Instalações Seguras da Fundação Lusófona


avaliação: +27+x

INSTALAÇÕES SEGURAS DA FUNDAÇÃO LUSÓFONA


A Fundação Lusófona opera um número expressivo de instalações seguras distribuídas em territórios sob sua jurisdição. Estas instalações seguras normalmente possuem fachadas para dissimular suas atividades reais e são divididas em diferentes categorias, especialidades e tipos operacionais extremamente variáveis para dar suporte a missão de asseguração, contenção e proteção da Fundação.

A lista a seguir compreende um número de Instalações Seguras oficiais da Fundação Lusófona.

LISTA DE SÍTIOS

SÍTIO PT1

/

Site-PT1.svg

SÍTIO PT1

MATRIZ DA FUNDAÇÃO LUSÓFONA

LOCALIZAÇÃO: SÃO PAULO — BRASIL ou LISBOA — PORTUGAL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: [REDIGIDO]

NEx06Tw.png

Edificação principal do Sítio PT1.

Trata-se da matriz administrativa da Fundação Lusófona, localizada num espaço geográfico liminar (ou não) entre Brasil e Portugal por meio de intervenções paratecnológicas.

Abriga o Conselho Lusófono de Diretores e os demais corpos superintendentes responsáveis pela administração geral da Fundação Lusófona.

Sua infraestrutura compreende um amplo complexo histórico na forma de um campus e guarnição especialmente modernizados para abrigar as operações especiais da Fundação Lusófona.

SÍTIO PT4

/

Site-PT4.svg

SÍTIO PT4

CENTRO ACADÊMICO PARATECNOLÓGICO

LOCALIZAÇÃO: ÉVORA — PORTUGAL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: DRA. MINERVA LEOPOLDINA ALCÂNTARA DE LORENA

O complexo edilício mais antigo em posse da Fundação Lusófona, o Sítio PT4 foi instalado nas estruturas históricas do Campus Athena da Academia após um extenso processo de manutenção e reforma integral da estrutura do campus.

As instalações atuais são autossuficientes e contemplam um dos maiores centros acadêmicos e de pesquisa do mundo do anômalo, um parque técnico-científico para pesquisa e desenvolvimento de soluções paratecnológicas em escala semi-industrial, além de ser referência no desenvolvimento de soluções taumatológicas e taumatúrgicas.

Abriga mais de 80 milhões de artefatos arquivísticos e historiográficos (documentos, fotografias, livros, etc.) do mundo do anômalo.

SÍTIO PT5

/

Site-PT5.svg

SÍTIO PT5

COMPLEXO DE CONTENÇÃO E LOGÍSTICA

LOCALIZAÇÃO: MATO GROSSO — BRASIL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: [REDIGIDO]

O Sítio PT5 é uma instalação dedicada à armazenagem de artefatos e itens anômalos de baixa periculosidade e objetos classificados do tipo "Seguro"; essencialmente, qualquer coisa que pode ficar dentro de um contêiner com o mínimo de interação e supervisão.

Adicionalmente, a instalação opera como um sofisticado centro de logística, com soluções de armazenamento, distribuição, transporte, triagem, etc. de recursos da Fundação Lusófona.

SÍTIO PT7

/

Site-PT7.svg

SÍTIO PT7

ACERVO BIBLIOGRÁFICO PARATECNOLÓGICO LUSÓFONO

LOCALIZAÇÃO: DISTRITO FEDERAL — BRASIL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: DR. JORGE VALLE WERNECK

O Sítio PT7 está localizado nas mediações que anteriormente abrigavam o Quartel-General da Superintendência Brasileira do Paranormal. Trata-se de uma das maiores e mais seguras instalações utilizadas e operacionalizadas pela Fundação Lusófona.

As instalações abrigam o maior arquivo de artefatos históricos do cenário anômalo da América Latina, com mais de 90 milhões de itens em sua curadoria, além de um número expressivo de objetos anômalos e outros artefatos paratecnológicos armazenados em sua custódia.

SÍTIO PT10

/

Site-PT10.svg

SÍTIO PT10

COMPLEXO DE CONTENÇÃO E PESQUISA BIOLÓGICA

LOCALIZAÇÃO: AMAZONAS — BRASIL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: DRA. YASMIN DA SILVA

O Sítio PT10 é uma instalação extremamente sofisticada especializada em operações e soluções para a asseguração, contenção, estudo e proteção de objetos anômalos, e outros fenômenos paranormais, considerados de interesse das Ciências Biológicas.

As estruturas edilícias da instalação compreendem uma macroárea com divisões nos campos da botânica, geologia, química, medicina (e veterinária), etc., bem como habitats especializados e zonas de contenção zoológicas especiais.

Devido a sua localização estratégica, possui um alto grau de conforto e comodidade com guarnições e hospedagem, infraestruturas aéreas e marítimas, um alto contingente militar especializado e a capacidade de operacionalizar teatros de treinamento para as forças da Fundação Lusófona.

