SCP-174-PT
avaliação: +7+x
blank.png

Item nº: SCP-174-PT

Classe do Objeto: Euclídeo

Nível de Ameaça: Roxo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-174-PT deve ser mantido na Área PT5, na cela 43-G, localizada 1,5 km abaixo do solo. Interações com o item são expressamente proibidas e infratores dessa imposição estarão sujeitos a ação disciplinar e potencialmente extermínio. O item deve ser monitorado apenas através de meios remotos e de forma limitada. Abastecimento com provisões é dispensado, assim como a disponibilização de ar respirável. Sistemas automatizados de pulverização e limpeza devem ser instalados na cela e acionados semanalmente para evitar o acúmulo dos restos mortais de SCP-174-PT-Ω.

Descrição: SCP-174-PT é um cone de 1,64 m de altura, 1,22 m de diâmetro da base e com massa de 947 kg. O material que constitui o objeto é desconhecido e altamente resistente, sendo a coleta de amostras possível apenas mediante o uso de uma broca de diamante especializada. Ainda, a região danificada pela ferramenta se regenera a uma taxa de 2 mm por segundo, tornando perfurações profundas impraticáveis.

scp174pt

SCP-174-PT e SCP-174-PT-Ω.

O corpo externo de SCP-174-PT é composto por oito anéis circulares, uma base, e um cume translúcido. Cada anel é capaz de rotacionar independentemente ao redor do eixo do cone e apresenta uma série de indentações de diferentes formatos1. Uma coluna de símbolos sempre será formada ao longo da geratriz do cone, cada combinação de símbolos responsável por um efeito nocivo a SCP-174-PT-Ω, sendo uma combinação gerada espontaneamente por dia e precisamente às 18:00 BRT. Usando como base o número de símbolos em cada anel, presume-se que existam 2.612.736 combinações possíveis.

SCP-174-PT-Ω é um organismo humanoide de 2,27 m de altura e com massa de 178 kg. Apesar de sua anatomia interna ser idêntica à de um ser humano do sexo masculino comum, o organismo apresenta uma série de alterações biomecânicas de funções desconhecidas e espalhadas ao longo da superfície de seu corpo. Quando não separada cirurgicamente de SCP-174-PT, a entidade se encontra constantemente ligada ao objeto cônico em suas costas, causando grande dificuldade de locomoção a SCP-174-PT-Ω. Tentativa de remover SCP-174-PT do organismo resultou em severos danos para a Filial Lusófona, assim como tentativas de interferência no ciclo de ativação do objeto, e por isso requerimentos para experimentos adicionais com o objeto são automaticamente negados.

SCP-174-PT-Ω não é capaz de se comunicar oralmente mas apresenta elevado nível de inteligência, sendo capaz de aprender linguagens assim como se expressar, porém inconsistentemente, em um conjunto de símbolos remetentes ao idioma egípcio antigo. Apesar de possuir considerável força física, a entidade se mostra pacífica e até mesmo cooperativa para com os funcionários. Tal fato se dá, provavelmente, pelas constantes propriedades lesivas causadas por SCP-174-PT, que mantêm SCP-174-PT-Ω em um ciclo de sujeição a efeitos físicos e psicológicos danosos e revitalização forçada2. Até o momento, o funcionamento de SCP-174-PT não foi totalmente compreendido.

Descoberta: SCP-174-PT e SCP-174-PT-Ω foram encontrados no litoral do município de Maricá, Rio de Janeiro. Testemunhas relatam o evento em que a entidade emergiu das ondas e se manteve estática e deitada na costa por numerosos minutos, seguido pela coleta do item pela Filial Lusófona em ██/██/19██, 20:33. Por se encontrarem em um local remoto, poucos indivíduos não-autorizados realizaram contato visual com SCP-174-PT e SCP-174-PT-Ω. Sigilo restaurado através da aplicação de amnésicos Classe B.

Registro de Observação RO/174PT-A:

RO/174PT-A
Assunto: Avaliação de efeitos causados a SCP-174-PT-Ω a partir da observação da ativação de SCP-174-PT.
Condições: SCP-174-PT e SCP-174-PT-Ω mantidos em um ambiente isolado no Sítio PT15.
Nota Adicional: O relatório de cada observação apresentará a combinação de símbolos observada em SCP-174-PT, ordenada do cume até a base do objeto.

<Observação 174PT/01>

Combinação: zeta / omicron / lambda / zeta / gamma / kappa / omicron / gamma.

Resultado: Manifestação circular de líquido de cor negra e com 2 m de raio ao redor de SCP-174-PT-Ω, de onde surge uma quantidade desconhecida de escaravelhos aparentemente da espécie Scarabaeus sacer. O corpo de SCP-174-PT-Ω é rapidamente encoberto pelos organismos, que retornam a seu ponto de origem 3 h após se alimentarem da entidade.

