SCP-065-PT
avaliação: +13+x
blank.png

Item nº: SCP-065-PT

Classe de Objeto: Seguro

Nível de Ameaça: Branco

Procedimentos Especiais de Contenção: Todas as instâncias de SCP-065-PT devem ser mantidas no Habitat Artificial 065-A, localizado no Centro de Vivário do Sítio PT10. O local possui 200 m² de área, com altura de 4,5 m, e pode ser acessado somente pelos integrantes do Grupo 065-PT-10.

O habitat procura replicar as condições climáticas da área central da Região Centro-Oeste do Brasil, onde as entidades foram inicialmente encontradas, e também deve conter espécies vegetais nativas da região anteriormente mencionada, além de apresentar uma fonte de água corrente potável e colônias de formigas e cupins, para a alimentação das instâncias. Uma vez a cada três dias, frutos variados devem ser introduzidos no habitat para contribuir na manutenção de uma dieta balanceada de todas as entidades.

Semanalmente, o habitat deve ser analisado com o fim de identificar qualquer problema nos equipamentos que mantêm o funcionamento do local, como o sistema de iluminação, de filtragem da água corrente, de regulação da temperatura, etc. Além disso, a mesma análise deve verificar a proliferação das colônias de formigas e cupins pelo habitat, além de verificar a condição geral das espécies vegetais do mesmo. Dada a autossuficiência do sistema presente no habitat, sua limpeza deve ser feita apenas para garantir a manutenção dos equipamentos presentes no local.

O grupo diretamente relacionado ao objeto, designado 065-PT-10, é atualmente formado por três destacamentos independentes, sendo cada um deles necessário para a pesquisa, contenção e/ou manutenção da contenção das instâncias de SCP-065-PT.

065-PT-10-A é responsável pela pesquisa, testagem e análise das características anômalas de todas as entidades atualmente registradas e contidas no Sítio PT10, além de serem responsáveis pelo estudo das carapaças individuais, também contidas no mesmo local, e do Documento ZKA-065-A.

065-PT-10-B é dividido em dois subgrupos, ambos voltados para a manutenção do bem-estar das instâncias. O primeiro, B-1, visa a manutenção das espécimes em si, realizando quaisquer procedimentos veterinários com as mesmas, quando necessário, e possuindo uma ala própria no Centro Veterinário do Sítio PT10 para efetuar tais procedimentos. O segundo, B-2, tem a função de manutenir os sistemas encontrados no interior do Habitat Artificial 065-A, a fim de preservar o ambiente onde as espécimes estão contidas.

065-PT-10-C é voltado para a localização, asseguração e contenção de instâncias de SCP-065-PT ainda não contidas em território brasileiro. Este destacamento possui subgrupos na grande maioria dos sítios da Fundação Lusófona, trabalhando em conjunto com funcionários infiltrados nas mais diversas instituições privadas e públicas de preservação ambiental. 065-PT-10-C também visa estabelecer contato com membros do Clube de Caça da Fauna e Flora dispostos a auxiliarem em buscas pelas entidades, seguindo as diretrizes do Tratado de Cooperação Eventual CCFF-FL 026.

Quando um total de quinze instâncias de SCP-065-PT estiverem contidas no Sítio PT10, e consequentemente ocupando o Habitat Artificial 065-A, o Protocolo 065-HA-02 deverá entrar em efeito, possibilitando a construção de um habitat artificial idêntico ao anteriormente mencionado, podendo também suportar apenas quinze espécimes em seu interior.

As carapaças individuais devem ser mantidas na Sala de Contenção Leve 06, no Sítio PT10. Dadas as pesquisas sendo realizadas com os objetos, estes não devem ser limpos, e as espécies vegetais e fúngicas encontradas nos mesmos não devem ser retiradas. Na mesma sala, em um arquivo metálico padrão, deve ser mantido o Documento ZKA-065-A. Apenas integrantes do Grupo 065-PT-10 possuem acesso à sala de contenção.

O Documento ZKA-065-A foi digitalizado e pode ser encontrado nos sistemas dos terminais encontrados na sala de observação do Habitat Artificial 065-A, que podem ser acessados por integrantes do Grupo 065-PT-10. Qualquer tentativa de copiar e/ou exportar os arquivos do documento para algum outro terminal ou servidor não autorizado será automaticamente registrada e reprimida.


Tatu.png

Ilustração de SCP-065-PT-K, produzida pela PdI 13921, retirada do Documento ZKA-065-A.


Descrição: SCP-065-PT é a designação dada a uma espécie anômala do gênero Priodontes, fisicamente semelhante à espécie Priodontes Maximus (Tatu-Canastra). Atualmente estão registradas treze espécimes que compõem SCP-065-PT, denominadas de SCP-065-PT-A a SCP-065-PT-M. Todas as instâncias apresentam as mesmas características anômalas, sendo estas a presença de uma carapaça de composição ainda desconhecida, que se mostrou ser indestrutível, e apresentarem uma longevidade ainda indeterminada. As instâncias também aparentam desenvolver seus organismos por tempo indeterminado, sendo que a maior espécime registrada mede 1,59 m de altura e 2,13 m de comprimento, enquanto apresenta massa de 975 Kg.

As instâncias de SCP-065-PT utilizam suas carapaças como mecanismo de defesa. Dado o formato destas, as espécimes se abaixam e retraem suas cabeças ao se sentirem ameaçadas, protegendo seus organismos quase completamente, porém o resto de seus corpos ainda é vulnerável a quaisquer tipos de danos. O mesmo material que compõe suas carapaças parece ser o mesmo que se encontra na parte superior de suas cabeças e em seus rabos, porém esta teoria ainda não foi confirmada.

