ruínas do mundo, nas ruínas de São Paulo. Eu sei lá como está o restante do mundo, mas São Paulo está um verdadeiro inferno. Mas, lá no fundo, eu sei que esse ainda não é o fim! Eu sei que é só uma questão de tempo até esse maldito livro cair por terra e ser mandado de volta para a puta que o pariu!

Ha…


Agora são 17:32… Como o tempo voa quando estamos contando histórias… Heh… Me pergunto se a turma está bem… Bobeira, claro que eles estão bem! Eles sabem se cuidar! Eu deveria estar preocupada comigo mesma! No centro de São Paulo, onde está a maior concentração de adoradores de todo o estado!

Eu sou Ana e já fazem 3 anos e 2 meses desde que o apocalipse começou… Eu estou no centro de São Paulo nesse exato momento em busca de sobreviventes, mas por enquanto nada, ninguém.

Agora são 18:10… Eu deveria estar voltando para o grupo, mas tem um grupo de adoradores lá fora! Eu não posso sair… Estou cercada… O pior de tudo é que o grupo parece gigante! Deve ter no mínimo 1 milhão de adoradores nesse grupo! Tinha até me esquecido da cara feia desses monstros, suas unhas afiadas com tamanhos variados… Ha… Isso me lembra daquela vez em que tentamos incinerar um dos adoradores e o maldito não morria por nada! A carne foi incinerada e só sobraram ossos e unhas! O maldito continuava dando glórias ao Iluminado!

Agora são 22:10… A turma deve estar preocupada comigo… Os adoradores até agora não foram embora e o apartamento em que estou continua cercado. Nada de tentar dar uma de espertinha e correr no meio da multidão… Sabe uma coisa que acho estranha desde que o apocalipse começou? É Lua cheia toda santa noite! Não importa a data, não importa o calendário lunar, é Lua cheia todo dia! E o pior é que a Lua está vermelha! Ao menos isso nos ajuda a ver durante a noite um pouco melhor… Acho que vou tirar uma soneca…

Agora são 01:28… Eu arrombei uma das portas do apartamento e dormi na cama velha que tinha lá. Eu tinha acabado de acordar por causa de uma luz estranha invadindo o quarto pela porta da sala… Eu entrei lá e vi que luz invadia o apartamento pela janela como se fosse dia apesar de ser uma e meia da madrugada! Eu decidi olhar pela janela e… Não pude acreditar no que eu vi… Eu vi o meu antigo chefe… E ele não estava sozinho… Além dos milhões de adoradores vagando pelas ruas lá estava o maldito… O Iluminado… Flutuando acima do meu antigo chefe… Ele olhava para cada janela, para cada canto da cidade, como se estivesse procurando por algo… De repente ele olhou para a minha janela… Eu e ele fizemos contato visual…

Antes que eu pudesse reagir, o rosto do Iluminado se apagou, revelando um rosto desnutrido com olhos vazios como poços sem fundo… Ele olhava diretamente para mim… Ele levantou seu dedo de luz e apontou na minha direção… E então gritou…

A multidão levantou seus dedos desnutridos e deformados e apontou em minha direção… gritando em uma linguagem estranha… Eles então começaram a invadir o apartamento! Não só isso! Enquanto alguns invadiam o apartamento pelas portas e janelas do primeiro andar, outros escalavam o apartamento por fora! Meu coração congelou em medo.

Eu entrei em pânico, eu não sabia o que fazer! Eu imediatamente corri de volta para o quarto e tranquei a porta, em seguida eu barriquei a porta com tudo que eu podia e me escondi debaixo da cama. Não demorou muito para que eu começasse a ouvir batidas na porta… Ha… A porta era tão velha que se despedaçou nas primeiras 5 batidas.

Depois de terem despedaçado a porta, os seguidores desfizeram minha barricada em segundos e começaram a procurar no quarto por mim… Eu só via os pés desnutridos deles, temendo por minha vida e torcendo para que eles não olhassem onde eu me escondia… E então aconteceu… A cama foi tirada do chão pelo Iluminado… E ele me pegou pela camisa…

Eu gritei por ajuda… Eu gritei… E gritei… Mas nada acontecia… Os adoradores apenas olhavam para mim com suas faces desfiguradas… Eu gritava por ajuda.

"Acalme-se minha criança… Eu estou aqui.", disse o Iluminado em uma voz distorcida. Eu tinha medo.

"Tu não vês, mas o Todo-Poderoso tem suas cordas ligadas a você. Você é apenas uma marionete.", disse ele. Eu implorava para que ele me soltasse. Ele me soltou.

"Eu sou a verdade, o que eu digo és a verdade, agora acalmeis vossa mente e ouve minha palavra.", disse ele. Eu caí de joelhos ao chão, chorando. As luzes do quarto se acenderam, as luzes do apartamento se acenderam… A televisão da sala ligou…

"Venha comigo, minha criança e vós vereis a verdade.", disse ele. Eu segui o Iluminado até a sala… Eu fechei os olhos e virei minha cabeça para o lado assim que vi a marca da televisão… Sonhos Lúcidos… A marca maldita…

"Abre teus olhos e vê a verdade!", disse ele. Eu não abri meus olhos, ele forçou meus olhos a se abrirem… E eu vi… A verdade…

Nós somos apenas peças no jogo de xadrez do Todo-Poderoso, nós somos apenas marionetes no grande teatro do criador e o Iluminado nos liberta das correntes do Todo-Poderoso… Glórias e louvores ao Iluminado! Amado seja o Iluminado!

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License