SCP-081-PT
avaliação: +12+x
blank.png

Item nº: SCP-081-PT

Classe do Objeto: Euclídeo

Nível de Ameaça: Laranja

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-081-PT deve ser mantido em uma instalação de contenção de no mínimo 5x5x2 metros feita de concreto reforçado por dióxido de titânio e acolchoadas em seu interior.

Um terreno deve ser reservada uma vez por semana para SCP-081-PT. Essa área deve simular o máximo possível um pasto verde. Guardas treinados com disparadores de redes devem ser posicionados estrategicamente nas torres de vigilância e nos muros ao redor da alocação. Essa medida diminui consideravelmente o nível de instabilidade e estresse de SCP-081-PT

Deve ser levados animais vivos para que SCP-081-PT absorva os seus ossos. SCP-081-PT recusará qualquer animal de origem bovina.

Não é permitido de forma alguma que a anomalia saia de suas instalações devido sua natureza instável.

Exigências de SCP-081-PT devem ser avaliadas pelo diretor da Área PT2 e executadas caso forem aceitas.

Descrição: SCP-081-PT aparenta ser a ossada de um Bos taurus. SCP-081-PT conta com 190 ossos, que, no total, pesam 115 kg.

Quando está em sua forma montada ele mede 2,70 metros de comprimento, 1,70 metros de altura. No entanto as suas dimensões variam indefinidamente quando em sua forma desmontada, a qual ele usa para espreitar presas. Apesar disso sua massa sempre permanece se nenhum aumento ou diminuição brusca.

SCP-081-PT é sapiente e tem inteligência média nos parâmetros humano. Apesar de não ter um sistema respiratório SCP-081-PT é capaz de falar, com um sotaque nordestino discreto, a língua portuguesa.

SCP-081-PT geralmente é amigável e cooperativo mas pode vir a atacar humanos e outros animais para suprir sua necessidade por cálcio. Sua técnica mais recorrente consiste em desmontar todo o seu corpo e espreitar no chão camuflado de um ordinário esqueleto bovino. Quando a presa se aproxima, de preferência por cima dele, seus ossos se realocam prendendo e empalando a vítima dentro de suas costelas. Em seguida a presa tem seus ossos absorvidos. Isso é possível graças a um elemento químico desconhecido secretado pelas costelas da anomalia. Esse fluido, quando em contato com ossos, que não seja de SCP-081-PT, os liquefaz permitindo a absorção do cálcio por um sulco nas costelas da ossada.

Inúmeros restos mortais, humanos e animais, foram encontrados nas locações indicadas por SCP-081-PT completamente desossados.

Em sua captura, SCP-081-PT afirmou que entrará em decaimento até seu completo desaparecimento se ficar um mês sem absorver cálcio de algum ser vivo.

Outra habilidade relevante de SCP-081-PT consiste em sua força descomunal. Um golpe feito por sua cabeça foi capaz de romper uma barra de aço maciço de 10 centímetros de espessura.

Captura:

A Fundação foi notificada por telefonema1 anônimo contendo os dados e a localização da anomalia.

A entidade foi avistada, no oeste maranhense, na zona rural. SCP-081 estava preso em uma rede similar a de pesca porém composta por fios de aço damasco, e cercada por minas terrestres decalcadas com a gravura de um peixe prestes a morder um anzol e a frase: "Nós pegamos, nós largamos. Nós ficamos com a glória e vocês com o troféu."

Durante sua captura, SCP-081-PT afirmou que seguiria com a Fundação de bom grado caso lhe fosse fornecido mensalmente fonte não bovina de animais para o seu consumo de cálcio e proteção contra o grupo que o perseguiu.

Adendo 081-PT-01: Após exigir uma reunião com os pesquisadores encarregados, SCP-081-PT afirma sobre a existência de três itens anômalos (SCP-081-PT-1, SCP-081-PT-2 e SCP-081-PT-3) que são capazes de tirar o seu livre arbítrio. Tratam-se de três línguas bovinas que dão ao seu portador o controle total de SCP-081-PT.

De acordo com SCP-081-PT esses objetos foram extraídos de seus irmãos e dele mesmo. Apesar de exigir recorrentemente para que recupere esses objetos, ele se recusa a dar maiores informações. Insistência no assunto causa pertubação, confusão mental, perda de consciência e aumento na agressividade de SCP-081-PT.

Relatório de Diálogo 08102

( Dr. Francisco e Dr. Patrick iniciam a vídeo-conferência com SCP-081-PT)

Dr. Francisco: Nós nem sabíamos que você falava. Devo admitir que estou surpreso. Mas sinceramente, isso não é tão anormal por aqui.

Dr. Patrick: Por que você nos chamou aqui mesmo?

SCP-081-PT: Humildemente eu peço a ajuda de vocês. É de interesse de vocês tanto quanto é do meu.

(Dr. Patrick anota em um bloco de notas enquanto sussurra com o Dr. Francisco)

Dr. Francisco: Prossiga!

SCP-081-PT: Preciso que recupere a língua dos meus irmãos. Eu ia pedir antes mas fiquei avexado por já estarem me alimentando.

Dr. Patrick: Especifique, por favor!

SCP-081-PT: Essas três… como é que vocês chamam? Ah é, "anomalias" né? podem me forçar a fazer o que eu não quero.

Dr. Francisco: Forçar você? Eles te controlam? Como isso começou?

SCP-081-PT: São muitas perguntas…

Dr. Patrick: Onde as línguas estão?

SCP-081-PT: Uma delas está com eles… (SCP-081-PT apresenta sinais altos de ansiedade e raiva, bufando constantemente com seus chifres direcionados ao monitor).

Dr. Francisco: Eles quem?

SCP-081-PT: Não sei quem eles são mas eles tomaram de mim… Eles tomaram… as mesmas pessoas que me perseguiram… Eles… Eles não merecem… (SCP-081-PT se mostra extremamente perturbado e começa a se mover erroneamente)

Dr. Francisco: Essa pessoa, tem alguma coisa a ver com…

Dr. Patrick:Ok. A gente vai parar por aqui, Francisco.

Dr. Francisco: Desculpa mas eu tenho que perguntar!

Dr. Francisco: Essas pessoas que você disse estar com um dos itens…

(SCP-081-PT perde o controle e quebra o monitor presente em sua unidade de contenção.)

<Fim dos registros>

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License