SCP-2246
avaliação: +2+x

Item nº: SCP-2246

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-2246 são mantidos em um catálogo de textos anômalos na Área-17. SCP-2246 deve ser verificado uma vez por dia para quaisquer alterações no comprimento ou número de volumes. Entrevistas psiquiátricas semanais são agendadas com SCP-2246-1, que tem o objetivo de monitorar a sua saúde mental.

Descrição: SCP-2246 se refere a qualquer volume1 escrito por SCP-2246-1, também conhecido como Phoenix Snow. Um novo texto se manifestará em um volume inacabado, como se manualmente digitado, a uma taxa pouco frequente e inconsistente. Um novo volume inacabado se manifestará com os outros volumes quando o volume atual chegar a uma conclusão (normalmente entre 10 e 900 páginas). Todos os volumes contêm pouco em termos de uma narrativa linear e coerente, em vez disso, são escritos por um fluxo de consciência.

Quando uma página é mantida aberta por mais de cinco segundos, o texto da página será lido em voz alta por SCP-2246-1. Seu tom de leitura é subjugado e nervoso. Esse efeito é menos comum nos volumes produzidos por SCP-2246-1 após sua contenção inicial, com alguns volumes sem esse efeito.

A página final das instâncias de SCP-2246 contém uma abertura na qual os indivíduos podem passar para entrar no espaço onde SCP-2246-1 reside. Se esse espaço for acessado a partir de volumes concluídos, ele exibirá uma cena da história. Se for acessado a partir do volume inacabado atual, ele ficará sem recursos, exceto por uma mesa na qual uma máquina de escrever e vários conjuntos de papéis podem ser encontradas.

SCP-2246-1 é um homem hispânico que afirma ter se originado do Brasil, além de ter cerca de 20 anos de idade. SCP-2246-1 não apresenta necessidade de sustento ou funções corporais. Se SCP-2246-1 for encontrado em um volume finalizado, ele não reconhecerá nenhum indivíduo na área e continuará executando suas ações atuais sem falar. A comunicação só é possível através de instâncias mais recentes de SCP-2246. SCP-2246-1 não pode deixar SCP-2246 por razões desconhecidas; e a pesquisa sobre isso está em andamento.

Transcrição da Entrevista 2246-E:

Entrevistado: SCP-2246-1

Entrevistador: Psicologista Júnior Blake Yamagusuku

Prefacio: A entrevista pega lugar no Volume 50, "Um Reconto das Aventuras Egrégias do Nicolas Terrance"2.

<Inicio do Registro, 16:01>

Psicologista Yamagusuku: Boa tarde, Phoenix. Como vai com a escrita?

SCP-2246-1: Obsoleto, obsoleto, obsoleto, obsoleto. Eu estive olhando para a parede para… [SCP-2246-1 sussurra por um minuto, olhando para a máquina de escrever.] A última vez que nos se falamos. Eu não tenho nenhuma inspiração para escrever. Eu não sei. Como posso começar?

Yamagusuku: O que você acha que a história vai ser?

SCP-2246-1: Eu não sou bom com histórias.

Yamagusuku: Então… imagens. Quais imagens vêm à sua mente?

SCP-2246-1: Carros dirigindo lateralmente. Crianças saindo da escola para depois trocar histórias em quadrinhos com dinheiro. Meu parceiro vai para a cama comigo e eu posso sentir a mão dele massageando minhas costas, enquanto eu continuo lá tentando escrever. Nicolas também está lá, sussurrando e com ciúme do meu sucesso. Sucesso…

Yamagusuku: Um parceiro? Qual era o nome deles?

SCP-2246-1: Não, eu não tenho um. Eu tinha um amigo. Meu parceiro é modelado depois dele e do personagem em seus livros. Avery era o nome dele. Ambos os nomes deles. Ele era bem próximo e era gentil comigo. Avery também não tinha certeza sobre sua escrita, mas ele me ajudou às vezes. Eu acho que ele foi minha inspiração. Ele é o protagonista do Volume 133.

