SCP-1076
avaliação: +2+x

Item n°: SCP-1076

Classe de Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: Cada espécime de SCP-1076 deve ser mantido em uma cela sem mobília e sem janelas com 1.5 m X 2 m X 2.5 m. Comida deve ser providenciada três (3) vezes ao dia.1 Roupa de cama e instalações de encanamento não são necessárias. Insonorização não é estritamente requerida, porém deve ser providenciada caso possível, para reduzir o estresse psicológico dos guardas. Um (1) guarda armado deve ser posicionado em cada cela, selecionados dentre os funcionários sem filhos menores de 21 anos de idade.

Experimentos com espécimes de SCP-1076 requerem autorização de nível 3 e aprovação por escrito que é determinada através de um registro psiquiátrico completo. Em nenhuma circunstância será concedido à autorização para pesquisadores com filhos menores de 21 anos de idade.

Devido ao seu comportamento territorial, espécimes devem ser mantidas separadas à todo momento. Para garantir isto, é recomendado que não seja mantido duas espécimes no mesmo edifício.

Descrição: Instâncias de SCP-1076 aparentam ser crianças de 3 à 5 anos de idade, aparentemente sujos e com cabelo longo e embaraçado, estando descalços e vestindo roupas esfarrapadas. Examinações físicas superficiais revelaram sinais de desnutrição moderada à desnutrição grave, assim como contusões e cicatrizes consistentes com abusos físicos. Espécimes de ambos os sexos tem sido encontradas, normalmente aparentando ser da etnia majoritária do seu local de descoberta.

Espécimes parecem compreender comunicação, mas não demonstram quaisquer sinais da habilidade de comunicação verbal. As vocalizações se limitam a grunhidos simples, suspiros e (quando perturbados) gritos altos e soluços. Espécimes são relutantes em encarar qualquer indivíduo, tendendo a olhar para baixo na falta de estímulos externos. Os objetos respondem perguntas simples acenando afirmativamente ou negativamente com a cabeça.

Encontros inicias com espécimes de SCP-1076 ocorrem quando um pai2 descobre a "criança" em um estado de sofrimento aparente. Estes incidentes ocorrem isolados, além de não haver nenhum caso com testemunhas. Sujeitos afetados reportaram uma "sensação esmagadora de pena" pela espécime e em todos os casos registrados, os sujeitos levaram as instâncias para suas casas.

Assim que estabelecidos na casa, SCP-1076 começará a monopolizar à atenção dos pais para a exclusão dos filhos dos próprios pais. Os filhos começaram a apresentar sinais de negligência e desnutrição, tornando-se depressivos, enfadados e começaram a sentir-se esquecidos. Comportamentos problemáticos como absenteísmo escolar e fuga, tornam-se frequentes, no que pode atrair atenção de autoridades escolares ou de agentes da assistência social. Durante investigações, tais autoridades se tornaram obcecadas no bem-estar de SCP-1076 e subsequentemente ignoram os filhos.

Uma infestação de SCP-1076 acabam com a morte do pai e de outros cuidadores, devido aos indivíduos negligenciarem seu próprio bem-estar para cuidar das espécimes de SCP-1076, eventualmente sucumbindo por fome ou por enfermidades. Em alguns casos, onde a Fundação foi capaz de conter a infestação antes disso ocorrer, sujeitos separados das espécimes se tornaram violentos ou ficaram em um estado próximo da catatonia e repetidas vezes exigiam poder reunir-se com seu "bebê".

Caso duas espécimes de SCP-1076 se encontrem, irão atacar um ao outro com o máximo de força possível, usando dentes e unhas para isso, até que um ou ambos morram. Qualquer funcionário que testemunhe tal ataque deve ser tratado por causa de possíveis traumas psicológicos.

Solicitação 1076-1: Dr.███████ tem solicitado acesso para uma espécime de SCP-1076 para vivissecção. Solicitação negada no atual momento, devido à análises menos invasivas estarem com suas conclusões pendentes.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License