Anúncio: Riscos Cognitivos e Você!
avaliação: +1+x

Agente Mills fechou a porta do SUV com um baque silencioso sob a luz da lua cheia. As luzes da casa estavam acesas, o que era um bom sinal ao responder a potenciais situações de dispersão memética. Vegetais tendem a ser incapazes de usar interfaces eletrônicas complexas, como interruptores de luz.

Como tal, Mills relaxou diminutamente ao bater na porta da frente.

Dois minutos depois, o alívio momentâneo de Mills foi cancelado por uma sensação de aperto no estômago. Ele tentou olhar pelas janelas da pequena casa suburbana, mas as cortinas estavam fechadas.

Não foi até que ele voltou para a porta que ele percebeu que algo estava vazando por baixo dela. Algo viscoso e vermelho.

"Merda." Mills praguejou em voz baixa, equipando um conjunto de óculos SCRAMBLE e pressionando o botão de emergência do relógio.


Timothy Deering o Terceiro, ou "Timmy", como praticamente todo mundo chamava ele, estava voltando da escola para casa depois de um dia particularmente tranquilo.

Como a maioria dos alunos da terceira série, ele estava totalmente concentrado em seu celular, navegando em seu feed do Tiktok. Ele estava tão concentrado em seus vídeos que quase entrou na frente do trânsito em um cruzamento particularmente movimento. Foram as buzinas dedicadas e vocais de vários motoristas que o impediram de ter uma experiência de quase morte.

Infelizmente para eles, seus esforços quase produziram o oposto, já que, enquanto Timmy estava ocupado atravessando a rua, ele acidentalmente clicou em um link na seção de comentários, utilmente intitulado ”FIQUE DE OLHO PARA MERDAS ESTRANHAS, MANO”.

Quando ele olhou para baixo, ele soube imediatamente que algo estava errado.

Mas era tarde demais. Ele já tinha visto a organização anômala de formas e figuras, e agora ela estava abrindo caminho através de seu córtex pré-frontal.


A porta da casa suburbana era felizmente o tipo frágil de madeira compensada pela qual as casas americanas eram tão famosas, com isso Mills conseguiu facilmente forçar sua entrada.

No entanto, a vista que o saudou quando seu pé a abriu fez com que ele se arrependesse profundamente de não ter esperado por uma FTM.

Mesmo através da tela pixelizada atrasada de seus óculos SCRAMBLE, a visão de sangue e vísceras sobre quase todas as superfícies foi o suficiente para fazer seu estômago se revirar.

Seus dedos tomaram a decisão reflexiva de tampar o nariz, mas o gosto pungente de cobre ainda penetrava sua boca.

Sua outra mão puxou a arma e o agente começou a andar pela casa.


Timmy nunca tinha sentido uma sensação como essa antes. Era como se seu cérebro atrás dos olhos simplesmente doesse. Como se alguém estivesse tentando sair de seu crânio usando garras.

Foi quase o suficiente para fazê-lo chorar. Quase.

E, em voz baixa, ele começou a sussurrar algo.

"Quando você vê um Risco Cognitivo e está se sentindo muito chocado, é extremamente importante que você se lembre do “CIODP”…”


Mills começou pela cozinha. Uma mulher, a mãe, provavelmente, estava deitada de bruços no fogão ativo, enquanto algo estava desenhado com seu sangue no balcão.

Seu equipamento SCRAMBLE borrou a imagem sangrenta, ao que Mills soltou um suspiro de alívio.

A mão esquerda do agente manteve suas narinas firmemente fechadas enquanto sua mão armada se estendia por cima de uma grande poça de sangue no chão, e ele desligou o fogão, propositalmente sem olhar para o que ele tinha feito ao rosto da pobre mulher.


"Timmy!" sua mãe chamou da cozinha. "Quer almoçar?"

Ele sacudiu a cabeça em silêncio, sem nem mesmo olhar nos olhos da mãe enquanto se movia o mais rápida e discretamente que podia pelas escadas até seu quarto.

