SCP-010-PT
avaliação: +16+x
blank.png
010.jpg

Representação artística de SCP-010-PT-1.

Item nº: SCP-010-PT

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: Devido a natureza anômala de meios de reprodução de SCP-010-PT, sua contenção completa é impossível. Esforços de contenção devem ser conduzidos pela FTM Epsilon-9 ("Carochinhas"). Agentes da Força Tarefa deverão se infiltrar em comunidades rurais suspeitas de serem localizadas próximas a SCP-010-PT, além de rastrearem meios de comunicação por palavras-chaves listadas no Documento 010-PT-5451. Tais menções devem ser difamadas como lendas urbanas e indivíduos envolvidos em avistamentos devem ser administrados amnésticos Classe-C ou B, dependendo da convicção do indivíduo. Para fins estatísticos e de pesquisa, todas as instâncias reconhecidas de SCP-010-PT devem ser registradas no Documento 010-PT-Y451.

Agentes são instruídos a propagar informações que desmotivem a retenção de SCP-010-PT-1. Observadores de Eventos 010-PT-2-Alpha deverão ser administrados amnésticos Classe-A, se necessário. Indivíduos envolvidos diretamente no Evento não são recuperáveis e deverão ser considerados desaparecidos indefinitivamente.

SCP-010-PT, assim como SCP-010-PT-1 e SCP-010-PT-2 não são considerados ameaças no momento e neutralização das instâncias não são recomendadas, devido aos benefícios oferecidos à flora abrangida pelos seus efeitos. Caso SCP-010-PT-2 se torne hostil, funcionários devem relatar tal mudança de comportamento imediatamente para o Time de Contenção 010, a fim de elaboração emergencial de novos procedimentos de contenção.

Após testes efetuados em 09/02/20██, futuros esforços em comunicação e interação direta com SCP-010-PT-1 e SCP-010-PT-2 só poderão ser feitos por funcionários Classe-D.

Descrição: SCP-010-PT é uma espécie arbórea semelhante a gameleiras1 (Ficus insipida) de porte e folhagem com características tipicamente encontradas em espécimes não-anômalas. Diferente de exemplares não-anômalos, SCP-010-PT possui grande abundância de cipós lenhosos, cobrindo pelo menos 70% de seus galhos e troncos, além da capacidade de produção de frutos (classificados SCP-010-PT-1) geradoras de entidades humanoides (SCP-010-PT-2), além de servir a tal espécie como 'portais' de acesso a uma grande ‘colméia’ interconectada a todo espécime existente de SCP-010-PT, referida como SCP-010-PT-3.

Espécimes de SCP-010-PT não aparentam sofrer regeneração quando danificados nem serem afetados por flutuações climáticas ou temporais. Remoção de qualquer parte de SCP-010-PT faz com que tal parte evapore em uma nuvem de fumaça densa e tóxica composta de níveis variados de CO, H2O e SO2 em um raio de 1 m³, causando amnésia temporária em sujeitos sapientes que inalarem o gás. Tentativas de acessar SCP-010-PT-3 por meios conhecidos (como sonda, perfuração ou corte) não renderam sucesso, e mostram o interior de SCP-010-PT como um tronco de árvore não-anômalo. Reprodução de SCP-010-PT aparenta ser aleatória, afetando qualquer exemplar de gameleira surgindo na natureza; nenhuma reprodução de SCP-010 em gameleiras cultivadas em ambientes fechados resultou em sucesso.

SCP-010-PT-1 é um fruto esférico-cilíndrico, com parte inferior côncava e exterior similar a pimenta cubanelle (Capsicum annum) da variedade vermelha.2 Ao se abrir, expele pela sua abertura um espécime SCP-010-PT-2, afixado ao objeto por uma estrutura fina e incolor de material orgânico viscoso, similar a clitelos presentes em anelídeos; tal estrutura não impede que SCP-010-PT-1 seja destacável de SCP-010-PT-2, ato que causa grande aflição na entidade. Remoção de SCP-010-PT de seu caule resulta em evaporação em fumaça e não gera SCP-010-PT-2, independente do desenvolvimento do fruto.

SCP-010-PT-2 são seres humanoides sapientes e sencientes, com tonalidade marrom-escuro, medindo aproximadamente 1,38 cm de altura, com anatomia similar à de um adulto entre 20 e 50 anos. SCP-010-PT-2 não possui membros inferiores sólidos, tendo em seus lugares um apêndice composto por massa gasosa de fumaça negra de raio e densidade mutável, que a entidade usa para se locomover por meio de um processo centrífugo retilíneo em uma velocidade alcançando até 30 km/h. Sua pele aparenta ser composta por material orgânico similar a casca de árvore queimada e suas feições remetem a um humano com características africanas, exceto seus olhos e dentes, que apresentam uma coloração avermelhada, distinguíveis mesmo em áreas de pouca exposição à luz (-0.002 lux). SCP-010-PT-2 não possuem nenhum objeto ou traje em sua possessão além de SCP-010-PT-1 sobre sua cabeça, e testes posteriores revelam que qualquer material afixado a entidade ‘atravessa’ seu corpo. Como demonstrado no Registro de Exploração, objetos afixados a parte interna de SCP-010-PT-1 podem ser transportados junto à entidade quando esta se insere em SCP-010-PT-3 e recuperados com sua saída.

Descoberta: Agente ██████, durante sua visita anual a seus parentes, donos e moradores de um sítio em █████████-SP, relatou observar uma "grande massa negra" se locomovendo momentos após seus parentes expressarem frustração ao observarem desordem no local (presumidamente causada por SCP-010-PT-2). Agente ██████ relatou o incidente a seus superiores, o que levou a investigações aprofundadas pela Fundação. Após perseguição de diversas instâncias SCP-010-PT-2, SCP-010-PT foi descoberto, assim como SCP-010-PT-1. SCP-010-PT-3 foi confirmado como uma localização própria após a exploração executada em 09/02/20██. Possibilidade e métodos de captura de SCP-010-PT-1, assim como ‘contratos’ oferecidos em troca por SCP-010-PT-2 foram descobertos por estudos de superstições e lendas populares, confirmados como parcialmente verídicos.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License