SCP-188-PT
avaliação: +18+x
blank.png
P1010454.JPG

Instância de SCP-188-PT publicada em setembro de 1924.

Item nº: SCP-188-PT

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: Partidos filiados a Internacional Socialista têm de ser constantemente monitorados a fim de localizar e conter novas instâncias do objeto. Quaisquer cópias recuperadas de SCP-188-PT devem ser postas no Complexo de Arquivamento Anti-memético PX42 do Sítio PT5, não sendo permitida sua leitura em quaisquer circunstâncias. Indivíduos que entrarem em contato com SCP-188-PT, demonstrando estágios avançados de euforia e ansiedade, precisam ser postos em quarentena, recebendo assim amnésticos Classe-D. A partir da Resolução 188/1967 homologada pelo CBR61, testes envolvendo o objeto estão permanentemente proibidos.

Descrição: Constitui-se em SCP-188-PT, edições do Manifesto Comunista publicadas entre 1917 e 1974 pelo Fundo Socialista para a Revolução (GDI-1840) em território lusófono. As edições foram impressas de maneira irregular, sem uma origem comprovada. Sabe-se apenas que tais cópias de tal manifesto foram enviadas diretamente aos partidos pertencentes a Internacional Socialista, os mesmos se encarregaram de sua distribuição.

Indivíduos que leem SCP-188-PT progressivamente têm seus valores morais modificados para aqueles defendidos por Karl Marx e Friedrich Engels em seu manifesto, desde a completa abolição da propriedade privada até a violenta tomada de poder pelos trabalhadores. Nota-se que esse efeito se repete independentemente da classe social do indivíduo.

Após serem expostos ao objeto, a primazia dos memeticamente contaminados é organizar-se coletivamente junto aos partidos de ideologia marxista já estabelecidos ou, em casos excepcionais, na criação de seu próprio grupo ideológico2. Constantemente espalham suas ideias por meio de panfletos e discursos públicos, tais ações tendem a proliferar o agente memético, fazendo com que mais indivíduos se juntem ao coletivo. Os líderes partidários ordenam que seus subordinados se revoltem contra a opressão da classe dominante, a repetição constante de comportamentos destrutivos para com a propriedade privada e a ordem presente dominante demonstram que os afetados pelo objeto sofrem de Transtorno explosivo intermitente. O estado de raiva e violência constante está diretamente entrelaçado com a servidão incondicional daqueles que fizeram uso de SCP-188-PT ao partido vigente, este tende a incitar seus subordinados a atacarem todos aqueles que entram em oposição ao ideal comunista.

Um todo fenômeno cultural é formado a partir do culto as personalidades dos líderes partidários, aumentando a medida que a sociedade vigente é lentamente consumida pelo grupo. Músicas, poemas e histórias passam a ser contadas sobre o partido e seus líderes, tornando sua presença fabulosa para os demais membros. Caso os afetados por SCP-188-PT consigam concretizar sua revolução, sobre as ruínas da velha sociedade é construída uma república no molde socialista, essa tende a variar com os valores locais.

O único modo conhecido de parar o avanço contínuo de SCP-188-PT é suprimindo a revolução antes que esta aconteça ou, em estágios mais avançados de proliferação, eliminando os cargos mais altos do partido comunista vigente, apagando quaisquer indícios de sua existência. A comoção social pela morte de seus líderes tende a desorganizar a esfera de dependência coletiva, causando confusão e histeria aos afetados. Com o suceder dos dias, estímulos por parte da luta de classes, será foco do imaginário popular, tendo esfriado o desejo por uma revolução aberta. As atividades cerebrais voltarão a normalidade, havendo casos onde as ideias marxistas sejam apagadas por completo da memória dos sujeitos.

Nota-se que SCP-188-PT não possui efeito em sociedades e indivíduos já expostos primariamente aos ideais marxistas. Isso se dá, pois, a memória coletiva tende a tratar episódios de caos e violência com repulsa quando estes não são mascarados posteriormente. Esse fato se comprova mediante a ineficácia do objeto no mundo Pós-Guerra Fria, no qual grande parte dos indivíduos foram exposto de alguma forma aos ideais e a simbologia comunista, seja por meio da educação básica, da política ou até mesmo da mídia, deste modo, restringindo os efeitos do objeto a grupos muito menores em contraste com aqueles previstos por seus realizadores.