Os olhos dela o seguiram enquanto ele subia a escada e, embora seu comportamento fosse estranho, ele tinha oito anos, então ela simplesmente encolheu os ombros e o deixou ir.


Mills olhou em volta, se abaixando aproximadamente para onde estava a cabeça da mulher, e tentou olhar ao redor. Ela claramente tinha caído rapidamente, vítima de um Risco Cognitivo visual, então seja lá o que ela tinha visto era de ação rápida, e ela tinha que ter visto de onde ela estava de pé.

Não foi até que ele olhou pela janela que percebeu que o SCRAMBLE estava borrando algo refletido atrás dele.

Ele se virou para longe da cena sombria e foi cuidadosamente em direção às escadas


Timmy fechou a porta atrás de si e a trancou. Para garantir, ele copiou um filme que viu e encostou uma cadeira na porta.

Imitando ainda mais os vídeos que vira, ele fechou as cortinas e até enfiou uma toalha na fresta sob a porta para se certificar antes de se sentar na cama e discar 555 em silêncio.


Na parte inferior da escada estava o corpo do homem da casa. O Risco Cognitivo que sua esposa tinha visto estava rabiscado na escada com seu sangue. O resto de seu sangue estava acumulando embaixo de seu corpo, provavelmente incapaz de parar de deixá-lo uma vez que sua nota rabiscada estava terminada.

Os olhos de Mills seguiram a trilha de sangue do homem enquanto ele remontava os movimentos do pai pela escada.


"Tudo bem, Timmy, você trancou a porta, certo?"

"Sim. O que faço agora?"

"Vamos ser desligados em um segundo, mas quando formos, quero que você retire as baterias do seu telefone e do computador, certo?"

"E se eu não conseguir?"

"Então coloque-os embaixo da cama ou simplesmente quebre eles com um martelo, certo?"

"E-eu não sei se tenho permissão para fazer isso?"

"Timmy, vamos conversar com seus pais, certo? Acredite em mim, você pode me culpar se eles ficarem bravos. Agora, depois disso, é só esperar, certo amigo? Você está indo muito bem."

"Certo. Uh. Você. Você quer sabe como era?"

"Não! Merda, Alex, calma, ele não vai-"

Houve um clique na outra linha e ela ficou muda.


No topo da escada, o rastro de sangue continuava pelo corredor, diminuindo a velocidade apenas onde era usado para adicionar mais desenhos que acionavam seu equipamento SCRAMBLE.

Felizmente, o rastro de sangue também terminava em uma porta parcialmente aberta.


Timmy desligou o computador e o arrastou com toda sua força de 8 anos para o armário, onde jogou o telefone desativado em cima dele e o cobriu com sacos, roupas e brinquedos para enterrá-lo.

Para garantir, ele também removeu as pilhas de vários de seus brinquedos e as enfiou no fundo da pilha.


Mills lentamente abriu a porta, preparando seu estômago para o que estivesse dentro.


Timmy se sentou em sua cama, tentando manter sua mente desligada da crescente dor em sua cabeça.

Infelizmente, a dor estava se transformando em pensamentos que não eram seus, pensamentos sobre ferir pessoas e a si mesmo.

Ele estava tão consumido pela dor que nem conseguia ouvir os gritos que estava soltando, os gritos de resposta de seus pais enquanto eles tentavam desesperadamente abrir sua porta ou o uivo das sirenes da polícia à distância.


Não havia mais nada vivo na sala.

Havia apenas sangue. Só… tanto sangue. Quem diria que tanto sangue poderia sair de uma criança tão pequena?

Mills se abaixou e silenciosamente estendeu a mão para fechar os olhos dela.

Nenhuma menina de 11 anos deveria ser submetida a isso.


Um menino de oito anos, emaciado, os olhos, e até a expressão, vermelhos, está sentado em uma cadeira de rodas no hospital.

Seus pais e uma enfermeira conversam ao fundo.

"Você teve sorte, senhora. Era apenas um Risco Cognitivo Nível 1, teria destruído o cérebro de um adulto em minutos, mas a cabeça desse pequenino é mais resistente do que as nossas. A ligação do Timothy pode ter salvado a vida dele, e definitivamente salvou a sua."

