Fragmentos do diário do Pesquisador I. B█████
avaliação: +1+x
Mutus%20Liber

Única ilustração intata do diário. É geralmente admitido pelos pesquisadores historiadores da Fundação que a maioria das páginas arrancadas continham outros desenhos ou esquemas relativos ao Projeto "Mutus Liber".

Fragmentos do diário do Pesquisador I. B█████ descobertos num local dos arquivos do Sítio A████ que escapara às purgas orquestradas pelo Sítio M████ entre 1677 e 1684.

Notas dos Pesquisadores: O texto seguinte é uma das nossas melhores fontes de informação sobre o Projeto Mutus Liber ("Livro Mudo"), cuja origem é estimada a 15██ e que teve fim acidentalmente em 1677 com a criação involuntária de SCP-001-FR. Infelizmente, se trata de um texto extremamente lacunar, que só descreve de maneira muito confusa dos aspetos técnicos do projeto, sendo que o Pesquisador I. B█████ aparentemente não teve um papel preponderante neste. Porém, também é graças à implicação longínqua deste pesquisador neste projeto, e ao fato que o seu diário escapou, por consequência, às purgas orquestradas pelos Diretores do Sítio M█████, que esta testemunha chegou até nós.
- Dr. Bruant, Historiador Arquivista

Até hoje, cerca de 40% das informações que temos sobre o catastrófico Projeto Mutus Liber provêm deste diário.
- Dr. Johannes

(Esta transcrição foi adaptada à língua moderna. As páginas anteriores ao primeiro parágrafo foram arrancadas. É suposto que este foi escrito no fim do mês de janeiro de 1677 pelo Pesquisador I. B█████, que relata os progressos feitos pelos seus colegas do Sítio M████. O texto começa no meio de uma frase.)

(…) está seguro que a Lente1, a mesma pela qual podemos ver o movimento das esferas celestes demasiado longínquas para que o melhor aparelho concebido pelo matemático inglês2 possa detectá-las, está agora sensatamente disposta dentro da montagem. É porém necessário, segundo o que H█████ me disse, que a Lente seja orientada de tal maneira que o operador não se encontre fascinado. Este defeito já lhe custou dois assistentes; andaram diretamente até ao crisol como se estivessem andando para a sua salvação.

O dia está próximo, mas ainda há muito a fazer. Temo que a montagem não fique pronta em tempo para o fenômeno inédito predito pela Lente, e se não o estiver, uma ocasião tal não se apresentará novamente a nós antes de muito tempo. O avanço do trabalho de H█████ sobre a Lente, porém, é promissor. Nunca poderíamos ter pensado que seja possível utilizá-la sem sacrificar o operador; assim a transmissão da obra às mais altas esferas se encontrará mais pura. Quod est inferius est sicut quod est superius ; et quod est superius est sicut quod est inferius, ad perpetranda miracula rei unius.3

5 de fevereiro

Recebo tantas cartas de meus colegas que participam à Grande Obra que fica difícil concentrar-me. Chegaram a mim não menos de três aves hoje, assim como um mensageiro a cavalo que vestia nossas cores em pleno dia sem prudência alguma; temo receber uma nova missiva pelo estranho aparelho descoberto por T███████. Os sininhos de cobre que tocam para avisar da chegada de uma transmissão não pararam a sua infernal algazarra na noite passada. Hei-de reconhecer que as missivas vão melhorando cada dia, embora eu continua pensando que T███████ é um grande mentiroso quando pretende ser o inventor desse aparelho excecional. Deve ter extorquido-lhe os planos ao indivíduo trancado no quarto sub-solo de seu sítio, o mesmo que pretende possuir saberes vindos do futuro que lhe teriam sido murmurados no seu sono e que não consegue impedir-se de escrever.4

De qualquer forma, todas estas missivas causam-me simultâneas alegria e preocupação, alegria ao ver o quão meus colegas estão entusiasmados, preocupação de não conseguir concentrar-me plenamente nas minhas outras tarefas.

