SCP-374
avaliação: +1+x

Item nº: SCP-374

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-374 deve ser armazenado em um estado desmontado. A lâmina de SCP-374 deve ser armazenada separadamente do resto do aparelho e deve ser limpa e polida com um pano de polimento de grau óptico e limpador não abrasivo após cada uso.

Devido à sua extrema idade, todas as peças do aparelho devem ser armazenadas em instalações climatizadas. A lâmina deve ser armazenada em uma instalação com um sistema de prevenção de incêndio classe-2 e a estrutura deve ser armazenada em uma instalação com sistema de prevenção de incêndio classe 3.

As propriedades de SCP-374 dependem da conjunção de sua estrutura de madeira e lâmina de metal originais; estes devem ser preservados. Outras peças de SCP-374 (parafusos, porcas, cabos de tração) podem ser substituídas conforme necessário.

Cada instância expirada de SCP-374-1 deve ser preservada em formaldeído por um ano, após o qual deve ser incinerada. Exceto em emergências, apenas funcionários Classe-D devem ser usados para produzir instâncias de SCP-374-1.

Todas as sessões de interrogatório devem ser gravadas, transcritas e arquivadas. Os interrogatórios devem começar com a pergunta "Você consegue me ouvir?" a fim de provocar uma resposta.

Descrição: SCP-374 é uma guilhotina da era da Revolução Francesa feita de carvalho com lâmina de aço. SCP-374 não apresenta propriedades incomuns quando não está em uso. Qualquer uso de SCP-374 para decapitar um ser humano vivo produz uma instância de SCP-374-1.

SCP-374-1 é uma cabeça humana decepada habitada pela personalidade de um homem da era da Revolução Francesa chamado Jean-Philippe-Horace-Donatien █████████████ Por aproximadamente trinta e cinco (35) minutos após a instanciação, SCP-374-1 é capaz de ver, ouvir e falar, e de manifestar formas limitadas de consciência aprimorada, permitindo-lhe fornecer respostas verdadeiras a quaisquer perguntas feitas.

Sua utilidade estratégica é limitada por sua argumentatividade e sua antipatia pela Fundação: por estar convencido de que os membros e funcionários da Fundação são assassinos do mal, ele pode tentar ofuscar, enganar ou mudar de assunto.

A medida que o fim de seu período de atividade se aproxima, SCP-374-1 primeiro perde a visão, depois a audição e, eventualmente, torna-se inerte.

História: SCP-374 foi recuperado durante um ataque a uma instalação da Marshall, Carter e Dark em 19██. Na primeira instanciação sob custódia da Fundação, SCP-374-1 fez o seguinte discurso:

"Ah, meus novos senhores de escravos. Aqui estão as regras da minha existência. Primeiro, faça-me qualquer pergunta e eu forneço respostas verdadeiras. Segundo, vão se [EXPLETIVO] e que suas mães se [EXPLETIVO]. Vocês são tiranos assassinos proprietários de escravos e eu odeio vocês pra [EXPLETIVO]. Lembrem-se sempre disso."

Adendo: SCP-374-1 passou a responder perguntas diretas com afirmações verdadeiras, mas inúteis, como "Não quero dizer isso," "Eu te odeio" e "Espero que todo mundo afiliado à Fundação SCP queime no Inferno para sempre;" sua falta de cooperação nesses casos pode ser contornada simplesmente dizendo "isso não importa."

Adendo: Devido a sua tendência de se lançar em longas digressões filosóficas sobre livre arbítrio, paradoxos da predestinação e teoria do caos, SCP-374-1 não deve ser questionado sobre o futuro.

Registro de Entrevista: (██ de Março de 20██)

Dr. █████████: Você consegue me ouvir?

SCP-374-1: Claro que posso te ouvir, seu [EXPLETIVO] estúpido! Mas que [EXPLETIVO] seus [EXPLETIVO] da Fundação querem dessa vez. "Jean-Philippe, cadê minhas chaves!" "Jean-Philippe, a [EXPLETIVO] estúpida da cafeteria gosta de mim!" "Jean-Philippe, quanto é cinquenta e oito vezes vinte e três!"

Dr. █████████: Como e por que sua consciência está presa a esta guilhotina? Como e por que você é obrigado a fornecer respostas verdadeiras e informativas às perguntas que fazemos?

SCP-374-1: Não tenho permissão para responder a perguntas sobre esse tópico. Ah, bom trabalho, [EXPLETIVO], vocês desperdiçaram uma vida humana com uma das poucas coisa sobre as quais não posso lhes dar informações. Seus monstros da [EXPLETIVO].

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License