População (Sob) Controle
avaliação: +1+x

É difícil tirar de sua cabeça a imagem de um céu que é 90 por cento insetos, mesmo quando você já viu algumas coisas bem horrendas em sua linha de trabalho. Nossas mãos já estavam amarradas desde que tudo foi à loucura e as pessoas pararam de morrer. Quando ecossistemas inteiros ficaram fora de controle, mal podíamos fazer algo com o que a Fundação nos deu como empréstimo no Oregon.

Pântanos se tornaram paraísos de insetos, embora as pessoas que viviam perto deles os chamassem de inferno. Casas inteiras eram invadidas por cupins, que as devoravam em questão de dias. As cigarras eram tão barulhentas e abundantes que não dava para sair de casa no verão sem protetores de ouvido. E os mosquitos, meu deus, os enxames de mosquitos eram densos como lama, você tinha que praticamente nadar por eles em trajes especiais se quisesse ir a algum lugar sem perder a maior parte, senão todo o sangue. Quando um golpe não os mata e eles vivem mais do que algumas semanas, os insetos se tornam menos um incômodo e mais uma história de terror. Só deus sabe como é a vida em lugares como a Louisiana e a Flórida agora; eles tiveram que ser evacuados após os primeiros seis meses.

Fazíamos o possível para garantir que esses animais não sofressem, mas… é difícil. É difícil descobrir o que está realmente sofrendo e o que é apenas nós não sendo capazes de ouvi-los chorar de dor. Sabíamos quando assinamos o Acordo de Boring que teríamos que concordar com algumas coisas menos que vistosas, mas nunca pensamos que teríamos que lidar com esse, esse… "apocalipse de tortura".

Grande parte da carga de trabalho mexeu com alguns de nossos funcionários. Nandini não aguentava o estresse de ser chefe do Departamento de Veterinária, pobre mulher. Ela só se levantou e desistiu quando viu um leão da montanha com o estômago estourado se contorcendo com vermes, ainda miando fracamente de dor. Ela normalmente eutanasiaria a pobre garota neste caso, mas… obviamente, essa não era uma opção agora.

Diabos, quando a Fundação nos chamou para visitá-los a fim de fazer algo para lidar com esse problema, muitos de nós nem quisemos aparecer. Eu mesmo quase considerei quebrar esse acordo apenas para não termos que lidar com tanto desse peso. No final, fui sozinho; alguém tinha que lidar com isso, e é mais ou menos meu trabalho proteger as pessoas que precisam de proteção.


Eu estava vestido com um terno de materiais perigosos com um pequeno logotipo 'amigável' da Fundação no peito, corri para fora da van e para um prédio de concreto de aparência bastante sinistra. Quando perguntei, me disseram que o nome do sítio era confidencial; tudo que eu precisava saber era que ele era especializado em contenção química. Se eles achavam que algum pesticida iria para isso, eu teria desistido ali mesmo, mas eu tinha que continuar… se tinha uma maneira de parar isso, eu tinha que pelo menos tentar ouvir.

Demorou um tempo desconfortável em um elevador antes de chegarmos ao nosso destino; uma salinha abafada, protegida por um número de eclusas de ar maior do que eu achei ser necessário. Ei, acho que eles tinham que tomar cuidado, considerando o que poderia estar armazenado aqui. Dr.ª Violet Mesmur, uma mulher que disse que fazia parte do Comitê de Ética, me cumprimentou com a mesma cordialidade pela qual os membros da Fundação são conhecidos. Ela parecia relativamente calma e controlada, pelo menos, mas isso me fez pensar que ela não tinha ideia do que estava acontecendo lá fora. Eu não sabia se deveria ter ficado com raiva ou ciúme, mas isso não importava. Eu precisava estar concentrado, olhos no prêmio teórico.

"Sr. Wilson, seria errado presumir que suas operações são pelo menos um tanto conhecidas nos Estados Unidos?" Perguntou Dr.ª Mesmur.

