SCP-150
avaliação: +5+x
isopod.jpg

Instância de SCP-150 extraída do cérebro de D-13732, aumentada 20x.

Item nº: SCP-150

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: Pacientes SCP-150 mantidos para estudo devem ser contidos em Celas de Contenção de Risco Biológico Nível-3, com não mais de 1 instância por cela. Culturas de SCP-150 são contidas em frascos de vidro selados a vácuo no laboratório de materiais infecciosos do Sítio-42. Procedimentos padrões de manipulação de patógenos devem ser seguidos em todos os momentos. Quaisquer instâncias de SCP-150 encontradas fora da área de contenção devem ser incineradas.

Descrição: SCP-150 é um parasita obrigatório que se assemelha ao peixe-comedor-de-língua (Cymothoa exigua), mas é adaptado para formar relações simbióticas conjuntivas com humanos durante um período de sua vida útil. Em contato com um sujeito humano, SCP-150 incorpora-se profundamente na carne do seu hospedeiro. Ao longo de aproximadamente sete dias, o parasita irá enterrar-se em seu hospedeiro e efetuará numerosas alterações fisiológicas.

A alteração principal é a conversão gradual do membro mais próximo do local infeccionado em um anexo quitinoso: enquanto SCP-150 consume a carne de seu hospedeiro, ele excreta tecido que substitui e aumenta a funcionalidade do membro do hospedeiro sem causar rejeição de transplante. Suspeita-se que SCP-150 é capaz de secretar substâncias anestésicas e imunossupressantes para prevenir o corpo do hospedeiro de responder às mudanças. Além disso, o tecido nervoso excretado por SCP-150 é capaz de interagir com o sistema nervoso do hospedeiro. Quando o processo estiver concluído, o hospedeiro poderá controlar o membro afetado sem perda de mobilidade e frequentemente com força, reflexos e resiliência melhorados.

Durante um período de uma à duas semanas, SCP-150 irá reproduzir-se, alimentando-se com nutrientes de veias sanguíneas assimiladas e depositando ovos1 nas mesmas. Os ovos são depositados por todo o corpo humano através da corrente sanguínea - enquanto a grande maioria deles morrem, o sufiente sobrevive para começar a colonizar e alterar o resto do corpo do hospedeiro. Embora indivíduos relatem desconforto e perda ocasional de controle motor durante esse processo, eles geralmente não reconhecerão a causa do desconforto mencionado. Ainda não é claro o porquê da prole não competir entre si por espaço ou recursos, nem como o processo de assimilação deixa os mecanismos e processos de sinalização celular do corpo não afetados. SCP-150 se reproduz durante este processo de assimilação: Enquanto os pulmões são assimilados, mais ovos são produzidos e espalhados pela tosse do paciente. Embora até 10.000 ovos possam ser produzidos durante esse tempo, é estimado que apenas 1% deles consigam encontrar um novo hospedeiro, dos quais apenas 1% sobrevivem a resposta imune do hospedeiro e se implantam com sucesso.

Embora SCP-150 inevitavelmente resulta na assimilação e alteração do sistema nervoso central, incluindo a medula espinhal e o cérebro, a consciência e o comportamento do hospedeiro aparentemente não são afetados. Entrevistas com sujeitos infectados por SCP-150 renderam pouca informação, visto que sujeitos infectados que desconhecem SCP-150 afirmam não sentir mudanças ou melhorias em certos sentidos e faculdades. Enquanto os sujeitos conscientes da infecção são capazes de identificar a origem da mudança, eles exibem poucos ou nenhum sentimento negativo e frequentemente expressão positividade em relação à mesma.

Adendo 150-E: Transcrição da Leucotomia Exploratória e Experimentos de Transformação do Tecido Nervoso

Dois sujeitos Classe-D, D-13732 e D-016002, foram infectados com SCP-150 e permitidos progredir em todos os estágios da infecção. A fim de examinar o efeito total da infecção, neurocirurgias exploratórias foram realizadas em ambos os sujeitos. D-13732 foi eutanasiado; descobriu-se que seu tecido nervoso foi inteiramente substituído por instâncias menores de SCP-150. As instâncias compondo a sua matéria cerebral foram extraídas e armazenadas para experimentação em D-016002.

A craniotomia e leucotomia descompressiva a seguir foram realizadas por Dr. Harlan Sun, Dr. Wendy Robin, e Dr. Alex Harlow em D-016002. Uma transcrição completa segue.

<Iniciar Registro, 21:43>

(D-016002 está parcialmente anestesiada para que não sinta a perfuração inicial do crânio. O processo ocorre sem intercorrências, embora Harlow relate esperar menos resistência do crânio enquanto perfuram e cortam uma aba do mesmo. Ao remover o retalho de osso e expor a dura-máter, numerosas instâncias menores de SCP-150 são observadas na cavidade craniana onde o cérebro deve estar. Harlow relata isso à Robin, que alerta Sun para iniciar o processo da entrevista enquanto ela marca áreas do cérebro da D-016002 em uma projeção de mapeamento.)

Dr. Sun: Qual é o seu nome?

D-016002: Mako [REDIGIDO].

Dr. Sun: Nomeie algo em que se possa sentar.

D-016002: Cadeira.

Dr. Sun: Qual é a cor da grama?

D-016002: Verde.

Dr. Sun: Quanto é um mais um?

(D-016002 faz uma pausa por um momento.)

