SCP-033-PT-EX
avaliação: +16+x
blank.png

3/033-PT-EX NÍVEL 3/033-PT-EX

SECRETO

classified-lv3.png

Item nº: SCP-033-PT-EX

Classe do Objeto: Seguro

Explicado

Nível de Ameaça: Amarelo

Procedimentos Especiais de Contenção: A entrada da estrada onde se localiza SCP-033-PT está bloqueada e uma nova estrada foi traçada para desviar civis da anomalia. Funcionários da Fundação e membros da FTM PT47-ε ("Filhos de Leshii") estão estacionados em uma base instalada próxima da área de efeito de SCP-033-PT para análises da anomalia, sob a presunção de que estariam estudando o solo e a vegetação do local.

Funcionários devem solicitar autorização do comandante da base para a utilização de SCP-033-PT para testes e coleta de amostras. Amostras de SCP-033-PT poderão ser analisadas no mesmo local, sendo estudadas de forma mais complexa, testadas com seres vivos e armazenadas no Sítio PT10.

Trajes HAZMAT são necessários antes de adentrarem na área de efeito de SCP-033-PT. Na hipótese de um indivíduo entrar em contato com a anomalia sem proteção, deve ser submetido a assistência respiratória via ventilador pulmonar, e posteriormente, transferido e substituído da instalação local.

Descrição: SCP-033-PT está localizado em uma estrada vicinal de 10 m de largura no município de Salgueiro, próximo a estrada BR-232 e BR-116, em Pernambuco, Nordeste do Brasil. Sua área de efeito é de aproximadamente 20 m de diâmetro.

SCP-033-PT aparenta ser uma anomalia em forma de gás. Inalação causa efeitos como lentidão, visão turva e relaxamento muscular. Seu principal efeito alucinógeno, faz com que indivíduos experienciem sonhos, fantasias, pesadelos ou imaginações nostálgicas que vivenciaram em vida. Os efeitos perdurarão de 2 a 3 horas.

Caracteristicamente, SCP-033-PT assemelha-se a neurotoxinas que afetam o sistema nervoso e essencialmente o cérebro. Regiões como o mesencéfalo1, juntamente com o sistema límbico2 e o hipocampo3, são as áreas mais afetadas pelo consumo imediato de SCP-033-PT. O consumo contínuo pode acarretar em, incluindo mas não se limitando à: morte de neurônios relacionados a memória de longo prazo; falta de ar; perda de memória; visão ou raciocínio; comportamentos compulsivos e alucinações e, posteriormente, à morte do indivíduo.

História e Descoberta: A primeira divulgação feita a respeito de SCP-033-PT para a Fundação foi a partir de agentes de campo disfarçados na Polícia Rodoviária Federal de Pernambuco, em 26/11/1999, durante a Operação de Garantia da Lei e da Ordem4, tendo como objetivo "preservar a ordem pública e a incolumidade das pessoas e do patrimônio".

Durante uma abordagem policial, foi observado dois indivíduos sob o efeito de psicotrópicos conduzindo um caminhão de carga, afirmando terem visto personagens fictícios de desenhos televisivos, enquanto passavam por um "caminho esburacado e turvo". Os indivíduos não portavam drogas alucinógenas, apenas tabletes de Cannabis Sativa prensada foram encontradas em meio a carga do veículo. Os indivíduos receberam amnésticos Classe A e foram apreendidos.

A estrada dita foi localizada pelos agentes de campo, e após terem percebido e sofrido dos efeitos alucinógenos de SCP-033-PT, contataram a Fundação. Na margem da estrada, carcaças queimadas de um caminhão tombado foram identificadas, sem sinais claros de seu local de origem.



Adendo 033-PT-02 — 02/01/2000: Senhor Paulo Gouveia e os demais membros do Clube de Caça da Fauna e Flora foram destituídos de seus cargos operacionais da associação, após desacordos socioeconômicos do Clube, que repudia a comercialização de animais anômalos capturados pelos seus membros.

Análises feitas com amostras de SCP-033-PT não apresentaram substâncias químicas de caráter inflamável ou reagentes explosivos na composição da anomalia (como informou Fabrício Duarte no interrogatório do Olhos Anônimos). Presume-se que tais componentes dissiparam-se após a explosão do caminhão que continha SCP-033-PT. Tal evento teria causado, também, a propagação da anomalia e a ampliação de sua área de efeito.