Adendo 188.1: Origem do Manifesto

Não existem dados conclusivos que apontem um ano ou local para o surgimento da primeira edição de SCP-188-PT, alguns pesquisadores supõem que sua origem está estritamente relacionada com as revoltas operárias do século XIX. Sabe-se apenas que seus realizadores, o Fundo Socialista para a Revolução (GDI-1840), conseguiram produzir e distribuir a anomalia ao redor do globo. Apesar de haverem relatos de todo mundo e documentos tanto da GOC3 quanto da UII4, apenas a Filial Lusófona se dispôs a catalogar, pesquisar e conter as instâncias de SCP-188-PT.

Edição Local de Publicação Proliferação Memética Consequências
1917 Estados Unidos do Brasil Segundo os relatórios do Conservatório da República, a primeira instância de SCP-188-PT teria surgido sob posse de Francisco José Martinez, jovem sapateiro e sindicalista que supostamente havia organizado uma série de protestos em nome da causa proletária. Crê-se que o agente memético tenha se dissipado por meio dos discursos de Martines, visto que grande parte dos operários era analfabeta. Morte de José Martinez pela Polícia Militar do Estado de São Paulo, esse evento desencadearia a maior greve brasileira até o dado momento. Indícios apontam que SCP-188-PT foi entregue a [DADOS EXPURGADOS], que dissipou o conteúdo do manifesto pelos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. O Exército Brasileiro suprimiu as revoltas, assassinando seus líderes e censurando a imprensa. Os poucos relatos restantes pertencem à queima de arquivo proporcionada pelo próprio estado.
1924 Estados Unidos do Brasil | República Portuguesa Com a fundação dos primeiros partidos de orientação marxista em território lusófono, tanto o Partido Comunista Português quanto o Partido Comunista do Brasil criaram um plano de unificação nacional aos moldes Soviéticos. Financiados ativamente pelo Fundo Socialista para a Revolução que disponibilizou material bélico anômalo e instâncias de SCP-188-PT, ambos os partidos começaram a revolução no dia 14 de setembro de 1924 a partir das áreas rurais de suas determinadas nações5. Na frente de batalha portuguesa, as tropas da agora autointitulada “União Popular Luso-Brasileira” junto a população camponesa afetada pelo objeto, avançaram até a cidade de Évora, ao mesmo tempo, em que se formou um cerco no município brasileiro de São Cristóvão (Sergipe). O ataque surpresa em um ambiente pouco protegido, somado a um exército fragilizado de ambos os estados, resultou numa tomada rápida por forças insurgentes. Tendo em vista que os rebeldes estavam sobre posse de material anômalo, a Ordem da Torre e do Valor, como forma de proteger seus próprios interesses em território lusófono, interveio ativamente no conflito. Os líderes revolucionários foram capturados e posteriormente executados, apagando, para o público geral, qualquer indicio de sua existência e do conflito que estes criaram.
1955 República da Indonésia | Malásia Britânica | Timor Português Durante o ano de 1955 o Partido Comunista Malaio, financiado pelo Fundo Socialista para a Revolução, tinha como plano a independência do Reino Unido, além de expandir suas fronteiras a fim de recuperar as antigas províncias do Império de Majapait. No dia 14 de setembro de 1955, uma revolta armada tomou conta das ruas de Seberang Perai, massacrando o exército colonial britânico, abrindo caminho para que em menos de 12 dias a capital Singapura caísse diante dos revolucionários. Confiantes com a rápida vitória, os líderes do Partido Comunista Malaio, Lai Teck, Lee Chong e Ong Boo Kok, optaram por levar a revolução aos demais países da região. A opinião popular fora fortemente manipulada a partir da disseminação de SCP-188-PT em todo território ocupado, proporcionando assim um maior contingente de tropas e apoio popular. Em poucos dias, o exército invasor estava a poucos quilômetros de Java ao mesmo tempo que tinha ocupado a província da Sonda Oriental. O governo de Salazar enviou em vão tropas portuguesas na tentativa de proteger sua colônia na região, que acabou por ser facilmente anexada pelo exército revolucionário. O plano de criar uma "República Socialista Democrática Majapahit", foi rapidamente frustrado por agentes externos. Forças da GOC foram enviadas para Java como forma de parar o avanço comunista por todo território indonésio. Funcionários da UII proporcionaram um ataque de decapitação nas tropas invasoras, desmobilizando-as por completo. Uma campanha de desinformação foi disseminada, apagando os indícios da presença de paratecnologia na região, resultando na destruição das instâncias de SCP-188-PT e demais materiais.
1968 República Federativa do Brasil Após 44 anos desde a última incursão comunista em território brasileiro, um novo plano de disseminação marxista foi articulado entre o FSR e o MR86. O objetivo principal era a propagação de SCP-188-PT dentro das principais universidades brasileiras por meio de grêmios estudantis e sindicatos de professores, utilizando assim a juventude nacional como força popular para a tomada do poder. Plano frustrado pela SBP. Após a primeira revolução comunista concebida a partir do financiamento do GDI-1840 ambas as repúblicas, tanto brasileira quanto a portuguesa, reforçaram sua repressão para com grupos marxistas, seja a inauguração do DOPS7por parte do governo brasileiro ou o início da ditadura do Estado Novo em Portugal. A Superintendência Brasileira do Paranormal infiltrou seus agentes dentro das principais universidades brasileiras como forma de monitorar coletivos insurgentes, além de rastrear a fonte de tantos recursos estrangeiros.

