Na Periferia
avaliação: 0+x

1994: Quando Eu Entrei em Uma Conspiração Internacional

Minha primeira interação com a Fundação foi no verão de 1994. Eu era um jovem que havia acabado de sair da faculdade, eu havia acabado de conseguir um emprego como um guarda floresta de parque. Era meu trabalho dos sonhos, desde que eu era uma criança. Não esse, de jeito nenhum.

Eu trabalhava no Lago Crater naquela época. Foi lá em que eu trabalhei pelos próximos vinte anos. Antes da Fundação, eu tinha a ideia de ir trabalhar em um parque diferente. Yosemite já havia me fascinado. Mas a Fundação controla. Os funcionários do Lago Crater não saem do Lago Crater com suas memórias intactas, e eu gosto das minhas memórias.

Duas semanas depois que comecei a trabalhar, eu dirigia para o trabalho. Percebi que havia um belo carro no estacionamento, algo que se destaca como um dedão dolorido no estacionamento de um parque nacional. Carros assim pertencem às bases dos Illuminati, não a um parque no meio do Oregon. Como eu descobri, eu cheguei muito mais perto da verdade do que eu gostaria.

Eu chego ao trabalho e meu chefe me chama. Disse-me que alguém estava aqui para me encontrar, e que é extremamente importante. Ele me levou para um dos escritórios, e havia um homem impecavelmente vestido lá dentro. O homem sorriu quando me sentei em frente a ele.

"Ola. Você é o Sr. Lance Owens, correto?" Ele sorria o tempo todo. Isso é o procedimento para ele, nada fora do normal.

Eu respondi. "Uh, sim, esse sou eu. Mas o que é isso? Você é da federal?"

Ele ri e balança sua cabeça. "Não exatamente. Sr. Owens, eu vou te contar um pequeno segredo. Na verdade é meio que um grande segredo. Você está preparado para ouvi-lo?

Eu digo que sim.

"O sobrenatural, o paranormal, fantasmas, vampiros, lobisomens: É tudo real. Tudo."

"Surpreendentemente, inicialmente eu não achei que ele fosse maluco. Eu não acho que eu realmente entendi o que ele estava falando."

"Eu trabalho para uma organização conhecida como a Fundação SCP. Que significa Assegura, Conter e Proteger. Nós mantemos o anômalo distante do mundo, para que ele permaneça seguro."

"Tipo em Arquivo-X?"

"Exatamente." Ele faz esse pequeno sorriso, como se ele soubesse de algo que eu não sabia. O que provavelmente é verdade. "Tipo em Arquivo-X. Mas a razão pela qual estou aqui é para te contratar, Sr. Owens."

"Oh, bem, eu… eu acabei de conseguir esse emprego e eu fui pra faculdade para consegui-lo, e só estive trabalhando aqui há duas semanas e-"

"Você não me entendeu direto, Sr. Owens. Tem um objeto anômalo no Parque Nacional do Lago Crater. Você já ouviu falar do Velho Homem do Lago?

"Claro, é uma das atrações princ-"

"O Velho Homem do Lago — a que nos referimos como SCP-3310 — é a chave em um complexo sistema de ritual taumatúrgico que previne o ressurgimento catastrófico de uma entidade tier-apex dormente pluripotente com propriedades ontokinéticas, pistifágicas e deamórficas desconhecidas."

Eu ainda não entendo o que isso quer dizer.

"Em termos leigos, ele previne o renascimento de um deus falecido."

Eu fico ali sentado, sem palavras diante do fluxo de palavreado técnico que ele me falou, tudo bem definido e cientificamente aprovado e completamente, totalmente sem sentido. "Ok." Eu pausei por um segundo. "O que você quer que eu faça?"

"Tudo que pedimos de você é que você continue trabalhando normalmente, sendo pago um pouco extra para isso. E na rara ocasião que demandar, você fará tudo que for possível para que Llao, deus dos monstros, continue morto."

Teve um breve momento de silêncio.

"Sem problema."


1995: Quando eu Percebi a Merda em que eu Estava

Quando os Illuminati sequestram sua vida e não lhe dizem nada, você começa a coçar seu pescoço. Você tenta entender o que eles realmente querem de você, o que eles realmente querem do mundo, e, mais importante, quem eles sequer são de verdade.

