SCP-136

[[module Rate]]

Item nº: SCP-136

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: Não é necessário nenhum procedimento extraordinário de contenção. SCP-136 deve ser mantido em uma câmara de contenção padrão feita de concreto com medidas de 10 m x 10 m x 10 m. SCP-136-1 deve ser mantido em uma caixa transparente de plástico, medindo 0,5 m x 0,5 m x 0,5 m, colocada sobre uma mesa no centro da câmara. Não são necessárias filmagens de segurança enquanto SCP-136 não estiver sendo examinado ativamente. Desde o Incidente I-136-c (ver Relatórios de Incidentes), somente funcionários Classe D podem entrar na câmara de SCP-136 mais de uma vez a cada trinta dias sem autorização do Diretor ██████.

Descrição: SCP-136 não produz efeitos em não-humanos.

SCP-136 descreve dois fenômenos. SCP-136-1 possui aparência variável, mas geralmente se manifesta como um boneco tosco feito de argila, madeira, metal ou tecido, normalmente identificado como do sexo feminino e normalmente medindo entre 10 a 30 cm de altura. O boneco apresenta o sexo masculino em cerca de 10% dos casos.

SCP-136-1 não possui propriedades fora do comum que possam ser medidas empiricamente. Espectrometria da massa de amostras tiradas do boneco não apresentam resultados diferentes dos esperados nos respectivos tipos de material. Quando o boneco é danificado a ponto de não mais representar a forma humana - normalmente após a remoção da cabeça ou de todos os membros - desaparece completamente e reaparece, com uma nova aparência, em algum ponto a até um (1) metro de distância. Testes envolvendo vaporização completa estão pendentes.

SCP-136-2 se manifesta somente quando SCP-136-1 é observado por aproximadamente vinte (20) minutos e, como SCP-136-1, possui uma forma um pouco variável. O primeiro indício da presença de SCP-136-2 é o som da risada de um indivíduo de gênero correspondente ao de SCP-136-1. Funcionários que ouviram a risada a descreveram como sendo "assustadora" ou "arrepiante". A risada dura por um intervalo de cinco segundos a dois minutos, após o qual há um período de silêncio de aproximadamente cinco minutos. Após o período de silêncio, SCP-136-2 surge ao mesmo tempo que SCP-136-1 desaparece abruptamente.

SCP-136-2 é uma forma humana incorpórea nua, com gênero correspondente ao de SCP-136-1. SCP-136-2, cujo tamanho varia de 1,9 a 2,1 metros, sempre se posiciona de forma provocante e se desloca pelo ar a uma velocidade bastante lenta (0,2 m/s) na direção do(s) indivíduo(s). Se mais de uma pessoa estiver no local, cada uma delas verá a forma se movendo em sua direção. Conforme se aproxima, o volume de sua risada aumenta. Quando SCP-136-2 se encontra a 1 ou 2 metros, o indivíduo afetado invariavelmente terá sido paralisado de medo, desmaiado ou acuado contra uma parede. SCP-136-2 geralmente permanece imóvel até chegar a cerca de 5 cm do indivíduo, neste momento, grita uma vez e desaparece. Após dez ou quinze segundos, SCP-136-1 reaparece em sua localização anterior, mas com outra aparência.

A aparição possui uma aparência bastante perturbadora. Sua boca é exageradamente larga, paralisada em um ricto entre a dor e a excitação. Ocasionalmente, a forma mostra seus dentes ou lambe seus lábios. Seus olhos são quase completamente dominados pelas irises e parecem insanos e vermelhos. Quando assume o gênero feminino, a forma possui uma cintura absurdamente fina e seios volumosos. A experiência de ver SCP-136-2 é profundamente perturbadora e causa universalmente terrores noturnos por até seis meses em todos os indivíduos que visualizaram o objeto, possivelmente como resultado de sua intromissão psíquica. Após visualizar o objeto, a maioria dos indivíduos é incapaz de deixar a câmara de contenção por conta própria. Interessantemente, funcionários Classe D com históricos de desvios sexuais ainda manifestam fortes reações negativas a SCP-136-2.

SCP-136-2 nunca foi visto se movendo além do espaço de sua câmara de contenção. Ver Relatório de Incidente I-136-a.

Informações Adicionais:

SCP-136 foi descoberto em um quarto infantil de uma casa abandonada em [DADOS EXPURGADOS], relatada como sendo assombrada. Uma busca de rotina em casas relatadas desta forma feita por funcionários da Fundação descobriu SCP-136, após a queda, aos gritos, do Agente ████ da janela do segundo andar.

Relatórios de Incidentes:

Incidente I-136-a, ██/██/19██

Dr. Simon foi o vigésimo quinto indivíduo a observar SCP-136-2, e o quarto a fazê-lo voluntariamente. O procedimento de observação seguiu de forma normal, sem anomalias. Aproximadamente duas horas após observar SCP-136-2, Dr. Simon, que se encontrava na sala de descanso com outros pesquisadores, gritou e derrubou sua caneca de café. Ele indicou de forma incoerente que era capaz de ver SCP-136-2 flutuando pelo corredor em sua direção. Dr. Morrison e Dr. Harrison o imobilizaram, pressupondo que se tratava do resultado da experiência traumática. Após cerca de dois minutos, todos os indivíduos presentes na sala caíram, inconscientes. Dr. Soboya foi o primeiro a despertar e acordar seus colegas. Dr. Simon entrou em coma, e faleceu três dias depois.

— Dr. Meyers solicita reclassificação para classe de objeto Keter.
— Reclassificação como Keter negada. Não podemos descartar a possibilidade de que este infeliz incidente tenha sido causado por outro SCP telepático.

Incidente I-136-b, ██/██/20██

Aconteceu hoje de novo. O Agente ████ enfiou alguns Classe D na câmara, e ficou do lado de fora, com █████. 136 fez o que sempre faz, e eu estava ajudando eles a arrastar os Classe D pra fora da câmara quando tudo ficou preto. Eu acordei com o Agente █████ me dando um tapa e três Classe D em coma. Essa coisa está matando pessoas. Não aprendemos nada de novo com ela em dez anos, e não tem como usarmos ela pra nada. Eu solicito que encontremos um jeito pra rescindir 136, talvez colocar um SCP psíquico junto com ela. Sabemos que queimá-la não vai adiantar nada.
— Dr. Meyers

Solicitação de rescisão negada. 136 possui utilidade em interrogatórios avançados.

Incidente I-136-c, ██/██/20██

Agora isto está fora de controle. Vocês todos viram o que aconteceu, caramba, todo mundo num raio de milhares de metros nunca vai esquecer [DADOS EXPURGADOS], e o Classe D que estava na câmara desapareceu e ninguém sabe como. No mínimo, precisamos avaliar os Classe D mais rigorosamente antes de expô-los, assim teríamos descoberto que ele era [DADOS EXPURGADOS] com antecedência. Graças a Deus descobrimos o que ativou a coisa. Solicito reclassificação como Keter e permissão para rescindir SCP-136.
— Dr. Meyers

Solicitação negada. Dr. Meyers deve ser removido da administração de SCP-136. O controle sobre SCP-136 deve ser concedido diretamente ao Supervisor ██████ e ao Dr. ███████, para ser utilizado exclusivamente em interrogatórios avançados.

Artigo Original//Traduzido por membros do site: http://scp-pt.wikidot.com

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License