SCP-060-PT

avaliação: +10+x
blank.png

4/060-PT NÍVEL 4/060-PT

SECRETO

classified-lv4.png

Item nº: SCP-060-PT

Classe do Objeto: Euclídeo

Nível de Ameaça: Amarelo

Procedimentos Especiais de Contenção: A fim de impedir o acesso à área na qual encontra-se SCP-060-PT, a Força-Tarefa Móvel PT60-β deve regularmente patrulhar o perímetro ao redor de SCP-060-PT. Quaisquer indivíduos que aproximem-se de SCP-060-PT devem ser instruídos a deixar a área e informados de que esta vem sendo periodicamente monitorada para esforços de conservação.

Iniciativas de entrada no interior de SCP-060-PT somente devem ser executadas mediante à autorização de superiores. Indivíduos que adentrarem em SCP-060-PT são estritamente proibidos de permanecerem em seu interior por um período superior à 5 minutos.

Indivíduos expostos às propriedades anômalas terciárias de SCP-060-PT e/ou indivíduos que façam qualquer tipo de contato com instâncias de SCP-060-PT-α devem ser tratados com amnésicos Classe-A e diretamente encaminhados para tratamento psiquiátrico em um dos Setores de Saúde Mental do Departamento Médico da Fundação. Sob nenhuma circunstância indivíduos expostos às propriedades anômalas de SCP-060-PT, bem como às propriedades anômalas das instâncias de SCP-060-PT-α, devem novamente entrar em contato com SCP-060-PT. Indivíduos que não obtiveram êxito em deixar o interior de SCP-060-PT em decorrência de suas propriedades anômalas secundárias e, posteriormente, primárias, devem ser dados como perdidos.

Descrição: SCP-060-PT é a designação dada ao instituto psiquiátrico Hospital Colônia de Barbacena, situado no estado de Minas Gerais, após uma seriação de incidentes ocorridos no instituto entre os anos de 1903 e 19841.

O interior de SCP-060-PT é habitado por entidades humanoides incorpóreas, de compleição espectral, coletivamente designadas como SCP-060-PT-α. Aproximadamente 85% das instâncias de SCP-060-PT-α tiveram suas aparências identificadas como sendo as mesmas de pacientes de SCP-060-PT entre os anos de 1906 e 1981.

As propriedades anômalas SCP-060-PT somente irão se manifestar no caso de um indivíduo adentrar e permanecer em seu interior por um período superior à 5 minutos. Posteriormente a esse período de tempo, as propriedades anômalas terciárias de SCP-060-PT irão se manifestar, fazendo com que indivíduos em seu interior sejam diretamente afetados no que se refere a sua índole e estado mental, demonstrando sintomas característicos de transtornos psíquicos em estado avançado, sendo aqueles identificados até o momento o CID2 10 - F41.03, caracterizado por intensas crises que externam sentimentos extremos de desespero e medo, comumente resultando em um infarto agudo do miocárdio naqueles afetados por SCP-060-PT, e o CID 10 - F41.14, por meio do qual manifestam-se elevados sentimentos de ansiedade, insegurança, medo e preocupação.

Indivíduos afetados pelas propriedades anômalas terciárias de SCP-060-PT apresentam sequelas que interferem constantemente em sua vida diária. Tais sequelas consistem em constantes episódios psicóticos, por meio dos quais o indivíduo experiencia alucinações tanto visuais quanto auditivas de elevada intensidade, através das quais relata estar visualizando e ouvindo instâncias de SCP-060-PT-α, mesmo que esteja distante da localização de SCP-060-PT. A utilização de amnésicos Classe-A e intensivo tratamento psiquiátrico mostraram-se relativamente eficientes na diminuição da ocorrência de episódios psicóticos.

No caso de um indivíduo permanecer em SCP-060-PT por um período superior à 10 minutos, SCP-060-PT manifestará suas propriedades anômalas secundárias, que consistem na modificação estrutural autônoma de SCP-060-PT conforme o indivíduo em seu interior tentar deixar o local. SCP-060-PT modificará sua estrutura interna de modo que esta desenvolva um caráter labiríntico de alta complexidade. Posteriormente a esse evento, SCP-060-PT manifestará suas propriedades anômalas primárias.

As propriedades anômalas primárias de SCP-060-PT consistem na manifestação de uma anomalia espaço-temporal que ocasiona a transportação de quaisquer indivíduos em seu interior para o instituto Hospital Colônia de Barbacena durante algum momento da década de 1940, quando este ainda não encontrava-se sob custódia da Fundação. As propriedades anômalas primárias de SCP-060-PT somente irão se manifestar no caso de um indivíduo permanecer em seu interior por um período superior à 20 minutos. Funcionários da Força-Tarefa-Móvel-PT-60-β que foram afetados pelas propriedades anômalas primárias de SCP-060-PT foram posteriormente identificados como instâncias de SCP-060-PT-α (para mais informações, ver Adendo-060-PT-002).

No que se refere às propriedades anômalas das instâncias de SCP-060-PT-α, estas somente irão se externar caso um indivíduo faça qualquer tipo de contato com as referidas instâncias. Na ocorrência de um evento como esse, as instâncias de SCP-060-PT-α tentarão comunicar-se verbalmente para com o indivíduo que entrou em contato consigo.

As instâncias de SCP-060-PT-α, quando comunicam-se verbalmente para com um indivíduo, comumente irão solicitar por ajuda através de falas como "nos ajude", "precisamos de você", "você é único que pode fazer isso" etc.