9 de fevereiro

T███████, aquele ladrão malcriado, teve a audácia de acordar-me às auroras com o seu maldito aparelho tintinante, e isto unicamente no objetivo de pôr em dúvida o nome do projeto ligado à Grande Obra. Aquele patife é incapaz de compreender os símbolos e suspiro à ideia de que um lugar neste projeto tão profundamente simbólico possa lhe ter sido dado. Segundo T███████, o nome de Mutus Liber é um nome ruim, pois a montagem do Crisol não se parece em nada com um livro, e não pode ser transcrito inteiramente por causa das suas partes obscuras e da sua complexidade. Lhe respondi que não era o Crisol mas a Grande Obra em si que era ilustrada por este nome, mas como gosto dizer de maneira frequente, "para o homem iletrado qualquer livro é mudo", e T███████, embora não seja iletrado, é estrangeiro à poesia dos símbolos.

O assistente de H█████ que trabalhava na fundição encarregada da criação do terceiro braço destinado a manipular o objeto de metal mortal lhe disse que vários manipuladores tinham febre e estavam cobertos de estranhas feridas, como se tivessem tentado aproximar-se do próprio Robert5 durante estes últimos dias. Fico bem feliz de ter recusado o convite a ir ver o objeto com meus próprios olhos entrando nesta sinistra sala vedada de chumbo. Já se ouvira falar de um metal que mata pela sua simples visão?6

Fica que H█████ não tem a intenção de trazer de volta7 os manipuladores aprisionados ou mortos por este infernal objeto, e que ele não (…)

(Duas páginas parecem ter sido arrancadas.)

(…) com várias precauções. O quinto refletor deve aparentemente ter sido trocado quando a entidade de metal8 que S. T██████████ utiliza para alimentar a quinta seção do crisol animou-se de vida própria, e mudou o seu aspeto antes de agarrar o refletor e se observar neste com adoração. Parece que os que tinham escrito os procedimentos para aprisioná-lo tenham omitido clarificar que os espelhos afetam-no tanto quanto a água. Escrevi a S. T██████████ que a água é uma superfície refletiva, e que na realidade, a entidade reagia ao seu reflexo e não à água em si. Os que a designaram Narciso um século atrás tinham acertado com mais precisão do que meus superiores querem bem acreditar.

23 de fevereiro

Maravilhosa notícia nesta manhã: a equipe ligada à parte "Sol" de Mutus Liber conseguiu enfim determinar toda a cartografia dos movimentos aparentemente imprevisíveis do Pássaro Luz.9 A jovem C████████ desenrolou na frente dos meus olhos, na sala principal de pesquisas, um rolo de papel que devia ser pelo menos tão grande quanto uma tapeçaria real e coberto de estampas que rivalizavam com os dos mais complexos tapetes do Oriente. Os seus próprios colegas não parecem conseguir decifrar todos os esquemas que ela desenhou neste imenso palimpsesto, e se não havia inteligência alguma por trás desta obra, creria eu que fosse a obra de uma aranha colérica ou de um artista demente.

Fica que o Pássaro Luz e as suas trajetórias já são decifráveis e previsíveis, pelo menos pela jovem C████████ se não por toda a equipe. Ninguém pôde explicar a origem dos estouros que produz nos seus movimentos, mas é possível que isto não afete em nada o sucesso da operação. Se encontra doravante isolado numa estranha estrutura em vidro soprado que evoca em parte o enorme bico de uma coruja, que os assistentes tiveram pressa em nomear "a Coruja". Esta é percorrida sem interrupção pelos estalos produzidos pelo pássaro, que serão mais tarde canalizados no crisol pelo terceiro refletor. As preocupações que eu tinha parecem infundadas, e o projeto deveria ter fim neste verão pouco antes da conjunção predita pela Lente.