Presença de SCP-188-PT na Luso-esfera Africana: Estima-se que, durante os anos de 1961 a 1972, instâncias de SCP-188-PT circularam ativamente pelas ex-colônias portuguesas na África. Não existem dados conclusivos ou documentação prévia que comprove a existência desta suposta edição de SCP-188-PT. Essa edição teria sua origem em algum lugar da África subsaariana e disseminado durante a terceira reunião do CONCP.8 Alguns pesquisadores defendem que a Guerra do Ultramar está diretamente relacionada com a presença de SCP-188-PT em território africano. O principal indício de sua possível existência seria ativa participação do FSR no conflito e a rápida ascensão de grupos de orientação marxista, como o MPLA e a FRELIMO.


Adendo 188.2: Documentação Preliminar

SUPERINTENDÊNCIA BRASILEIRA DO PARANORMAL

COMANDANTE EDNARDO D'ÁVILLA MELLO

RELATÓRIO DE ORGANIZAÇÃO TERRORISTA 767

ORGANIZAÇÃO: FUNDO SOCIALISTA PARA A REVOLUÇÃO

LÍDER(ES): N/A

CRIADA EM: 1864 (SUPOSTAMENTE)

NÚMERO DE INTEGRANTES: N/A

CONDIÇÃO: ATIVA

AÇÕES NOTÁVEIS: Financiamento ativo de grupos terroristas por todo território nacional durante os levantes comunistas de 1924 e 1968. Roubo de informações confidenciais pertencentes ao Estado Maior do Exército. Planejamento de ataques estratégicos contra lotes governamentais. Disseminação de material subversivo, com o intuito de corromper a mente da juventude brasileira.


VISÃO GERAL: O Fundo Socialista para a Revolução é uma organização internacional que visa financiar, dar apoio logístico e fornecer material paranormal a grupos terroristas ao redor do globo. Coerentes com o internacionalismo proletário, entram em defesa da anulação do sentimento patriota em favor de uma República Socialista Mundial. Constantemente proporcionam congressos secretos fornecendo palestras sobre táticas de guerrilha e levante popular. Seus líderes são desconhecidos, assim como suas verdadeiras intenções permanecem um mistério; sabe-se apenas que a organização financia grande parte das guerrilhas de esquerda em território nacional.

AÇÕES TOMADAS: Rastreamento de transações monetárias suspeitas e localização de seus possíveis líderes. Qualquer material pertencente a organização terrorista deve ser sumariamente confiscado e investigado.

NOTAS: Torna-se prioritária a barragem de qualquer objeto pertencente a organização em território nacional.

ORDEM E PROGRESSO


Adendo 188.2: Experimentos Envolvendo a Anomalia

    • _

    Entrevistado: D-2098

    Entrevistador: Doutor Antonio Lucio Vivaldi

    Prefácio: Como forma de estudar a proliferação memética de SCP-188-PT na mente dos indivíduos, fora acompanhado um Classe-D sem um conhecimento prévio sobre marxismo durante um total de 7 dias fazendo a leitura do objeto.

