Perdendo Minhas Cores
avaliação: +1+x
PINK.jpg

Passos silenciosos ecoam pelas escadas. A Laura lentamente sobe as escadas, dirigida para o seu apartamento. A mulher está exausta, desejando apenas rastejar para dentro da sua cama e descansar. E mesmo assim, ela não pode, pois ainda há coisas importantes que precisam de ser feitas. Ela aproxima-se da porta e tenta abrir a fechadura, mudando os sacos de lixo que ela comprou hoje de uma mão para a outra. A chave fica presa. Depois de algumas tentativas falhadas de a rodar, ela quase se irrita e bate na porta para empurrar a chave mais fundo, mas para. Ela não devia fazer isso. Seria errado.

Finalmente, a porta abre, permitindo que a Laura entre. A luz cor-de-rosa do pôr-do-sol inunda o apartamento quando ela abre as cortinas. Agora ela pode ver o quarto em toda a sua beleza. Uma variedade de mobília pintada em tons diferentes de cor-de-rosa, um roupeiro com um enorme número de vestidos, uma série de cosméticos em cima de uma mesa de café em frente a um espelho… Ela arrepia-se por um momento. Depois chega à conclusão de que não há razão para reagir assim. Isto é o seu quarto, tal e qual como deveria ser.

A Laura tira um diário brilhante com purpurinas de uma das gavetas da mesa e rasga uma página. Depois de escrever a primeira frase, ela olha para si mesma no espelho. A suas roupas, o seu penteado, falta de maquilhagem, tudo isto chama a sua atenção. É nojento. É errado. Precisa de ser arranjado. Um momento depois, as suas roupas, um item de cada vez, aterram numa otomana próxima: primeiro o casaco preto, depois a camisola com uma caveira imprimida na frente, e calças jeans azuis-escuras. Depois de uma examinação atenta do seu roupeiro, a Laura escolhe um vestido vermelho vivo com decote e experimenta-o. O vestido assenta muito bem a sua imagem nova e correta; por uns segundos, ela olha para o espelho com prazer. Exatamente como ela deveria.

Novas palavras aparecem numa página do diário assim que a Laura se senta e continua a escrever. Apesar de tentar o seu melhor para se concentrar, ela rapidamente perde o seu foco, lembrando-se que ela ainda tem defeitos para corrigir. A sua mão trêmula pega no batom, que irá iluminar o seu sorriso. Depois disso, o pó compacto, que irá ocultar as imperfeições da sua pele. E finalmente, rímel, que irá fazer as suas pestanas mais compridas e volumosas. Passo a passo, ela está a tornar-se mais bela, mais feminina.

A página do diário é amassada quando a mulher a agarra de novo para voltar a escrever. A sua mão não a obedece e a escrita sai desleixada; algumas palavras têm que ser riscadas e substituídas. Por um segundo, ela perde a sua linha de raciocínio. Este momento é suficiente para ela se relembrar da sua imperfeição de novo. O seu penteado. Lentamente, a sua mão pega em um pente pousado na mesa. Antes que o pente consiga alcançar a sua cabeça, a Laura apunhala a sua palma da mão com uma caneta, causando com que o item caia. Ela grita de dor, coloca a sua mão de volta na mesa e escreve mais palavras em um pedaço de papel amassado.

Porém, ainda há mais uma questão importante para tratar. O seu olhar foca numa parede distante. Lá estão penduradas as suas medalhas de vitórias em competições de desporto. À beira existem cintos a exibir o seu escalão em artes marciais. Perto deles, as fotografias que a retratam a receber esses prémios. A sua tarefa é clara agora. A mulher pega num dos sacos do lixo e abre-a. Há um pequeno momento de hesitação. Depois, a primeira medalha acaba dentro do saco. Depois mais uma, e mais outra. Elas são seguidas de cintos, fotografias, e todos os outros objetos que estavam delicadamente dispostos nesta parte do apartamento. Uma lágrima escorre do olho da mulher. Mas não há razão para isso. Eliminar as suas falhas é a coisa certa a se fazer.

