SCP-194-PT
avaliação: +15+x
blank.png

4/194-PT NÍVEL 4/194-PT

ULTRA SECRETO

classified-lv4.png

Item nº: SCP-194-PT

Classe do Objeto: Keter

Nível de Ameaça: Vermelho

Procedimentos Especiais de Contenção: Todas as instâncias vivas de SCP-194-PT deverão ser mantidas a todo momento em celas de contenção humanoide de dimensões 8 m x 8 m x 8 m de alta-segurança, localizadas no Sítio-194-PT. As celas deverão ser revestidas com titânio de 43 cm de espessura.

A partir de 24/11/2010, as celas nas quais encontram-se as instâncias de SCP-194-PT devem estar, a todos os momentos, por meio de mecanismos reguladores de temperatura e pressão pré-instalados, sendo expostas a condições extremas a fim de verificar quaisquer efeitos desconhecidos nas instâncias de SCP-194-PT (para mais informações, ver Adendo-003-194-PT-2010). Tais condições verificam-se em variar a temperatura das celas entre -270,2 °C e 1.233 °C e simular a pressão de 4.250 atmosferas no interior das celas.

Não é permitida a entrada de quaisquer indivíduos não-autorizados nas celas de contenção de quaisquer uma das instâncias de SCP-194-PT. Para que um indivíduo adentre em alguma das celas das instâncias de SCP-194-PT, será necessária a autorização de funcionários com credenciais Nível 4 ou superior. Antes de adentrarem em uma das celas, esta deverá ter sua temperatura diminuída para 17,5 °C e sua pressão diminuída para a equivalente de 1 atmosfera. Não é permitido permanecer em alguma das celas das instâncias de SCP-194-PT por um período superior a 5 minutos. Indivíduos autorizados somente podem adentrar em alguma das celas das instâncias SCP-194-PT para adquirirem dados que sirvam para futuras pesquisas envolvendo SCP-194-PT.

Caso quaisquer meios de neutralizar as instâncias de SCP-194-PT sejam encontrados, estes deverão ser executados mediante às ordens de Dr. Lallana, Diretor do Sítio-194-PT.

Descrição: SCP-194-PT é a designação dada para uma espécie de seres humanoides sencientes de origem biológica atualmente desconhecida. As instâncias de SCP-194-PT demonstram pigmentação levemente rosada por toda sua estrutura corporal e não possuem pelos. A altura média das instâncias de SCP-194-PT é de 2,94 metros e sua massa média é de aproximadamente 86 kg. A velocidade média registrada de uma instância de SCP-194-PT é de aproximadamente 76 km/h. Atualmente, a Fundação mantém 11 instâncias de SCP-194-PT.

Embora a origem biológica de SCP-194-PT seja desconhecida, amostras de tecido sugerem traços de DNA de uma série de metazoários, tais como leopardos (Panthera pardus), leões (Panthera leo), gorilas (Gorilla beringei), lampreias (Petromyzon marinus), planárias (Dugesia subtentaculata) e tardígrados (Hypsibius dujardini).

As instâncias de SCP-194-PT demonstram uma estrutura fisiológica semelhante a de um primata, com todas as instâncias encontradas até o momento de SCP-194-PT possuindo 4 membros e demonstrando postura bípede. As instâncias de SCP-194-PT não possuem quaisquer órgãos que possibilitem a identificação de luz ou sons. O meio através do qual as instâncias de SCP-194-PT detectam a presença de alguma forma de vida ao seu redor, mediante as análises feitas pela Unidade de Pesquisa-194, verifica-se na utilização de mecanismos internos presentes nas instâncias de SCP-194-PT que permitem discernir componentes mais quentes de componentes mais frios dentro de um raio atualmente desconhecido. As instâncias de SCP-194-PT possuem uma estrutura circular especializada em sugar semelhante a uma boca.

As instâncias de SCP-194-PT demonstram comportamento demasiado hostil quando detectam indivíduos humanos ao seu redor, mostrando-se caçadores eficientes e operativos. Quando identificam algum indivíduo humano, as instâncias de SCP-194-PT irão o caçar até que consigam alcançá-lo. Quando o fazem, as instâncias de SCP-194-PT farão com que o indivíduo sofra de um fenômeno semelhante a um prolapso retal1, fazendo com que todo intestino grosso do indivíduo deslize para fora de seu ânus, ocasionando o falecimento do indivíduo. Nesse processo, as instâncias de SCP-194-PT usufruem de seu órgão do sistema digestivo para sugar o intestino grosso do indivíduo, alimentando-se. Os despojos do indivíduo são ignorados pelas instâncias de SCP-194-PT. Até o momento, esse processo é o único meio conhecido através do qual as instâncias de SCP-194-PT podem se alimentar. As instâncias de SCP-194-PT não demonstram necessitar de hidratação.

Caso as instâncias de SCP-194-PT estejam se alimentando do intestino grosso de um indivíduo e detectem a presença de mais indivíduos humanos dentro de seu raio de detecção, as instâncias de SCP-194-PT irão ignorá-los até que terminem de se alimentar. Quando o fazem, as instâncias de SCP-194-PT passarão a caçar o indivíduo humano mais próximo de si, repetindo o processo de caça continuamente.