As instâncias de SCP-065-PT-E a SCP-065-PT-M apresentam diversas marcas em suas carapaças, além de algumas apresentarem espécies vegetais e fúngicas, que teoricamente desenvolveram uma relação de mutualismo com as instâncias. As marcas anteriormente mencionadas envolvem descolorações de certas áreas, pinturas de diferentes períodos e composições e marcas de dano1. Espécimes presentes nas carapaças aparentam se desenvolver normalmente, mesmo não tendo acesso aos nutrientes do solo. Estudos estão sendo realizados tanto nas instâncias vivas quanto nas carapaças individuais para determinar como tal processo ocorre.

Além das espécimes vivas, por meio de buscas na região, foram encontradas quatro carapaças separadas, possivelmente de instâncias falecidas ao longo do tempo, designadas de SCP-065-PT-1 a SCP-065-PT-4. Tais objetos mostram que mesmo após o falecimento das espécimes, as carapaças mantêm suas características anômalas. Dadas as marcas de danos encontradas em três instâncias vivas, uma extensa série de testes foi realizada com estes objetos a fim de tentar encontrar um meio de danificar as mesmas. Todos os testes conduzidos até o momento não foram capazes de danificar a estrutura dos objetos por meios convencionais2. Caso seja possível realizar tal feito, este documento será devidamente atualizado.

Descoberta/História: As primeiras três instâncias de SCP-065-PT foram recuperadas após registros de acidentes de trânsito próximos do quilômetro 568 da rodovia BR-163, localizada no estado do Mato Grosso, no dia 27/01/1998. Tais registros apresentavam causas distintas para os acidentes, porém todas eram consistentes na afirmação de que foram observados "tatus gigantes" no momento. Funcionários da Fundação infiltrados na Polícia Rodoviária na região não foram capazes de localizar os objetos no mesmo dia do acidente, porém equipes de contenção encontraram os mesmos no dia seguinte nas margens do Rio Arinos, que cruza a rodovia anteriormente mencionada.

A extração das primeiras três espécimes foi realizada sem nenhuma complicação, sendo sucedida por uma extensa busca na região por mais instâncias. No dia 11/03/1998, durante uma das buscas pelo Rio Arinos, entre os municípios de Itanhangá e Brianorte, funcionários da Fundação identificaram membros do Grupo de Interesse "Clube de Caça da Fauna e Flora" disparando contra duas instâncias de SCP-065-PT. O contato inicial com os membros do CCFF foi realizado no mesmo momento, sem nenhum conflito.

Após a asseguração e contenção das duas espécimes, contato entre o conselho administrativo regional do Clube de Caça da Fauna e Flora e representantes do Departamento de Assuntos Externos do Sítio PT10 estabeleceu no dia 06/04/1998 o Tratado de Cooperação Eventual CCFF-FL 026. Tal tratado determinou que o CCFF auxiliaria funcionários da Fundação na busca e contenção de instâncias de SCP-065-PT e de carapaças individuais, sob a condição de que membros do clube pudessem neutralizar apenas uma das entidades.

No dia 25/04/1998, o CCFF revogou sua condição para contribuir com o tratado anteriormente mencionado, porém ainda auxiliando a Fundação na contenção das instâncias. Membros do CCFF afirmaram que "[…] o gasto excessivo de equipamento, observado na caça dos animais, ainda se mostrou ineficaz contra os mesmos. A invulnerabilidade das espécimes os fazem irrelevantes para o Clube e tem sido motivo de conflitos internos com nossos membros, portanto o Conselho Administrativo tomou a decisão de interromper completamente a caça de ditos animais." De tal forma os termos do Tratado de Cooperação Eventual CCFF-FL 026 foram atualizados, simplesmente determinando os esforços conjuntos da Fundação e do Clube de Caça da Fauna e Flora para conter as instâncias de SCP-065-PT.

Do dia 15/02/2000 até o dia 23/05/2002 foram recuperadas um total de cinco instâncias de SCP-065-PT, todas pela região do Rio Arinos, no estado do Mato Grosso, com auxílio do CCFF. No dia 29/05/2002 o CCFF destacou a existência de um dos membros que havia deixado o clube por conta de conflitos envolvendo as instâncias de SCP-065-PT, e que possivelmente poderia estar com espécimes sob sua posse. O clube afirmou não ter conhecimento do paradeiro exato do ex-membro, registrado como PdI 13921, portanto buscas foram realizadas pela região para determinar a localização do mesmo.

O cadáver da PdI 13921 foi encontrado no dia 03/07/2002 nas margens do Rio Arinos, a menos de um quilômetro de sua residência, onde foram encontradas três instâncias de SCP-065-PT e o Documento ZKA-065-A.

Adendo: Documento recuperado após contenção das instâncias encontradas na residência abandonada da PdI 13921, localizada próxima ao Rio Arinos, Mato Grosso. O documento transcrito é um registro da interação da PdI 13921 com as instâncias anteriormente mencionadas, além de conter outras informações pessoais da mesma. Abaixo estão transcritas as partes de maior relevância para o estudo de SCP-065-PT, porém o documento completo pode ser consultado nos terminais da sala de observação do Habitat Artificial 065-A, podendo ser acessado por integrantes do Grupo 065-PT-10.



Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License