SCP-307
avaliação: 0+x

Item nº: SCP-307

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-307 deve ser mantido dentro de uma plantadeira de aço inoxidável de 0,5 metro quadrado, dentro de uma câmara de crescimento hidropônica equipada com luz e sprinkler operados remotamente. As laterais da plantadeira devem ser equipadas com lâminas circulares retráteis, cujos controles devem estar localizados fora da cela de contenção e sempre com funcionários. A câmara hidropônica deve ser mantida em uma sala de 5 m x 5 m x 3 m com paredes, piso e teto de aço inoxidável. Não deve haver janelas na sala - toda luz virá da luz de crescimento hidropônica e qualquer observação de SCP-307 deve ser feita por uma câmera de segurança. A temperatura da sala deve ser mantida a 15°C para desencorajar a produção de sementes.

Se entrada na sala de SCP-307 for necessária, ela deve ser feita por robôs operados remotamente. Absolutamente nenhum ser humano vivo deve entrar na cela de contenção de SCP-307 após o Incidente 307 (consulte o Adendo 2).

Se qualquer espécime de SCP-307 for descoberto fora da cela de contenção, ele deve ser queimado imediatamente até restarem apenas cinzas. Qualquer funcionário que tocar SCP-307 também deve ser queimado.

Descrição: SCP-307 é uma trepadeira rasteira, semelhante em aparência à hera inglesa comum (Hedera helix), exceto pela presença de espinhos esverdeados nas hastes e a tendência das folhas de exibir uma tonalidade roxa. A trepadeira cria raízes aproximadamente a cada 30,5 cm (12 pol.). As raízes conseguem penetrar em qualquer material poroso, mas não em metal. Qualquer parte da planta não conectada a um sistema de raízes deve ser considerada morta e segura para ser examinada de perto.

SCP-307 parece ser carnívoro, e parece exibir algum grau de inteligência (consulte o Documento 307-A). Quando na presença de um animal de sangue quente (doravante referido como "a vítima"), ele cresce a uma taxa surpreendentemente rápida na direção do animal, muitas vezes crescendo três trepadeiras por vez no que parece ser uma manobra de flanco. Ao entrar em contato, SCP-307 parece paralisar a vítima, e então liquefazer e drenar todos os órgãos internos, musculatura e sangue. Os mecanismos pelos quais ele faz isso são atualmente desconhecidos; eles, entretanto, levaram os pesquisadores a chamar SCP-307 de "hera aranha".

SCP-307 foi originalmente descoberto pelo Agente "Apocalemur" em ████████, ████, onde ele o testemunhou crescendo rapidamente no tronco de uma árvore e consumindo um ninho de tordos americanos. Análises mais aprofundadas revelaram a prevalência da planta em toda a América do Norte. Ela tem se mostrado altamente resistente a qualquer tentativa de envenenamento. Isso inclui todos os herbicidas disponíveis comercialmente, exposição a plantas alelopáticas e formaldeído. Exceto pela amostra obtida para estudo, a planta foi queimada onde quer que tenha sido encontrada - no entanto, é muito provável que numerosos espécimes ainda existam fora do controle da Fundação. SCP-307 só é mantido vivo na esperança de ser criado um agente biológico para ser usado na população selvagem.

Documento nº 307-A: Registros de experimentos

Experimento 1: █/██/████. Bandeja de larvas de farinha introduzida à cela.

Resultado: SCP não mostrou sinais de movimento.

Experimento 2: █/██/████. Tarântula de cabelo rosa chilena introduzida.

Resultado: SCP não mostrou sinais de movimento. Não respondeu quando a tarântula subiu no SCP.

Experimento 3: █/██/████. Rato vivo introduzido na cela.

Resultado: SCP imediatamente começou a crescer na direção do rato. Uma trepadeira se estendeu diretamente em sua direção, enquanto outras duas cresciam ao redor e na frente dele, efetivamente cercando o rato. O rato imediatamente ficou rígido e parou de se mover ao entrar em contato com SCP-307. O comportamento continuou por 26 segundos antes que o rato caísse de lado, obviamente morto. As trepadeiras fora da plantadeira foram cortadas, permitindo a funcionários classe-D coletar o rato. Após a recuperação, foi observado que o rato parecia não ter qualquer estrutura anatômica além de pele e ossos. O rato foi levado para uma análise mais aprofundada.

Quando o rato foi dissecado, os pesquisadores observaram uma completa ausência de sangue, órgãos internos e musculatura. Todas as estruturas internas foram substituídas por um sistema de raízes, que os pesquisadores rastrearam até o crânio do rato. Uma única semente foi encontrada dentro da cavidade cerebral vazia do rato. O rato foi posteriormente queimado.

Experimento 4: █/██/████. Frasco contendo 130 afídios introduzido. Câmera adicional adicionada para visualização de perto.

Resultado: Afídios se prenderam em SCP-307 e começaram a se alimentar. SCP-307 não respondeu de maneira visível. Todos os afídios morreram dentro de cinco (5) minutos após a primeira refeição. Potencial para uso como inseticida anotado.

Adendo 1: Notas de interesse tomadas pelo Agente Apocalemur durante a observação de SCP-307

…A energia necessária para facilitar uma taxa de crescimento tão rápida seria astronômica, mas SCP-307 parece capaz de "perseguir" a presa, independentemente da luz disponível ou do tempo desde a última refeição…

…O comportamento exibido por SCP-307 durante o Incidente 307 sugere a presença de algum tipo de músculo botânico. A análise de trepadeiras cortadas não revelou nenhuma estrutura que pudesse servir a este propósito…

Adendo 2: Em vista do Incidente 307, SCP-307 foi elevado para a classe Keter. Ajustes apropriados ao protocolo de contenção foram feitos. Consulte o Relatório de Incidente 307 para mais detalhes.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License