Forma Final
avaliação: 0+x

Ato II - Cena VI

Interior da sala de conferências. Todos os membros da Filhotes Confusos estão presentes e olhando, preocupados, para um laptop do outro lado da mesa em relação a Michael. A sala de conferências está mal iluminada e, atrás dela, iluminada por um holofote, está Natasha Fliers, segurando um microfone e olhando diretamente para a plateia.

NATASHA
Caos esta manhã fora do Sítio-96 da SCP após o lançamento de "Ficando numa Boa" - uma campanha publicitária feita para convencer a população em geral da importância e justiça moral da Fundação - apenas deixar as pessoas mais irritadas do que antes. Agora responsável não só pela destruição da Coreia do Norte, pela escravidão de centenas, senão milhares de ratos de laboratório humanos, mas também por um vídeo de propaganda em escala nacional dirigido às crianças, a Fundação ainda não respondeu. Para o noticiário do Canal 12, sou Natasha Fliers, aqui para trazer mais atualizações à medida que a história avança.


Michael lentamente se inclina sobre a mesa e fecha o laptop. As luzes voltam ao brilho normal na sala de conferências, e apagam sobre a Natasha.

MICHAEL
Então é aqui que estamos agora.


Todos estão em silêncio, lançando olhares nervosos e rápidos uns para os outros.

MICHAEL
Ok, certo, eu vou dizer isso. Chandler, o que diabos aconteceu?

CHANDLER
Eu… eu… olha, eu não sei! Ok, sinto muito! Eu realmente tentei com isso, sabe?

MICHAEL
Você deixou o vídeo para o último minuto e não me consultou sobre nada! Como, por exemplo, o método em si pelo qual você estava planejando espalhar a mensagem sobre os funcionários Classe-D, que era o ponto principal do vídeo!

CHANDLER
Ei, ele era também para remover a culpa pelo incidente da Coreia do Norte!

MICHAEL
Como? Como era pra ele fazer isso, Chandler?

CHANDLER
Eu não sei, ok? Eu estava realmente tentando, mas não sei!

MICHAEL
(Cabeça nas mãos, gemendo)
Ohhhh deus, o que caralhos devemos fazer sobre isso agora?

EVELYN
(levantando a mão, timidamente)
Eu estou em encrenca também?

MICHAEL
(cabeça voltada pra mesa)
Estamos todos em encrenca, Evelyn.

EVELYN
Certo…


De repente, Jazz e Dana correm de fora do palco e invadem a sala de conferências. Os dois estão parados na entrada, ofegantes, enquanto os Filhotes Confusos olham, extremamente confusos.

EVELYN
Puta merda, Dana? Jazz? O que diabos vocês estão fazendo aqui?

MICHAEL
Sim, uh, mas sério, o que vocês estão fazendo aqui, porque vocês não tem permissão para estar aqui atualmente.

DANA
(ainda sem fôlego)
Desculpe… só, tivemos que… fugir…

JAZZ
(Recuperando o fôlego)
Tivemos que fugir dos guardas.

MICHAEL
Sim, aposto que sim! Que porra é essa?

DANA
Michael, isso é muito importante. Não estaríamos aqui se não fosse.

JAZZ
Mas também… Chandler, desculpe por isso, os guardas ficaram um pougo presos enquanto… perseguiam… a gente… e precisamos de alguém vigiando as portas, caso algum dos desordeiros consiga passar, acha que poderia… fazer isso?

CHANDLER
Eu… acho que sim… Michael?

MICHAEL
Ah merda, merda, sim, por favor, Chandler. Enquanto isso, vocês dois tem muito que explicar.

DANA
É claro.


Dana parece que está prestes a falar, mas espera até que Chandler esteja totalmente fora da sala e fora do palco antes de começar.

DANA
Ok, desculpe, agora vamos começar.

JAZZ
Como você deeeeeve saber, alguém invadiu o prédio na sexta e não roubou nada.

MICHAEL
Oh jesus, qualé, eram vocês?

JAZZ
Sim, desculpe por isso, mas era muito importante. Nós precisávamos falar com o Crystal-INE.

MICHAEL
(muito irritado)
Qu- Crystal-INE? Eles falaram com você na sexta durante a invasão?

CRYSTAL-INE
…ok, em minha defesa, eu tinha uns trinta algoritmos rodando em minha mainframe, eu mal conseguia distinguir entre esquerda e direita.

