SCP-1193
avaliação: 0+x

Item n°: SCP-1193

Classe de Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: O buraco contendo SCP-1193-01 deve ser tampado com uma grade de aço de tungstênio contendo uma abertura de endoscopia de 2,5 cm que possa ser trancada. Em intervalos de 48 horas, o buraco deve ser endoscopicamente inspecionado até uma profundidade de 4 km por manifestações adicionais de SCP-1193-01. Aparelhos de monitoramento sismográfico estão fixados em profundidades de 2, 7, e 11 quilômetros no buraco de SCP-1193-01. Leituras sísmicas consistentes com movimentação subterrânea devem ser imediatamente reportadas ao Diretor de Sítio Iqbal. No evento de brecha de contenção subterrânea, funcionários de contenção devem executar o Protocolo 473a, cortando SCP-1193-01 abaixo do quinto cotovelo e enchendo as porções remanescentes do buraco com concreto pressurizado.

O porão contendo SCP-1193 deve ser monitorado o tempo inteiro por um interrogador da Fundação. SCP-1193-02 deve ser atendido durante ou antes do terceiro toque; o interrogador deve tentar provocar respostas autodirigidas de SCP-1193-01. Respostas que impliquem tamanho corporal, plano corporal, localização ou manifestações adicionais devem ser gravadas no Documento SCP-1193-2-LTR.

Descrição: SCP-1193-01 é um braço humano geneticamente normal de comprimento não-usual, localizado em um cano de drenagem dentro do porão de uma estação de troca de telefones em Scottsdale, Arizona. Dez centímetros abaixo da grade de drenagem, o braço termina em uma mão humana comum de gênero indeterminado. Durante inspeção inicial, se acreditava que o braço se extendia pelo cano de drenagem até uma profundidade de 35 metros. Investigação endoscópica posterior demonstrou que o braço se extende até uma profundidade de pelo menos 71 quilômetros, passando sem dificuldade aparente pela descontinuidade de Mohorovičić e pelo manto superior, com cotovelos espaçados regularmente a cada quatro quilômetros. Cotovelos abaixo de uma profundidade de 26 quilômetros são levemente retroflexos para acomodar uma dobra de noventa graus em direção ao sul no cano de drenagem. Investigação endoscópica continuada no buraco de SCP-1193-01 está suspensa devido a restrições de engenharia atualmente intransponíveis.

Comunicações via SCP-1193-02, majoritariamente se referindo ao forno e geladeira de SCP-1193-01, indicam que SCP-1193-01 pode não ter termorrecepção normal, e que não experiencia nenhum desconforto substancial embora temperaturas no buraco passem de 674 graus Centígrados.

SCP-1193-02 é um telefone GPO 746, amarelo topázio, fabricado em 1971. Suas dimensões impedem que tenha sido entregue ao local pelo buraco; a presente teoria da equipe de contenção é de que tenha sido instalado na superfície com o propósito de comunicação com SCP-1193-01. Instalação foi conduzida por indivíduos desconhecidas, de maneiras desconhecidas, com propósitos desconhecidos. O disco rotatório foi colado em uma posição, deixando-o inadequado para fazer chamadas. O objeto está ligado a uma linha de par torcido convencional que entra no cano contendo SCP-1193-01 e descende paralela a SCP-1193-01 até endoscopia não ser mais praticável.

