SCP-125-PT
avaliação: +8+x
blank.png
1gckoc9d5zo01.jpg

SCP-125-PT, com SCP-125-PT-1 em seu estado inativo, antes do Incidente 125-PT-A

Item nº: SCP-125-PT

Classe de Objeto: Seguro Neutralizado

Nivel de Ameaça: Branco

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-125-PT atualmente se encontra no escritório do Diretor do Sítio Manuel Corrino, no Sítio PT██. SCP-125-PT se encontra pendurado na parede do escritório diretamente em frente à sua mesa, a pedido do próprio Diretor, por razões estéticas e sentimentais.

Descrição: SCP-125-PT se tratava de uma cópia idêntica de uma pintura emoldurada que mostrava a imagem de Dom Pedro II, antigo imperador do Brasil. SCP-125-PT apresentava sinais de degradação física, que já estavam presentes quando encontrado pela Fundação. SCP-125-PT contia SCP-125-PT-1, que se refere à figura de Dom Pedro II que estava representada na pintura. SCP-125-PT-1 era senciente e inteligente, capaz de conversar com funcionários da Fundação, principalmente com o Diretor de Sítio Manuel, cuja presença agradava SCP-125-PT-1. SCP-125-PT-1 geralmente falava com tom melancólico, expressando sua insatisfação por ser parte de uma pintura.

SCP-125-PT-1 era fluente em português brasileiro, porém, com base no que diversas entrevistas provaram, não aparentava ter as memórias e nem a consciência do verdadeiro Dom Pedro II. Isso e o fato de SCP-125-PT-1 sempre ter falado com um português moderno, levaram a Fundação a acreditar que SCP-125-PT-1 foi criado e/ou recebeu consciência recentemente, embora a pintura em si seja relativamente antiga.

SCP-125-PT-1 podia se mover livremente pela pintura, processo qual a Fundação compreende pouco. Ao se mover, SCP-125-PT-1 mudava as cores da pintura em que residia para simular movimento, criando uma espécie de "vídeo físico". SCP-125-PT-1 também tinha total controle sobre a pintura, muitas vezes mudando o cenário em que estava ou criando novos objetos ou até mesmo seres vivos, através do mesmo processo. Tais seres vivos não compartilhavam das mesmas propriedades anômalas de SCP-125-PT-1 ao serem projetados por ele, embora que ainda pudessem ser movimentados livremente por SCP-125-PT-1, simulando vida.

Lista de cenários já projetados por SCP-125-PT-1:

  • Um planalto
  • Um deserto
  • Uma savana
  • A cafeteria do Sítio PT██
  • A praia de Copacabana
  • A superfície de Marte

Lista de seres vivos já projetados por SCP-125-PT-1:

  • Um cachorro
  • Um cavalo
  • Uma árvore do período paleolítico
  • Diretor do Sítio Manuel Corrino
  • SCP-███-PT
  • Várias instâncias de SCP-███-PT
  • [DADOS EXPURGADOS]

A cada 16 horas, SCP-125-PT entraria em um estado inativo, onde o cenário da pintura retornaria ao cenário original e SCP-125-PT-1 ficaria paralisado e não iria mais interagir com outros indivíduos. SCP-125-PT continuaria nesse estado por 8 horas, quando então SCP-125-PT-1 voltaria ao seu comportamento habitual. SCP-125-PT-1 se referia a este processo como "dormir".

Descobrimento: SCP-125-PT foi encontrado em 14/03/2012, em uma casa abandonada antiga em Ouro Preto, Minas Gerais. Após relatos de jovens se encontrando com um suposto "quarto assombrado", a Força Tarefa Móvel PT62-ρ "Assusta-Espíritos" foi enviada para investigar a residência. SCP-125-PT foi encontrado no quarto principal da casa, onde também foram encontrados SCP-126-PT, SCP-███-PT e SCP-███-PT. As propriedades anômalas dos itens foram estabelecidas e SCP-125-PT foi recolhido.

A seguir estão alguns dos diversos Registros de Entrevistas com SCP-125-PT-1:

Adendo - Incidente 125-PT-A: Durante uma brecha de contenção no Sítio PT██, SCP-███-PT escapou de sua câmara de contenção e começou a circular pelo Sítio, matando ██ funcionários em seu caminho e eventualmente chegando ao escritório do Diretor do Sítio Manuel Corrino, que estava se escondendo. SCP-███-PT avistou o Diretor Manuel e o atacou. Durante o combate, vários objetos foram danificados ou derrubados, inclusive SCP-125-PT, que caiu da parede em que estava pendurado. SCP-███-PT conseguiu ferir o Diretor gravemente, quando acidentalmente pisou em SCP-125-PT no chão. Quando SCP-███-PT tocou SCP-125-PT, o objeto passou por um processo até então inédito, no qual SCP-███-PT aparentou lentamente se converter em óleo e tinta, de baixo para cima, sendo puxado para dentro de SCP-125-PT. Acredita-se que este processo ocorreu devido ao desejo de SCP-125-PT-1 de salvar o Diretor. É desconhecido se SCP-125-PT-1 estava escondendo esta sua propriedade da Fundação, ou se foi despertada instintivamente. Após SCP-███-PT ser puxado por completo para dentro de SCP-125-PT, o objeto era capaz de se mover livremente, assim como SCP-125-PT-1. SCP-███-PT atacou e matou SCP-125-PT-1. Após o falecimento de SCP-125-PT-1, SCP-125-PT aparentou perder todas suas propriedades anômalas, com SCP-███-PT sendo paralisado no cenário original da pintura.

SCP-125-PT agora mostra uma imagem de SCP-███-PT atacando SCP-125-PT-1, no exato momento de sua morte. Após diversos testes serem realizados para determinar se SCP-125-PT havia de fato perdido todas suas propriedades anômalas, o objeto foi declarado Neutralizado. O Diretor do Sítio Manuel Corrino pediu permissão para pendurar SCP-125-PT na parede de seu escritório novamente, que foi concedida.

Documento SCP-125-PT-001:

Eu me tornei alvo de diversas piadas graças ao luto que sinto em relação a SCP-125-PT-1. Também estou cansado de ser questionado sobre o assunto, então estou anexando esta mensagem ao artigo de SCP-125-PT, para os que estão perdidos, a fim de livrá-los de qualquer confusão. O que vocês não parecem entender, é que SCP-125-PT-1 não era um simples objeto, um monte de óleo e tinta anômalos, SCP-125-PT-1 era uma pessoa, com pensamentos e sentimentos. Eu sabia mais disso do que ninguém. Ele me contava sobre como se sentia na sua antiga casa, como detestava não poder conversar com mais ninguém. Ele me disse que não sentia isso comigo, que podia conversar o quanto quisesse e nunca se sentia entediado ou cansado. Ele me contou do medo que sentia de passar a eternidade num quarto mal-iluminado, sem poder sair do lugar. Ele disse que sentia inveja de mim, por poder apreciar o mundo com todos os meus cinco sentidos. Disse que jamais compreenderia como é viver em uma terceira dimensão, poder sentir o calor do sol, ou o frio da chuva. Eu o via como um funcionário da Fundação, meu colega, e meu amigo. Então não, eu não me sinto envergonhado de estar deprimido com sua morte, não estou decepcionado comigo mesmo por sentir falta de um objeto anômalo e muito menos vou abrir mão de SCP-125-PT. Por mais que a pintura me lembre do dia em que eu perdi meu amigo, também me lembra de todos os outros incontáveis dias em que ele esteve comigo. Você não precisa ser do Comitê de Ética pra sentir empatia pelos outros.

-Diretor do Sítio Manuel Corrino

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License