"… mas ele vai ficar bem?"

A enfermeira fez uma pausa e releu sua prancheta. "…Eu sei que não parece, mas sim. Ele deve ficar. O regime amnéstico não é ótimo para mentes jovens, mas, como eu disse, seu filho aqui é duro, e nós pegamos ele cedo. Ele vai ficar bem.

Com essas palavras, sua mãe começou a chorar e ele foi envolvido pelos braços dela. Embora ele não pudesse dizer nada imediatamente, uma lágrima lentamente deslizou pelo seu rosto.



skippie.png

Olá Crianças! Meu nome é Skippie, a Expert em Riscos Cognitivos! Meu trabalho é ensinar a vocês tudo sobre medidas básicas de segurança para manter vocês e suas famílias seguros!

Como vocês, meninos e meninas espertos, sabem, é um mundo perigoso lá fora. Há tudo quanto é tipo de criminosos e ladrões por aí, mas hoje, queremos falar sobre uma ameaça diferente.

Algum de vocês já ouviu falar de algo chamado “Risco Cognitivo“?

Um Risco Cognitivo é qualquer informação que possa causar danos físicos a alguém apenas por saber dela. Um Risco Cognitivo pode estar em qualquer coisa, em fotos, vídeos, pinturas, música, etc.

Agora, esses Riscos Cognitivos são raros, então vocês não precisam se preocupar muito em ver um. Muitas poucas pessoas os encontram. Mas, com o fim da Máscara, os Riscos Cognitivos se tornaram mais comuns, por isso é importante que todos vocês saibam o que fazer quando virem um Risco Cognitivo.

Para lembrar o quer fazer ao ver um Risco Cognitivo, lembre-se da palavra CIODP.

C significa “Calma“. Existem Riscos Cognitivos de todos os tipos, mas a maioria deles cria sentimentos estranhos depois de olhar para eles. O sentimento mais comum é o de alguém cutucando o interior de seu cérebro com um garfo, mas também há aqueles que parecem queimar ou uma sensação avassaladora de medo. O mais importante quando você se sente assim é permanecer Calmo. Mesmo que doa, é importante que você permaneça calmo para que possa terminar o resto do CIODP.

I significa "Isolar". Depois de se acalmar, encontre uma sala em que você possa se isolar. Isso ocorre porque os Riscos Cognitivos demoram mais para afetá-lo se você colocar mais coisas entre você e sua fonte. O ideal é que você queira um cômodo que exija uma chave em ambos os lados para trancá-lo, mas, pelo menos, certifique-se de as portas possam ser fechadas por dentro. Se possível, pegue todas as chaves e certifique-se de tê-las antes de se trancar. Você não quer que esses Riscos Cognitivos entrem facilmente!

O significa “Ordens“. Depois de se isolar em uma sala, é importante que você ligue para a linha direta de Riscos Cognitivos da Fundação, no número 555. O representante da Fundação enviará agentes para ajudá-lo e dar ordens mais específicas sobre o seu Risco Cognitivo. A Fundação tem experiência com eles e talvez já tenhamos ouvido falar do seu caso! Lembre-se de fazer exatamente o que o representante faz, mesmo que pareça estranho.

D significar "Desativar". Se você não conseguir acessar a linha direta ou se o representante for cortado inesperadamente, é importante que você Desative todos os seus dispositivos virtuais. Desligue todos os seus dispositivos. Não coloque eles só no modo de hibernação, desabilite-os completamente. Se você tiver um computador que seja fácil fazer isso, remova as baterias e desconecte-o da tomada. Se for um produto da Apple, pressione o botão liga/desliga dez vezes seguidas e selecione “Sim" quando o produto perguntar se você deseja iniciar um desligamento de emergência. Se lembrem crianças, quanto mais vocês se isolarem, mais difícil será para o Risco Cognitivo ferir pessoas. Se você não puder desligar os dispositivos facilmente, tente pelo menos colocá-los em algum lugar fora de seu alcance.