Restos mortais de SCP-174-PT-Ω não demonstram qualquer característica incomum, apresentando tanto órgãos como estrutura óssea característica de um ser humano não anômalo. Após confirmação da ausência de sinais vitais, SCP-174-PT emite um repentino brilho purpúreo de seu cume, que cessa seguindo a regeneração total de SCP-174-PT-Ω3.


<Observação 174PT/02>

Combinação: zeta / omicron / lambda / zeta / gamma / xi / omicron / gamma.

Resultado: Três figuras humanoides se materializam dentro da cela, aparentemente dois homens e uma mulher. As figuras masculinas apresentam vestimentas de constituição elaborada e máscaras metálicas de chacal, um deles portando uma adaga cerimonial e o outro uma cuia de madeira. A figura feminina se encontra completamente imobilizada por cordas.

Um dos homens apoia a cuia no abdomen da mulher, enquanto o outro perfura o seu tórax vagarosamente. Após a conclusão da coleta do sangue, [DADOS EXPURGADOS] finalmente seguido do desaparecimento dessa manifestação.

É relevante destacar que SCP-174-PT-Ω não sofreu nenhum dano físico durante esse ciclo. Entretanto, a entidade demonstrou grande inquietação perante a observação desse evento, incluindo tentativas fracassadas de impedir seu acontecimento.


<Observação 174PT/03>

Combinação: zeta / omicron / lambda / zeta / gamma / delta / omicron / gamma.

Resultado: SCP-174-PT-Ω demonstra grande dificuldade em suportar o peso de SCP-174-PT, que rapidamente causa fraturas expostas ao longo de seu corpo e o esmaga contra o pavimento. Objeto é movido para uma cela reforçada após seu peso retornar ao normal.

Nota Adicional: Simultaneamente a essa observação, foi relatado um fenômeno onde a Pirâmide de Quéops foi temporariamente encoberta por uma repentina neblina de formato cônico, impossibilitando a visualização da mesma. Correlação entre eventos foi sugerida.


<Observação 174PT/04>

Combinação: zeta / omicron / lambda / zeta / gamma / zeta / omicron / gamma.

Resultado: Um sarcófago ornamentado emerge do piso da cela. SCP-174-PT-Ω se aproxima da manifestação e procede abrindo o sarcófago, em seu interior pode ser observado um corpo feminino mumificado. SCP-174-PT-Ω cuidadosamente retira o corpo e o carrega até o centro da cela, o abraçando por alguns segundos. Repentinamente, uma chama azul começa a englobar a múmia, tomando toda a cela em um curto intervalo de tempo. Corpo de SCP-174-PT-Ω foi observado integralmente carbonizado e nenhum vestígio da múmia ou do sarcófago foi encontrado.


<Observação 174PT/05>

Combinação: zeta / omicron / lambda / zeta / mu / lambda / omicron / gamma.

Resultado: Fluxos de areia escorrem das indentações de SCP-174-PT em um movimento coordenado, serpentando rumo aos diversos orifícios presentes no corpo de SCP-174-PT-Ω e penetrando-os. Após seis minutos, o corpo avolumado da entidade desaba, ausentado de sinais vitais.


<Observação 174PT/06>

Combinação: zeta / omicron / lambda / zeta / mu / alpha / omicron / gamma.

Resultado: Duas cordas se materializam, prendendo ambos braços de SCP-174-PT-Ω. Intensos relinchos podem ser ouvidos por funcionários em um raio de 50 m, e as cordas começam a puxar os braços de SCP-174-PT-Ω em sentidos opostos com crescente força. Nesse momento, o funcionário Classe D D-279 é ordenado a adentrar a cela e a cortar uma das cordas, evitando a mutilação da entidade.

Uma nébula negra é avistada dentro da cela, dando forma a uma alta entidade, denominada SCP-174-PT-Ψ, de corpo vagamente humanoide e de cabeça com traços canídeos. SCP-174-PT-Ψ segura uma balança de dois pratos e uma pena branca, e se posiciona diante de D-279. SCP-174-PT-Ψ perfura o tórax de D-279 com sua mão direita e coleta o seu coração, o depositando na balança contra o peso da pena. Ao observar o peso superior do orgão, SCP-174-PT-Ψ sorri e se dissipa juntamente ao funcionário Classe D.

Em seguida, funcionários que observam o evento começam a apresentar comportamento anômalo, adentrando a cela de contenção [REDIGIDO] corpo de SCP-174-PT-Ω. Tais funcionários foram posteriormente submetidos a amnésicos Classe A e substituídos.


Fim do Registro de Observação RO/174PT-A

Entrevista EN/174PT-E: A entrevista a seguir foi realizada inteiramente por escrito, após diversas sessões com objetivo de lecionar o idioma português para SCP-174-PT-Ω. Observe que o nível de sucesso dessas sessões é limitado, considerando os efeitos diários causados por SCP-174-PT.

EN/174PT-E
Entrevistador: Dr. Arthur Lopes.
Entrevistado: SCP-174-PT-Ω.
Data/Hora: 09/11/2005, 14:27.

