Central da ORIA
avaliação: +2+x

PROJETO [NULL]
CÓDIGO [NULL]
CHEFE DO PROJETO [NULL]
AUTOR: ATUAL JIBRIL
DESTINO: TODOS OS OFICIAIS
MEMORANDO [NULL] | P1/1
21 DE AGOSTO DE 1978
oria.png


CONFIDENCIAL

ORGANIZAÇÃO PARA A REIVINDICAÇÃO DE ARTEFATOS ISLÂMICOS
SHEMIRAN, PROVÍNCIA DE TEERÃ
REPÚBLICA ISLÂMICA DO IRÃ



بسم الله DE: الرحمن الرحيم Chairman Mehdi Bazargan [ATUAL JIBRIL]
بسم الله PARA: الرحمن الرحيم Todos os Oficiais de Nível Comandante de Campo, Todos os Oficiais de Nível Comandante da Instalação
بسم الله ASSUNTO: الرحمن الرحيم Sobre as instabilidades políticas atuais
بسم الله الرحمن الرحيم بسم الله الرحمن الرحيم
بسم الله REFERÊNCIA: الرحمن الرحيم [NULL]
بسم الله الرحمن الرحيم بسم الله الرحمن الرحيم
بسم الله ANEXO: الرحمن الرحيم [NULL]

1. Este documento está sendo encaminhado especificamente para oficiais de nível superior apenas devido a certas consequências políticas para mim, caso o conteúdo completo seja revelado publicamente. Espero que todos vocês se comportem com a máxima discrição ao discutir o conteúdo deste memorando com seus subordinados.

2. Os recentes protestos em torno do Irã, que serviu como sede principal desta Organização no meio século desde a sua criação, tornaram-se significativos demais para serem ignorados. Embora tenhamos feito todos os esforços no passado para cumprir a intenção dos fundadores da Organização de evitar a associação oficial do governo, eu e os outros membros do Comitê Central concordamos que impor essa separação não é mais do melhor interesse da organização.

3. Minhas simpatias pelo Ruhollah Ayatollah Khomeini e seu movimento estão bem documentadas. Embora eu saiba que muitos na Organização discordam de seu fundamentalismo, duvido que haja muitos que, no fundo de seus corações, sintam que o Irã é mais bem servido pelo governo despótico de um rei fantoche ocidental. Eu estive em contato com Khomeini, que está ciente e provisoriamente interessado em nossa organização, perturbado por sua adesão pouco ortodoxa aos princípios mais estritos do islamismo xiita, embora ele possa ser.

4. Duas realidades práticas dominam esta situação. Primeiro, não vamos nos livrar do Ayatollah ou de seu movimento. O Comitê Central projetou uma provável derrubada completa do governo do Shah e a instalação de alguma forma de governo sob Khomeini o mais tardar no próximo ano. A insistência na oposição a esse movimento (que não nos serviria) ou autonomia (que atrairia a ira de todos os lados) poderia levar à nossa destruição por aquelas forças que não entendem o verdadeiro papel que desempenhamos na proteção de nossas pátrias de ameaças estrangeiras. Em segundo lugar, não é provável que o aiatolá se livre de nós. Em minha reunião com Khomeini, revelei uma parte específica dos planos para a Operação Horda Dourada, com um leve lembrete de que em uma guerra de corações e mentes, golens de cem metros de altura andando pelas ruas de Teerã provavelmente não serão vistos como um prenúncio positivo para o novo governo.

5. Por acordo com os Khomenitas, o ORIA se tornará formalmente uma ala do novo governo assim que for instalado no poder; o aiatolá sente que um grau de supervisão nos ajudaria a "vir a entender" a ortodoxia adequada a tempo. Começaremos diretamente a prestar assistência aos manifestantes conforme pudermos, até e incluindo os artefatos especiais que controlamos; isso proporcionará uma excelente oportunidade para aplicação em campo e demonstração das capacidades militares de nossos artefatos armazenados. Em troca dessa assistência e nossa eventual sublimação na supervisão do governo, tenho certeza de que nossa autonomia efetiva não será adulterada pelo novo governo. Nossas operações continuarão inabaláveis, nossa inclusão contínua de pessoal não-iraniano de todo o mundo muçulmano, incluindo sunitas, curdos, pagãos e judeus, não sofrerá oposição do governo, e em breve estaremos recebendo financiamento direto do governo nacional de Irã, que deve nos ajudar a avançar nossa causa.

6. A Casa de Afseneh insistiu diretamente que eles fossem deixados de fora desse acordo. O pouco interesse que eles têm na política humana não se estende à revolução, e eles expressaram amplas preocupações com Khomeini. Eles concordaram que nossa aliança tradicional deve ser continuada, com ORIA como o principal intermediário entre nossos povos, mas qualquer divulgação da existência dos Afsenitas ou de qualquer outra djinn pode levar ao término permanente das relações. Não preciso enfatizar como isso seria prejudicial à nossa causa.

7. Vou renunciar ao meu cargo de chefe da Organização com efeito imediato. O Ayatollah pediu, dada minha popularidade e posição geralmente respeitada entre os muçulmanos fundamentalistas no país e alguns dos moderados menos entusiasmados, que eu assuma um papel mais ativo em seu governo em desenvolvimento. Mohammad Khatami me substituirá como chefe desta organização como Diretor; em vez de ser conhecido como Presidente, seu título deve refletir o nome oficial que esta organização terá dentro do novo governo, a Diretoria de Revendicação de Artefatos Islâmicos.

8. Proteja nosso povo. Proteja nossas nações. Em todos os tempos, este mandato sempre permanecerá.

9. Este memorando foi transmitido em 23 de Sharivar de 1358 (14 de setembro de 1978).

oria.png


CONFIDENCIAL


Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License