PEDIDO DE CONCESSÃO PARA ENGENHARIA GENÉTICA DE AUTÔMATOS ORGÂNICOS DE BAIXO CUSTO COM INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL SOFISTICADA PARA
avaliação: 0+x

PEDIDO DE CONCESSÃO PARA ENGENHARIA GENÉTICA DE AUTÔMATOS ORGÂNICOS DE BAIXO CUSTO COM INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL SOFISTICADA PARA TRABALHO

PROBLEMA
Na era industrial moderna, há várias tarefas que seres humanos considerariam desagradáveis, repetitivas, degradantes e/ou perigosas para a saúde, como cargos de custódia, mineração e combate armado. Embora o campo da robótica tenha sido louvado como a solução dessas tarefas, substituindo os humanos nessas situações, a extensão em que a tecnologia robótica evoluiu a tornou adequada apenas para tarefas extremamente repetitivas, como cargos de fabricação nas fábricas.

A principal questão a superar no campo da robótica é a da inteligência. Robôs modernos carecem de sofisticação em equipamentos e programação para detectar e reagir a mudanças em seu ambiente, interagir com seres humanos, ou incorporar feedback detalhado em seus programas além dos dados rudimentares de sensores; assim, eles estão limitados a tarefas repetitivas e exclusivamente industriais, como soldagem, pintura por spray e fundição1.

Um robô com inteligência artificial verdadeira seria uma enorme revolução no mundo moderno. Ele seria capaz de resolver problemas complexos, tomar a iniciativa, trabalhar e interagir com seres humanos, responder a mudanças em seu ambiente e aprender com ele e a resposta a suas ações para otimizar sua programação e drasticamente aumentar sua eficácia. Um robô inteligente teria aplicações em todos os campos que exigem mão-de-obra, do militar ao agrícola ao medicinal. Ele reduziria drasticamente os custos de mão-de-obra enquanto aumenta a produtividade e os lucros em todos os setores. Embora os Laboratórios Prometheus tenham feito progressos notáveis no campo da inteligência artificial e do aprendizado de máquinas com a Iniciativa de Inteligência Natural Avançada e com o Projeto Kapek, estima-se que, apesar de ter anos de antecedência em relação a todas as outras pesquisas em robótica sendo realizadas em todo o mundo, até mesmo a verdadeira inteligência mais rudimentar dos Laboratórios Prometheus não estará completa até pelo menos 1993.


SOLUÇÃO
Ao invés de construir robôs com inteligência artificial, os Laboratórios Prometheus irão crescer eles.

Nós propomos a criação de organismos artificiais geneticamente modificados parecidos com humanos para realizar várias formas de trabalho repetitivo e/ou perigoso que ou exigem habilidades e decisões de resolução de problemas incapazes de serem executadas por máquinas ou envolvem interação e companheirismo humano. Tais tarefas podem incluir cargos de zeladoria em empresas e residências, cuidar e ajudar cidadãos idosos e deficientes ou lutar em um conflito armado. Esses organismos seriam mais baratos de criar e usar do que seres humanos normais, careceriam todas as tendências não cooperativas de trabalhadores humanos e trabalhariam sem reclamar. No entanto, essas qualidades sugerem que os organismos são escravos – um termo arcaico para um sistema arcaico.

Os organismos serão marcados não como seres vivos, mas como Autômatos Totalmente Naturais dos Laboratórios Prometheus(ATNs): robôs orgânicos totalmente naturais com alta confiabilidade e baixa necessidade de manutenção; algoritmos intrínsecos de aprendizado de máquinas que permitem a eles aprimorar sua função com base em feedback do mundo real; capacidades de resolução de problemas de nível humano, destreza extrema e maneabilidade; interfaces de usuário de linguagem natural altamente avançadas que lhes permitem falar em qualquer idioma; inteligência artificial avançada que passa no teste de Turing e que tem reconhecimento facial e ambiental completo; funções de auto-reparo e completa imunidade a hackers; e qualidades ecológicas, como biodegradabilidade.

A tecnologia principal para engenharia de ATNs é derivada do trabalho no Projeto Lilith2, especificamente o uso de retrovírus para alterar rapidamente o genoma de um zigoto e, assim, alterar a composição genética de um organismo com custo mínimo e eficiência máxima.

O zigoto humano básico do qual os ATNs são derivados pode ser facilmente fabricado usando o Gel de Replicação dos Laboratórios Prometheus e as células-tronco do Projeto Samsara. Juntamente com a tecnologia de linha de montagem microbiana do Projeto Lilith, mais de 250,000 zigotos humanos podem ser cultivados e alterados por hora.

