SCP-2362
avaliação: +1+x
2362-1.jpg

Imagem de SCP-2362 e seu satélites, fotografia tirada antes do lançamento da sonda Orpheus

Item nº: SCP-2362

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: O conhecimento público de SCP-2362 em seu estado atual deve ser suprimido por qualquer meio necessário. A interceptação e supressão de dados astronômicos que indicam o estado atual de SCP-2362, a composição orgânica de SCP-2362, ou a existência de SCP-2362-1 é conduzida pela Força Tarefa Móvel Omicron-12 (“Destruidores de Planetas”). FTM Omicron-12 também é encarregada de os fabricar dados astronômicos, com o objetivo de reduzir o interesse do público em SCP-2362.

Num caso em que o estado atual de SCP-2362 se tornar mais aparente para o público através de algum lapso na segurança da Fundação, FTM Omicron-12 disseminará vários dados fabricados indicando que SCP-2362 foi reduzido ao seu estado atual durante uma colisão com um objeto de tamanho comparável em Cintura de Kuiper (protocolo de contingência situacional 2362-A).

Num caso em que a existência de SCP-2362-1 se tornar mais aparente para o público, FTM Omicron-12 disseminará vários dados fabricados indicando que SCP-2362-1 é apenas um objeto da Cintura de Kuiper seguindo uma órbita de um escape resultante da interação gravitacional com objetos vizinhos (protocolo de contingência situacional 2362-B).

Num caso em que SCP-2362-1 alcançar uma distância suficientemente grande para torná-lo indetectável por equipamentos civis e governamentais, FTM Omicron-12 disseminará vários dados parcialmente precisos indicando o estado atual de SCP-2362, juntamente com dados fabricados indicando que SCP-2362 foi reduzido ao seu estado atual durante uma colisão com um objeto de tamanho comparável em Cintura de Kuiper (protocolo de contingência situacional 2362-C).

Qualquer sonda civil ou governamental que for enviada tentando investigar SCP-2362 ou SCP-2362-1 deverá ser interceptada.

Pesquisadores que interpretam dados do observatório lunar da Fundação devem notificar o Comando O5 sobre qualquer mudança na trajetória de SCP-2362-1 imediatamente.

Descrição: SCP-2362 é a designação de Pluto, um objeto interior da Cintura de Kuiper, após a descoberta de sua composição orgânica pelos pesquisadores da Fundação em 1983. SCP-2362 é atualmente um campo de detritos transnetuniano orbitando o Sol com um afélio1 de 48,9 AU (UA), um periélio2 de 29,7 AU, uma excentricidade3 de 0,248, e um período orbital4 de 248 anos. SCP-2362 foi reduzido ao seu estado atual durante a emergência de SCP-2362-1 no polo sul de SCP-2362 (veja o registro de eventos 2362-A).

SCP-2362-1 é um objeto de massivo tamanho com aproximadamente 900 km de diâmetro, consistindo de uma massa em forma de câmpanula com treze apêndices e geralmente se assemelhando a uma água-viva do gênero Pelagia. O objeto emite uma luz azul e não possui características de superfície discerníveis. SCP-2362-1 é capaz de se propulsionar expandindo e contraindo os seus apêndices. O mecanismo desta propulsão é atualmente mal compreendido, mas pode ter alguma semelhança com a propulsão de íons convencional, dada a corrente de partículas carregadas detectadas no objeto. Após a sua emergência, os satélites naturais de SCP-2362 foram afetados por forças de maré e agora fazem parte do campo de detritos. SCP-2362-1 atualmente está seguindo uma grande trajetória enquanto ele se dirige para a vizinhança da Estrela de Barnard a uma velocidade superior a 30,000 m/s. Estimou se que SCP-2362 e SCP-2362-1 sairão do sistema solar em algum ponto no ano 20██, a anomalia atualmente não é considerada uma ameaça a vida na Terra.

Enquanto SCP-2362 é visível da Terra através de telescópios de grande potencia, o campo de detritos é denso o suficiente para que a diferença de sua aparência anterior ao evento 2362-A só seja perceptível com os telescópios de alguns observatórios e satélites artificiais. FTM Omicron-12 se infiltrou nos observatórios e satélites, impedindo-os de obter novas imagens de SCP-2362 (incluindo imagens de fragmentos SCP-2362 que deixaram a vizinhança do campo de detritos) ou quaisquer imagens de SCP-2362-1.

