SCP-045-PT
avaliação: +4+x
blank.png

Item nº: SCP-045-PT

Classe do Objeto: Keter

Nível de Ameaça: Laranja Vermelho

Procedimentos Especiais de Contenção: Atualmente, dadas as propriedades anômalas de SCP-045-PT, sua brecha de contenção é inevitável. Provisoriamente, todo local de despejo de sucata dos estados de Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, além daqueles presentes no Distrito Federal, devem ser constantemente monitorados.

O monitoramento deve ser realizado remotamente ou por agentes infiltrados entre os funcionários destes locais, e, na eventualidade de uma materialização de SCP-045-PT, equipes de contenção dos sítios da Fundação mais próximos devem ser contactadas. A equipe de contenção enviada para recuperar SCP-045-PT após este ser materializado deve utilizar um helicóptero cargueiro para transportar o objeto, dado o fato de que os controles do veículo se encontram desativados, o que dificulta o transporte terrestre. O piso térreo dos sítios localizados nos estados mencionados anteriormente deve disponibilizar uma área murada de 10 m² para a contenção do objeto.

SCP-045-PT-1 deve receber atendimento psicológico sempre que possível, a fim de diminuir a frequência das brechas de contenção da anomalia. Objetos solicitados pela entidade para o lazer podem ser enviados a mesma com a autorização dos pesquisadores encarregados de estudar a anomalia nos sítios PT7, PT16 e PT33.

No caso de SCP-045-PT-2 ser materializado, amnésticos adequados devem ser distribuídos à todos os civis próximos ao objeto e histórias de acobertamento devem ser criadas a fim de explicar qualquer dano causado pelo objeto.

Atualmente esforços da Fundação são de adquirir e desmantelar locais de descarte de sucata próximos a grandes centros urbanos, a fim de limitar os pontos nos quais SCP-045-PT pode se materializar.

Descrição: SCP-045-PT é um veículo blindado leve de reconhecimento EE-T4 "Ogum", desenvolvido e produzido pela empresa de material bélico ENGESA em 1973. Nenhum outro veículo de mesmo modelo produzido pela ENGESA apresentou as mesmas características anômalas de SCP-045-PT até o momento.

SCP-045-PT é, primariamente, apenas o chassi deste veículo blindado, sendo composto por duas lagartas e uma estrutura principal única (monobloco). Na parte superior da estrutura principal há um espaço altamente versátil capaz de suportar diferentes tipos de acessórios balísticos, como um lançador de mísseis antitanque; um canhão 20 mm; uma torre de metralhadora dupla 7,62 mm; uma metralhadora .50; entre outros. Baseando-se nos modelos não anômalos do EE-T4, supõe-se que SCP-045-PT tenha em seu interior três assentos e um compartimento para estoque de munição. Outro ponto notável é que SCP-045-PT é desprovido de qualquer porta ou entrada, o que impossibilita o conhecimento do interior do objeto, porém uma grade na parte frontal do objeto possibilita a entrada de ar e a comunicação com SCP-045-PT-1.

SCP-045-PT-1 é a designação dada a um suposto ser humano do sexo masculino, sapiente e capaz de se comunicar. A entidade alega ser o Primeiro-Tenente João Reis Quaresma que, de acordo com registros da Superintendência Brasileira do Paranormal, foi o desenvolvedor de SCP-045-PT e um dos engenheiros principais da ENGESA. A entidade diz apresentar imortalidade biológica, além de não precisar se alimentar ou de se hidratar.

Aparentemente, as propriedades anômalas de SCP-045-PT se manifestam quando SCP-045-PT-1 tenta, de alguma forma, cometer suicídio. Quando esta tentativa ocorre, segundos antes de SCP-045-PT-1 falecer, tanto SCP-045-PT quanto sua instância são teletransportados para algum local de despejo de sucata aleatório nas regiões Centro-Oeste e Sudeste. Tal evento supostamente evita a morte de SCP-045-PT-1 e regenera instantaneamente todas as suas feridas.

Toda vez que o objeto é teletransportado, seu acessório balístico anexado é alterado, podendo suportar torres que supostamente não seriam compatíveis com o objeto ou que são desconhecidas. Uma lista dos exemplos mais notáveis pode ser encontrada no Adendo 045-A.

Fora isso, SCP-045-PT-1 alega haver uma alteração no interior do objeto, onde cada vez que este é teletransportado, ocorre a materialização de diferentes objetos no interior. Tais objetos incluem armas de fogo, armas brancas, explosivos, cadáveres, caixas com alimentos diversos e caixas com uniformes de oficiais do Exército Brasileiro.

Após um número aleatório de vezes que o objeto é teletransportado, uma segunda entidade, denominada SCP-045-PT-2, é materializada no interior do objeto, no lugar de SCP-045-PT-1. Esta instância se recusa a cooperar com agentes da Fundação e se mostrou extremamente hostil, porém ela só tem controle da torre do objeto. Sempre que SCP-045-PT-2 é materializado, este tenta causar o máximo de dano ao ambiente ao seu redor, aparentemente não possuindo um alvo específico. Quando a munição carregada na torre de SCP-045-PT é esgotada, o objeto é teletransportado novamente, voltando a ser ocupado por SCP-045-PT-1. SCP-045-PT-1 diz não ter conhecimento desta segunda entidade.

Descoberta/História: Antes do evento do dia 11/02/2003 a Fundação não tinha confirmado a existência de SCP-045-PT, tendo conhecimento do mesmo apenas por menções ao objeto encontradas em documentos recuperados da Superintendência Brasileira do Paranormal.

No dia 11/02/2003, na cidade de Santana do Paraíso, MG, houveram relatos de mísseis balísticos sendo disparados contra diversas casas na região por cerca de sete minutos, vindos de um local de descarte conhecido como "Ferro Velho Vale do Aço". Oito pessoas foram mortas enquanto mais de vinte ficaram feridas, em um episódio que acredita-se ter sido a primeira aparição de SCP-045-PT-2, ou pelo menos a primeira manifestação significativa desta entidade. Amnésticos puderam ser administrados a todos os diretamente afetados pela anomalia e uma história de encoberta de que havia ocorrido um ataque de uma facção criminosa foi lançada ao público.

No dia 28/09/2015, na cidade do Rio de Janeiro, RJ, foi interceptada a ligação entre um funcionário de um local de descarte conhecido como "Ferro Velho Santo Cristo". O funcionário havia relatado à Polícia Municipal que um "tanque de guerra" havia "magicamente aparecido", enquanto podiam ser ouvidos gritos e outros sons vindos do interior do objeto. Agentes da Fundação foram enviados, o objeto foi transportado para o Sítio PT16 e amnésticos Classe A foram devidamente administrados aos funcionários do local de descarte.

No dia 31/03/2020 foi registrada a segunda aparição conhecida de SCP-045-PT-2, na cidade de Brasília, DF, em um local de descarte conhecido como "Ferro Velho do Gabriel". Informações sugerem que a torre de SCP-045-PT estava equipada com um [REDIGIDO]. Dadas as condições deste equipamento, apenas um disparo foi realizado antes do teletransporte do objeto. Após o impacto, foram registradas cento e treze mortes, além do desabamento de um prédio empresarial pertencente à empresa IMBEL. Amnésticos Classe B foram administrados a todas as pessoas em uma área de 200 Km ao redor do local e uma campanha de desinformação foi feita sugerindo que o edifício havia desabado por conta de um incêndio.

Nível de Ameaça do objeto atualizado.






Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License