Limpei a garganta antes de responder, "B-bem, temos tentado espalhar nossa imagem por aí, como eu acho que você sabe. Fazemos vídeos sobre os animais que temos permissão para mostrar, como quando criamos uma pequena família de Pica-Paus-Orelhudos depois que a mãe e o pai deles foram comidos por predadores," eu respirei, evitando me envolver demais na tangente, "eu não gostaria de ser arrogante, mas pelo menos somos conhecidos muito bem no noroeste do Pacífico."

Dr.ª Mesmur balançou a cabeça e então falou: "Mhmm, bem, você vai ser um rosto agora. Estamos ocupados o suficiente lidando com a população humana, tentando impedir que todos tirem proveito de sua recém-descoberta imortalidade para… ações menos do que vistosas."

Dr.ª Mesmur instruiu seu assistente, que estava silenciosamente parado por perto há um tempo, para 'Pegar os cilindros'. Enquanto o assistente se afastava, fiquei um pouco triste porque, em nossa breve interação, nunca me preocupei em perguntar seu nome. Normalmente estou muito mais interessado em conhecer pessoas, mas acho que, sabe, a vida meio que anda me estressando.

"Você já está intimamente familiarizado com animais, eu diria. Pelo que li sobre você e sua organização, a preservação e segurança deles parecem ser uma paixão para você, não importa que tipo de animal seja," Dr.ª Mesmur comentava enquanto ela se virava para me encarar.

"Bem, heh, você está bem certa aí, parceira. Não é exatamente difícil de ver, eu diria, mas não é a esse ponto que você está chegando, não é?" Eu respondi.

"Astuto. Você essencialmente terá a tarefa de usar algo que temos desenvolvido e aperfeiçoado nos últimos anos na população animal para interromper seu crescimento," neste ponto, o assistente entra, segurando uma caixa com três frascos de algo azul claro dentro deles, "E considerando o fato de que é… um tanto questionável, ter um rosto reconhecido agindo em vez de nós, uma 'organização obscura', deve remover alguns dos impedimentos."

O gentil assistente colocou os frascos em uma mesa à nossa frente, cada um ostentando um pequeno rótulo elegante. Dr.ª Mesmur pegou com cuidado o frasco mais à esquerda, rotulado como 'SCP-3287-1', e o segurou, olhando para ele. Ela não se preocupou em olhar para mim enquanto continuava a falar.

"Este é um agente esterilizante gasoso. Simplesmente exponha qualquer indivíduo vivo a ele e em 60 segundos ele será esterilizado instantaneamente. Ou, pelo menos, é o que está neste frasco," disse Dr.ª Mesmur, colocando com cuidado o primeiro frasco na mesa.

"Uma pergunta meio óbvia, mas o que está nos outros dois frascos então?" Eu perguntei, apontando para os outros frascos.

"Bem…" Dr.ª Mesmur começou, finalmente voltando-se para mim, "Tecnicamente, não sabemos. Muitas pessoas têm teorias, mas nenhuma delas está confirmada. Já tentamos dezenas de testes, mas… vamos ter que só seguir com o instinto aqui, porque vamos precisar que você confirme ou negue o que essas substâncias realmente fazem."

Ela suspirou, o que eu presumi que era ela tendo terminado o que estava dizendo. Fiquei em silêncio quando ela terminou, presumindo que ela teria algo mais a dizer, mas isso nunca aconteceu.

Depois de alguns segundos, finalmente disse algo: "Você está me pedindo para tentar entender essa teoria ou está esperando que eu concorde em usar essas coisas?"

Dr.ª Mesmur suspirou, "Sinto muito, eu fiquei… distraída. A teoria de trabalho é que esses frascos estão, bem, esterilizando retroativamente seus sujeitos. Se você usar esses gases nos animais certos, você poderá facilmente impedir problemas antes mesmo de acontecerem, ou terem acontecido em alguns casos. Obviamente, você precisará ser informado sobre como usar eles corretamente, mas precisará dar uma confirmação verbal e por escrito de que concorda em usar isso, caso… dê errado."