DANA
Por sorte, ele ainda conseguia nos fornecer algumas informações muito valiosas.

MICHAEL
Calma-

DANA
Para as quais nós tínhamos o nível de liberação apropriado!

MICHAEL

JAZZ
Agora, o que vamos dizer vai ser realmente difícil de acreditar, mas está tudo no banco de dados. Você só precisa confiar na gente e seguir em frente com o que falarmos, porque já temos um plano bastante complexo.

EVELYN
Plano? Plano pro que?

MICHAEL
Vocês não estão fazendo sentido, o que isso realmente significa?

JAZZ
(presunçosamente)
Nós sabemos quem causou o incidente da Coreia do Norte.


Apagão.

Luzes se acendem no pódio do lado de fora do Sítio-96, onde uma grande multidão furiosa se reuniu. Na plataforma elevada, sozinho, está Chandler, que parece estar tendo problemas para acalmar a multidão.

CHANDLER
(nervoso)
Certo, pessoal… vamos, por favor, sejam gentis, vocês estão totalmente certos em ficarem bravos, mas não fiquem malucos, ok?


Um membro da multidão joga um ovo em Chandler, que não o acerta.

CHANDLER
Ei! Quem jogou aquele ovo? Vamos, todo mundo aponte para quem jogou o ovo! Eu quero ver dedos!


A multidão continua barulhenta. Enquanto Chandler tenta sem sucesso localizar o dono do ovo, os Filhotes Confusos, liderados por Michael, junto de Dana e Jazz, saem dos bastidores e sobem na plataforma. A multidão os vaia enquanto eles entram.

CHANDLER
Oh, graças a deus que vocês estão aqui, isso está se tornando um pesadelo. Alguém jogou um ovo em mim! Um ovo!

MICHAEL
Claro, Chandler. Muito obrigado, você é uma grande ajuda.

CHANDLER
Aww, bem, de nada, fico feliz em ajudar.

DANA
(projetando-se na multidão)
Olá a todos! Todos, por favor, fiquem calmos, nós gostaríamos de responder a algumas de suas preocupações!


A multidão mal reage a Dana, continuando a ser extremamente barulhenta.

JAZZ
(gritando)
Ei, ouçam! Nós queremos dizer a vocês-
(para Dana)
Eles não estão nem prestando atenção.


Crystal-INE vai até a frente da plataforma e abre a boca. Uma nota alta e aguda começa a tocar, fazendo com que todos na multidão parem de falar e apertem os ouvidos em dor. Crystal-INE fecha a boca e recua para trás de Chandler.

DANA
(com dor)
Obrigado, Crystal-INE.

JAZZ
Ouçam, todos, sabemos que vocês estão todos muito bravos agora, mas queremos dizer algo extremamente importante.

ALGUÉM NA MULTIDÃO
Ei, você não é aquela vadia que destruiu a Coreia?

DANA
Ei, escute amigo-

JAZZ
(empurrando Dana para trás)
Sim, sim eu disse isso, mas descobri que todos nós, inclusive eu, estávamos sendo enganados. Depois de muita pesquisa, finalmente descobrimos quem é o responsável pela destruição da Coreia do Norte.

DANA
Crystal-INE, agora!


Crystal-INE, atualmente em pé atrás de Chandler, envolve seus braços ao redor dele, segurando-o no lugar. Chandler começa a lutar.

CHANDLER
Mas que diabos, Crystal-INE, pare, você está me machucando!

JAZZ
Todos digam olá para Chandler Wentworth, ex-funcionário do Sítio-96, agora agente duplo secreto de um antigo culto.

CHANDLER
(lutando)
O que? jazz do que diabos você está falando?

DANA
Não banque o estúpido, Chandler, Crystal-INE nos mostrou sua "pesquisa" sobre divindades antigas. Não tente me dizer que é uma coincidência que no mesmo dia em que você estava pesquisando sobre o deus Razhilkan das tempestades, você também solicitou um arquivo sobre as temperaturas do ar e as flutuações das nuvens em torno de quatro sítios de contenção muito específicos.

CHANDLER
Isso não significa nada!

JAZZ
Também tem um vídeo de você mexendo com os motores tâumicos um dia antes do projeto ser aprovado. Você sabe, as coisas em que você disse que eu cometi um erro.