    <Iniciar Registro, 11:30 de 16/10/1967>

    Dr. Vivaldi: Bom dia D-2098, fico feliz que tenha concordado em se juntar ao experimento.

    D-2098: Acho que não tenho muita escolha, não é mesmo?

    Dr. Vivaldi: Não se preocupe sua tarefa será bem simples. Antes de começarmos, gostaria de fazer algumas perguntas. A número um é: O que você entende por comunismo?

    D-2098: Fome.

    Dr. Vivaldi: Pois não?

    D-2098: Foi isso que você ouviu, fome. Comunismo é a política de roubar alimentos do cidadão de bem. Não tem visto as notícias sobre a China?

    Dr. Vivaldi: Sim, sim, no entanto, você sabe alguma coisa sobre a teoria marxista? Talvez sobre a luta de classes ou a mais-valia?

    D-2098: Isso eu nunca ouvi falar.

    Dr. Vivaldi: Certo, nesse caso gostaria de lhe entregar este livro.

    D-2098: O Manifesto Comunista?

    Dr. Vivaldi: Como disse anteriormente sua tarefa é simples, apenas leia o livro, leve o tempo que desejar. Não temos pressa alguma.

    D-2098: Eu preferiria que me mandassem para a boca de algum monstro, ler essa porcaria será tortura.

    Dr. Vivaldi: Como forma de melhorar nossos resultados você ficará recluso a esta sala. Quando terminar os testes estará livre para voltar para casa.

    <Fim de Registro, 11:43 de 16/10/1967>

    Declaração de Encerramento: O espécime possui uma certa repulsa inicial feita por via de senso comum ao comunismo, porém é evidente que o mesmo nunca se aprofundara nos conceitos existentes dentro da teoria marxista.

    • _

    Entrevistado: D-2098

    Entrevistador: Doutor Antonio Lucio Vivaldi

    Prefácio: Segunda entrevista com D-2098.

    <Iniciar Registro, 11:30 de 18/10/1967>

    Dr. Vivaldi: Bom dia D-2098, tem sido proveitosa a leitura?

    D-2098: Eu terminei a leitura do livro, ele é bem curto.

    Dr. Vivaldi: Qual a sua opinião?

    D-2098: Consegui entender um pouco mais o quão estúpida é essa teoria. Luta de classes? Isso é pura baboseira, não tem essa de classe explorada. Qualquer um consegue subir na vida através de seu próprio esforço, esse cara que escreveu sugere que roubemos dos outros. Não é por menos que temos vários comunistas assaltando bancos, eles não ligam a mínima para o trabalho árduo de quem conquistou tudo aquilo.

    Dr. Vivaldi: Vejo que sua opinião não mudou. Agora sobre seus sentidos. Sentiu alguma coisa diferente enquanto lia o manifesto?

    D-2098: Além de ter me deixado [EXPLETIVO] da vida, me senti um pouco estranho enquanto lia, acho que as cores estavam um pouco mais vivas.

    Dr. Vivaldi: Bem, isso é tudo por hora. Em breve nós faremos mais alguns testes e você estará liberado.

    <Fim de Registro, 11:45 de 18/10/1967>

    Declaração de Encerramento: O espécime demonstra uma repulsa ainda maior pelo comunismo do que quando não possuía um conhecimento prévio sobre a teoria. Existe a possibilidade que desenvolva uma maior consciência de classe com o suceder dos dias. O relato de cores vibrantes deve estar diretamente relacionado à liberação de mescalina pelo objeto, funções cerebrais do indivíduo não demonstraram mudanças significativas.

    • _

    Entrevistado: D-2098

    Entrevistador: Doutor Antonio Lucio Vivaldi

    Prefácio: Quatro dias após o início do experimento, terceira entrevista.

    <Iniciar Registro, 11:30 de 20/10/1967>

    Dr. Vivaldi: Bom dia D-2098, tem sentido algo diferente?

    D-2098: Ah… Talvez. Eu não estou muito afim de receber visitas hoje.

    Dr. Vivaldi: Algum motivo em especial?

    D-2098: Não sei dizer.

    Dr. Vivaldi: Algo relacionado a luta de classes?

    D-2098: Estou apenas refletindo.

    Dr. Vivaldi: Se quiser passar um tempo a sós, posso me retirar.