Emmerich, Serizawa, e Calvin3 desenvolveram técnicas para identificar, isolar e sequenciar genes de organismos que codificam características individuais específicas e foram pioneiros nas técnicas de codificação desses genes, alterando o DNA "não codificador". Combinando estas técnicas com os métodos de sequenciamento retroviral permitirá a identificação rápida e efetiva de traços uteis que aprimorem as habilidades cognitivas e de resolução de problemas nos ATNs juntamente com traços auxiliares, como autoconserto aprimorado ou velocidade de movimento.

Já que foi comprovado empiricamente que a consciência e a capacidade de resolução de problemas em seres humanos dependem apenas de um cérebro que se desenvolva adequadamente durante a gestação4, um corolário simples segue que garante que o cérebro do ATN não esteja sujeito à engenharia retroviral além da remoção padrão de desordens genéticas será suficiente para garantir a capacidade de resolução de problemas em pé de igualdade com o ser humano médio.

A solução mais simples e econômica para a programação de ATNs é usar a tecnologia de interface de máquina-cerebral de realidade-aumentada (IMCRA) do Projeto Delphi5. As IMCRAs podem ser implantadas in vitro em massa por centavos por chip, e centenas de IMCRAs podem ser controlados simultaneamente a partir de um computador mestre assim que o desenvolvimento pré-natal for concluído. A IMCRA em si também pode ser programada para gerar simulações de RV com as quais é possível programar com segurança os ATNs. Tais métodos de treinamento incluem o desencadeamento de caminhos de liberação de dopamina quando os ATNs obedecem certos comandos, estimulando nociceptores após a desobediência, e ensinando os ATNs a responder a estímulos negativos (tais como tiros ou facadas) de maneira a neutralizar a fonte do estímulo sem mostrar uma resposta negativa ao estímulo em si.


CASO DE NEGÓCIOS
Dado que os Autômatos Totalmente Naturais destinam-se ao uso em situações que envolvam trabalho repetitivo ou perigoso, interações humanas e capacidades de resolução de problemas, o público alvo primário para esses organismos será a assistência médica, aplicações militares, pesquisa e desenvolvimento corporativo e mão-de-obra de baixo custo de uso geral.

Asilos, hospitais ou até mesmo lares abastados comprarão ATNs para uso em cuidados humanos pessoais, desde cuidar de crianças, limpar panelas e mesas a até acompanhar idosos que sofrem de doenças neurodegenerativas. A natureza de seus aprimoramentos genéticos naturalmente os tornará imunes à maioria dos patógenos, tornando-os perfeitos para uso em ambientes estéreis. ATNs com CPUs de baixa velocidade podem até ser usados como animais robôs falsos de estimação que são fáceis de cuidar e que podem ser ensinados vários truques.

Organizações militares que vão desde o Exército de Libertação Popular à Coalizão oculta Global acharão que os ATNs são tropas bem treinadas, totalmente leais, adaptáveis, maneáveis e dispensáveis. ATNs se provarão uteis em várias operações militares, desde combate geral, patrulha e limpeza de zonas com armadilhas, realizando limpeza de explosivos, a até combater entidades paranormais.

Como os ATNs derivam grande parte de sua herança genética e anatomia dos seres humanos, mas não devem ser considerados humanos, eles serão candidatos perfeitos para aplicações de pesquisa e desenvolvimento, como testes de cosméticos, testes de drogas e testes de armas. Organizações farmacêuticas e de contenção, como a Sandoz AG e a Fundação SCP acharão os ATNs cobaias de testes obedientes, de fácil manutenção, resistentes e geneticamente variados para uso nas operações diárias.

A facilidade de manuseio dos ATNs, juntamente com seu baixo custo de manutenção, tolerância a trabalhos sem graça, perigosos ou difíceis e capacidade incomparável de solução de problemas, os tornam perfeitos para a força de trabalho em qualquer ambiente, desde escavar túneis ferroviários a até minerar minerais preciosos em grandes profundidas e combater incêndios em usinas nucleares.

Embora o uso de Autômatos Totalmente Naturais tenha também o potencial de desestabilizar economias deixando muitos trabalhadores não qualificados desempregados, isso representa uma segunda opção lucrativa: governos mundiais podem ser convencidos a incentivas os Laboratórios Prometheus a limitar a escala de produção dos ATNs, seja através de contratos garantidos ou infusões monetárias diretas.


