SCP-229
avaliação: +2+x
229a.jpg

Poste telefônico infestado por SCP-229

Item nº: SCP-229

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: Nenhum aparelho elétrico de qualquer tipo é permitido dentro ou entre trinta metros da área de contenção. Todo e qualquer funcionário que entrar na área de contenção deverá vestir roupas e capacetes revestidos de chumbo. Qualquer coisa que se descobrir infectada por SCP-229 deve ser imediatamente incinerada, e os destroços e cinzas contidos e eliminados de acordo com o protocolo XJR-99.

A área de contenção deve ser composta de um cubo vazio de granito com 18 cm de grossura, 8 metros em um dos lados, com uma única porta e área de descompressão. Estas não devem operar com componentes eletrônicos, devendo ser feitos de madeira ou pedra sempre que possível.

Qualquer organismo infestado com SCP-229 deve ser imediatamente incinerado. Qualquer item ou funcionário que saia da área de contenção deve ser analisado e liberado pela segurança da instalação.

229b.jpg

Grande infestação do SCP-229 em uma vizinhança do Iraque. Foto tirada momentos antes da esterilização.

Descrição: SCP-229 aparenta ser uma massa de cabos e fios. Superficialmente, eles demonstram ser fios desencapados de cobre, cabos insulados de ethernet, cabos de telefone, linhas de força, e muitas outras formas de cabos elétricos. A massa atual pesa 94 kg segundo a última medição.

Provisoriamente, SCP-229 é identificado como uma forma de vida sílica. SCP-229 é um parasita altamente invasivo, atacando qualquer coisa carregando a menor corrente elétrica que seja. SCP-229 crescerá por diversos centímetros a cada hora, e formará conectores para se prender a fontes de eletricidade (tomadas de parede, conectores USB, etc.). SCP-229 também irá se dividir em cabos de força e fios existentes se nenhuma conexão for possível. SCP-229 aparenta se "alimentar" de eletricidade.

SCP-229 aparenta hibernar quando longe da presença de uma fonte elétrica. Qualquer corrente elétrica entrando num raio de trinta metros, não importa o quão pequena, imediatamente irá fazer SCP-229 "crescer" na direção da eletricidade. Questões em relação à possível inteligência e órgãos sensoriais do SCP-229 ainda estão sob investigação.

SCP-229 aparenta "crescer" mais efetivamente em metal ou plástico, mas é bastante capaz de infestar tecido vivo. Em animais vertebrados, SCP-229 irá rapidamente penetrar na epiderme e outros tecidos, envolvendo e se conectando à espinha. SCP-229 irá então crescer ao longo dos nervos até o cérebro, se conectando e infestando-o em questão de dias. Este processo aparenta ser extremamente doloroso, e pode causar um comportamento bastante errático. Quando o sujeito infestado se aproxima da morte, geralmente pela hemorragia interna massiva e dano cerebral, SCP-229 irá sair do corpo, perfurando pela pele e se prendendo à qualquer estrutura próxima, assim começando o ciclo novamente.

É teorizado que o SCP-229 sempre esteve presente em nosso ecossistema, mas o nível tecnológico, e por consequência a disponibilidade de eletricidade, era insuficiente para permitir sua proliferação. Com a atual prevalência de fios e outros aparelhos eletrônicos, a detecção pode ser extremamente difícil. Incineração atualmente é o melhor método de remoção do SCP-229.

Adendo: No momento, experimentação cruzada entre SCP-229 e SCP-217 é permitida apenas com aprovação O5.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License