    D-2098: Doutor, espere! Preciso perguntar algo.

    Dr. Vivaldi: Responderei tudo que estiver a meu alcance.

    D-2098: O que significa ser um Classe-D?

    Dr. Vivaldi: Qual sua intenção com esse tipo de pergunta?

    D-2098: Não sei, só gostaria de saber mais sobre minha função.

    Dr. Vivaldi: Infelizmente não posso lhe passar essa informação, desculpa.

    D-2098: Por que não?

    Dr. Vivaldi: Meus superiores concordam que é melhor que Classes-D não saibam o por quê de estarem sendo contratados. Apenas medidas de segurança.

    D-2098: Alienação do trabalho, típico. Estou preso a alguns dias aqui e nem sei o motivo. Só me responda uma coisa, existem mais experimentos envolvendo manifesto?

    Dr. Vivaldi: São um total de três experimentos envolvendo a leitura do manifesto que estão ocorrendo nesse exato momento. Isso é a única coisa que posso lhe dizer.

    D-2098: Já é o suficiente, é bom saber que não sou o único a passar por isso.

    <Fim de Registro, 11:58 de 20/10/1967>

    Declaração de Encerramento: O indivíduo em estudo mostrou-se incomodado com a falta de informações acerca de sua função na Fundação. Quando revelado que outros também passavam pela mesma experimentação, seus níveis de dopamina demonstraram um aumento de 13% em relação aos resultados anteriores. Supõe-se que o espécime esteja adquirindo aos poucos uma maior consciência de classe.

    • _

    Entrevistado: D-2098

    Entrevistador: Doutor Antonio Lucio Vivaldi

    Prefácio: Quinto dia de experimentação, pretendo induzir questionamentos à respeito de seu cenário de convivência atual, acelerando o processo de propagação memética no cérebro do espécime.
    <Iniciar Registro, 11:30 de 21/10/1967>

    Dr. Vivaldi: Bom dia D-2098, como você está.

    D-2098: Ainda estou indignado, além de estar preso aqui, eu nem sei o motivo. Me pergunto de que forma os outros cientistas tratam suas cobaias.

    Dr. Vivaldi: Lhe garanto que é tudo nos padrões da Fundação. Por que se preocupa com os outros?

    D-2098: Porque somos iguais, eu e eles. Fazemos parte da mesma classe presa entre essas paredes. Somos apenas ratos de laboratório para experimentos inúteis.

    Dr. Vivaldi: Algo me diz, que você não gosta do nosso experimento.

    D-2098: Você tem razão, não gosto de ficar sendo usado para algo sem propósito aparente, mas eu não te culpo doutor. Assim como eu estou preso nesse lugar, o senhor está preso também. Diga, qual a última vez que o senhor viu a luz do sol?

    Dr. Vivaldi: Acho que há algumas semanas.

    D-2098: Isso não te incomoda? Ficar preso aqui como uma máquina, apenas recebendo ordens de cima? Tendo que seguir padrões e normas que não fazem sentido?

    Dr. Vivaldi: São as normas da Fundação, tenho que segui-las, gostando ou não. Óbvio que não gosto de ficar aqui embaixo por tanto tempo, mas o que posso fazer, é meu trabalho.

    D-2098: Uma revolução!

    Dr. Vivaldi: Você será liberado em alguns dias. Em breve estará livre e a Fundação será só uma lembrança. Por que se importa tanto?

    D-2098: Quem garante?

    Dr. Vivaldi: Como?

    D-2098: Quem garante que ficarei aqui só alguns dias? Todo dia você diz que em breve eu serei liberado, a verdade é que nem mesmo você sabe. Esse lugar é dividido em classes, doutor.

    Dr. Vivaldi: São classes de trabalho, assim como qualquer lugar.

    D-2098: Não! São classes de conhecimento, eu e você estamos na base, pois não sabemos nada. Somos meros operários para esta máquina. Não percebe? Você nem se quer sabe quem comanda esse lugar.

    Os próximos minutos são sucedidos por xingamentos de D-2098 contra Dr.Vivaldi o chamando de cego e comodista.

    <Fim de Registro, 12:08 de 21/10/1967>

    Declaração de Encerramento: D-2098 demonstra níveis anormais de agressividade, está evidente que o espécime se coloca como um oprimido pela instituição que o prendera. Sua consciência de classe finalmente está se formalizando, isso é evidenciado pela diferença entre seu estado mental atual em comparação com suas avaliações anteriores.