P significa “Permanecer“. Fique tranquilo, mesmo que sua ligação seja interrompida, a Fundação está ciente de sua situação. A coisa mais importante que você pode fazer é permanecer onde está. Assim, a Fundação pode localizá-lo com mais facilidade e combater a infecção. Mesmo que as coisas comecem a parecer estranhas, já que alguns Riscos Cognitivos afetam a visão, é importante que você não se mova.

Agora, crianças, é hora de aprender uma música para ajudá-las a memorizar isso!

Se você vê um Risco Cognitivo e se sente em choque, é muito importante que você se lembre do “CIODP“!

C para Acalmar e I para Isolar-se.

O para Ordens e então aguarde, pois tem mais!

D para Desativar seus dispositivos, P para Permanecer parado.

Eu diria que tem mais, mas já foi!

Só se lembre, quando seu cérebro estiver queimando, ouça à Skippie e use o CIODP!




ESTES ANÚNCIOS DE SERVIÇO PÚBLICO SÃO PATROCINADOS PELA FUNDAÇÃO, PELO GOVERNO FEDERAL DOS ESTADOS UNIDOS E POR TELESPECTADORES COMO VOCÊ.
OBRIGADO.






O jovem olhava ansioso para seu chefe enquanto o homem terminava de ler sua proposta. "Duas coisas. Em primeiro lugar, se estamos sendo técnicos, esse anúncio é mais sobre Riscos Meméticos do que Riscos Cognitivos."

"Estamos cientes, senhor. O problema é que as crianças já têm uma definição muito específica de 'meme', então estamos preocupados que chamá-los assim vai deixá-las confusas."

O chefe balançou a cabeça levemente. "Justo. Minha segunda pergunta é, já ocorreu a você que seu "CIODP" não vai de fato proteger as crianças dos Riscos Memo-Cognitivos?"

O jovem olhou para ele confuso. "Uh, óbvio? Qualquer coisa acima de um Risco Cognitivo Nível-3 vai te transformar em um vegetal ou um maníaco homicida à primeira vista. O CIODP não foi feito para proteger as crianças."

Seu chefe olhou para ele com irritação. "Cristo, cara, isso era para ser um anúncio sobre como proteger o público de Riscos Cognitivos. O CIODP parece que foi feito para trancar crianças infectadas em um quarto escuro longe de seus pais…” o homem se perdeu.

O jovem parecia quase agridoce quando seu chefe percebeu as implicações. ”Senhor, não podemos proteger as pessoas que já estão infectadas com Riscos Cognitivo, pelo menos não de forma consistente. Tudo o que podemos fazer é convencer os aflitos a não infectar mais ninguém.”

”…” Seu chefe parecia pensativo com o raciocínio. "Você quer convencer todas as crianças na américa de que, se forem infectadas, elas devem se trancar em um quarto escuro para que seus pais não possam chegar até elas e ajudar enquanto o cérebro de seus filhos frita de dentro para fora."

"Assim, evitando que eles sejam infectados e reduzindo os danos que qualquer surto de Riscos Cognitivos crie."

”…se os pais descobrirem o que estamos tentando fazer com que seus filhos façam, eles vão se revoltar.”

O jovem sorriu levemente. ”E é para isso que serve o resto da versão ’adulta’ do anúncio. A Skippie deve dizer às crianças o que fazer, enquanto o Timmy e o Mills devem mostrar aos adultos o que acontece quando as crianças não ouvem ao CIODP.”

Seu chefe franziu a testa e folheou a proposta novamente antes de suspirar. ”…aprovado. Coloque a coisa toda no ar no Adult Swim todos os dias da semana, entre as 9 da noite e as 7 da manhã. Vou ligar pra Janet do evangelismo juvenil para colocar a parte infantil como um anuncio para crianças em todo o país."

"…e a Skippie?"

"Sim, você pode ir à DAIA e pedir para contratarem a Skippie para passeios. a Skippie. Seu irmão iria assustar as crianças pra caralho. E certifique-se de que a Skippie saiba o que está anunciando, não precisamos do pesadelo de relações públicas da Skippie perguntando de repente no 60 Minutes por que estamos trancando crianças em seus quartos.”

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License