SCP-3001
avaliação: +5+x

Item nº: SCP-3001

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: Para prevenir novos casos de entradas acidentais em SCP-3001, toda tecnologia de dobra de realidade da Fundação será melhorada/modificada com múltiplas travas de segurança recém-desenvolvidas para prevenir a criação de buracos de minhoca Classe-C "Entrada Quebrada". Embora conhecimento de SCP-3001 esteja disponível para funcionários de qualquer nível caso eles queiram aprender sobre este, pesquisa e experimentação com SCP-3001 e tecnologia associada a ele é estritamente limitada para funcionários de Nível 3 e acima, com designação de liberação especial concedida dos Sítios 120, 121, 124, e 133.

Descrição: SCP-3001 é uma "não-dimensão" de bolso/paralela paradoxal hipotética acessível através da criação de um buraco de minhoca Classe-C "Entrada Quebrada"1 momentâneo. Embora acredita-se ser um universo paralelo que se estende infinitamente, SCP-3001 é quase completamente desprovido de qualquer matéria e tem um nível Hume extremamente baixo de 0.0322, contradizendo as Leis da Realidade de Kejel com a relação entre Humes e espaço-tempo. Esse fenômeno resulta na matéria em SCP-3001 decaindo a uma taxa extremamente baixa e dano que normalmente seria fatal não impede qualquer função biológica/eletrônica; simulações sugerem que um organismo pode perder mais de 70% do tecido de seu corpo e ainda operar normalmente, desde que pelo menos 40% do cérebro permaneça intacto. Porém, exposição prolongada fará com que a dita matéria gradualmente aproxime-se do nível Hume de SCP-3001, resultando em dano tecidual/estrutural severo conforme o Campo Hume da própria matéria começa a desintegrar.

SCP-3001 foi inicialmente descoberto em 2 de Janeiro de 2000, no Sítio-120, uma instalação dedicada a testar e conter tecnologia de dobra de realidade. Dr. Robert Scranton e sua esposa Dra. Anna Lang eram Pesquisadores Chefe do Sítio-120 e estavam desenvolvendo um dispositivo experimental, chamado de "Estabilizador Lang-Scranton" (ELS)3. Dr. Scranton foi transportado para SCP-3001 após atividade sísmica inesperada danificar diversos ELSs ativos no Laboratório de Realidade A do Sítio-120.

Inicialmente presumido como morto, Dr. Scranton tem sobrevivido em SCP-3001 por pelo menos 5 anos, 11 meses, e 21 dias. Durante esse tempo, ele foi capaz de gravar suas experiências e observações dentro de SCP-3001 através de um painel de controle de ELS que, de alguma forma, ainda funcionava, que foi trazido para dentro de SCP-3001 com ele através do buraco de minhoca Classe-C "Entrada Quebrada". Essas gravações foram recuperadas quando o painel retornou repentinamente, um efeito colateral inesperado de testar tecnologia de dobra de realidade melhorada; esses Registros são a base do estudo de SCP-3001. Apesar de novas tecnologias terem sido desenvolvidas, recuperação e re-integração de Dr. Scranton tem fracassado. Seus estados físico e mental, caso ele ainda esteja vivo, são desconhecidos. [Mais informações sobre a possível recuperação de Dr. Scranton está sob análise do Comitê de Ética.] Transcrições dos registros de Dr. Scranton estão logo abaixo.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License