E, em Janeiro de 1995, aquela cocheira começou a queimar e eu decidi que deveria aprender tudo que eu poderia sobre a Fundação, então em uma noite fria de inverno eu dirigi para o Lago Crater e invadi o escritório do meu chefe. Já se passou tempo o suficiente, então eu me sinto confortável falando sobre isso. Nada de ruim vai acontecer por conta disso, não agora.

Eu estava procurando por seus arquivos sobre 3310 e por qualquer pedaço de informação sobre a Fundação. Eu já era familiar com o Velho Homem a essa altura e eu não precisava aprender nada mais sobre ele. Mas a Fundação ainda estava nas sombras, quase nada visível além da superfície.

Aqueles arquivos chegaram nem perto de revelar o que a Fundação realmente era, mas entre as linhas você podia ver sua verdadeira forma, como a barbatana de um tubarão saindo na superfície da água. Tem muito em comum entre um tubarão e a Fundação.

Um dos documentos no arquivo do 3310 era sobre um possível apagamento do Velho Homem. Um daqueles sacanas velhos do conselho — O5-2, eu acho — ficou nervoso sobre o fato das pessoas simplesmente saberem que o Velho Homem existia. Isso me incomodou na hora: A liderança da Fundação, com tanto poder e controle, era anônima. Rank e números em série, nenhum nome.

Então, O5-2 fez uma proposta: Aplicação de amnésticos para remover o Velho Homem da memória coletiva do mundo. Tinha uma estimativa de quanto isso custaria, e estava na casa das centenas de milhões. Dosando milhares de pessoas com amnésticos. Um empreendimento massivo. Eu estava chocado que eles sequer considerariam essas medidas para 3310.

Tinha uma resposta à proposta, vindo da mesa de O5-9. Eles argumentaram que a contenção atual estava funcionando perfeitamente e que conhecimento de que o Velho Homem era anômalo era sigilosa, era o suficiente. A situação estava bem, e dita medida era desnecessária. Seria melhor poupar ditos recursos para um momento mais apertado.

Você entendeu direito?

Você consegue entender o que está faltando nessa refutação?

Em nenhum momento naquela refutação O5-9 disse algo do tipo "nós não temos tanto dinheiro assim" ou "as logísticas de dosar tantas pessoas assim são impossíveis." Simplesmente não entram na equação. A proposta é tratada como algo que poderia ser alcançado, se a Fundação quisesse. A única barreira era a de que isso não era necessário, então por que tentar?

Rapidamente me toquei sobre o tipo de gente com o qual estava trabalhando e quanto controle eles realmente tinham. Achei essa discussão bem cedo durante minha investigação (se é que você pode chamar assim) e foi o suficiente para eu parar imediatamente.

Do jeito que parecia na hora era que eu estava ouvindo um urso na floresta. Então eu fui em uma caçada para encontrar esse urso, e eu rastreei ele até sua caverna. Entre lá, com a arma preparada, e viro no canto da caverna, apenas para descobrir que eu não estava caçando um urso, eu nunca estava. Essa coisa não era um urso, nada parecida com um urso.

Não, eu percebi que eu era um idiota procurando por um colosso.


2001: Quando a Fundação se Aproximou

Eu apenas interagi com dois do que a Fundação chama de "Objetos SCP." Scipes é uma giria comum para funcionários da Fundação. Eu acho que isso me tem incluso, e isso é um pensamento alienante. Eu estava apenas trabalhando tangencialmente para a Fundação. Eles não são de quem eu recebo a maior parte do meu pagamento, apenas um pedacinho.

O único outro objeto SCP que eu já havia visto — no contexto do meu tempo na Fundação, eu vi todos os outros nos noticiários — foi SCP-978. Eles o chamam de "Câmera do Desejo". Ela não tira fotos, ela mostra seja lá o que o sujeito mais quer no mundo.

Caso você esteja acompanhando, isso significa que eu interagi apenas com um tronco de árvore capaz de causar um barulhão e o que na verdade era um brinquedo.

Um agente tinha vindo de Portland, carregando a câmera com esse verniz de sigilo e segurança, como se fosse carga preciosa. Nós fomos informados da visita semanas afrente e nos falaram para nos prepararmos para o evento como se fosse a coisa de maior importância de todas. Nós o tratamos como tal, os palhaços que eramos, porque nós não queríamos irritar a grande e assustadora Fundação.

Então o agente entra, cheio de si mesmo. Nós todos temos milhares de perguntas para ele — todo mundo trabalhava para a Fundação, mas nós já vimos o interior de um Sítio? Ou tocamos em uma outra anomalia? Nós eramos todos Nível 0, com uma elevação para 3310. Eu era 4/3310/HMCL no final das conmtas, certo, mas para todo o resto, eu estava preso em 0.