Sonda da Fundação 76EU está atualmente em desenvolvimento, e está direcionado para SCP-2362-1.

Registro de Eventos 2362-A:

05/05/2006: Os dados adquiridos do radar da sonda de Fundação 45OR (“Orpheus”), atualmente em órbita de SCP-2362, indicam que a massa central do objeto está mudando rapidamente no seu polo sul. Enquanto SCP-2362 já é suspeito de ser de origem biológica, dada a sua composição exclusivamente orgânica, a hipótese de que SCP-2362 possa ser um organismo vivo é apresentada pela equipe de pesquisa Orpheus estacionada na Área-██.

05/21/2006: Dados adquiridos do radar de Orpheus indicam que a superfície de SCP-2362 está começando a se desintegrar. Grandes fissuras se abrem através do objeto quando o material começa a se liberar e formar uma possível nuvem ao redor dele.

06/10/2006: Uma fissura gigante começa a se abrir no polo sul do objeto. A fissura mede aproximadamente 50 km de comprimento e 10 km de largura.

06/11/2006: A fissura mede aproximadamente 230 km de comprimento e 50 km de largura.

06/12/2006: A fissura mede aproximadamente 950 km de comprimento e 370 km de largura. As órbitas de satélites são visíveis se deteriorando.

06/23/2006: Treze massas começam a se projetar da fissura do sul de SCP-2362, cada uma com 50 km de diâmetro. Sete das massas parecem estar empurrando um lado da fissura, com outras seis massas empurrando o outro lado.

06/27/2006: Fissura se expande para totalmente abranger SCP-2362 como as treze massas ainda se projetam a partir dele. O objeto se divide em duas metades, revelando que SCP-2362 é uma espécie de casca que abrigava uma espécie de massa central. A massa central é designada como SCP-2362-1.

07/04/2006: SCP-2362-1 sai da vizinhança de SCP-2362. À medida que SCP-2362-1 contrai e expande seus apêndices, o objeto atinge uma aceleração constante de aproximadamente 10 m/s2. Como SCP-2362-1 deixa SCP-2362 para trás, suas forças de maré são violadas e seus satélites são separados, formando um grande campo de detritos. SCP-2362-1 cessa a aceleração após aproximadamente 50 minutos, trazendo sua velocidade para mais de 30,000 m/s.

Adendo 1: Após a infiltração de FTM Omicron-12, a União Astronômica Internacional revogou o status de “Pluto” como um planeta em 08/24/2006. Embora crie controvérsia e aumente consideravelmente a exposição de SCP-2362 num curto prazo, isso é considerado necessário para desencorajar o interesse público a longo prazo.

SCP-2362 permanecerá conhecido por cientistas e entusiastas de astronomia, mas o conhecimento comum de SCP-2362 provavelmente irá diminuir dentro de uma ou duas gerações, já que não está mais incluído nas listas de planetas e recebe menos atenção da programação educacional.

2362-2.jpg

Imagem fabricada de SCP-2362 recebida pela NASA de uma missão de exploração interceptada designada "New Horizons" (Novos Horizontes)

Adendo 2: Enquanto a sonda “New Horizons” enviada pela NASA tinha o objetivo de fornecer ao público as primeiras imagens detalhadas de SCP-2362, FTM Omicron-12 interceptou com êxito a missão e divulgou vários dados falsos de acordo. Felizmente, como acontece com a maioria das missões da NASA, o interesse público é suficientemente baixo, então isso é considerado algo de pouco risco.

Adendo 3: Recentemente, os dados espectrográficos sugerem que os objetos transnetunianos Haumea, Eris e Makemake são de composição orgânica semelhante à de SCP-2362. Sondas da Fundação 87KA ("Kaulu"), 88AL ("Algos") e 89TA ("Tangata") estão atualmente a caminho desses objetos respectivamente. Os astrônomos da Fundação estão agora realizando uma análise espectral de massa dos objetos da Cintura de Kuiper e do Disco Disperso.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License