SCP-121
avaliação: +1+x
09-43.png

Uma instância ativa de SCP-121-1

Item nº: SCP-121

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: O Sítio de Contenção-83 foi estabelecido fora de SCP-121 para alojar pessoal dedicado à contenção de SCP-121. O perímetro de SCP-121 deve permanecer cercado da área ao redor, com guardas estacionados em volta do perímetro em todos os momentos. Guardas devem portar uniformes militares locais e permanecer altamente armados a qualquer hora. O revezamento de guardas deve ocorrer de poucas em poucas horas.

A população ao redor deve estar informada de que SCP-121 está em quarentena devido à persistente presença de material nocivo. Sinais de alerta devem ser posicionados a setenta e cinco (75), cinquenta (50) e vinte e cinco (25) quilômetros ao longo das estradas que levam até SCP-121 para prevenir invasores. Civis que se aproximarem do perímetro de SCP-121 devem ser lembrados da quarentena e forçados a deixar o local; aqueles que resistirem devem ser detidos para serem interrogados.

No evento de civis que se aproximarem testemunharem uma instância ativa de SCP-121-1 ou -2, amnésticos de Classe-A devem ser administrados. Todos os dados meteorológicos relacionados ao efeito anômalo de SCP-121 devem ser censurados, e SCP-121 foi determinada uma zona de exclusão aérea para prevenir o conhecimento de SCP-121, -1 e -2.

A Força-Tarefa Iota-71 ("Destruidores de Lares") do Sítio foi estabelecida e permanentemente designada ao Sítio de Contenção-83 para responder a ameaças de SCP-121-2. Eles devem escoltar pesquisadores interessados em estudar as instâncias não-hostis de SCP-121-2, assim como neutralizar quaisquer instâncias que tiverem chegado a tamanhos potencialmente letais. No evento de uma tentativa de quebra de contenção, Iota-71 deve auxiliar guardas do perímetro na neutralização da instância de SCP-121-2.

Quaisquer construções dentro de SCP-121 que se desenvolverem em SCP-121-1 devem ser registradas e monitoradas a todos os momentos para se observar a transição para SCP-121-2. Instâncias de SCP-121-2 que se tornarem inerentemente hostis com a transição devem ser neutralizadas; no entanto, instâncias passivas podem continuar a permanecer no perímetro de SCP-121 para pesquisas até que tenham chegado a um tamanho perigoso demais para contenção ou se tornem hostis, ao ponto em que devem ser neutralizadas.

Descrição: SCP-121 é a região ocupada pela antiga cidade de ███████, Colorado. A cidade era o lar de cerca de 6.800 habitantes antes da implementação do atual protocolo de contenção, e possui por volta de 3.000 construções, tanto residenciais quanto comerciais. Nuvens sobre SCP-121 parecem incapazes de penetrar uma área de cerca de doze (12) quilômetros de diâmetro, e dão a volta em torno da área; especula-se que isso é relacionado ao alcance do efeito de SCP-121, mas não há certeza até o momento. Construções em SCP-121 irão esporadicamente1 se desconectar de seus alicerces e subir pelos ares. Neste ponto, as construções passam a ser designadas SCP-121-1.

Instâncias de SCP-121-1 sobem até uma altura aleatória de no mínimo quarenta e cinco (45) metros. Independente do estado anterior da construção, portas e janelas são trancadas e qualquer potencial ponto de entrada é barricado por móveis no interior. Entradas arrombadas evidenciaram uma temperatura ambiente aumentada de cerca de 35 °C e umidade relativa de cerca de 65%, sem haverem quaisquer outras propriedades anômalas. Instâncias de SCP-121-1 encerrarão a suspensão depois de um período mínimo de dez semanas, mas não ficam no ar por mais de quinze semanas após esse período. As instâncias não mostram nenhum nível anormal de durabilidade, e a destruição quase completa de SCP-121-1 no impacto com o chão é comum. Depois do impacto, os escombros das instâncias de SCP-121-1 conterão um objeto oval de aproximadamente 1,2m x 1,2m x 2m composto de materiais consistentes com a mobília contida dentro da casa.2 O objeto começará a mover-se por conta própria; neste momento, passa a ser referido como SCP-121-2.

junkasauros.png

Uma instância crescida de SCP-121-2

SCP-121-2 começará a formar um aglomerado com os materiais próximos, incluindo escombros de SCP-121-1, flora, automóveis e (em casos raros) outras construções. SCP-121-2 continuará a atrair objetos até que forme um corpo de materiais de nove (9) metros de altura, ao passo em que o corpo se tornará animado e parece adquirir níveis de senciência. SCP-121-2 pode, a este ponto, começar a simular a ingestão de outros materiais, para continuar crescendo em um ritmo consideravelmente mais lento. A ingestão parece ser pelo único propósito de continuar crescendo, já que certas instâncias passaram períodos de tempo prolongados sem materiais. Sabe-se que certos itens se ligaram a SCP-121-2 instantaneamente, independente do tamanho e da falta da simulação de ingestão.

Instâncias de SCP-121-2 normalmente lembram animais capazes de locomoção terrestre, mas já tomaram formas humanas e formas que não lembram nenhum animal conhecido. São primariamente dóceis, e normalmente não demonstram hostilidade contra funcionários, a não ser que sejam provocadas. No entanto, é sabido que instâncias de SCP-121-2 já se formaram com agressividade e comportamento territorial inatos; também foram observados casos do comportamento ter se desenvolvido após o acúmulo de certos itens, incluindo armas de fogo, armas brancas e, em um exemplo, a cabeça empalhada de um urso.

SCP-121 veio à atenção da Fundação quando autoridades locais receberam uma enxurrada de relatos de uma residência anteriormente abandonada "voando pelo céu" repentinamente. A cidade foi evacuada com a desculpa de um vazamento de material nocivo e a residência foi observada. Assim que a instância de SCP-121-1 transicionou para SCP-121-2, SCP-121-2 foi rapidamente neutralizado. Seguido da neutralização, outra instância de SCP-121-1 se desenvolveu3, e a cidade foi permanentemente evacuada e contida.

Incidente 121-A: Em 04/11/98, um som descrito como uma "sirene abafada" foi ouvido por aproximadamente cinco (5) minutos. Uma instância ativa de SCP-121-1 foi repentinamente impactada por uma força imensa após o som, causando o colapso prematuro da construção enquanto suspensa, antes do tempo mínimo de dez semanas. Houveram relatos de cidades vizinhas ouvirem o som; a imprensa local foi informada de que a equipe de quarentena estava sendo evacuada devido a uma elevação temporária de níveis tóxicos. A causa do som é atualmente desconhecida; mais estudos são recomendados.

Três semanas após o som e a destruição de SCP-121-1, os escombros finalmente caíram até o chão. Dentro dos destroços estavam os restos do objeto oval observado em SCP-121-2, além de traços de escória de alumínio.

Incidente 121-B: Em 09/05/12, um Dodge Caravan modelo 1991 foi visto suspenso no ar a cinquenta e três (53) metros. Vigilância interna é atualmente impossível, devido às janelas estarem obscurecidas por algo que parece ser tecido de lã. Recomendam-se novas observações do veículo.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License