SÍTIO PT13

/

Site-PT13.svg

SÍTIO PT13

COMPLEXO ESPECIALIZADO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

LOCALIZAÇÃO: RIO GRANDE DO SUL — BRASIL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: DR. DUARTE DE SOUZA GOUVEA

Instalada nas mediações do antigo Campus Hefesto da Academia, o Sítio PT13 é um amplo complexo especialmente isolado eletromagneticamente por meio de implementos paratecnológicos para comportar a contenção e segurança de objetos de interesse de natureza digital, elétrica e eletrônica.

Adicionalmente, conta com uma das maiores divisões responsáveis por ações de tecnologia e segurança de informação da Fundação Lusófona.

SÍTIO PT17

/

Site-PT17.svg

SÍTIO PT17

COMPLEXO DE TRATAMENTO MÉDICO E CONTENÇÃO EXPERIMENTAL

LOCALIZAÇÃO: MATO GROSSO — BRASIL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: DRA. NATHALIE HEINZ-PETER

Estruturada em instalações anteriormente pertencentes a Superintendência Brasileira do Paranormal, o Sítio PT17 é um sofisticado complexo hospitalar de contenção e segurança, além de pesquisa e desenvolvimento para inovações e soluções paratecnológicas em medicina e saúde. Adicionalmente, o Sítio PT17 conta com uma ampla infraestrutura militar aeronáutica.

As instalações são dedicadas ao tratamento médico, com clinicas especializadas e soluções de contenção experimentais, buscando promover o tratamento ético e reabilitativo para funcionários e objetos anômalos de baixa e média periculosidade que exibam características cognitivas relevantemente humanas que beneficiem-se de tratamentos e procedimentos de contenção não-tradicionais aos moldes da Fundação.

SÍTIO PT19

/

Site-PT19.svg

SÍTIO PT19

COMPLEXO MILITAR ESPECIAL DE SEGURANÇA

LOCALIZAÇÃO: ZAMBÉZIA — MOÇAMBIQUE

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: COMODORO GUILHERME FERRAZ MULÉMBWÈ

Localizada no antigo Campus Nereide da Academia, selado em 1988 com o uso de paratecnologia devido aos conflitos geopolíticos do cenário anômalo da região que acabaram inviabilizando operações. O Sítio PT19 foi reativado novamente em 2005 após uma ampla reforma e modernização de sua infraestrutura, tornando-se um complexo militar de grande escala na região.

SÍTIO PT20

/

Site-PT20.svg

SÍTIO PT20

COMPLEXO DE CONTENÇÃO E PESQUISA DE ARTEFATOS HISTÓRICOS E ARQUEOLÓGICOS

LOCALIZAÇÃO: SALVADOR — BAHIA — BRASIL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: DR. ÊNIO AUGUSTO BRUNING

Operando como um centro de pesquisa acadêmica e contenção, o Sítio PT20 compreende a instalação com o maior acervo historiográfico da Fundação Lusófona. A Instalação contém, principalmente, artefatos anômalos de relevância historiográfica e/ou podem ter seus esforços de contenção maximizados utilizando contexto e pesquisa histórica.

Atualmente, quando é impossível para o Sítio PT20 conter diretamente uma anomalia dentro de suas especificações, este presta apoio a Projetos e/ou Instalações que necessitem da expertise de seus funcionários.

A biblioteca do Sítio PT20, atualmente administrada pelo Dr. Natalício de Borges Wilson, possui tanto cópias de documentos históricos quanto os originais, além de um grande banco de dados digitalizado destes. A biblioteca possui tecnologia de preservação de ponta para preservação de seus acervos.

SÍTIO PT25

/

Site-PT25.svg

SÍTIO PT25

COMPLEXO DE CONTENÇÃO E PESQUISA DE OBJETOS METACONCEPTUAIS

LOCALIZAÇÃO: SANTA CATARINA — BRASIL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: DRA. SOFIA BACCERUTI

Operacionalizado com a modernização da infraestrutura do antigo Campus Morfeu da Academia, num conjunto de edificações históricas marcando um ponto de convergência de Nevrálgicas, e uma entrada liminar para a Oneirosfera, o Sítio PT25 é uma instalação sofisticada dedicada às operações envolvendo objetos abstratos e conceituais.

É a matriz da Fundação Lusófona para lidar com objetos espaciais noosféricos, incluindo riscos por informação, riscos semióticos, entidades oníricas, entidades extra-noosféricas, instâncias hiperconceitualmente caóticas, entre outros objetos de interesse periféricos.

Devido a sua especialização idiossincrática, abriga o único Departamento de Assuntos Conceptuais da Fundação Lusófona e, sob sua égide, a Diretoria de Geografia das Esferas Conceptuais, responsável pelo desenvolvimento de objetos paratecnológicos para ações de segurança, proteção, e contenção de objetos conceptuais em geral; em especial, abriga os sistemas de Computadores Geográficos Noosféricos.