Eu fui quem o levou de barco no lago para tirar a foto e, ao longo do caminho, tentei conversar com ele. Ele não queria nada disso, então eu calei a boca. Eu levava a contenção de 3310 seriamente — todos no Lago Crater o faziam. Nada além de profissionalismo absoluto se tratando daquele tronco e daquele lago. Ainda, para você saber, aquilo mudaria nada.

Nos falaram que isso poderia causar o fim do mundo. Eu ouvi dizer que muitos agentes da Fundação lidam com algo chamado de "Fadiga Classe-K". Você ouve que isso e aquilo podem levar ao fim do mundo e essa frase para de ter qualquer peso. Isso diminui a importância e você para de se importar, aquelas palavras deixam de ser importantes.

Mas nós estacionados no Lago Crater apenas lidamos com um objeto, e apenas ouvimos daquela coisa como tendo potencial para acabar com o mundo. Teriam noites em que nos perguntaríamos se achamos que exista o potencial de ter outros objetos capazes de acabar com o mundo por ai, e sempre iriamos ficar na resposta de "Provavelmente sim, mas bora não se preocupar sobre isso."

O agente e eu estávamos no lago, sentados em uma pequena lancha. Demorou alguns minutos para encontrar o Velho Homem — ele é um viajante — e o agente parecia estar cansado de mim. Imagino que havia uma grande diferença entre os padrões de um guarda florestal e os de um agente da Fundação. Ambos eramos competentes em nossos trabalhos, mas eles não eram os mesmos trabalhos.

Nós fomos até o Velho Homem e ele tirou uma foto. A impressão saiu instantaneamente já que era uma polaroide. Ele sacudiu a foto e me mostrou com uma cara de que ele queria que eu explicasse ela.

Era uma foto completamente diferente. O Velho Homem — eu só sabia que era ele — havia voltado a ser uma árvore, plantada no chão e inteira novamente. Na parte de baixo da foto haviam duas figuras, não exatamente humanas. Uma estava atacando a outra, quebrando suas costela e mordendo seu coração. Foi horrível.

Eu disse ao agente que provavelmente representava Llao e Skell. A essa altura eu havia feito de tudo para encontrar qualquer pedacinho de informação sobre esses dois, no caso disso me ajudar com uma "brecha de contenção.". Não me ajudou, é claro: tudo que você precisa saber sobre esse trabalho é que tem tempestades e monstros.

Aquela foto nunca foi incluída na documentação de 3310. Aparentemente as fotos que 978 produz não são confiáveis o suficiente ou algo assim para a Fundação colocar algum peso nelas, então elas são basicamente ignoradas fora do registro de 978.

Aquele dia foi um dos dias mais importantes de minha carreira. Não importava nem um pouco para o meu trabalho.


2013: Quando a Máscara foi Quebrada

Eu estava indo pro trabalho um dia, alguns dias após o incidente da Coreia. Você se lembra daquele espaço de tempo entre o incidente e a Máscara realmente quebrando, correto? Isso não foi imediato como todos gostam de fingir que foi. Porra, a Coreia mal teve qualquer papel no fim da Máscara.

Quando entrei, todos os meus colegas estavam amontoados em volta da TV na sala de descanso. Um deles levantou a cabeça com o olhar mais sombrio de todos no rosto.

"Você precisa ver isso."

Eu não sei o que eu estava esperando, mas certamente não eram as palavras "Fundação SCP" no banner da CNN. Vazamento de informação total sobre a Fundação, todos os arquivos jogados na internet. Até hoje eles não sabem quem fez isso. Você sabia disso? Nosso mundo foi virado ao avesso, completamente esmagado e nós não sabíamos a quem agradecer por isso.

Eu me pergunto se ele ainda está vivo. Ele não estaria se a Fundação conseguisse pegar ele.

Vinte anos na Fundação àquela altura. Eu estava acostumado com a ideia de viver no escuro pelo resto de minha vida e nunca descobri para quem ou o que eu estava trabalhando para. Mas ali estava, na tela, alto e claro: a Fundação era real e eles estavam aqui para ficar.

Você tem que se lembrar que a nossa situação era bem diferente da de quase o restante do mundo inteiro. Aqueles estacionados no Lago Crater sabiam sobre a Fundação, mas apenas precisávamos dos números de duas anomalias. Haviam hipoteticamente outras mil, mas elas só eram aludidas.