"Dê errado?" Eu perguntei.

"Você pode ser apagado da existência. Ninguém se lembraria de você, sua organização nunca teria existido e qualquer coisa que você tenha feito para humanos e animais nunca teria acontecido," Dr.ª Mesmur disse categoricamente, "Eu preciso de um sim ou não antes de podermos prosseguir."

Você sempre pode contar com a Fundação para apostar tudo, exceto sua própria pele, em algo, se isso significar que eles possam talvez aprender um pouco de informação sobre esse algo. Eles realmente me perguntaram se eu não estava só disposto a morrer, mas sim arriscar a vida de cada pobre criatura que salvei em meus anos e anos de trabalho. O que eles me disseram era absolutamente maluco! Era desumano! Era… era…

Era a única chance que tínhamos. Se eu não fizesse isso, todo mundo estaria condenado a um mundo de gafanhotos e mosquitos e libélulas e moscas e vespas e… bem, eu não preciso exatamente listar todos eles. Mas até eles sabem que é teórico; eles aparentemente nem tinham testado a desgraça da coisa. É só que… eu preciso decidir. Eu precisaria ser aquele que diria se estou ou não disposto a esperar por uma solução definitiva ou arriscar tudo por uma que possa nos ajudar agora antes que fique muito ruim.

Eu dei minha resposta.


Surpreendentemente, a vida estava relativamente fácil depois que as pessoas começaram a se tornar imortais. Algo sobre o que aconteceu deixou muitos dos animais estéreis, então não tivemos que lidar com problemas de superpopulação e essas coisas. Nosso principal problema era apenas garantir que os animais não sofressem muito se tivessem problemas. Claro, não podíamos eutanasiar eles, mas fazíamos o nosso melhor para ter certeza de que eles recebessem o melhor cuidado que podíamos oferecer.

Claro, algumas pessoas começaram a ficar malucas assim que descobriram que podiam viver para sempre, mas muitos acharam que a imortalidade significava que não teria nenhuma repercussão. Muitas das boas pessoas da Fundação disseram que estavam cuidando disso, mas se alguém decidisse fazer algo como invadir um zoológico e soltar todos os leões ou algo assim, cuidávamos disso. Estranhamente, temos lidado mais com coisas domésticas do que com coisas anômalas desde que tudo isso aconteceu.

Ainda é um pouco difícil quando um animal chega, atropelado por um carro com as pernas esmagadas, mas ainda respirando. Demora um pouco para se acostumar, mas considerando o quanto tem sido feito para melhorar a qualidade de vida para humanos, um pouco nos foi dado para ajudar esses animais a sofrerem o mínimo possível. Desnecessário dizer que o Departamento de Veterinária está um pouco sobrecarregado, mas a Nan simplesmente disse que ficará bem, desde que tenha o suficiente de seus romances noir para ler em seu tempo livre.

Sabe, você esperaria que algo que todo mundo está chamando de 'O Apocalipse' ou 'O Arrebatamento' fosse ser assustador, sombrio e cheio de loucura, mas às vezes é bom ser só um cara que trabalha com animais em um momento como este. Poder cuidar deles para que recuperem a saúde, vê-los correndo e felizes de novo… é como se esses animais estivessem me fazendo, fazendo com que todos nós nos sentíssemos um pouco mais humanos.

Agradeço a seja lá quem esteja lá em cima todos os dias pela minha organização, embora às vezes eu tenha que agradecer a alguém um pouco mais pé no chão. Se não fosse por aqueles doutores da Fundação, nossa organização provavelmente teria caído na obscuridade. Em vez disso, eles decidiram nos deixar fazer nossas coisas, e acho que muitos de nós apreciam isso., Eu certamente aprecio.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License