8 de março

Estou pensando de maneira séria em pôr de lado as minhas pesquisas secundárias, quando voltarei em A████, de tanto que o Mutus Liber ocupa meus dias e minhas noites. A construção ingeniosa concebida para conter o Homem do Quarto Cômodo10 durante a experiência (…)

(Uma página parece ter sido arrancada. Os fragmentos de papel ainda ligados às costuras do diário parecem cobertos de hachuras feitas com tinta. Uma hipótese é que a página arrancada tenha contido um esquema explicativo que descrevia uma das partes da máquina do projeto Mutus Liber.)

(…) não acredita que isto seja necessário. Longe de mim a idéia de contrariar um Diretor, sobretudo no que tem relação com uma área de que não sou especialista, mas isto me parece um pouco despreocupado, particularmente em relação à quantidade de anomalias e entidades ligadas de tantas maneiras ao cumprimento do projeto. Que Deus tenha piedade para com nós se esta imprudência liberar esta coisa de que J. D██ recusa falar comigo, e que ele guarda secretamente no bizarro cofre que fez criar sobre medida11; murmuram os seus assistentes que este rodeia por toda parte uma entidade doze vezes maior que o cofre. Isto explicaria a enorme quantidade de energia que se libera no momento em que a válvula é girada.

30 de março

Me encontro num tal estado de fúria que meus humores certamente se encontram afetados. Parece que apenas algumas horas depois da minha partida do Sítio M████, um assistente julgou útil mover a Face de Janus12, que tínhamos passado tantas horas posicionando meticulosamente, de tal maneira que o lado sombrio oculte a parte "Sol" da grande volta de conduto vítreo elétrico a fim de que esta não impida o funcionamento da parte "Lua". O assistente inverteu completamente a Face, acreditando na sua ingenuidade que o lado sombrio devia observar a parte "Lua". Suponho que a Face já se encarregou em puni-lo à sua maneira se ele omitira vestir um espelho protetor, mas ao pensar nas horas desperdiçadas fico absolutamente furioso.

11 de abril

O Diretor decretou a interrupção temporária de todos os meus outros projetos, em favor do projeto Mutus Liber. Contente de ver que ele leva a purificação universal de todos os estados da matéria mais a sério que a maioria das pessoas embora sábias que trabalham em A████.

Tive grande pena ao aprender a partida irreversível da Senhora L████. Os seus trabalhos me foram enviados para que eu os decifre - o procedimento de codificação parece-me o do abade alemão de outrora13, mas aplicado com uma sutileza adicional que insiste em escapar-se de mim. Temo não poder conseguir antes da Conjunção. Isto não deveria ser um incômodo, pois os seus assistentes conservaram todos os ajustamentos que ela tinha preparado no primeiro refletor. Tive porém que encontrar o artesão fabricante de vidros com o qual ela tinha encomendado um peça de vitral que parece dever-se incrustar na obra, e enfraquece bastante os efeitos da Fonte da Estrela.14

19 de abril

A insuportável espera de (…)

(Uma página parece ter sido arrancada. Segundo a página seguinte, esta continha o esquema de um mecanismo complexo. Sendo o texto lacunar, ignoramos se era um SCP, um componente do "Crisol" construído pelos pesquisadores que participavam ao projeto Mutus Liber em 1677, ou outra coisa ainda.)

(…) não é sem evocar a fineza dos mosaicos que pude ver nestes lugares. A sua manufatura é das mais intrigantes e não pode ser da mão de um homem, fosse guiada por uma divindade. Curiosas luzes percorrem os canais assim gravados, como os humores percorrem o corpo humano; estas coloram-se de maneira estranha quando são postas na escuridão. O assistente F███, cujo pai é fabricante de relógios em Bruges, foi particularmente fascinado pelo mecanismo e tentou traçar um esquema deste, que se encontra na página anterior.

