SCP-143-PT
avaliação: +10+x
blank.png

2/143-PT NÍVEL 2/143-PT

RESTRITO

classified-lv2.png

Item nº: SCP-143-PT

Classe do Objeto: Seguro

Nível de Ameaça: Amarelo

71J7lq6.jpg

Imagem da Ponte Rio-Niterói.

Procedimentos Especiais de Contenção: Devido à natureza de SCP-143-PT, sua contenção se dá impedindo que militares que ocupavam cargos políticos durante o regime militar brasileiro entre os anos 1970 e 1985 cruzem a Ponte Presidente Costa e Silva, popularmente conhecida como a Ponte Rio-Niterói. Experimentos envolvendo SCP-143-PT devem ser autorizados por um pesquisador Nível 4 e, devido à natureza anômala de SCP-143-PT, devem ser iniciados com a ponte fechada ao público.

A Força-Tarefa Móvel PT31-π — "Trolls da Ponte" deve constantemente monitorar os indivíduos que se encaixam nos critérios para provocar um evento SCP-143-PT-2 e que estejam na cidade do Rio de Janeiro ou de Niterói. Caso o indivíduo em questão esteja seguindo uma rota que leve para a Ponte Rio-Niterói a FTM PT31-π deve imediatamente começar esforços de desviar a rota do mesmo para fora da ponte para caso isso se confirme.

Descrição: SCP-143-PT é a designação dada à dimensão análoga à Ponte Rio-Niterói definida como sendo uma ponte aparentemente infinita, sendo SCP-143-PT-2 o fenômeno que ocorre quando um militar que ocupava cargos políticos no antigo governo militar brasileiro cruza a Ponte Rio-Niterói. A maioria dos dados obtidos sobre SCP-143-PT foi obtida pela antiga Superintendência Brasileira do Paranormal e estão inclusos neste artigo.

Um evento SCP-143-PT-2 começa com uma densa neblina se formando sobre a Ponte Rio-Niterói, com a visibilidade caindo para apenas 10 metros de distância. O veículo em que estiver o indivíduo que provocou o evento assim como todos os veículos dentro de um raio de 40 metros do mesmo são transportados para SCP-143-PT. A partir deste momento o indivíduo que provocou o evento passa a ser designado como SCP-143-PT-3 e este será o alvo de instâncias de SCP-143-PT-1.

Instâncias de SCP-143-PT-1 são descritas por sobreviventes como sendo estátuas de concreto de homens que aparentam ser operários que trabalharam na ponte, em posições que transmitem agonia. Indivíduos próximos às instâncias de SCP-143-PT-1 ouvem gritos, choros e pedidos de ajuda, assim como sentem uma sensação de sufocamento.

Inicialmente a instância de SCP-143-PT-1 não olhará para o indivíduo, porém, dado tempo o suficiente, esta irá olhar para o indivíduo e imediatamente atacar, apenas sendo capaz de se mover enquanto algum indivíduo olha para a instância, seja por contato visual direto, seja através de vídeo, porém a instância irá sempre dar prioridade a SCP-143-PT-3.

Enquanto um indivíduo não estiver olhando para a instância de SCP-143-PT-1 essa irá constantemente pedir para que esse olhe para a instância. Caso um indivíduo esteja fazendo contato visual com SCP-143-PT-1 e essa for incapaz de alcançá-lo, a instância eventualmente irá se acalmar e voltar a emitir gritos, choros e pedidos de ajuda, exceto caso o indivíduo em questão seja SCP-143-PT-3.

Instâncias de SCP-143-PT-1 foram observadas matando suas vitimas de múltiplas formas, incluído mas não limitado a: fazendo uso de ferramentas de construção; estrangulamento; socos; entre outros.

Vitimas de SCP-143-PT descrevem esse como uma ponte aparentemente infinita, sendo impossível ver o final dela devido a uma densa neblina constantemente ofuscando a visão. Pesquisadores da SBP que tentaram retornar no sentido contrário ao que iam quando o evento SCP-143-PT se iniciou alegadamente viajaram por dias até finalmente SCP-143-PT-3 morrer.