UTILIZAÇÃO DO FINANCIAMENTO
Os Autômatos Totalmente Naturais podem ser fabricados em qualquer instalação dos Laboratórios Prometheus com a capacidade de usar o Gel de Replicação, reduzindo o custo médio de fabricação de um ATN para US$60 (assumindo 20 quilogramas de Gel de Replicação para cada ATN). As instalações de bioimpressão do Projeto Lilith podem ser reutilizadas. Isso limita o custo de construção a US$100,000 por instalação usando os métodos de construção padrão Constrói-RápidoTM dos Laboratórios Prometheus, permitindo que uma instalação seja construída a cada 12 semanas.

As técnicas de sequenciamento genético usadas para isolar traços úteis requerem apenas equipamento padrão usado para projetos tradicionais de engenharia genética, que custará aproximadamente US$100,000.

Levará aproximadamente 36 semanas para crescer o primeiro lote de ATNs para permitir o desenvolvimento ininterrupto do cérebro. Serão necessárias 12 semanas adicionais parar permitir a realização do treinamento IMCRA. Porém, se as execuções iniciais de teste forem bem-sucedidas, novos ATNs poderão ser fabricados todos os dias, de modo que os ATNs possam ser lançados todos os dias assim que quarenta e oito semanas se passarem desde a produção do primeiro lote.


PROBLEMAS CONHECIDOS
Como a base científica deste trabalho já está bem documentada e é comum em instituições de pesquisa periféricas e convencionais, as únicas preocupações são como os usuários humanos e os organismos de trabalho irão interagir um com o outro. O principal problema com a adoção generalizada de Autômatos Totalmente Naturais é que eles seriam percebidos como quase humanos pelo público geral, e não há um precedente legal claro sobre como lidar com organismos quase humanos. Naturalmente, os paralelos mais próximos serão traçados baseados em humanos, o que poderia resultar na proteção dos organismos de trabalho sob os direitos humanos, assim acabando com o propósito de sua existência.

A primeira parte da solução é uma campanha agressiva de marketing e lobby que se concentra na classificação dos Autômatos Totalmente Naturais como robôs orgânicos naturais que receberam características humanas e animais para torná-los mais familiares e amigáveis de se usar. Essa campanha também pode tentar alterar a definição legal e operacional de robô para garantir que os ATNs sejam classificados sob esse termo.

A segunda parte da solução é pôr características desumanas claramente definidas para garantir que os Autômatos Totalmente Naturais não sejam confundidos com humanos e para melhorar sua função. Por exemplo, implementar características da abelha européia (Apis mellifera) em um grupo de ATNs focados no serviço militar iria claramente indicar que eles não são humanos, com o benefício adicional de aprimorar sua computação paralela e capacidade operacional simultânea. A pigmentação preto-amarelo da pele indicaria ainda mais que eles não deveriam ser considerados humanos, enquanto a substituição do cabelo por pelo enfatizaria qualidades emocionantes e amigáveis semelhantes a animais.

A segunda questão chave é que os algorítimos de aprendizado dos ATNs poderia decidir que a desobediência ou dano direto a seus usuários melhoraria suas capacidades funcionais. As IMCRAs têm uma taxa de sucesso de apenas 97,9%. Portanto, a maneira mais fácil de testar a eficácia do treinamento IMCRA e eliminar os ATNs com defeito seria usar os ATNs programados em várias instalações dos Laboratórios Prometheus e observar suas interações com funcionários dos LP. Esse teste preliminar tem as vantagens adicionais de reduzir os custos com funcionários nessas instalações e, dada a natureza isolada da maioria das instalações dos Laboratórios Prometheus, minimizar a chance de fuga de um ATN rebelde. A vigilância constante presente na maioria das instalações dos Laboratórios Prometheus garantirá que quaisquer ATNs nos quais o condicionamento falhe possam ser rapidamente identificados e descartados antes que possam entrar no mundo real.

Porém, é possível que um ATN treinado sofra danos cerebrais no campo e dê mau funcionamento. Para prevenir ATNs com defeito de escaparem para a natureza e potencialmente perturbarem os ecossistemas locais, todos os ATNs serão geneticamente esterilizados durante o desenvolvimento fetal, tornando-os incapazes de sobreviver sem consumirem os Suplementos Alimentícios Líquidos Melhorados Totalmente NaturaisTM dos Laboratórios Prometheus todos os dias (os Suplementos Alimentícios também podem ser renomeados como Combustível de Autômato Totalmente Natural dos Laboratórios Prometheus e vendidos com uma margem de lucro mais alta), e terão seu tempo de vida útil limitado em 15 anos para que não possam existir fora de ambientes humanos. O uso dos Suplementos Alimentícios e a redução da vida útil têm o benefício adicional de tornar todos os clientes dependentes dos Laboratórios Prometheus para a manutenção e substituição contínuas dos ATNs, melhorando ainda mais os lucros.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License