11 de maio

Segundo meu amigo e colega W██████ que voltou ontem, o Sítio M████ está repleto de preparativos e tantos assistentes e pesquisadores lá trabalham e giram que alguém poderia equivocar-se e pensar que o lugar é na realidade um gigantesco carrossel que gira sem fim. Ah, a imagem é apropriada - um redemoinho de homens trabalhando à volta de um carrossel celeste, destinado a girar e iluminar o mundo.

O calmo todo relativo em A████ é somente um artifício, por essência mantido pela ignorância que a maioria dos pesquisadores, assistentes e outros guardas têm das metamorfoses que anunciam-se. Nunca fora um segredo tão difícil de se conservar, tal um gato furioso num casaco - porém alguns parecem suspeitar que alguma coisa está prestes a acontecer.

O jovem H█████ me disse mais cedo que ouvem-se nas cidades vizinhas rumores de que o Conde de ██████████ teria feito fechar por uma parede um dos quartos da sua morada - pretendem que qualquer pessoa que adormecer neste quarto desaparece antes do nascer do sol. Talvez uma Entidade esteja à obra, e irei inspecionar o lugar sob boa guarda quando a Grande Obra terá sido finalizada.

23 de maio

É difícil acreditá-lo, mas, segundo a missiva que um mensageiro acaba de trazer-me, tão como a mensagem traçada no meio da noite por esse danado aparelho de cobre tintinante de T███████, os preparativos da Grande Obra foram acabados! Somente alguns dias antes da Conjunção anunciada pela Lente. Ah! Não posso voltar a dormir. Se os Homens comuns soubessem quais incríveis maravilhas terrestres e celestes se preparam, cada um cantaria-nos elogios - mas o nosso sucesso sera a mais doce das recompensas.

Et sicut omnes res fuerunt ab uno, mediatione unius, sic omnes res natae fuerunt ab hac una re, adaptatione… Ascendit a terra in caelum, iterumque descendit in terram, et recipit vim superiorum et inferiorum. Sic habebis gloriam totius mundi. Ideo fugiet a te omnis obscuritas.15

(Esta parte é acompanhada por um desenho feito à pena, representando o sol e a lua cercando um grupo de seis raios de luz estilizados, afastando o que parece ser um conjunto de nuvens negras.)

1° de junho

O dia está próximo. Chegou a hora para os mortais desafiarem o seu destino e a ordem das coisas. Não posso ir a M████ em tempo para ver a realização da nossa Grande Obra, mas se posicionar-me no teto, deveria conseguir ver os seus resultados imediatos; e enquanto a Obra irradiar, os olhos bem abertos, verei eclodir o lugar onde se encontra a luz. Haec est totius fortitudinis fortitudo fortis; quia vincet omnem rem subtilem, omnemque solidam penetrabit. Sic mundus creatus est. Hinc erunt (…)16

(Seis páginas parecem terem sido arrancadas.)

(…) foi executado pelas altas instâncias de M████. É somente uma questão de tempo antes que decidam acabar com o Sítio A████ e com o meu trabalho. Seria só justiça, mas que desperdício seria. As suas intenções - minhas intenções - eram nobres. Somente queríamos fazer com que a luz renascesse. Mas não estávamos prontos.

16 de novembro

Senhor, dai-me a coragem. Senhor, dai-me a força. Tudo o que vive morre, tudo o que morre não pode mais ser trazido de volta. O mundo tornou-se um caminho que pode-se percorrer somente numa direção, e esta direção é a do fim de tudo. Senhor, perdoai-lhes, não sabiam o que faziam. Senhor, perdoai-me por tê-los deixado Vos desafiar.

21 de novembro

Não posso mais viver assim. Este pecado será bem pequeno quando comparado ao que cometemos. É justo que os que precipitaram o fim de tudo precipitem o seu.

Senhor, dai-me a coragem como escudo. Dai-me a esperança para carregar-me. Deixai-me ficar sob Vossa luz. Ela é tudo o que nos resta.

Oculatus abis.17

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License