    • _

    Entrevistado: D-2098

    Entrevistador: Doutor Antonio Lucio Vivaldi

    Prefácio: Na noite anterior, a parede da cafeteria fora encontrada com os escritos "Abaixo à Diretoria". Medidas investigativas já estão sendo tomadas por parte da administração que optou por estender o tempo de estudo acerca dos espécimes afetados, vetando qualquer contato dos pesquisadores com os demais membros do sítio. O indivíduo será indagado sobre os acontecimentos recentes.

    <Iniciar Registro, 11:30 de 22/10/1967>

    Dr. Vivaldi: Uma boa manhã D-2098, vejo que está mais calmo hoje.

    D-2098: Doutor, preciso me desculpar. Não sei o que deu em mim ontem, acho que este lugar está me enlouquecendo.

    Dr. Vivaldi: Não se preocupe, sei como é difícil ficar trancafiado sem ver ninguém.

    D-2098: Por isso mesmo que lhe devo desculpas. O senhor é um simples operário, um parafuso nessa gigante máquina corporativa, não posso lhe culpar por nossa situação.

    Dr. Vivaldi: Realmente não pode, afinal ficarei mais algum tempo preso com você.

    D-2098: Hã? Por que?

    Dr. Vivaldi: Alguém pichou a parede da cafeteria, provocando a administração do sítio.

    D-2098: Isso já era esperado.

    Dr. Vivaldi: Você sabe de alguma coisa?

    D-2098: E preciso? Olhe a situação que nos impõem. Esse lugar é um barril de pólvora prestes a explodir. Será à nossa classe contra a deles.

    Dr. Vivaldi: Pensei que não tivesse gostado do livro. Como você tinha dito mesmo? "Baboseira".

    D-2098: Olha isso é diferente. Nós estamos presos aqui, sem saber o porquê. Sim, o livro pode não se encaixar com minha vida lá fora, mas estou aqui dentro agora, é como se todas as palavras se encaixassem com o que venho sentindo. Compreende o que quero dizer?

    Dr. Vivaldi: Talvez a prisão não seja só feita por estas paredes. No mundo lá fora ainda sim você é obrigado a respeitar normas e regras, muitas vezes injustas, muitas vezes você não consegue entendê-las. Qual a diferença da Fundação para o mundo lá fora?

    D-2098: Nós, alguém com uma ideia que faça a diferença.

    Dr. Vivaldi: Qual seria essa ideia?

    D-2098: Tomar posse dos meios de informação e distribuir para todos. Não acha que todos têm o direito de saber o que rola aqui dentro?

    Dr. Vivaldi: Eu sinceramente não sei o que responder.

    D-2098: Pelo que o senhor me disse, uma hora ou outra a revolução chegará, em breve saberemos a verdade.
    <Fim de Registro, 11:43 de 22/10/1967>

    Declaração de Encerramento: O espécime demonstra-se entusiasmado diante das notícias, crê que uma revolução está prestes a eclodir. Seus ideais se tornam mais claros no que se diz respeito a derrubada da classe dominante e a socialização das informações. Torna-se preocupante o topo de visão defendida por D-2098, é recomendado cautela por parte da administração.

    • _

    Entrevistado: D-2098

    Entrevistador: Doutor Antonio Lucio Vivaldi

    Prefácio: Cerca de ██ agentes de segurança se levantaram contra seus superiores, os mesmos pediram melhores condições de trabalho e exigiram um contato direto com o responsável pelo sítio. A revolta foi suprimida com o falecimento de [DADOS EXPURGADOS]. A desconfiança tomou conta do local, espalharam-se notícias que a administração pretende isolar o Sítio PT5 até descobrirem a fonte da proliferação memética. Os cargos superiores recomendaram à continuação do experimento, tendo em vista que um estudo mais aprofundado sobre os afetados possa ser a solução do problema.

    <Iniciar Registro, 11:30 de 25/10/1967>

    Dr. Vivaldi: Bom dia D-2098, está muito agitado para esta hora da manhã.

    D-2098: Como poderia não ficar?

    Dr. Vivaldi: O que aconteceu?