Quando detectam a presença de quaisquer outras formas de vida ao seu redor, as instâncias de SCP-194-PT se mostram indiferentes. A razão para isso é atualmente desconhecida.

As instâncias de SCP-194-PT se mostram capazes de suspender seu metabolismo e adentrar em um estado de criptobiose. O estado de criptobiose das instâncias de SCP-194-PT pode durar por tempo indeterminado (para mais informações, ver Adendo 001-194-PT-1).

Em estado criptobiótico, as instâncias de SCP-194-PT demonstram capacidade de suportar situações extremas, tais como:

  • Resistência a variações de temperatura elevadas, indo desde -271,7 °C até 1.680 °C;
  • Exposição a pressões elevadas, na ordem de 5.000 atmosferas;
  • Não necessitar de alimentação;
  • Exposição a quantidades elevadas de radiação, na ordem de 5.800 gy2.

As instâncias de SCP-194-PT se mostram capazes de adentrar novamente em seu estado criptobiótico 2 minutos após terem retornado ao seu estado original. Uma instância de SCP-194-PT, após não estar mais sendo exposta a extremos, retorna ao seu estado original após aproximadamente 6 minutos, embora esse período tempo possa variar.

Exposição das instâncias de SCP-194-PT a SCPs capazes de causarem dano físico considerável não foram bem sucedidas até o momento (para mais informações, ver Adendo 002-194-PT).

As instâncias de SCP-194-PT demonstram elevada capacidade de regeneração, sendo capazes de regenerar um membro inteiro em um período inferior a 1 minuto. Quando uma instância de SCP-194-PT é repartida em diversos fragmentos, estes irão se agrupa e reconstituir a instância de SCP-194-PT dentro de um período de tempo variável (para mais informações, ver Adendo 002-194-PT).

As instâncias de SCP-194-PT reproduzem-se de forma sexuada. Observações feitas quando as primeiras instâncias de SCP-194-PT foram observadas mostram que a reprodução de instâncias de SCP-194-PT pode ser feita por mais de dois indivíduos.

Para se reproduzirem, duas ou mais instâncias de SCP-194-PT devem utilizar seus órgãos digestivos de formato circular para sugarem um fragmento do corpo da outra. Após isso, um processo interno ainda desconhecido ocorre nas instâncias de SCP-194-PT, durando aproximadamente 5 minutos. Após esse período de tempo, cada uma das instâncias de SCP-194-PT irá liberar uma instância de SCP-194-PT em seus estágios iniciais de desenvolvimento através de seus órgãos digestivos.

Uma instância de SCP-194-PT em seus estágios iniciais de desenvolvimento atinge a fase adulta após um período de aproximadamente 25 dias. Quando estão em seus estágios iniciais de desenvolvimento, as instâncias de SCP-194-PT não exibem um comportamento caracteristicamente hostil, somente atacando indivíduos humanos caso estes adentrem em um raio de 3 metros do mesmo.

Uma instância de SCP-194-PT em seus estágios iniciais de desenvolvimento possui a massa média de aproximadamente 15 kg, tendo um comprimento de 18 cm. Testes feitos com as instâncias de SCP-194-PT em seus estágios iniciais de desenvolvimento mostram que estas também são capazes de adentrar em estado criptobiótico, resistindo às mesmas condições expostas às instâncias de SCP-194-PT em seu estado adulto.

Desde que foram adquiridas pela Fundação, as instâncias de SCP -194-PT demonstraram sinais de envelhecimento posteriores à fase adulta. Tais sinais surgiram após cerca de 5 anos de sua aquisição. Dentre eles, verificam-se:

  • Menor mobilidade, com sua velocidade média diminuindo para aproximadamente 59 km/h;
  • Pigmentação da pele diminuindo lentamente, adquirindo tons branco-acinzentados;
  • Postura corporal tornando-se levemente danificada.

Quando atingem esse estado, as instâncias de SCP-194-PT mostram-se capazes de se reverter a um estado de imaturidade sexual, retornando aos seus estágios iniciais de desenvolvimento. As instâncias de SCP-194-PT atingirão novamente seu estado adulto após um período de 2 meses. As instâncias de SCP-194-PT aparentam poder repetir esse processo continuamente.

Descoberta: As primeiras instâncias de SCP-194-PT foram encontradas numa floresta localizada ao norte do município de Goianinha, Rio Grande do Norte, no ano de 2008. As instâncias foram avistadas reproduzindo-se durante um expedição realizada pelo Dr. Lallana. A expedição foi realizada após a assimilação de uma série de relatos da população do município de Goianinha envolvendo um ser descrito como "um humanoide alto, magro, sem olhos, de boca circular e de pele rosada". A expedição resultou na perda de ██ funcionários, restando apenas Dr. Lallana.

Adendo 001-194-PT:
Adendo 002-194-PT:

Adendo 003-194-PT-2010: Em 04/11/2010, Dr. Lallana, responsável pela expedição que descobriu as primeiras instâncias de SCP-194-PT, recebeu em sua residência um pacote não identificado contendo uma série de 5 cartas que descrevem a criação de um ser "alto, magro, de pele rosada e boca circular", descrição que assemelha-se àquela dada pela população do município de Goianinha acerca das instâncias de SCP-194-PT (para mais informações sobre as cartas, ver Registro de Cartas abaixo).

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License