CHANDLER
Ah… bem, sim, isso é reconhecidamente um pouco mais difícil de… mentir sobre…


Chandler olha para trás e para frente, apavorado, por alguns segundos. De repente, seu rosto muda de uma expressão de terror para um sorriso sinistro.

CHANDLER
Acho que não adianta negar. Pelo menos agora tenho uma desculpa para fazer isso.


Chandler rapidamente puxa seus braços de debaixo das mãos de Crystal-INE e o empurra para trás, se libertando. Ele levanta os braços enquanto uma luz vermelha começa a circundá-lo e vento começa a soprar pelo palco. Em um instante, ele joga as mãos para baixo, as palmas voltadas para o chão, e com um estrondo alto, todos na plataforma e na multidão caem sobre seus pés, forçados para baixo por uma rajada de vento intenso.

CHANDLER
(voz profunda e vil)
Ah cara, isso foi muito bom.

MICHAEL
(tenso)
Que diabos… isso não fazia parte do plano!

JAZZ
(tensa)
Eu não achei que ele teria superpoderes!

CHANDLER
Sim, bem, que merda, porque eu tenho estudado um pouco mais no meu tempo livre!

MICHAEL
(tenso)
Chandler… pare com isso.. isso não é você…

CHANDLER
Oh meu deus, sério? Michael, você é literalmente a pessoa mais tímida que já fingiu ser uma figura de autoridade porque Laura fica jogando você por ai como uma marionete! Você é tão de falar!

EVELYN
(tensa)
Chandler, por que você está fazendo isso?

CHANDLER
Honestamente, Evelyn, você é a única por quem tenho respeito, então vou te contar.

HENRY
(tenso)
Ei, e eu?

CHANDLER
Cale a boca, seu peito chifrudo de homem!

HENRY
(tenso)
Ai…

CHANDLER
Olha, Evelyn, você sabe que não sou uma pessoa particularmente forte, mental ou fisicamente, mas quando eu comecei a ler sobre os costumes de Razhilkan… a coisa toda sobre eles é se tornar um indivíduo mais forte! E só deus sabe que eu não estou ganhando individualidade neste lixão.

EVELYN
(tensa)
Sim, mas por que isso, especificamente? Quero dizer, sem ofensa, mas achei que você pelo menos tivesse a força de vontade para não mandar uma "forma final" sobre nós apenas por um pouco de poder.

CHANDLER
Ei, qualé, isso não foi fácil, sabe? Além disso, finalmente sinto que estou fazendo algo importante! Eu sou o herói! Pela primeira vez, eu sou o cara que abre a jaula e sai andando com a cabeça erguida!

EVELYN
(tensa)
Que jaula, do que diabos você está falando?

CHANDLER
Eu não deixei isso extremamente óbvio? Meu novo mestre, Korothyl Li'imangar!

HENRY
(tenso)
Você acabou de dizer seu "mestre"?

CHANDLER
(presunçoso)
Correto! Mas eu não sou um simples servo, não não, eu literalmente possuo seu poder. Eu sou o… eu acho que o recipiente, e ele é o… possuidor… e eu vou libertar sua forma física que está sendo… aprisionada por vocês… seus… seus… carcereiros ignorantes! Sim… carcereiros ignorantes! Todos vocês!


Enquanto Chandler fala, Crystal-INE muito lentamente tenta se mover, e começa a rastejar em direção a ele da parte de trás da plataforma. Evelyn faz contato visual com ele muito rapidamente antes de olhar para Chandler.

EVELYN
(tensa)
Car… carcereiros ignorantes? Chandler, do que caralhos você está falando? Você trabalha aqui há anos!

CHANDLER
E veja onde isso me levou!

HENRY
(tenso)
Um salário de seis dígitos e um apartamento ao lado da estação de trem que você pega para ir para o trabalho?

CHANDLER
Calado… Eu não estou falando de dinheiro, eu quero dizer tipo… mentalmente, sabe? Eu me sinto bem agora! Tipo, eu estou no meu auge!

EVELYN
(olhando nervosamente para Crystal-INE)
Seu pico? O que você quer dizer com seu pico?

HENRY
(tenso)
Eu… eu sinto que pico deveria ser tipo… encontrar o amor ou realizar seus sonhos, não… brilhar vermelho e tacar tornados em seus colegas de trabalho.

CHANDLER
Porra Henry, eu não vou me impedir de cometer assassinatos, ok?