Entre 0838 e 1034 horas Horário de Phoenix todo dia útil, o telefone irá tocar cinco vezes. Se atendido, uma voz não identificada irá voluntariamente entrar em uma conversa com funcionários da SCP. A voz no outro fim da linha invariavelmente afirma ser um ser humano, e regularmente confunde o indivíduo no outro fim da linha com uma figura de autoridade. Interrogação até agora foi portanto relativamente descomplicada. Notáveis paralelos existem entre informações providenciadas via SCP-1193-02 e fatos demonstráveis sobre SCP-1193-01. Até agora, informações anômalas recebidas via SCP-1193-02 incluem:

  • Referências a características humanas, mas um plano corporal anômalo.
  • Referências a insensibilidade a frio ou calor.
  • Referências a ‘um primo’ ou outro parente, que logo chegará para ‘[o] buscar’
  • Referências a desconforto ou tédio no confinamento.
  • Referências a eventos sísmicos menores no complexo de falhas Little Chino
  • Referências a desconforto em ter uma extremidade ou outra parte do corpo presa, como em algemas, um pote de geleia, um cano, gesso ortopédico, e em um caso, uma toca de roedores.

Presentemente, dados relacionados ao tamanho, forma física, e plano corporal de SCP-1193-01 além das partes visíveis por investigação endoscópica devem ser considerados provisórios. Para protocolos de contingência e dados de testes fisiológicos, consultar Documento RTMR-Delta.

Transcrição SCP-1193-2-LTR-7:

<Começar Gravação, 03/23/2008, 9:48 AM>
Dr. Iqbal: Bom dia. Poderia me dizer quem está ligando?
SCP-1193-01: David.
Dr. Iqbal: E onde você está agora, David?
SCP-1193-01: [Inaudivel.] Desculpa — quem está falando?
Dr. Iqbal: Dr. Hassan Iqbal, director de pesquisa.
SCP-1193-01: Oh. Do hospital?
Dr. Iqbal: [Pausa] Sim.
SCP-1193-01: Então, quando que o gesso sai?
Dr. Iqbal: Perdão?
SCP-1193-01: O gesso. No meu braço de baixo. Quando que sai?
Dr. Iqbal: Eu devo entender que você tem… gesso ortopédico… no seu braço de baixo? Não entendo. Qual braço é este?
SCP-1193-01: O de baixo. Você pode tirar? Eu já estou no hospital há três meses. Acho que já deveria estar na hora.
Dr. Iqbal: Você diz que está em um hospital agora?
SCP-1193-01: Você deveria saber. Você que me pôs aqui.
Dr. Iqbal: Acho que você está me confundindo com outra pessoa.
SCP-1193-01: Olha, se você não consegue me ajudar, ponha alguém que saiba do que está falando na linha.
Dr. Iqbal: Temo que eu seja o único aqui.
SCP-1193-01: Ótimo. Só me avise quando alguém competente pegar o telefone.
CHAMADA ENCERRADA
<terminar gravação>

Transcrição SCP-1193-2-LTR-8:

<Começar Gravação, 03/24/2009, 9:52 AM>
SCP-1193-01: Maldição. Maldição. Maldição.
Dr. Iqbal: Alô?
SCP-1193-01: Alô? Você consegue me ouvir?
Dr. Iqbal: Quem é? Onde você está?
SCP-1193-01: [Inaudível.] Pelo amor de Deus, estou preso no fogão, cara. Chame os bombeiros.
Dr. Iqbal: O fogão? Você está… perdão, o fogão?
SCP-1193-01: Sim, o fogão. Entrei nele para pegar uns bolos, e não consigo voltar para fora.
Dr. Iqbal: Você… entrou no fogão… para pegar uns bolos? Estou ouvindo corretamente?
SCP-1193-01: Tá apertado aqui. Jesus.
Dr. Iqbal: Você está… a temperatura é desconfortável?
SCP-1193-01: A o quê?
Dr. Iqbal: Temperatura. Você está sentindo dor?
SCP-1193-01: Não tenho ideia sobre o que você está falando. Você pode chamar os malditos bombeiros? Minhas costas. Jesus Cristo, minhas costas.
Dr. Iqbal: Eu sou a única pessoa aqui.
SCP-1193-01: Não aguento mais isso. Caralho. Desculpa. Vou ligar pro meu primo agora.
SCP-1193-01: Mil desculpas. Isso não é culpa minha.
CHAMADA ENCERRADA
<terminar gravação>

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License