Dr. Arthur Lopes: Como está se sentindo hoje?

SCP-174-PT-Ω: Como um que morreu demasiado. Antes que tu pergunta, ainda não lembro meu nome do passado.

Dr. Arthur Lopes: Tudo bem, hoje farei algumas perguntas diferentes. Primeiro, pode explicar como chegou na nossa terra? Acredito que você não nasceu aqui.

SCP-174-PT-Ω: Este é um fato, pois vim da terra do sol e areia. Exausto do meu castigo eu deixei a terra mãe para buscar descanso. Que pensava que ia encontrar nas profundezas sem fim do mar, por onde caminhei incontavelmente. Descobri que existe um fundo até mesmo nas águas temidas, onde fiquei perdido desde que deixei a areia quente. Não achei monstros poderosos ou serpentes também, os únicos monstros foram o que carreguei em minhas próprias costas.

Dr. Arthur Lopes: Esse castigo que você fala, como ele surgiu?

SCP-174-PT-Ω: Foi depois morte do faraó. Deuses ensinavam sacrifício de serviçal para acompanhar faraó no pós vida, para isso raptaram minha Núbia. Entende que nunca tivemos ouro e objetos bonitos, mas eu gostava Núbia suficiente para não importar isso. Quando vi sacerdotes sagrados oferecendo o corpo dela meu coração enche de fúria contra os deuses. Depois vários dias vagando e sozinho em dunas, avisto forma estranha quase enterrada inteiro em meu caminho, sabia ser um presente dos antigos demônios das estrelas. Entendia que era artefato poderoso e rara. Através noite ela me contou o que pode fazer, e com minha raiva ainda acesa concordei com a tarefa. Mas demônios sempre pedem troca, e se divertem em assistir dor.

Dr. Arthur Lopes: Pode me explicar quem são esses ''demônios''?

SCP-174-PT-Ω: Os que sempre vigiam do abismo de cima, e que sonham pesadelos no nosso mundo para lazer e despertam quando sentem entediados. ██████ ████ ████ ███ █████ ███ ██████ ██████.

Dr. Arthur Lopes: Entendo. E me diga qual é a tarefa que você concordou em realizar.

SCP-174-PT-Ω: Uma armadinha para deuses. Consegui selar eles dentro de artefato, mas essa era contrato, fui condenado a cem mil tormentas. Não sei contar quantos sofri, mas me consola pensar que me acho perto do fim.

Dr. Arthur Lopes: Pelo que observamos, sinto dizer que provavelmente eles não terminarão tão cedo. Confirme, seus antigos deuses estão dentro do cone?

SCP-174-PT-Ω: Não todos. Deus do sono sem fim foge da minha tocaia, e ele me segue furioso desde então, e impede que eu recebo ajuda de almas gentis que buscam aliviar meu enorme peso.

Dr. Arthur Lopes: Não se preocupe, trabalhamos com esse tipo de problema e temos algumas ideias.

SCP-174-PT-Ω: Cuidado. Os corações de seus guerreiros são pesados, e o castigo dos condenados pelo chacal nem eu penso carregar.


Fim da Entrevista EN/174PT-E

Adendo AD/174PT-A <11/11/2005>: Tentativa de remoção cirúrgica de SCP-174-PT realizada. Os especialistas em cirurgias extraordinárias ████████ ████ e ██████████ ████████ foram nomeados para a tarefa, e de seus relatórios de operação foram omitidas informações relativas às propriedades anômalas do objeto. Após o sucesso da excisão, o cume de SCP-174-PT iniciou um brilho escarlate intenso acompanhado de um sibilo agudo. Instrumentos locais indicaram uma leitura de aproximadamente 42 TJ de energia liberada instantaneamente. O Sítio PT15 foi completamente dizimado, causando a morte de ███ funcionários e destruição de ██ artefatos anômalos, além de danos catastróficos a estruturas em um raio de 1,90 km. Tal evento justificou, através da aprovação do Conselho CL5, o uso do protocolo Morfeu-003/235345/214.

Adendo AD/174PT-B <12/11/2005>: Após o evento de 11/11/2005, SCP-174-PT foi encontrado intacto, porém nenhum vestígio de SCP-174-PT-Ω foi identificado. Após dez dias de observação de SCP-174-PT, o objeto iniciou uma emissão de luminescência amarelada de seu cume, e um sistema circulatório humanoide emergiu de sua base. No dia seguinte, 23/11/2005, uma estrutura esquelética começou a ser formada, seguida de tecido muscular. Em 24/11/2005, SCP-174-PT-Ω se encontrava completamente reconstruído, e SCP-174-PT iniciou seus ciclos normais de ativação. Observações das novas combinações de ativação sugerem que o artefato teve sua contagem de ciclos reiniciada. SCP-174-PT e SCP-174-PT-Ω movidos para a Área PT5, devidamente construída para amenizar possíveis eventos destrutivos de grande escala.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License