HENRY
(tenso)
ok, ok, vou parar…

CRYSTAL-INE
(tenso)
Te peguei!


Crystal-INE, ainda pressionado ao chão pelo vento de Chandler, agarra seu tornozelo. Uma luz azul brilhante emana de suas mãos e o som de um forte choque elétrico é ouvido. Chandler, no meio da frase, começa a ter um ataque, antes de cair no chão, inconsciente. Instantaneamente, a luz vermelha vai embora e o vento se dissipa. Todos na multidão e na plataforma olham ao redor, aterrorizados, enquanto lentamente se colocam de pé. A multidão olha para Chandler em choque.

MICHAEL
(gemendo)
Ughh…


Michael lenta e dolorosamente se levanta do chão e se inclina contra o pódio. Ele olha sem jeito para a multidão, e a multidão, com rosto impassível, olha de volta.

MICHAEL
(muito esgotado)
Bem, então… mais alguma pergunta?


Apagão.

O holofote vai para a seção de bar do bar, à direita do palco. A iluminação está um pouco mais fraca do que o normal e o som da chuva pode ser ouvido em toda a cena ao fundo. Evelyn está sentada em um dos bancos de bar, com um copo quase vazio de Riscocognitivo de Abacaxi à sua frente, Dana está atrás do bar, limpando uma coqueteleira. Evelyn bebe a última porção antes de se levantar e sair do bar. Dana chega embaixo do balcão do bar e pega um telefone. Ele digita um número e o leva ao ouvido. No lado oposto do palco, à esquerda do palco, um holofote vai para o sofá no apartamento de Jazz, onde seu telefone está. Jazz entra pela esquerda do palco, pega o telefone e se senta no sofá, atendendo.

JAZZ
Ei

DANA
Ei. Já se passaram alguns dias, eu só queria verificar. Como foi?

JAZZ
Bem, Michael não ficou muito feliz com isso, mas acho que era de se esperar. Laura parecia bem em me deixar ir, no entanto, não posso dizer que a culpo.

DANA
E agora?

JAZZ
Não tenho certeza. Tenho algumas coisas pequenas que gostaria de fazer, mas não tenho planos reais.

DANA
Certamente é melhor do que nada.

JAZZ
Sim…


Ambos olham sem jeito para seus telefones por alguns segundos.

JAZZ
Ei, como vai com você e-…

DANA
(animado)
Bem! Realmente bem, está indo… sim, muito bem. Nós tivemos uma daquelas conversas de "chá de hortelã às 4 da manhã" e acabamos compartilhando alguns sentimentos muito intensos, mas colocamos tudo a céu aberto e… está muito bem agora.

JAZZ
(sorridente)
Isso é incrível, Dana. Eu estou tão feliz por você.

DANA
(sorridente)
Sim… eu também… bem ei, eu tenho que fechar essa noite, mas é ótimo ouvir de você. Vamos conversar novamente em breve.

JAZZ
Sim, definitivamente, até mais.

DANA
Tchau.


Eles desligam os telefones, e o holofote de Dana se apaga. Jazz sorri novamente e então boceja. Ela coloca o telefone no chão e se deita no sofá, segurando a almofada do sofá contra o peito e adormecendo. Após um breve momento, Brimley é ouvido andando por fora do palco, seguido pelo som de chaves tilintando e sendo empurradas em um buraco de fechadura que não cabe.

BRIMLEY
(fora do palco)
Mas o que… ei, amor, você tá aí? Minha chave não tá funcionando e, tipo, tem um monte de caixas com minhas coisas aqui, perdemos o aluguel de novo?


Brimley é ouvido batendo na porta. Jazz continua dormindo, imperturbável.

BRIMLEY
(fora do palco)
Amor? Oláaaaa, você pode me ouvir? O que caralhos está acontecendo?


Brimley continua a bater na porta por um bom tempo, antes de finalmente parar.

BRIMLEY
Amor, ei, eu vou dormir na casa do Tim, quando você acordar me mande uma mensagem, eu acho que minha chave está ruim… ah, porra, calma, ela não pode me ouvir… merda. Tanto faz cara…


Brimley é ouvido se afastando do palco e o som suave da chuva fica um pouco mais proeminente. Jazz continua a dormir profundamente e, à medida que os passos se vão, ela sorri.

Apagão.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License