SCP-2526
avaliação: 0+x
2526-1.jpg

Amostra de SCP-2526 sob a iluminação.

Item nº: SCP-2526

Classe da Anomalia: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: Os relatórios de pessoas com sintomas consistentes com a exposição a SCP-2526, fenômenos telecinéticos e fotos inesperadamente distorcidas ou alteradas devem ser investigados. Os protocolos padrão de supressão de informação aplicam-se a esses relatórios e a qualquer evidência associada de SCP-2526.

Caso SCP-2526 seja localizado em qualquer lugar fora da contenção, ele deve ser esterilizado sob o pretexto da remoção de mofo.

Um edifício hospitalar com infestação severa de SCP-2526 foi adquirido pela Fundação para realizar o estudo da anomalia. Ele, juntamente com dois edifícios vizinhos para o pessoal das instalações de pesquisa, foi designado a Área-44. Devido à omnipresença de SCP-2526 em seu edifício de contenção, o pessoal não está autorizado a entrar sem equipamento de proteção e não devem permanecer ociosos enquanto estiverem no edifício.

Atualização: O pessoal que participou na pesquisa de projetos Classe-13 não são permitidos de interagir com SCP-2526.

Atualização: Celebração do Dia dos Mortos ou feriados semelhantes é proibida na Área-44.

Atualização: O supervisor HMCL de SCP-2526 não deverá visitar Área-44 ou qualquer outra área afetada por SCP-2526.

Descrição: SCP-2526 é uma espécie de archaea que não está intimamente relacionada com outras espécies existentes. A aparência e a tendência de crescer nas paredes geralmente levam a confundir com Stachybotrys chartarum1. Embora não seja notável a olho nu, imagens fotográficas de espécimes de SCP-2526 vivos experimentam distorção substancial e/ou descoloração. SCP-2526 pode ser removido usando uma variedade de agentes de limpeza comuns, conforme descrito no Documento 2526-C.

Embora os requisitos e subprodutos nutricionais de SCP-2526 sejam consistentes com um metabolismo autotrófico, não possui material genético ou propriedades simbióticas necessárias para submeter a fotossíntese ou qualquer outra forma conhecida de autotrofia. A fonte de energia de SCP-2526 é desconhecida.

SCP-2526 só é capaz de crescer e sobreviver em superfícies próximas a áreas que foram a localização de muitas mortes. Normalmente, isso é limitado aos hospitais, áreas afetadas por devastadores desastres naturais e zonas de combate. Grandes matadouros também são suscetíveis; no entanto, o requisito aparente para a morte animal excede em grande parte o da morte humana.

Indivíduos nas proximidades de SCP-2526 informam uma variedade de sintomas, mais comumente calafrios, habilidade motora fina reduzida, sentimentos de pavor e alucinações auditivas de ruído branco. A gravidade desses sintomas é tipicamente proporcional à quantidade de SCP-2526 e a distância do indivíduo a partir dele. A exposição ao SCP-2526 não tem efeitos conhecidos a longo prazo.

2526-2.jpg

Infestação de SCP-2526 sob iluminação.

Caso SCP-2526 possa crescer em uma área por mais de oito dias, os fenômenos telecinéticos começarão a ocorrer em torno de sua localização2. Pequenos itens podem ser lançados espontaneamente para SCP-2526 por 2-5 m/s; Se SCP-2526 estiver crescendo em um objeto solto (como uma mesa ou uma placa Petri), esse objeto normalmente será lançado a velocidades semelhantes em seu ambiente. Os indivíduos que permanecem na presença de SCP-2526 sem observá-lo podem ser levados 2-3 metros para o ar por vários segundos antes de serem liberados.

As colônias de SCP-2526 se espalham a uma taxa de 15% por dia em condições ideais e são capazes de começar o crescimento dentro de um dia de eventos que resultam em perda de vida extensa. Devido à elevada taxa de produção de esporos da archaea e à sua capacidade de propagação pelo vento, acredita-se que os esporos de SCP-2526 sejam generalizados, mas que podem crescer em poucos lugares.

Adendo: Em 2012-04-09, Dr. Vadnais, um encarregado na pesquisa de SCP-2526, começou a relatar sintomas de exposição ao SCP-2526 em sua residência pessoal. Uma investigação localizou uma colônia de SCP-2526 crescendo no assoalho de Dr. Vadnais. Atualmente acredita-se que os esporos de SCP-2526 aderiram à roupa ou à pele de Dr. Vadnais e foram depositados em sua casa.

Não há evidências de morte humana ou significativa de animais que tenha ocorrido na casa do Dr. Vadnais; Assim, tem sido especulado que sua tarefa anterior para [REMOVIDO] é responsável por essa susceptibilidade. Embora isso não tenha sido demonstrado conclusivamente, os requisitos de seleção de pessoal para SCP-2526 foram atualizados na tentativa de evitar novos incidentes.

Adendo: Em 2012-11-02, todas as decorações criadas para a celebração do Dia dos Mortos na Área-44 foram espontaneamente queimadas. Pesquisador Sênior Dawson, supervisor HMCL de SCP-2526, desenvolveu lacerações com aproximadamente 2 cm de profundidade em seu abdômen concordantes com este evento. As lacerações formaram uma representação estilizada da queima de um edifício que se assemelha à contenção de SCP-2526.

Devido a esse incidente, os procedimentos de contenção para SCP-2526 foram atualizados.

Adendo: Em três ocasiões distintas, o supervisor HMCL de SCP-2526 ordenou espontaneamente a incineração do edifício de contenção de SCP-2526 na Área-44; em cada caso, as ordens foram retiradas dentro de oito horas, com o supervisor HMCL alegando que não havia memória de as emitir. Todos os deveres do supervisor agora são tratados de forma remota, o que parece ter impedido qualquer recidiva do fenômeno.

Na terceira ocasião, o supervisor HMCL, Steele, esteve uma visão breve das câmeras de segurança enquanto emitia ordens de descomissionamento. Pessoal na cena não relatou anomalias; No entanto, as câmeras indicaram a presença de três indivíduos que acompanham Steele. A identificação desses indivíduos é impossível devido à forte distorção visual que envolve suas imagens.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License