Então nós não eramos como o restante da Fundação, devido ao quão sem ideia estávamos sobre a Fundação quando a Mascara quebrou. E nós não eramos como o restante do mundo, porque nós pelo menos tínhamos alguma ideia da Fundação. Nós, pelo menos, tinhamos ouvido sobre sua missão antes. Nós sabíamos que o anômalo existia, nós só não sabíamos nada mais concreto do que isso.

Não haviam muitas pessoas no mundo com a mesma perspectiva do que a gente. Haviam outras pessoas que tinham a mesma situação que a nossa, mas a diferença era grande. Eu tive a chance de conhecer algumas delas ao longo dos anos, mas foi um pouco depois da Máscara ter quebrado

E foda-se se a Fundação se importar conosco.


2014: Quando a Tempestade Veio

Eu tenho certeza que você sabe daquele fenômeno em que sítios foram invadidos por manifestantes e observadores, certo? Aquilo foi um grande problema para muitos deles nos primeiros dias após a Fundação ter ido a público, mas eles já estavam preparados para isso.

Nós? Ha, boa sorte. Não tinham tantas pessoas assim vindo ao Lago Crater, mas nós tivemos um aumento notável em atividade. Algumas pessoas estavam tentando ver o Velho Homem (Eu tomei a decisão de parar qualquer viagem pelo lago que não fosse da Fundação para prevenir isso), mas tinham aqueles que tentaram nos usar para entrar na Fundação.

Eles nunca acreditavam em mim quando eu os dizia que eu sabia quase nada da Fundação, e de fato não posso culpa-los. Eu não teria acreditado em mim mesmo também — meu nome estava nos diretórios de funcionários, bem ali com uma liberação 4/3310. (Foda-se o fato de que todo o restante era nível 0.). Como que alguém em uma posição tão alta poderia não saber o que estava acontecendo? Como eles poderiam não ter respostas?

Mas os jornalistas e repórteres — nem me pergunte sobre esse hack de brecha de informação — nem mesmo foram o pior de nossos problemas. Os arquivos de 3310 foram mandados para todo mundo — não apenas para o público geral, mas também para aqueles "Grupos de Importância". Eu nunca sequer ouvi de qualquer um deles antes da Máscara, apenas sobre aquela Iniciativa De Contenção Segura Americana porque ela estava na documentação de 3310. E eles sequer existem mais!

Os Sarkicistas foram os primeiros a nos atacar. Quando eu sabia nada sobre eles, mas eu havia feito uma pesquisa eu mesmo. Os bancos de dados da Fundação são bastante informativos, não que minha posição desse acesso a eles.

Era um pequeno grupo de Neo-Sarkicistas, apenas uns oito deles. Quando eles chegaram a gente simplesmente deixou eles tomarem o parque. Eles atacaram de noite e estávamos no turno da noite. Não eram muitos deles, mas havia bem menos de nós. Nós eramos apenas guardas florestais, e eles estavam armados até os dentes — alguns deles estavam armados com dentes.

Foi aquilo que resultou na oitava ativação de 3310, aqueles idiotas. Eles puxaram o Velho Homem do lago e o céu imediatamente ficou preto. Os Gammas pareciam como insetos dessa vez. Eles saíram do chão e começaram a correr na direção do lago. Horrível, ainda tenho pesadelos sobre eles.

Os insetos começaram a ser atingidos por raios vindo das nuvens, assim como o normal. O evento Sigma para os Gamma até que alguém possa colocar o Velho Homem de volta em posição e deixar ele fazer sua coisa. Porém a situação não parecia boa: haviam muitos insetos, e Skell estava ficando sobrecarregado. Não conseguia matar todos eles.

Mas então algo inesperado aconteceu - oito raios, todos de uma só fez, mataram os Sarkicistas. Instantaneamente mortos, todos eles. Skell é esperto — ele percebeu o que precisava fazer. Eu juro que ouvi algo rindo logo depois daquilo, aquela boa risada que preenche sua alma.

Skell é um verdadeiro deus, não que nem aquele Yaldy. Protegendo seus devotos e servos, salvando eles dos heréticos. Você não pode me convencer de que os Sigmas não tem alvos. Sendo um cara que retorna o favor, eu coloquei o Velho Homem de volta no Lago Crater e salvei o dia.