As mãos trêmulas de Laura agarram nos sacos do lixo e as suas pernas levam-na para as escadas. Um momento depois, os sacos estão a cair pela conduta do lixo abaixo. A mulher seca os seus olhos silenciosamente e volta para o apartamento. Uma melodia curta é ouvida no quarto. Alguém acabou de lhe enviar uma mensagem.

Uau. Bom trabalho! Estás tããão linda agora. :3 Quase que tenho inveja! Quer dizer, não muito já que também estou feliz que te pudemos ajudar! Pareces uma garota de verdade, isso é fantástico! E conseguimos isso juntas, KeeLee vai ficar orgulhosa! \(◕◡◕)/

Então, já que és uma de nós, é hora de nos conhecermos um pouc melhro. Ups desculpa estou tão entusiasmada que não consigo escrever lol. Enfim, vou te enviar a informação sobre onde a nossa pequena reunião vai ser, para te poderes juntar a nós. ♡(Ξ◕◡◕Ξ)♡

Te vejo lá. ♡♡♡♡

Deixando o seu telemóvel de lado, a mulher avalia-se mentalmente em frente do espelho. O seu penteado ainda precisa de trabalho. A fita para o cabelo da Laura solta-se e o seu cabelo escuro cai nos seus ombros. Sem gastar tempo, ela começa a escovar. Não deve existir nenhuma falha na sua imagem. Ela não pode estar errada de nenhuma maneira.

Tendo aperfeiçoado o seu cabelo, a mulher deixa cair o pente e olha para o seu reflexo. Finalmente, ela tinha se livrado das suas falhas. Todas as suas roupas combinam perfeitamente com o estilo umas das outras, a maquilhagem salienta a sua beleza, e o novo penteado complementa perfeitamente a sua imagem feminina. A garota de verdade gentilmente pega numa caneta e escreve mais algumas palavras na página do diário. Satisfeita com a sua escrita, ela coloca o seu telefone na sua mala e sai do apartamento.


Passos barulhentos ecoam pelas escadas. Dois homens rapidamente sobem as escadas, aproximando-se do apartamento. Depois de alguns segundos, a porta é aberta com força. Os homens examinam o local apressadamente, olhando para cada quarto, cada canto, e cada gaveta. Eles procuram algo importante, mas a sua procura não é bem-sucedida. Quando estão prestes a admitir a derrota, um deles repara numa página de diário amassada pousada na mesa.


PdI: KeeLee (Pseudónimo, usado como uma alcunha)

Nome verdadeiro desconhecido

Fêmea

Muito provavelmente um indivíduo capaz de dobrar a realidade. Esta habilidade primariamente consiste em alterar objetos (tal como mobília, itens de casa, e roupa) que pertencem às fêmeas conhecidas pela PdI, bem como criar novos objetos nas suas proximidades. Objetos afetados tipicamente tornam-se muito mais lindos e adequados para uma garot alterados para se encaixarem em um design estereotipicamente "de menina".

PdI também é capaz de ajudar e auxiliar controlar mentalmente fêmeas com que ela entre em contacto. Este efeito agrava-se com o tempo, e a vítima apercebe-se dos seus problemas e falhas perde a habilidade de contrariá-lo ao fim de vários dias. PdI mantém contacto com as vítimas através de um blog da sua criação chamado "www.justgirlythingsblogsite.si", no qual ela continua a ajudar totalmente as garotas e

De momento, existem 15-20 pessoas sob o controlo da PdI, presumivelmente indivíduos normais no passado, que depois foram afetad controlados não conseguem
o efeito preso pensar é resistir não



… que depois percebem que a KeeLee é uma ótima garota tentando nos ajudar a todas a começar a nos comportar como verdadeiras garotas, finalmente nos livrando de todas aquelas estúpidas características de garotos.~



Laura ♡♡♡♡

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License