[SCP-2246-1 faz uma pausa por quatro segundos antes de se sentar e digitar nos próximos seis minutos. Imediatamente após o término, SCP-2246-1 se levanta, andando em círculos pela mesa.]

SCP-2246-1: Deve ter sido pelo menos trinta volumes desde que eu escrevi quando estava confiante… Não consigo pensar no que escrever a seguir.

Yamagusuku: Você acha que mudar estilos ajudaria?

SCP-2246-1: Diabo você sabe, diabo você sabe.

Yamagusuku: Bem… talvez isso seja uma ideia estupida, mas sobre isso. Sempre que eu não consigo pensar em nada para escrever, eu apenas tento pensar em situações estranhas para os meus personagens. Algo que nunca poderia ser plausível. Ver até onde isso me leva depois.

SCP-2246-1: Eu não entendi?

Yamagusuku: "Nick acordou da escapada na noite passada, confuso sobre seu entorno imediato. Por que o telhado se foi e o céu ficou marrom? Não fazia sentido."

[SCP-2246-1 pára de andar, começa dar atenção a Yamagusuku e sentando-se na cadeira.]

Yamagusuku: "Ele rolou para fora da cama, no oceano e encontrou um edifício próximo, que estava flutuando pelo mar. Sem outras opções, decidiu nadar, procurando respostas. Finalmente, ele chegou à porta, abriu e entrou no edifício."

SCP-2246-1: E? [SCP-2246-1 se inclina.]

Yamagusuku: "E quando Nick entrou no edifício, vasculhando suprimentos para se sustentar, ele se deparou com seu maior medo, que assombrou seus pesadelos por semanas…" [Yamagusuku se levanta e agita os braços.] "Um robô assustador!"

[Silêncio por oito segundos. SCP-2246-1 respira profundamente, e começa a rir. Yamagusuku senta novamente, também rindo, antes que ambos parem 14 segundos depois.]

Yamagusuku: Talvez seja a primeira vez que você tinha sorrido desde que comecei a te entrevistar.

SCP-2246-1: Talvez seja a primeira ideia original que tive aqui. Não tenho certeza se vai caber no meu estilo ou narrativa, no entanto.

Yamagusuku: Você não acha que poderia adaptar isso a como você escreve?

SCP-2246-1: Diabo, você sabe. [SCP-2246-1 volta para a máquina de escrever, começando a ler a escritura.] Nicolas se levanta, caminhando pelas nuvens de água. Ele percebe que está perdido, sem saber para onde ir. Ele ainda está com ciúmes dos carros, das crianças, do meu parceiro e de mim, mas ele nunca pensa em por que está com ciúmes. Ele não tem razão para ficar com ciúmes.

Yamagusuku: Por que você acha que ele está com ciúmes?

SCP-2246-1: Não tenho certeza. Eu sinto que deveria ser o contrário.

Yamagusuku: Ele está com ciúmes do Avery?

SCP-2246-1: Não. Ele não o conheceria. Mesmo na minha imaginação, eles nunca foram capazes de se encontrar antes. [Silêncio por 8 segundos.] Se eu terminar esta história, você pode por favor evitar de ler?

Yamagusuku: Desculpe, Phoenix. Eu preciso ler isso. Isso me ajuda a entender melhor e facilita essas entrevistas.

[SCP-2246-1 sussurra por 12 segundos antes de começar a digitar. SCP-2246-1 continua digitando durante o resto da entrevista sem reconhecer Yamagusuku.]

<Fim do Registro, 16:30>

Transcrição da Entrevista 2246-AQ:

Entrevistado: SCP-2246-1

Entrevistador: Psicologista Júnior Blake Yamagusuku

Prefacio: A entrevista pega lugar no Volume 51, "Phoenix and the Fox in the Snow".

<Inicio do Registro, 16:01>

[Silêncio por 18 minutos de ambas as partes. SCP-2246-1 fica sussurrando e batendo o pé. Yamagusuku faz anotações.]

SCP-2246-1: Eu não posso pensar mais.

Psicologista Yamagusuku: Hmm? Por que diz isso?