Aquilo foi suficiente para a Fundação elevar a segurança. A Insurgência do Caos atacou alguns meses depois, e cerca de um ano depois o parque inteiro estava lotado de homens em preto. Eu consegui permanecer no controle das operações graças ao meu registro de mais de vinte anos de serviço, mas eu nunca realmente estava em controle. Como falar a um homem que tem uma arma que você está acima dele?


2022: Quando eu Desisti

Após trinta anos de Fundação eu decidi que eu havia tido o suficiente. As coisas tinham quase que totalmente normalizado nos arredores do Lago Crater, mas após o último escândalo — eu sequer consigo me lembrar qual foi, tiveram tantos — algo quebrou em mim. Eu encontrei um trabalho no setor privado, não envolvido com o anômalo. Eles concordaram em me contratar, e eu enviei meu aviso de duas semanas para tanto a Fundação quanto o Serviço do Parque.

O Serviço do Parque foi o fácil. Eu acho que o que eu tenho falado para você não representou meus status de ocupação da melhor maneira possível — eu trabalhava primeiramente e principalmente para o Serviço do Parque. A Fundação vinha infrequentemente, mas você não podia ignorar quando eles vinham. Então eu lidei com o Serviço do Parque várias vezes, eu sabia o que esperar.

Mas a Fundação? Me dê um tempo. A ideia inteira deles é sigilo. Eu estava chocado quando eu recebi uma resposta depois de me demitir, e era um convite para o Sítio-64. Essa foi a reviravolta mais cruel do destino: apenas quando você se demite que você vai para um sítio da Fundação.

Quando eu empacotei tudo, eu dirigi em direção a Portland. Felizmente estava no caminho para o meu próximo trabalho, e eu não precisei sair do meu caminho. Eu gosto do fato de que eu não precisava dar mais nada à Fundação no final.

Eu ouvi dizer que nos dias antes da Máscara, o Sítio-64 era subterrâneo e sob um parque em Portland. Agora tem uma entrada acima do chão, segurança máxima e parece com uma base militar. Eles provavelmente demoliram o parque para ter espaço para tudo aquilo. Bando de puto.

Eu nunca me esquecerei da cara que o guarda fez quando eu lhe dei um Cartão de Identificação Nível 4. Certo, aquele nível era apenas para um item, mas meu cartão ainda era laranja e estampado com um 4. Não são muitos os de nível 4 que dirigem um carro como o meu, ou que se parecem comigo. Eles estão sempre nos laboratórios.

A razão pela qual eu estava ali era porque o Diretor do Sítio — Holman era o nome dele, eu acho — queria se encontrar comigo para discutir sobre 3310. Aparentemente 64 era o sítio mais próximo e esteve de olho em nossa contenção até certo ponto. Nossa reunião seria gravada e enviada para o Conselho O5.

Eu já falei sobre como eu não gosto do conceito dos O5s, certo? Bom.

A conversa foi até que de boa. Eu disse para ele tudo que eu sabia sobre a anomalia e o que ele precisava sumarizar para a próxima pobre alma que receberia meu emprego. As pequenas coisas que eu fui descobrindo ao longo do caminho, nada de mais. Eu dei a ele uma recomendação na minha equipe e foi até que agradável.

Ficou claro para mim que o Diretor Sitio apenas tinha ouvido vagamente de 3310, e isso para ele era nada mais do que uma roda dentada em sua máquina bem polida. Eu gastei minha vida inteira trabalhando para ter certeza de que ele nunca ativasse enquanto ele gastava cinco minutos por ano revisando quaisquer atualizações. Ele sequer se lembrava do contexto mitológico, todo o enquadramento sob o qual a contenção havia sido entregue para mim todos esses anos atrás. Para ele aquilo era apenas um tronco que causava uma tempestade.

No fim, eu perguntei uma questão final, fazendo o meu melhor para parecer curiosidade inocente e nada mais. Logo depois de termos feito nossas despedidas finais e fechamentos formais.

"De quantas anomalias você supervisiona a contenção aqui?"

"Oh, aproximadamente quarenta diretamente no próprio sítio, algumas centenas de objetos anômalos e várias outras nas proximidades, como a sua."

Eu sorri e acenei a cabeça. Era tudo que eu precisava para fazer meu julgamento final sobre o meu total de mestres não vistos. Eu dei a Holman meu cartão de identificação e formalmente finalizei minha ocupação em uma conspiração internacional, monolítica e toda-poderosa.

Os elevadores me levaram para a superfície e eu sai. Eu cansei de morrer na escuridão e agora queria viver na luz.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License