SCP-1351
avaliação: +1+x
imagem%201.jpg

**Fig.1: Interior de SCP-1351, com quatro membros da Expedição 01.

imagem%202.jpg

Fig.2: A mesma imagem, porém com coloração falsa para indicar a localização dos membros da expedição. Figuras amarelas se localizam no "chão" relativo a câmera enquanto as figuras vermelhas se localizam no "teto" relativo a câmera. As linhas verdes indicam o limite entre os campos locais de gravidade.

Item nº: SCP-1351

Classe de Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-1351 é contido no local embaixo do teto de um santuário de morcegos com uma cerca de perímetro padrão e placas avisando acesso restrito a pessoal não-autorizado. A equipe de segurança permanente deve ser disfarçada como Vigias do Parque Nacional dos Estados Unidos e/ou espeleólogos civis. A estrada de acesso a entrada de SCP-1351 deve ser marcada com um "veículos autorizados apenas para combinar estradas de parques próximos que não estão abertas ao publico em geral.

Funcionários encarregados de SCP-1351 deve seguir os seguintes protocolos subterrâneos padrões:

-Todos os funcionários devem operar em grupos de não menos que quatro pessoas. Cada pessoa deve estar equipada com no mínimo, três fontes de luz ( uma do qual não deve depender de baterias). Se algum membro do grupo ficar em perigo, pelo menos um individuo deve permanecer com o individuo em perigo enquanto pelo menos dois indivíduos vão buscar ajuda.

-Funcionários devem avisar verbalmente pelo menos dois indivíduos (tipicamente, o oficial de segurança local e o supervisor de pesquisa em serviço) de seu destino estimado em SCP-1351 e seu estimado tempo de retorno, em adição com sua documentação por escrito.

-Funcionários devem também portar comida, água e equipamentos de primeiros socorros em o dobro do necessário para seu estimado tempo dentro de SCP-1351.

-Qualquer individuo que se veja perdido ou separado deve permanecer onde está e esperar até ser encontrado.

O diretor atual do Serviço de Parques Nacionais dos Estados Unidos e o atual Superintendente do Parque Nacional Mammoth Cave devem ser informados da importância de manter a contenção; informações mais distantes relacionadas com SCP-1351 e a Fundação devem ser disseminadas a esses indivíduos apenas em acordo com a devida autorização do Comando O5.

Devido aos surtos de SCP-███-EX1, comumente referido como a "síndrome do nariz-pálido", qualquer pessoa que entrar em SCP-1351 deve se submeter a descontaminação biológica. Nenhuma das vestimentas, calçados ou objetos pessoais que adentraram outras cavernas desde 2006 devem ser permitidas de adentrar SCP-1351 para prevenir a propagação dos esporos de fungos que se é acreditado ser associado com SCP-███-EX. Previamente a entrada e após a saída de SCP-1351, todas as pessoas devem andar por tapetes de bio-segurança feitos de nylon saturados em uma solução de limpeza. Por consistência, é recomendado que os tapetes de bio-segurança e a solução de limpeza sejam as mesmas usadas pelo parque (atualmente, LysolTM Limpador Desinfetante Quartenário). Isso está em acordo com os protocolos para a contenção de SCP-███-EX lançados publicamente designados Protocolo de Descontaminação WNS 15.03.2012

Descrição: SCP-1351 é uma caverna localizada no Parque Nacional Mamooth Cave, no estado Americano de Kentucky. A seção principal da caverna tem aproximadamente 30 km de distância. Nenhuma conexão direta entre SCP-1351 e Mamooth Cave foi descoberta ainda, embora ainda existam possibilidades. Como a maioria das cavernas ao redor, SCP-1351 aparenta ter sido esculpido por estratos de calcário cobertos por arenito da era-Mississipiana, resultando em alguns poucos depósitos de escorrimentos.

SCP-1351 é anômalo por três razões:

Primeiro, ele é acessível por meio de uma cúpula no teto de uma seção de cavernas 125 metros abaixo do solo( Ver Fig. 3), porém a altura da cúpula (~750 metros) exigiria que SCP-1351 estivesse bem acima da superfície. Apesar da inconsistência, SCP-1351 parece ser subterrâneo; Espeleologistas que trabalham para a fundação ainda não determinaram uma explicação satisfatória para esse fenômeno.

imagem%203.jpg

Fig.3: Entrada para a secção principal de SCP-1351, como observado da parte não-anômala da caverna. A entrada é aparentemente um domo que se extende por 750 metros para cima pelo teto da secção não-anômala da caverna até o piso de SCP-1351. Nota: A profundidade da secção não-anômala é de apenas 125 metros abaixo da superfície.