Espécimes do anfíbio utilizado para a composição de SCP-033-PT foram encontrados na região norte da floresta amazônica, próximo a divisa entre Brasil e Venezuela, durante expedições feitas pela Fundação. O animal assemelha-se a espécie Dendrobates leucomelas, que possuem as mesmas características biológicas e habitacionais, exceto por sua propriedade psicoativa. Tal animal, até então, não fora catalogado oficialmente pelo Catálogo Taxonômico da Fauna Brasileira.

Comparações com as amostras coletadas de SCP-033-PT e as amostras psicoativas coletadas nos novos espécimes de anfíbio mostraram uma correlação de 99,7%. Maiores estudos a respeito da toxina do animal e sua composição estão sendo feitos. Após a descoberta dos efeitos do mesmo, a área de efeito de SCP-033-PT e sua concentração no ar diminuíram drasticamente.

Adendo 033-PT-03 — 17/01/2000: Análises de amostras da toxina do anfíbio utilizado na fabricação de SCP-033-PT mostram em sua composição, traços de:

  • Bufotoxina 5-MeO-DMT, tipo de triptamina, capaz de aliviar ansiedade e depressão, encontrada em espécies de plantas e anfíbios;
  • Bufotenina, alcaloide com capacidade alucinógena, também encontrado em anfíbios;
  • DMT (dimetiltriptamina), substância psicodélica, capaz de alterar os estados de percepção e consciência, utilizada comumente em bebidas enteógenas6, como a ayahuasca.

Em análises da composição de SCP-033-PT foram encontrados harmanos, alcaloides de origem vegetal, potencializadores da DMT. Tais também são alucinógenos e utilizados em bebidas ritualísticas. Fora utilizado também, o THC (tetra-hidrocanabinol), principal substância psicoativa encontrada em plantas do gênero Cannabis. O composto possibilita maior modificação da atividade cerebral e maior potencialização dos efeitos do psicotrópico anômalo, como nas alucinações.

Adendo 033-PT-04 — 07/02/2000: Para a coleta e análise mais aprofundada de SCP-033-PT, foi necessária a utilização da FTM PT47-ε, para a obtenção do psicotrópico anômalo em sua forma original vendida pelo GdI Bad Trip.

SCP-033-PT é vendido contido em ampolas de metal de 20g, na qual possuem um pequeno lacre na parte superior, para a retirada do psicotrópico. O composto é líquido e possui coloração alaranjada e cheiro adocicado. Tal normalmente é utilizado via nasal ou oral, sendo misturado com bebidas ou outras drogas inalantes. SCP-033-PT possui os mesmos efeitos apresentados em sua descoberta inicial, porém, tais demonstraram maior intensidade, com duração inferior de 30 a 60 minutos.

Em sua composição, foi detectada a função orgânica éter, na qual é utilizado como anestésico, e também como droga inalante ou um composto de uma. Além disso, tal possui caráter explosivo, ao ser misturado com o oxigênio da atmosfera. O éter, então, teria sido o responsável pela explosão do caminhão que transportava SCP-033-PT, encomendado pelo Sr. Paulo Gouveia.

Adendo 033-PT-05 — Reclassificação de SCP-033-PT:

A nota a seguir foi feita pelo Dr. Gallão, Diretor de Pesquisas responsável por SCP-033-PT:

SCP-033-PT não é uma anomalia ao acaso. Sabemos que ela foi criada por humanos visando entretenimento e lucro. Apesar disso, foi capaz de ter significância mais mórbida ao Relicário. No fim do dia, ninguém conseguiu o que queria. Ainda assim, a probabilidade de ainda haver a continuidade da venda desse psicotrópico anômalo nas mãos da Bad Trip é alta.

Além disso, o senhor Paulo Gouveia ainda pode ter interesses, tanto na caça, quanto na compra de drogas anômalas da tal organização, como aparentemente já fez diversas vezes no passado. Caso isso venha a ocorrer, Gouveia deve ser investigado, principalmente para não atrair colegas do Relicário novamente e levar outra facada nas costas.

Como previsto, a área de efeito atual de SCP-033-PT logo será neutralizada, restando, então, apenas amostras no Sítio PT10. Sua composição e seu propósito de criação são claros. Sem sombras de dúvidas, o objeto será reclassificado para Explicado.

— Dr. Gallão.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License