D-016002: Dois.

Dr. Robin: Nós marcamos a localização aproximada da área de Wernicke2.

Dr. Harlow: Obrigado, Doutor. Sun, eu vou extrair alguns dos espécimes desta área agora.

(Dr. Harlow cuidadosamente faz uma incisão na dura-máter e extrai algumas das instâncias da área usando um fórceps. Ele coloca cada instância em um frasco de vidro, fecha o mesmo com uma rolha, e coloca-o em um estande próximo. Cada instância aparenta acordar e começam a se contorcer somente após serem removidas. Esse processo demora aproximadamente 10 minutos, durante esse tempo Sun faz as mesmas perguntas repetidamente para D-016002. Assim que Harlow extraiu aproximadamente 100 instâncias, ele gesticula para Sun continuar.)

Dr. Sun: Nomeie algo em que se possa sentar.

D-016002: Hã… hã, sentar.

Dr. Sun: Qual é a cor da grama?

D-016002: Verde?

Dr. Sun: Quanto é um mais um?

D-016002: …dois.

Dr. Sun: Observação para registro de que as respostas de D-016002 foram ligeiramente mais lentas. Isso indica que as instâncias no interior de sua cavidade cranial estão de fato atuando como análogos neuronais, embora não seja claro quantos neurônios cada instância equivale.

Dr. Harlow: Eu estou colocando uma amostra de tecido neural adquirida de D-13732 em D-016002 agora. As instâncias de D-13732 foram marcadas com um corante luminescente radioativo para distinguí-las para extração mais tarde.

Dr. Sun: Nomeie algo em que se possa sentar.

D-016002: Sofá.

Dr. Sun: Qual é a cor da grama?

D-016002: Azul.

Dr. Sun: Quanto é um mais um?

D-016002: Dois.

Dr. Sun: Quanto é dez vezes onze?

D-016002: Cento e onze.

Dr. Sun: As respostas de D-016002 retornaram à velocidade normal. Isso sugere que é possível que tecido nervoso 150 seja trocado livremente entre indivíduos hospedeiros sem rejeição. Iniciaremos agora o procedimento final. D-016002, você receberá um anestésico geral completo.

(D-016002 é sujeita a um anestésico geral, que leva vários segundos para fazer efeito.)

Dr. Sun: A paciente está agora sob anestesia total. Dr. Harlow, você pode começar o processo de extração de tecido. Para este procedimento final, nós tentaremos substituir completamente o tecido cerebral de D-016002 com o de D-13732. Préviamente, durante a exploração da cavidade cranial de D-13732, o Dr. Harlow e eu observamos que as instâncias conectando a sua matéria cerebral à sua matéria espinhal não foram protegidas de maneira alguma, e, de fato, pareciam estar alternando posições com outras instâncias no cérebro. Nós veremos até que ponto esta compatibilidade se estende.

(Há silêncio durante a próxima hora enquanto os Drs. Harlow, Sun, e Robin removem o topo do crânio de D-016002 e começam a extrair a sua matéria cerebral em um grande recipiente de vidro.)

Dr. Sun: Extração completa. A matéria cerebral de D-016002 foi removida com sucesso. Dr. Harlow agora está colocando a matéria cerebral de D-13732 na cavidade cranial exposta de D-016002.

(Silêncio por vários minutos.)

Dr. Robin: Frequência cardíaca estável. Temos pulso e respiração. Espere mais um pouco… certo. Eu vou acordá-la.

(Há uma pausa enquanto o Dr. Robin reduz a anestesia e D-016002 desperta.)

Dr. Sun: Qual é o seu nome?

D-016002: Michael [REDIGIDO]3.

Dr. Harlow: (levemente ouvido no fundo) Jesus.

Dr. Sun: Nomeie algo em que se possa sentar.

D-016002: Pufes.

Dr. Sun: Qual é a cor da grama?

D-016002: Verde.

Dr. Sun: Quanto é um mais um?

(Um patinhar silencioso pode ser detectado pelo microfone.)

Dr. Robin: Ei, hã, Sun —

D-016002: Dois.

Dr. Robin: Sun, olha.

(O cérebro de D-016002 é mostrado se movendo por conta própria, movimentando-se sutilmente para frente e para trás.)

Dr. Harlow: Bem… isso é novo.

Dr. Sun: Você sente alguma dor em algum lugar do seu corpo?

D-016002: O meu peito está meio pesado. O resto parece o mesmo.

Dr. Sun: Bom saber disso. Agora, o que é —

D-016002: Ei, eu geralmente me sinto bem energético, mesmo antes de cirurgias, mas estou meio cansado agora. Ultimamente, tenho me exercitado antes de dormir, mas como não posso aqui, tudo bem se eu só descansar um pouco?

Dr. Sun: Descansar?

D-016002: Tipo, três, cinco minutos. Posso fazer isso aqui se não tiver problema. (Uma pequena porção do topo do cérebro de D-016002 se parte antes de fazer um som gorgolejante. Após a porção se fechar, seções do cérebro de D-016002 retraem-se rapidamente. Os olhos de D-016002 fecham.)

Dr. Sun: Isso não parece bom. (Dr. Robin se afasta da operação, fazendo sons de ânsia de vômito enquanto sai da sala.)

Dr. Harlow: D-016 - ah, D-13732, você está bem?

D-016002: Sim. (boceja) Estou bem, por que pergunta?

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License