Segundo, o interior da caverna tem apenas uma única superfície (o chão) e um único componente limitando-a (uma parede). Ao longo dos vários quilômetros em comprimento da caverna, o chão se contorce para se tornar o teto, enquanto um dos muros se contorce para se tornar o outro muro, se assemelhando a uma Fita de Möbius. A gravidade local é orientada para o andar mais próximo; uma faixa escura no parede rochosa mostra a localização da fronteira entre os campos gravitacionais locais. No momento,a causa dessa distorção espacial incomum não é conhecida.

Terceiro, anomalias temporais foram observadas em relação a SCP-1351, embora funcionários mais recentes da Fundação não sofreram esse efeito. Para mais detalhes, veja os adendos 2 e 3. Não foi mostrado um padrão consistente.

Adendo 1: História moderna de SCP-1351: A caverna pelo qual SCP-1351 é acessível se abriu a superfície quando um deslizamento em 1993 revelou uma entrada natural. SCP-1351 foi descoberto em 1995 por espeleologistas do Serviço Nacional de Parques que estavam mapeando a caverna para ver se ela se conectava com o sistema padrão de cavernas no parque. Esses cientistas foram subsequentemente secundados pela Fundação depois de um teste de subsolo padrão e um acordo de não-divulgação. Três equipes expedicionárias (01, 02 e 03) realizaram pesquisas no interior de SCP-1351 entre 1995 e 2002, determinando que a caverna é segura o suficiente para a presença de pesquisas permanentes. Operações de pesquisa estão atualmente, em progresso.

imagem%204.jpg

Fig.4: Fotografia tirada na Expedição 1351-1925.

Adendo 2: Expedição 1351-1925: Em 23 de abril de 2009, uma equipe de seis homens e duas mulheres, sob o comando do Major Mortimer S. Cornelius III, emergiu de SCP-1351(Ver Fig.4) Eles foram detidos pelos funcionários de segurança da Fundação. Entrevistas revelaram que eles eram um grupo de exploradores despachados pela Fundação no Agosto de 1925, e gastaram apenas dezoito horas dentro da caverna, dentro de suas perspectivas. Suas vestimentas e equipamentos foram precisos para o período na caverna, e eles aparentemente possuíam documentos autênticos apoiando suas afirmações. Contudo, não existem registros de nenhum dos membros da expedição ou da própria expedição, e como SCP-1351 ficou desconhecido até 1995, eles estão sendo detidos indefinidamente. Para mais informações, entre em contato com o Agente Supervisionário Especial Thomas na Área-19.

Adendo 3: Descoberta de Restos da Expedição 1351-2030: Em 10 de Junho de 2011, pesquisadores da Fundação descobriram restos mortais de quatro Humanos adultos em um poço na secção 07A de SCP-1351. Esses restos foram mumificados e preservados pelo nitrato de cálcio presente na caverna; datação por carbono indica que os restos mortais tem mais de sete mil anos de idade. Um dos corpos possui duas pernas quebradas, enquanto outro tem o braço esquerdo quebrado.
Não houve causa óbvia de morte para nenhum dos sujeitos.

Sujeito 1: Masculino, 1,98 metros de altura, cabelos morenos, estrutura óssea facial sugere descendência Caucasiana, Fraturas expostas pré-morte em ambas as tíbias. Plaquetas de identificação emitidos pela Fundação identificam o sujeito como Dr. Nicholas Lusk, numero de identificação [REDIGIDO].
Sujeito 2: Masculino, 1,86 metros de altura, ruivo, estrutura óssea facial sugere descendência Caucasiana, fratura simples pré-morte na ulna esquerda. Plaquetas de identificação emitidos pela Fundação identificam o sujeito como Dr. Lionel Dunbar, numero de identificação [REDIGIDO].
Sujeito 3: Feminino, 1,60 metros de altura, cabelos morenos, estrutura óssea facial sugere descendência japonesa. Nenhuma lesão aparente. Plaquetas de identificação emitidos pela Fundação identificam o sujeito como Dra. Asuka Miyamoto, numero de identificação [REDIGIDO].
Sujeito 4: Feminino, altura estimada de aproximadamente 1,64 metros de altura. Cabeça ausente, incisão pós-morte localizada acima da vértebra C4. Nenhuma localização encontrada ao redor do corpo.

Os corpos estavam vestidos em um uniforme sintético formado de macacões de espeleologia com equipamentos com a tecnologia estimada a ser equivalente ao tipo de tecnologia que se espera existir em meados da década de 2030. Entre os equipamentos havia uma câmera de vídeo danificada com baterias previsivelmente descarregadas. Esforços para alimentar a câmera de vídeo e recuperar as informações documentadas foram [DADOS EXPURGADOS].

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License