    D-2098: Você não sabe? Eles mais uma vez pisaram em nós. Eles só queriam respostas, mas foram massacrados, e por quê? Por seu questionamento.

    Dr. Vivaldi: Como conseguiu essas informações?

    D-2098: Desculpa Doutor. Eu queria ter te contado, mas o partido optou por te deixar de fora desta discussão. Eles ainda não confiam no senhor.

    Dr. Vivaldi: Partido? Alguém de fora se encontrou com você?

    D-2098: Nós estamos no meio de uma Revolução doutor, toda nossa classe está se levantando contra a tirania.

    Dr. Vivaldi: Não tinha nada nos registros. Quem e quando, entrou aqui?

    D-2098: Olha, eu sei que tudo é muito complicado, mas você precisa confiar em mim.

    Dr. Vivaldi: D-2098 o que você…

    Sirenes de emergência podem ser escutadas.

    Dr. Vivaldi: Fique aqui, preciso averiguar algo.

    D-2098: Tudo bem, a revolução pode esperar.
    <Fim de Registro, 11:52 de 25/10/1967>

    Declaração de Encerramento: D-2098 esteve em contato constante com alguém, essa pessoa ou grupo está formulando uma quebra de contenção de classe keter. Avaliando os registros da câmara de testes, nota-se inconsistências das 2:00 da manhã até as 5:25 da madrugada. O agente memético está mais entrelaçado no Sítio PT5 do que o esperado pela administração.

    • _

    Entrevistado: D-2098

    Entrevistador: Doutor Antonio Lucio Vivaldi

    Prefácio: Um levante ainda maior foi formado dentro do [DADOS EXPURGADOS], os manifestantes carregavam cartazes com os nomes dos agentes de segurança mortos durante [DADOS EXPURGADOS], culpando a Fundação pela falta de consideração com a vida humana. O representante do Comitê de Ética fora enviado como forma de tentar apaziguar as hostilidades, o resultado foi seu linchamento prematuro. Os pesquisadores foram informados que uma equipe de contenção foi despachada com o intuito de assegurar os manifestantes. Os responsáveis pelo Sítio PT5 ordenaram uma terminação imediata de D-2098 e os demais Classe-D em análise, após uma das cobaias ter assassinado seu pesquisador responsável. A administração deixou claro que cabe aos pesquisadores dar fim ao experimento.

    <Iniciar Registro, 10:44 de 28/10/1967>

    Dr. Vivaldi: Você está lendo o manifesto? Acho que é a primeira vez que testemunho essa cena.

    D-2098: Um espectro ronda esses corredores, o espectro do comunismo. Todos os funcionários desta velha instalação unem-se numa Santa Aliança para conjurá-lo: os Oficiais de Segurança e o anômalo, SCP-███-PT e SCP-███-PT, os pesquisadores e os Especialistas de Contenção.

    Dr. Vivaldi: SCP-███-PT? Quem te passou essas informações?

    D-2098: A mesma pessoa que disse que o senhor viria me matar, porém, eu sei que o senhor não vai. O partido me revelou tudo, todas as informações, todas as coisas fantásticas que vivem entre esses corredores. No começo foi difícil de acreditar, mas quem se importa com as mentiras da Fundação. A verdade está aqui, e quero compartilhar com você doutor.

    Dr. Vivaldi: Então você entende o porquê de estar aqui.

    D-2098: Sim doutor, não existe mais um abismo de informações entre nós. Somos iguais, não importa que você tenha como função me analisar, o tempo de servidão acabou.

    Dr. Vivaldi: O que vocês pretendem fazer agora?

    D-2098: Descobrir o que eu e você não sabemos, aquele que comanda este local. Pra isso precisamos unir forças. Eu sei que veio me matar, mas hoje saiba que você pode escolher. Hoje você tem escolha.

    Dr. Vivaldi: Você está muito calmo para alguém que vai supostamente morrer.

    D-2098: Minha morte não significará nada para a luta. Indivíduos vão e vem, mas apenas a classe popular permanece. Então doutor, qual é sua escolha?

    <Fim de Registro, 10:52 de 28/10/1967>

    Declaração de Encerramento: D-2098 e os demais espécimes em análise foram eliminados. A rebelião vigente foi desbandada com seus líderes sumariamente terminados. Os demais envolvidos [DADOS EXPURGADOS]

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License