SCP-015-PT
avaliação: +16+x
blank.png

Item nº: SCP-015-PT

Classe do Objeto: Seguro

Nível de Ameaça: Branco

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-015-PT deve ser mantido em um compartimento de 150 cm x 30 cm x 30 cm, na seção de contenção de objetos seguros, localizada no Sítio PT7. O cristal presente em SCP-015-PT deve ser armazenado separadamente, em um compartimento de contenção pequeno, acolchoado no interior e selado à vácuo, a fim de evitar a danificação do cristal e o contato com impurezas no ambiente. SCP-015-PT deve ser acessado somente com autorização direta do Dr. Armando Ferraz Nogueira.

A cada dois dias deve ser feita a manutenção do objeto, que envolve retirar o acúmulo de pó entre as peças, verificar se qualquer componente está sofrendo oxidação e trocar a água na qual o cristal presente em SCP-015-PT é submergido. A cada sete dias o cristal que compõe SCP-015-PT deve ser limpo com uso de um pano úmido e um detergente neutro comum.

Os arquivos recuperados da Superintendência Brasileira do Paranormal acerca dos estudos de eletromagnetismo e taumaturgia e suas aplicações bélicas podem ser encontrados no Acervo Bibliográfico e Documental do Sítio PT7, localizado no Bloco Administrativo 07-B, podendo ser acessados somente com a permissão prévia do Dr. Ferraz ou do supervisor do acervo, Gustavo Lindbergh Torres.


CANHÃO.jpg

Diagrama de SCP-015-PT, Superintendência Brasileira do Paranormal, 1974.


Descrição: SCP-015-PT é o protótipo de um canhão eletromagnético portátil de múltiplos estágios desenvolvido pela Superintendência Brasileira do Paranormal. O objeto em si segue os conceitos básicos de outros canhões eletromagnéticos atuais, porém ele possui consideráveis modificações anômalas e foi utilizada a taumaturgia para maximizar os potenciais destrutivos de SCP-015-PT.

O objeto é composto de três partes, com toda sua estrutura sendo constituída de grafeno, o que permite que o objeto tenha massa de apenas 13 Kg. A primeira parte, o cano do canhão, é composta por sete eletroímãs, que magnetizam bobinas de cobre que estão posicionadas em volta de um "trilho" de alumínio na base do cano. Este "trilho" é uma placa pela qual o projétil carregado se guia pelo cano do canhão, quando o projétil é disparado. Diferentemente de armas eletromagnéticas atuais, SCP-015-PT não necessita de um compartimento para baterias, uma vez que a energia do objeto é fornecida por um cristal1.

A segunda parte do objeto é o compartimento para inserção de projéteis ferromagnéticos. O compartimento em si é semelhante ao de canhões eletromagnéticos portáteis comuns, porém, enquanto modelos atuais suportam projéteis de até 100mm, SCP-015-PT comporta projéteis de 350mm. Uma placa de alumínio separa o compartimento de projéteis do cano. Ao pressionar o gatilho do canhão a placa se move e o projétil é disparado.

A terceira parte do objeto é um pequeno compartimento localizado abaixo do compartimento para projéteis. Nesta parte se encontra o cristal mencionado anteriormente. Além do cristal o compartimento é preenchido por água com uma salinidade de 15%. A compreensão acerca deste componente é limitada, porém é certo que este cristal fornece energia para todas as outras partes do canhão e que a quantidade de energia gerada varia de acordo com a salinidade da água e as propriedades físicas do indivíduo que manuseia o objeto.

Testes sugerem que projéteis disparados por SCP-015-PT podem alcançar velocidades de cerca de 3000 m/s, tendo aproximadamente 1 megajoule de energia aplicado ao projétil, dependendo do indivíduo que está manuseando o objeto. A destruição causada pelo impacto de projéteis disparados por SCP-015-PT é semelhante ao de um míssil balístico V-2, com a diferença de que o dano é localizado. Portanto, ao invés de causar uma explosão, o projétil perfura o alvo2.

O cristal mencionado é formado por três elementos diferentes. 27% de sua composição vem do cristal de calcita, 13% do cristal de gálio e o restante de um mineral não identificado. Os três foram polidos e liquefeitos separadamente, sendo posteriormente solidificados juntos por meios desconhecidos. Ao ser retirado de SCP-015-PT, o cristal deixa de apresentar efeitos anômalos, enquanto o canhão se torna não funcional, mesmo com a introdução de uma nova fonte de energia. Não se sabe como a Superintendência Brasileira do Paranormal foi capaz de realizar testes com o cristal separado do canhão.

Com o conhecimento atual da Fundação acerca da taumaturgia, a teoria mais aceita deste objeto é que ele seja capaz de transformar a Energia Elã Vital (EEV) de um indivíduo em energia elétrica concentrada, sem gerar Radiação de Aspeto, de forma qua ao invés de retirar a EEV do indivíduo, essa energia é replicada e depois transformada em uma corrente elétrica dentro do próprio cristal. De acordo com os pesquisadores encarregados de estudar este objeto, para entender completamente o funcionamento do cristal é preciso saber exatamente como ele foi produzido e do que ele é composto.

Documentos recuperados sugerem que o uso da taumaturgia neste objeto remete ao conhecimento dos primeiros padres jesuítas a pisarem em solo brasileiro. Estudos estão sendo realizados para obter mais informações acerca do cristal, porém muito foi confirmado graças aos arquivos anexados abaixo. Integrantes do GdI-2391 (Segunda Companhia de Cristo3) se recusam a trocar qualquer informação com a Fundação. Negociações estão em andamento4.





Observações: "Estes dados podem não parecer surpreendentes, porém vale notar que os canhões eletromagnéticos portáteis mais modernos não conseguem ultrapassar 30 cm de concreto. O dano causado por SCP-015-PT se assemelha ao de canhões estacionários de grande porte ou de mísseis balísticos, de tal forma, a mobilidade e velocidade de manuseio deste objeto o tornam superior a qualquer tecnologia deste tipo que conhecemos.

Outro ponto importante a ser constatado é o consumo de energia, as maiores armas eletromagnéticas necessitam cerca de 25 megawatts de energia, ou seja, um imenso suprimento de algum tipo que provavelmente não é possível de se locomover. Enquanto isso SCP-015-PT utiliza apenas um cristal de menos de 10 cm de altura e umas gotas d'água com sal.

O uso do objeto em combate está sendo analisado, uma vez que ainda precisamos aprender a reproduzir esta tecnologia e talvez até integrá-la a outros objetos que nós temos disponíveis, mas, supondo que possamos utilizá-la, poderíamos tentar equalizar o dano causado por SCP-015-PT, de forma que a brecha deixada em objetos seja cilíndrica, podendo usar o objeto como um meio rápido, seguro e barato de invadir estruturas."

— Dr. Ferraz

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License