É deduzido que um evento de SCP-143-PT-2 é capaz de selecionar apenas um indivíduo como SCP-143-PT-3 por vez, sendo geralmente aquele que ocupava o cargo mais alto no regime militar.

Pessoas mortas por instâncias de SCP-143-PT-1 são transformadas em instâncias de SCP-143-PT-4, que consiste em uma estátua de concreto que, quando abertas, revelam os órgãos do indivíduo em um estado dormente.

Eventos SCP-143-PT-2 sempre ocorrem a partir da █ª coluna de sustentação da ponte, a mesma onde se encontram os corpos de operários que foram enterrados em concreto. Investigações estão em andamento no momento para se certificar se há alguma correlação entre esses eventos e os operários mortos.

Veículos e outros objetos levados junto com as vítimas de um evento SCP-143-PT-2 devem ser considerados efetivamente perdidos para SCP-143-PT, visto que os mesmos só se materializam novamente na Ponte Rio-Niterói se em contato com o indivíduo quando este for libertado de SCP-143-PT.

Tentativas de escapar de SCP-143-PT sem ser pela morte de SCP-143-PT-3 se demostraram inúteis em todos os experimentos, tendo sido registrados experimentos em que equipes viajaram por múltiplas semanas ou até meses até a eventual morte de SCP-143-PT-3 por uma instância de SCP-143-PT-1 ou outras causas. Tentativas de escapar de SCP-143-PT pelo oceano também se demonstram inúteis, resultando nos indivíduos indo parar em um oceano aparentemente infinito.

SCP-143-PT foi descoberto em 1974 pela SBP, 9 dias antes de sua inauguração ao público, quando o general █████ ████ desapareceu juntamente com um grupo de operários ao cruzar a ponte para fins desconhecidos. Imediatamente foram acionadas operações de busca e investigações, até que outro general desapareceu novamente na ponte.

5 dias após o desaparecimento do general, 3 dos operários que o acompanhavam foram encontrados juntos a 4 estátuas de concreto, sendo uma delas o general desaparecido, imediatamente a SBP foi acionada e os operários questionados.

Experimentos conduzidos pela SBP comprovaram a natureza anômala da ponte e membros políticos do regime militar brasileiro passaram a ser impedidos de cruzar a ponte sem permissão, incluindo membros da SBP.

Inicialmente havia planos de Emílio Garrastazu Médici, 28º presidente do Brasil e terceiro do regime militar brasileiro, cruzar a ponte em sua inauguração devido à escala e importância da obra. Temendo-se pela segurança do presidente, a SBP preparou um sósia adequado para tomar o lugar do presidente durante a inauguração, assim como para outros indivíduos de alta importância que estariam acompanhando o presidente e que apresentavam probabilidade notável de provocar um evento SCP-143-PT-2.

Enquanto SCP-143-PT-3 não for morto, os demais sujeitos continuarão sob o efeito de SCP-143-PT.

Abaixo segue uma lista de risco para cada patente do governo militar produzida pela antiga SBP baseada em experimentos. Esses dados podem não estar precisos, visto o baixo número de cobaias utilizadas em alguns dos experimentos. Algumas cobaias foram obtidas pela SBP promovendo pessoas tidas como de menor interesse.

Patente Risco
Marechal Desconhecido
General de Exército Desconhecido
General de Divisão Desconhecido
General de Brigada Inconclusivo
Coronel Inconclusivo
Tenente-Coronel 70-90%
Major 72-80%
Capitão 70-75%
Primeiro-Tenente 63-70%
Segundo-Tenente 55-60%
Aspirante 50-55%
Subtenente 40-43%
Primeiro-Sargento 36-39%
Segundo-Sargento 20-22%
Terceiro-Sargento 10-11%
Cabo 5%
Soldado 0.1-1%

Adendo SCP-143-PT-01: Abaixo segue um redirecionamento para um relatório de explorações relevantes recuperado dos arquivos da SBP.

Arquivo SBP Nº196 - Relatório de Exploração, Anomalia Dimensional Nº298

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License