Qualquer indivíduo que tenha entrado em contato com instâncias de SCP-060-PT-α irão posteriormente sofrer de alucinações auditivas através das quais relatam ouvir "as vozes das instâncias de SCP-060-PT-α emitindo gritos intensos e solicitando constantemente socorro". Indivíduos afetados pelas propriedades anômalas de SCP-060-PT-α alegam que as alucinações auditivas adquirem maior intensidade conforme os dias avançam. A utilização de amnésicos Classe-A e tratamento psiquiátrico intensivo para com indivíduos afetados pelas propriedades anômalas de SCP-060-PT-α mostraram-se eficientes, embora não tanto quanto a utilização destes naqueles afetados essencialmente por SCP-060-PT.

Adendo-060-PT-001: Entrevista com Cabo Rodrigo - Registro de Entrevista-060-PT

Entrevistado: Cabo Rodrigo, atualmente em tratamento psiquiátrico intensivo.

Entrevistadora: Dra. Souza.

<Iniciar Registro>

Dra. Souza: Desculpe, estamos gravando agora. Você poderia me falar novamente o que as vozes dizem? Que tipo de vozes são?

Cabo Rodrigo: (Cabo Rodrigo para por um minuto, cobrindo seu rosto com suas mãos antes de prosseguir com a entrevista) Elas são vozes de todas as idades. Crianças, adultos, idosos… elas estão ao seu redor a todo o momento. Dizem para você "libertá-las, usar a chave e deixá-las descansar em paz". Coisas assim. Além disso, elas gritam. Elas gritam muito. Puta merda, não consigo nem descrever.

Dra. Souza: Qual é a intensidade delas? Com que frequência você as ouve?

Cabo Rodrigo: Elas são recorrentes e bem intensas, como se estivessem martelando a sua cabeça, sabe? Ficam mais "agitadas" a cada dia que passa, também.

Dra. Souza: O que quer dizer com "ficam mais agitadas"?

Cabo Rodrigo: Os gritos ficam mais altos. Eles se misturam com um som de choro quase sempre. Tenho até enxaquecas por causa disso.

Dra. Souza: Qual o impacto das vozes em seu cotidiano?

Cabo Rodrigo: … Bom, é enorme. Não consigo me concentrar nas coisas como antes. Ultimamente, eu venho dormindo só duas horas por dia. Parece até que o sofrimento delas foi transferido pra mim.

Dra. Souza: Certo, certo. Há algo além disso que você queira acrescentar?
Silêncio. Cabo Rodrigo mostra-se visualmente nervoso.

Cabo Rodrigo: Eu só acho que… bom, isso é culpa nossa, Doutora. Culpa da negligência humana.

Dra. Souza: Tudo bem. Obrigado pela sua cooperação.

<Fim de Registro>


Adendo-060-PT-002: Entrevista com Cabo ████ - Registro de Áudio Recuperado pela Força-Tarefa-Móvel-PT-60-β

Entrevistado: Cabo ████, identificado como uma das instâncias de SCP-060-PT-α.

Entrevistador: Cabo Mateus.

<Iniciar Registro>

Cabo Mateus: Cabo ████, estou certo?

Cabo ████: Olha, só voltaram ao inferno. Vocês não têm ideia da merda que é aqui dentro.

Cabo Mateus: O que você quer dizer com isso? Por que você se separou de nós naquela expedição?

Cabo ████: Eles… me fizeram ficar aqui. Eu não pude ignorá-los. As vozes ficavam cada vez mais altas, isso entra na sua mente. Quanto mais eu queria sair, mais eu me senti preso. Eu precisava… salvá-los? Era isso que se passava na minha mente, pelo menos.

Cabo Mateus: O que aconteceu depois da separação?

Cabo ████: Acabei me perdendo. Eu tentei encontrar a saída, mas quanto mais eu andava, mais esse lugar mudava. Parecia que ela estava mudando sua estrutura pra me prender, tipo um labirinto. Tive a sensação de que o interior se tornou muito maior que seu exterior.

Cabo Mateus: E como você chegou a esse estado após isso tudo?

Cabo ████: Olha, você sabe o que acontece se a gente fica aqui por mais que 5 minutos. A nossa mente entra em um estado psicótico. Agora, se a gente fica aqui por mais tempo ainda, coisa diferentes acontecem dependendo do período de tempo. Eu tentei registrar isso, mas são só estimativas.

Cabo Mateus: Por favor, prossiga.

Cabo ████: Pois bem, cerca de 10 minutos aqui fazem com que o lugar fique "consciente" e se transforme num labirinto pra te prender. Uns 20 minutos aqui fazem você… voltar no tempo, eu suponho, e ficar deste jeito. Você volta pra quando este lugar nem era da nossa conta. Você não vai estar no 060-PT, mas no Hospital Colônia de Barbacena.

Cabo Mateus: Você foi transportado para qual época? O que fez ao se encontrar nessa situação? Tem alguma noção do ano em que se encontrava?

Cabo ████: Bem, quando eu voltei, eu era um paciente do instituto. Meu uniforme estava totalmente diferente, como o de um paciente mesmo, só que em um estado totalmente precário. Eu acordei numa sala de terapia de eletrochoque. Eu era o próximo. Eu estava com muitos outros indivíduos lá. Todos estavam em um estado… péssimo. Alguns convulsionando. Alguns gritando por socorro. Alguns chorando. E eu não estava muito longe disso, não. Era 1943, pelo que eu saiba, porque eu me lembro de alguém citar a data. Então, os anos se passaram e eu me tornei um "paciente" como todos os outros… ou seja, tratado que nem merda. Eu eventualmente morri, até, e então virei… parte disso, parte da anomalia.

Cabo Mateus: Certo. Obrigado por cooperar conosco.

Cabo ████ Espera, espera.

Cabo Mateus: Sim?

Cabo ████: Se vocês encontrarem alguma forma de reverter isso, eu ficaria agradecido. O que eu vi foi… é, você sabe. No fim, todo mundo aqui quer ser salvo.

<Fim de Registro>

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License