SCP-2246-1: Não tive nada para lhe dizer nas últimas cinco vezes que esteve aqui e nada para escrever desde aquilo. Nenhuma imagem está vindo para mim. As torneiras na minha cabeça pararam. Escrever era um grande interesse meu para investir antes, e agora. Não tenho certeza se tenho mais coisa para dar.

Yamagusuku: Essa foi uma bela imagem que você deu ali, não foi?

SCP-2246-1: Metáforas não são imagens.

Yamagusuku: Hmm.

[Silêncio por mais dois minutos.]

Yamagusuku: O que você planeja fazer então, se você não pode escrever mais?

SCP-2246-1: Queria sonhar, se eu puder. Eu me arrependo de escrever. Provavelmente foi um erro ser investido. Talvez eu ainda possa sonhar. Eu queria poder dormir. [SCP-2246-1 se levanta e caminha ao redor da mesa, mordendo as unhas.]

Yamagusuku: Eu imagino que deitar e fechar os olhos não faz nada para você.

SCP-2246-1: Nada. [Silêncio por 20 segundos.] Eu gostaria de saber o que estou fazendo. Isso me deixa nervoso também.

Yamagusuku: Nervoso?

SCP-2246-1: Quantas histórias eu preciso escrever antes de me sentir bem comigo mesmo? Eu não quero trabalhar para sempre sem um fim. E o fato de tantos olhos estarem direcionados a mim… Eu me sentia melhor quando só meu amigo e eu pudêssemos ler sozinhos. Era mais pessoal e íntimo. Isso não parece pessoal e íntimo… Eu posso sentir os olhos nos meus trabalhos. É como fazer contato visual. Não há mais espaço pessoal.

Yamagusuku: É por isso que você não lê mais suas histórias?

SCP-2246-1: Antes, quando não era quase mais ninguém, senti mais certeza sobre isso. Mas agora há esses estranhos vendo. O que mais devo sentir sobre isso?

[Silêncio por dois minutos. SCP-2246-1 digita uma palavra antes de parar, deitando a cabeça sobre a mesa e sussurrando suavemente por trinta e dois segundos.]

SCP-2246-1: Não importa muito o que as pessoas pensam das minhas histórias, certo? Eu estou apenas escrevendo para mim agora. Então eu posso escrever o que eu quiser… é o que eu deveria estar dizendo, não é?

Yamagusuku: Como a leitura ajudou você antes? Parece que foi realmente pessoal, e talvez alguém tenha ouvido você ler.

[Silêncio por um minuto. SCP-2246-1 levanta a cabeça, olhando para a mesa.]

Yamagusuku: Você não precisa continuar lendo seu trabalho, seja por hábito ou por vontade. Pode ser mais fácil continuar escrevendo e encontrar alegria novamente se você parar de ter essa expectativa. Não há necessidade de fazer isso só porque você sente que precisa.

SCP-2246-1: Então, para quem eu deveria estar fazendo isso? Eu não entendo

Yamagusuku: Pro Avery?

SCP-2246-1: Não. Ele ficaria desapontado com onde eu estou agora, eu acho.

Yamagusuku: Então para você. E se você não pode escrever para si mesmo, então você poderia tentar escrever para ninguém. Pode ser mais útil do que parece.

SCP-2246-1: Hmm. [SCP-2246-1 faz uma postura menos tensa, olhando para a máquina de escrever.]

Yamagusuku: Eu recomendaria tentar isso por um tempo e ver como se sente por você. Não há necessidade de mergulhar de cabeça em algo novo, certo?

SCP-2246-1: Certo.

<Fim do Registro, 16:30>

Pós-escrito: SCP-2246-1 terminou "Phoenix and the Fox in the Snow" dois dias depois em três páginas. Eles pareciam mudar de comportamento até o final da entrevista. Espero que isso tenha um efeito positivo em geral. ~ Psicologista Júnior Blake Yamagusuku

Adendo 2246-B: Os volumes SCP-2246 foram produzidos em uma taxa mais consistente desde a Entrevista 2246-AQ. A prosa é mais convencionalmente escrita e totalmente desprovida de quaisquer leituras de SCP-2246-1.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License