SCP-116
avaliação: +1+x

Item nº: SCP-116

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-116 é mantido em uma cela de 16 por 16 metros, construída com Kevlar, com revestimento de borracha porosa em todas as superfícies. Nenhum funcionário deve entrar na cela sem ser instruído apropriadamente e sem medidas de redução de risco (ver Apêndice III). A cela deve ser monitorada a todo momento por 6 agentes, 4 estacionados nos cantos da cela e 2 estacionados com SCP-116. Nenhum objeto pontiagudo ou equipamento intrusivo de teste de qualquer tipo deve estar em posse dos agentes dentro da cela. O monitoramento externo é feito através de câmeras-botão ocultas da classe VBS05 distribuídas no alto dos cantos da cela. O monitoramento externo deve ser conduzido por mais 2 agentes. Se atividade suspeita se iniciar, inicializar procedimento Aquiles ∆. Todos os agentes de monitoramento, internos ou externos, devem fazer testes de QI duas vezes ao mês assim como análises psiquiátricas semanais. Quedas significativas no QI dos agentes (≥ 5 pts.) devem ser consideradas exposição prolongada e tratadas como definido nas instruções de Quarentena.

Descrição: SCP-116 tem a aparência externa de um homem caucasiano de cerca de 9 anos de idade. A pele está cauterizada e com cicatrizes em mais de 98% do corpo, membros e cabeça. A estrutura óssea de SCP-116 é drasticamente diferente do esquema ósseo padrão do Homo sapiens, e todos os ossos são perigosamente frágeis. A diferença mais distinta entre o corpo humano e o de SCP-116 é a não existência de ligamentos no objeto. SCP-116 é inteiramente capaz de movimento independente, mas para fazer isso causaria múltiplas fraturas em todos os ossos afetados pelo movimento. Para combater isso, SCP-116 demonstra notável auto-reparação, e em um período de minutos consegue regenerar completamente sua disposição óssea rígida. SCP-116 demonstrou alguma capacidade de comunicação desde que foi adquirido; no entanto, o único idioma que fala é uma versão quebrada e retorcida do inglês, em que cada palavra é substituída por outra totalmente sem conexão. Tentativas prolongadas de encontrar sentido nas falas de SCP-116 resultaram na degradação mental de longo termo nos pesquisadores. Parece não haver padrão para a substituição de palavras, e tentativas de traduzir continuam. As pesquisas sugerem que SCP-116 seja capaz de um baixo nível de telepatia, o que deteriora as funções cerebrais da vítima em um longo período de tempo.


Apêndice I:

Sgto. █████ ████ [19-0529]

Memorando: 29 de maio, ████

Assunto: Desenvolvimento de tendências suicidas de SCP-116

IMP: SCP-116 começou a demonstrar tendências suicidas extremas. Requiro modificação do monitoramento e protocolo de contenção para evitar danos indevidos ao objeto.


Apêndice II:

Dr. ███████ ███████ [19-1429]

Notas de linguagem de SCP-116: 19 de junho, ████

A configuração linguística única de 116 é de crescente interesse para mim. Pesquisas contínuas realizadas por minha equipe e eu forneceram estes resultados relativamente básicos:

arquivo anexado – 116linguística_aA0.001.doc

Não foi encontrado motivo claro para 116 comunicar-se dessa forma. Embora as palavras ditas por ele sejam inglês, os parâmetros sob os quais ele opera são drasticamente diferentes. Nenhuma tentativa foi feita de produzir linguagem escrita por SCP-116 ainda, devido às anomalias na estrutura óssea. Até falar pode ser um desafio extremo para 116, apesar de seus receptores nervosos estarem habituados por experiência. Tomei um interesse especial por esse objeto, visto que a forma que ele reage ao inglês normal é notável. É óbvio que o que falamos soa tão truncado para ele quanto o que ele responde para nós (se é que isso faz algum sentido). Em todos os meus anos no Sítio-19, nunca vi nada linguístico como isso. Continuarei estudando e registrando o que encontrar.


Apêndice III:

Ten. ██████ ██████ [19-0349]

Memorando: 30 de junho, ████

Assunto: Procedimento para, e relacionado a, preocupantes novas tendências suicidas demonstradas por SCP-116.

i) Nenhum equipamento sólido com peso superior a 3,6 kg deve ser levado para dentro da cela.

ii) Todos os guardas internos devem ter seus dentes caninos lixados até estarem completamente suavizados.

iii) Nível de segurança deve ser elevado para rT5; revista completa em todas as cavidades do corpo e raio-X antes da entrada na cela ser permitida.

iv) Se qualquer asfixia ou hipóxia estiver parecendo afetar SCP-116, reanimação de emergência deve ser administrada por guardas internos.

Sugestão registrada de que SCP-116 deva ser conectado a um sistema de manutenção de vida mesmo sem estar sob risco de morte, para prevenção de extermínio não-intencional.


Apêndice IV:

Sgto. █████ ████ [19-0529]

Memorando: 11 de julho, ████

Assunto: 'Interrupção de pesquisa re: SCP-116'

Toda e qualquer pesquisa relacionada a SCP-116 deve ser imediatamente suspensa até segunda ordem. Dr. ██████, pesquisador principal do idioma e da telepatia letárgica de SCP-116, deve ser removido e mantido em confinamento solitário até que todos os sintomas de sua demência e esquizofrenia tenham se dissipado. Todos os funcionários envolvidos com SCP-116 devem ser submetidos a quarentena até segunda ordem. Transplantes completos de medula devem ser realizados em todos os agentes que tiveram contato tátil com SCP-116. Registrada sugestão de interrupção do protocolo de guardas internos.


Apêndice V:

Cel. █████ ████ [20-0212]

Assunto: 'Interrupção do projeto SCP-116'

Memorando: 20 de março, ████

Dadas as tendências suicidas de SCP-116, seus efeitos deletérios em funcionários envolvidos e a ausência de progressos significativos nas pesquisas, proponho que permitamos que SCP-116 se auto-extermine em um ambiente controlado. Essa coisa se provou, até agora, um desperdício de recursos infrutífero. Talvez exames póstumos possam nos fornecer respostas que não pudemos obter até o momento.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License