SCP-1104
avaliação: 0+x
blank.png

Item nº: SCP-1104

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: A destruição completa de SCP-1104 é endossada, caso os meios adequados sejam desenvolvidos. Enquanto instâncias individuais de SCP-1104 são facilmente exterminadas, SCP-1104 é endêmico às formações geológicas subterrâneas no noroeste ████████, tornando a população primária (presumida) de SCP-1104 inacessível a agentes letais convenientes. Uma área circunjacente de 10 km de diâmetro foi designada como Sítio-104 e isolada do público sob o pretexto de preservação de espécies ameaçadas de extinção. Os funcionários devem usar máscaras de filtragem de ar N100 enquanto estiverem no Sítio-104. Organismos mamíferos com mais de 10 kg (exceto equipe autorizada pela Fundação) entrando no Sítio-104 devem ser considerados como contaminados e incinerados nas instalações do local.

Descrição: SCP-1104 é uma espécie provisoriamente identificada como membro da ordem Chelicerata. O ciclo de vida de SCP-1104 compreende de pelo menos duas fases distintas, sendo a primeira um estágio larval de aproximadamente 0,4 mm de diâmetro. Em intervalos irregulares, as larvas SCP-1104 são expelidas de tubos de lava no Sítio-104 em concentrações de até 200 indivíduos por metro cúbico. Elas permanecem no ar por até 14 horas e foram documentadas que viajam pelo menos ██ km em condições climáticas favoráveis.

Quando inaladas, as larvas aderem à mucosa nasal, onde excretam uma série de antagonistas dos receptores H1 que suprimem a inflamação local e a implantação de outras larvas. Durante um período de 6-8 meses, SCP-1104 crescerá e estenderá apêndices através dos canais etmoidais do hospedeiro. Os hospedeiros geralmente não sabem da presença de SCP-1104, além de dores de cabeça persistentes, mas não específicas. Durante a maturação, SCP-1104 começará a aplicar pressão aos nervos ópticos do hospedeiro, causando obstrução do campo visual central. Essa pressão é aplicada seletivamente quando o hospedeiro não está orientado para o gradiente local de sulfeto de hidrogênio atmosférico, que SCP-1104 pode detectar através das inalações do hospedeiro. Após um período inicial de angústia, o hospedeiro começará a preferir enfrentar e viajar nas direções onde não experimenta distúrbios visuais, rastreando assim a fonte do sulfeto de hidrogênio. Ao atingir uma zona de concentração de sulfeto de hidrogênio suficiente, SCP-1104 projeta apêndices no córtex pré-frontal do hospedeiro, causando inconsciência durante a qual SCP-1104 sai do hospedeiro pela cavidade ocular. Após deixar um hospedeiro, SCP-1104 tenta localizar e entrar na fonte de sulfeto de hidrogênio, como um tubo de lava ou esgoto. O ciclo de vida subterrâneo de SCP-1104 não foi documentado.

Embora os humanos exibam a mesma aversão instintiva que qualquer animal aos distúrbios visuais causados por SCP-1104, a resposta comportamental não é uma compulsão e os hospedeiros podem desafiar a influência, especialmente se informados sobre a natureza de SCP-1104 (observe que a hostilidade subsequente em relação à equipe de pesquisa deve ser antecipada). As tentativas de remover cirurgicamente ou envenenar um SCP-1104 totalmente desenvolvido resultam na elicitação imediata de sua resposta de saída. Os hospedeiros pós-saída não exibem espontaneidade completa devido a lesões orbitofrontais e, até o momento, não forneceram informações pertinentes no interrogatório.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License