SÍTIO PT33

/

Site-PT33.svg

SÍTIO PT33

CENTRAL DE DESENVOLVIMENTO PARATECNOLÓGICO DE SEGURANÇA

LOCALIZAÇÃO: GOVERNADOR VALADARES — MINAS GERAIS — BRASIL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: GENERAL TIBÉRIO MACHADO

O Sítio PT33, apelidado "BALUARTE", é a matriz da Fundação Lusófona para o desenvolvimento de soluções de asseguração e proteção por meio do emprego de paratecnologias e/ou a promoção de operações de caráter militar. Configura-se como a instalação mais segura da Fundação Lusófona.

Compreende um amplo complexo estruturado como uma base militar de operações das Forças Armadas Brasileiras, com uma arquitetura brutalista; possui um edifício administrativo central, estrutura logística compreendendo hangares e equipamentos para operações aéreas, guarnições e armazéns, além de uma ampla zona de testes e treinamento de combate.

Estendendo-se pelo subsolo, possui setores laboratoriais para o desenvolvimento de operações tecnocientíficas de paratecnologia bélica e sofisticadas instalações para armazenamento e contenção de artefatos.

LISTA DE ÁREAS

ÁREA PT2

/

Area-PT2.svg

ÁREA PT2

CENTRAL AERONÁUTICA E ESPACIAL

LOCALIZAÇÃO: ALCÂNTARA — MARANHÃO — BRASIL

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: BRIGADEIRO [REDIGIDO]

A Área PT2 é um extenso e sofisticado complexo aeronáutico compreendendo uma área de mais de 600 km². Devido a sua proximidade a Linha do Equador, a disposição geográfica, as condições climáticas e a densidade demográfica das mediações, o complexo é utilizado para o lançamento de foguetes, satélites e outros objetos de interesse ao espaço, além de operar como uma base aeronáutica.

ÁREA PT9

/

Area-PT9.svg

ÁREA PT9

BASE AVANÇADA DE OPERAÇÕES TÁTICAS MARÍTIMAS E OCEANOGRÁFICAS

LOCALIZAÇÃO: PENÍNSULA DE MACAU

DIRETOR DE INSTALAÇÃO: CONTRA-ALMIRANTE LUCA LEONG

Instalada nas mediações do antigo Campus Neptuno da Academia, a Área PT9 compreende uma ampla área marítima e um arquipélago isolados como uma área de conservação biológica sob proteção militar devido a interesses econômicos.

A infraestrutura das instalações estão divididas entre complexos na superfície e em módulos subaquáticos de uso especial, além de abrigar um dos maiores teatros de operação portuária e marítima e uma porção substancial das naus da Fundação Lusófona.

A sofisticada tecnologia aplicada nas estruturas das instalações é especializada para assegurar, eficientemente, grandes porções de área oceânica e proporcionar aplicações logísticas e técnicas a quaisquer equipamentos de uso necessário à equipe macroaplicada no local.

Além das commodities nominais, as instalações contam com uma infraestrutura portuária acomodada ao sistema idiossincrático de vias e módulos subaquáticos que garantem o efetivo logístico entre as estruturas.

Quaisquer informações relacionadas a Área PT9 deverão ser imprescindivelmente salvaguardadas sob Nível de Acesso 4.



O termo Instalação Segura refere-se aos conjuntos de propriedades da Fundação Lusófona capacitados e classificados para uso operacional institucional. Normalmente, estes complexos edilícios possuem uma extensa infraestrutura capaz de operacionalizar e providenciar todo e qualquer espaço e serviço possivelmente necessário para a condução das atividades ordinárias e extraordinárias da instalação segura.

Cada instalação segura da Fundação Lusófona possui uma ou mais especializações que definem, de maneira geral, suas áreas de atuação devido a relação de equipamentos e recursos (inclusive humanos) disponíveis em seus espaços.

Independentemente de suas especializações, as instalações seguras possuem certas necessidades básicas e possuem infraestruturas comuns departamentalizadas ou setorizadas; toda instalação relevante possui seu próprio departamento de logística, de medicina, de segurança, etc.

Majoritariamente, as instalações seguras operam 24 horas por dia, 7 dias por semana em 3 turnos de serviço (manhã, tarde e noite) com um contingente variável de acordo com as necessidades operacionais locais e, portanto, ofertam acomodações, guarnições e residência aos oficiais ali lotados, além de acesso e suporte a serviços básicos.

A segurança e proteção das instalações seguras da Fundação Lusófona contam com os mais sofisticados sistemas de acessibilidade (para pessoas com deficiências ou necessidades especiais), proteção contra incêndio e pânico e outros níveis e soluções de segurança, em especial, estruturas compatíveis com a utilização de informações e materiais confidenciais como instalações compatíveis com sistemas compartimentalizados de segurança de scifs1.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License