Instalações Seguras da Fundação Lusófona

Instalações Seguras da Fundação Lusófona


A Fundação Lusófona mantem e opera um número de instalações em países lusófonos, desde de pequenos laboratórios e armazéns ou áreas de contenção de campo, até sítios e áreas majoritárias abrigando altos montantes de recursos.

  • Instalações designadas Sítios são locais disfarçados; apesar do público reconhecer a existência destes locais, suas operações reais são desconhecidas pela população geral. Estas instalações normalmente são encontradas perto de centros urbanos e, portanto, disfarçadas com fachadas corporativas ou governamentais.
  • Instalações designadas Áreas são locais secretos; a população geral não reconhece a existência destes locais. São zonas localizadas longe de centros urbanos e servem para permitir a Fundação Lusófona promover experimentos e exercícios complexos que não podem ser encobertos facilmente, abrigar objetos e anomalias que apresentam detrimento à população, sendo equipadas com ativos para permitir medidas extraordinárias de contenção.

Lista de Instalações Seguras


tex.pngPT1 Sítio PT1 — Sede Operacional da Fundação Lusófona.

Localização: [REDIGIDO]

Descrição: Sítios Protegidos. Duas instalações seguras são designadas como Sítio PT1 (PT1-A e PT1-B, no Brasil e em Portugal, respectivamente), ambos os locais disfarçados como complexos comerciais promovendo a operação de diversas companias.

Estes são os locais principais aonde o alto-escalão operacional da Fundação Lusófona se reune para gerenciar e administrar a filial. Apenas anomalias sancionadas são permitidas nas instalações, que são guardadas de maneira intermitente por paratecnologias que auxiliam no funcionamento local.

Funcionários:

  • [ACESSO NEGADO]

Anomalias em Contenção:

  • [ACESSO NEGADO]

Dossiês:

  • [ACESSO NEGADO]



tex.pngPT4 Sítio PT4 — Antigo Campus da Acadêmia Cientifíca do Anômalo.

Localização: Évora (Portugal).

Descrição: Principal sítio de Pesquisas e desenvolvimento paratecnológico da Fundação Lusófona. Sítio PT4 é um amplo complexo acadêmico dividido em diversos setores; além de operar como uma instituição de ensino comum, as instalações também oferecem educação em escolas cientifícas de conhecimento anômalo.

Adicionalmente, Sítio PT4 hospeda o primeiro Departamento de Taumaturgia da Fundação Lusófona, serve como um dos centros educacionais de treinamento para novos pesquisadores.

Funcionários:

  • [ACESSO NEGADO]

Anomalias em Contenção:

  • [ACESSO NEGADO]

Dossiês:

  • [ACESSO NEGADO]



tex.pngPT5 Sítio PT5 — Sítio de Contenção de Anomalias Seguras.

Localização: Mato Grosso (Brasil)

Descrição: Sítio para contenção de anomalias da classe Segura. Sítio PT5 possui 2 edifícios para contenção que se estendem pelo subsolo, possuindo salas de armamento bélico, hospedagem e armazenamento. Este deve ser apresentado ao público como uma fábrica de cimento.

Sítio PT5 foi o primeiro Sítio apenas focado para contenção de anomalias na Fundação Lusófona.

Funcionários:

  • [ACESSO NEGADO]

Anomalias em Contenção:

Dossiês:

  • [ACESSO NEGADO]



tex.pngPT7 Sítio PT7 — Antigo Quartel-General da Superintendência Brasileira do Paranormal.

Localização: Brasília (Brasil).

Descrição: Sítio Armado de Treinamento Tático Militar. Sítio PT7 possui edifícios administrativos, armazéns e uma guarnição ao nível do solo, servindo como a fachada de uma empresa de segurança privada, além de hospedar agentes de segurança da Fundação e estocar ativos necessários para a manutenção de operações associadas.

O complexo estende-se pelo subsolo, possuindo zonas de treinamento, armazenagem, hospedagem e contenção.

Funcionários:

  • [ACESSO NEGADO]

Anomalias em Contenção:

  • [ACESSO NEGADO]

Dossiês:

  • [ACESSO NEGADO]



tex.pngPT10 Sítio PT10 — Sítio de Bio-Pesquisa.

Localização: Amazonas (Brasil)

Descrição: Sítio majoritáriamente focado em pesquisas e contenção de anomalias de natureza biológica; é especializado, também, no viés de ativos (tangíveis como equipamento e intangíveis como know-how) para operar objetos característicos de riscos biológicos/infecciosos.

Esta instalação está disfarçada como um amplo centro de pesquisas de iniciativa privada localizado no coração do Amazonas, produzindo conteúdo ordinário para manter a fachada.

O sítio é divido em seis instalações majoritárias: Centro de Vivário, Ala Botânica, Centro de Pesquisas, Ala Médica, Ala Veterinária e a Ala de Contenção Pesada (esta excepcionalmente localizada no sub-solo).

Funcionários:

  • [ACESSO NEGADO]

Anomalias em Contenção:

  • [ACESSO NEGADO]

Dossiês:

  • [ACESSO NEGADO]



tex.pngPT13 Sítio PT13 — Sítio de Pesquisa Tecnológica.

Localização: Cabo Verde

Descrição: Estas instalações são isoladas eletromagnéticamente para evitar contacto do conteúdo interno com o mundo externo. Este sítio é focado em operações relacionadas à ativos de natureza elétrica, eletrônica, computacionais e informáticas.

Adicionalmente, o centro opera como campo de testes para paratecnologias relevantes; assim, sendo encoberto por uma fachada de uma base militar portuária.

Funcionários:

  • [ACESSO NEGADO]

Anomalias em Contenção:

  • [ACESSO NEGADO]

Dossiês:

  • [ACESSO NEGADO]



tex.pngPT2 Área PT2 — Complexo de Contenção de Anomalias de Segurança Máxima

Localização: Maranhão (Brasil)

Descrição: Área PT2 é uma área focada na contenção de objetos perigosos, principalmente objetos de classe Keter. Está localizado no subsolo do sertão brasileiro. Todo o batalhão da Área PT2 deve ser equipada com armas de alto calibre.

Em adição, a Área PT2 possui um sistema nuclear caso uma falha de contenção aconteça.

Funcionários:
[ACESSO NEGADO]

Objetos em contenção:
[ACESSO NEGADO]

Dossiês:
[ACESSO NEGADO]


Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License