SCP-057-PT
avaliação: +9+x

Item nº: SCP-057-PT

Nível de Ameaça: Laranja

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: Devido às características da anomalia e de instâncias que a compõem, assim como suas proporções geográficas, nenhum método de contenção pode ser aplicado a SCP-057-PT. Todos os civis que demonstrem explícita pretensão de adentrar a área interna da anomalia deverão ser retirados do edifício e caso haja algum tipo de contestação, estes deverão ser tratados com amnésticos Classe-B. As medidas tomadas para a contenção provisória de SCP-057-PT, devem ser o estabelecimento de um tapume que contorne todo o edifício, de forma a barrar a quaisquer indivíduos não-autorizados e proteger a área. A instalação localiza-se atualmente em um ambiente florestal de Santa Catarina, conquanto, o edifício muda de local periodicamente, e já foi avistado por agentes em outros (3) três estados.

A entrada precedendo o resto das construções deverá ser guarnecida com dois (2) agentes armados detendo de equipamento bélico de porte médio, — caracterizadas por armas de grosso calibre — para a proteção também das outras partes externas da instalação. Estas partes externas, que se estabelecem ao redor da dita-cuja precisarão ser vigiadas por sete (7) agentes, e estes poderão realizar uma pausa após o início do período noturno, quando as peculiaridades da instalação entram

Na recepção do local, designam-se 7 (sete) Oficiais de Segurança, armados com apenas pistolas — visto que já são o suficiente para suprir as necessidades requeridas no Documento-057-AB. Todas e quaisquer mudanças ocorridas em algumas das áreas vigiadas devem ser imediatamente comunicadas; tais como ataques, ou afrontosas mudanças no comportamento das instâncias. Aqueles a neutralizarem os riscos ou as instâncias deverão ser membros diretos da FTM Alpha-1 ("Mão Direita Vermelha").



Descrição: SCP-057-PT caracteriza-se como uma instituição médica detentora 340 leitos, e tem sua construção datada de 194█. São presentes ainda quatro (4) pequenas farmácias, trinta e cinco (35) consultórios, cinco (5) cozinhas, um (1) almoxarifado, vinte e cinco (25) escritórios e oito (8) extensos laboratórios, onde a veracidade das atividades outrora realizadas é ignota, contudo teoriza-se que todos sejam laboratórios onde eram feitos experimentos acerca de [DADOS EXPURGADOS]. Na parte exterior do local, pode-se notar um muro de 3 metros, e antecedente a este um canteiro com seis (6) Prunus dulcis (Amendoeiras) dispostas em grupos de três (3) nas extremidades da esquerda e direita.
em um estado dormente, cuja veridicidade foi averiguada no Documento 057-AA.


Hospital3

Uma das salas devastadas de SCP-057-PT.


As paredes internas da localização são revestidas por um material desconhecido análogo a um tipo de concreto, no entanto, este material possui uma consistência rugosa. Também estão desenhados nos muros símbolos de exórdio desconhecido, similares a gravuras arcanas antigas, por conta de suas enumeradas características idiossincráticas. Nos recintos onde se realizavam as experiências, é possível observar uma série de códigos e nomes, referenciando as nomenclaturas e numerações das ditas-cujas. Estes epítetos estão escritos na língua inglesa, podendo-se confirmar que SCP-057-PT já esteve presente em países anglicanos.

O local não possui anomalias se visualizado apenas externamente. Contudo, após o período diurno, no início do período vespertino, é possível notar a aparição de duas instâncias: SCP-057-PT-1 — entidade feminina que se aplica como uma enfermeira, possuindo sapiência; e SCP-057-PT-2, entidade masculina, que se aplica como cientista, porém pode transformar-se em um médico periodicamente.

Após isto acontecer, todos os indivíduos com algum tipo de doença, — seja ela física ou psicológica — que encontrarem-se em um raio de 7 (sete) metros dentro do campo de visão das instâncias, serão levados a uma localidade iluminada e totalmente vazia. Nesta sala, o indivíduo será conectado a uma máquina de origem e tecnologia desconhecida, que irá deslindar a personalidade e memórias do sujeito, analisando e julgando seus atos. Ao que tudo indica, não curam-se contusões como dilacerações e hematomas, por não serem consideradas "doenças" pelas instâncias.

Se o dito-cujo apresentou uma convivência amigável e adequada com as pessoas que estiveram ou estão presentes em sua vida, este será curado de todas as suas enfermidades, inclusive doenças terminais. Os adoentados não sentem nenhuma sensação de desconforto ou sobressalto quando na presença dos anômalos mencionados, vendo-os como figuras familiares e agradáveis. Contudo se o adoentado estiver sido desagradável com os outros indivíduos que convivera, além de sentir fobia das instâncias citadas acima, este passará por um processo taumatúrgico completo, e se transformará nas seguintes instâncias secundárias:

SCP-057-PT-3: Caracteriza-se como uma luz com um triângulo prateado em seu centro, que libera feixes de iluminação cuja potência é extremamente alta, com sua intensidade chegando a aproximadamente 100.000 (cem mil) lúmens. Todos aqueles que permanecerem em um raio de 10 (dez) metros em uma direção alinhada com o objeto serão afetados com extremo desconforto ocular, seguido de cegueira temporária ou permanente.

Caso haja a aparição de uma ou mais exemplares desta instância, deverá ser designada a FTM Alpha-1 ("Mão Direita Vermelha"), e seus agentes deverão utilizar visores que não permitam totalmente a passagem de brilho, tais como óculos escuros aprimorados com maior resistência e opacidade, entretanto de uma maneira que ainda permita a visão do ambiente e da instância. Não se recomenda nenhum dos soldados posicionados em uma direção retilínea para com a anomalia.

SCP-057-PT-4: Caracteriza-se como uma réplica de um microrganismo da espécie Streptococcos pneumoniae, contudo, seu tamanho é referente a 30 (trinta) centímetros de altura e 20 (vinte) centímetros de largura, com um peso de 1 (um) quilo. Após visualizá-lo fixamente ou apenas estar no mesmo ambiente que SCP-057-PT-4, o visualizador começa a sentir um nível de asfixia e ter uma sessão compulsória de tosses, morrendo por pulmões obstruídos três minutos após.

Aparentemente, o organismo tem uma fragilidade quando exposto a calor excessivo, assim, é designado um ataque conjunto da FTM Beta-7 ("Maz Hatters"), juntamente a FTM Epsilon-9 ("Comedores de Fogo"). Pode haver mais cópias da anomalia, com o número máximo de 3 (três) clones; primeiro deverá haver o ataque incendiário no local, — atacando-se apenas na criatura — e depois o ataque com armamento pesado comum. Depois disto, todas as instâncias mencionadas deverão estar em estado de óbito, e quaisquer demasiadas resistências aos armamentos utilizados devem ser comunicadas.


Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License