Notas de Investigação de RJ Tellar
avaliação: +2+x

Não importa o quanto eu quisesse que Professor Negador-De-Prêmio-Para-Uma-Conquista-Orgulhosa-Então-Admita-Até-Eu-Morrer se engasgasse em seu próprio vômito, alguns dos estúpidos hábitos grudaram na minha mente. Caneta e papel me ajudam a pensar, então estou escrevendo essa merda. Trabalhando nesse artigo sobre a Mão da Serpente para o meu chefe. Todos os outros estão falando sobre a merda que teve na Coreia do Norte, mas isso está por trás do jogo. Bom jornalismo está olhando para o que está acontecendo agora. Eles querem escrever história, eles podem. Meu trabalho é transformar a história mais fácil em ouro.

Então, hora de trabalhar. Mão da Serpente: Algum grupo cujo nome parece de abraçadores de árvores. O que eu consigo encontrar em meio ao Vazamento sugere que eles são basicamente direitos humanos para os anormais. Hora de fazer alguns rascunhos e entrevistas, ver se alguém os viu ou sabe sobre eles pela rua.


Entrevistas feitas, descobertas: A maioria das pessoas os viram menos do que os capangas da fundação. Tinha algum tipo de grande conspiração, mas nos dois meses que se passaram desde o incidente você pode pelo menos avistar o ocasional estranhão de preto. Isso está deixando as pessoas nervosas, e pessoas nervosas vem em duas variedades: do tipo que falam com a imprensa, ou do tipo que não falam com a imprensa. Até agora eu consegui três pessoas que, após muito trabalho árduo, podiam, iriam, e produziram algo mais concreto do que uma opinião.

O primeiro cara dizia ter encontrado um representante procurando por seu filho. Falaram que eles estavam investigando a possibilidade de seu filho ter algum tipo de poder ou sei lá. Não parecia muito impressionado, o representante aparentemente era um nativo americano que gastava tempo queimando incenso e saiu de mãos vazias. Merda da nova era. Ele tinha um cartãozinho que o cara o deu. Uma mão com uma cobra envolvendo-a. Parece se encaixar.

Os outros dois tinham histórias similares. Crianças jovens, coisas fora do normal, representantes que pareciam hippies envelhecidos ou jovens de faculdade vindo e procurando por seus filhos. Nem mesmo um havia sido positivo. Parece uma história e tanto. Talvez tenha uma revelação fedida para o meu editor, ele ama revelações assim. Preciso pensar em uma sugestão de título.


Encontrei um dos 'membros' da Mão. Cheguei a ele por um contato. Esteve chamando a atenção do meu editor com o ângulo do 'pote de mentiras'. Ele está feliz. Quer que eu descubra mais para termos mais cobertura sobre o incidente na Coreia do Norte. Como se já não tivessem trinta mil pessoas cobrindo aquilo já.

Esses caras tem base na faculdade local de terceiro nível para fracassados. Vou lá ver se eu não consigo informação deles. Eles tem um website. Parecem com a maioria dos idiotas que acreditam em Pé grande e querem a era de Aquarius ou algo assim. Acreditar no sobrenatural está no auge com essa revelação.

Prefiro permanecer cético.


Me encontrei com o membro. Tenho que dizer: wow. Justo quando eu achava que isso não poderia ficar ainda mais no nível de merda de amador pirado, esses caras aparecem. Primeiro que seu 'quartel-general' é apenas o dormitório de alguém, e tinha cheiro de erva lá. Segundo, nenhum deles parecia ter uma camisa que não tinha rugas saindo de suas rugas. Terceiro, pôsteres de anime para todo lado. Não é exatamente o tipo de grupo de operações especiais sugeridos nos dossiês.

Eles falaram que seus nomes eram Adam, Charoosh, e Morgan. Eu tenho quase certeza de que Charoosh queria me impressionar. O nome, combinava com seus cabelos de sarará, cavanhaque púbico, e mal-estar geral, não pude fazer isso. Eles falavam com palavras longas, gravei a entrevista em um MP3. Notas gerais: Eles são uns imbecis.

Nunca conheci um grupo maior de charlatões na minha vida. Eles continuavam falando sobre cosmos profundo e 'conexão com o universo'. Tentei ter a mente um pouco aberta, mas era apenas merda da nova era. Continuei esperando que um deles fosse me dar um panfleto e me pedir uma doação. A maior parte da conversa foi eu tentando conseguir detalhes sobre coisas que eles realmente fizeram, e eles freneticamente tentando esconder o fato de que eles apenas usaram o nome do grupo para conseguir erva e transar.

Do jeito que está, fazer o artigo parecer uma sátira é a única coisa que pode salvá-lo. Ser contundente, um pouco de zombação, alguns palhaços jogando tortas, e terminar o dia. Vou fazer um acompanhamento com isso em mente e ver o que sai. Ainda preciso de um título.


De volta do acompanhamento. Consegui terminar de escrever isso e em seguida esconder. Jesus Cristo. Não faço ideia do que eu estava pensando, mas eu me superei. Muito. Porra, minhas mãos ainda estão tremendo.

Ok, os detalhes: voltei para o dormitório para a entrevista de acompanhamento, mas os caras não estavam lá apesar de falarem que estariam. Decidi matar um tempo e esperar no meu carro por uma hora ou duas. Estava ficando escuro e eu estava me preparando para ir embora quando eu ouvi vidro sendo quebrado na direção do dormitório. Algumas batidas quietas e um pouco de gritaria, de repente o lugar inteiro foi à merda. Um SUV preto veio e homens de uniforme começaram a sair como se fosse a porra de um carro palhaço.

A essa altura eu tinha duas opções. Sair e investigar, ou ir embora. Ambas iriam resultar em eu sendo visto, então eu não tinha escolha. A decisão acabou sendo feita pra mim. Um tiroteio começou e uma bala estourou meu pneu. Opção C: Correr como se não houvesse amanhã.

Eu estava a aproximadamente 30 jardas de distância do meu carro quando aconteceu. Algo atingiu o SUV e ele explodiu, estilhaços e uma onda de choque me jogaram ao asfalto. Ainda dói as partes onde eu bati. Eu os vi quando olhei para cima.

Um parecia um lagarto. Eu juro por deus cavaleiro segurando uma espada. ALGO que parecia estar embrulhado em pele. Uma pessoa macaco. Gato preto. Todos correram por mim. Quando eles me viram, um dos garotos CHIOU. Eu juro que ele tinha presas. Eu fiz o meu melhor para parecer que eu não era importante. Eu caguei nas minhas calças.

Enviei o artigo, tirando uma licença. Vou cobrir sobre a Coreia do Norte. Não pode ser pior do que aqui.

Documento recuperado do sítio de vigilância Romero-Alpha-Tango-Sierra. Autor desaparecido, localização desconhecida.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License