SCP-378
avaliação: +1+x

AVISO DA ADMINISTRAÇÃO DE SEGURANÇA DE REGISTROS E INFORMAÇÕES DA FUNDAÇÃO

Após a implementação do Protocolo Kraken em 27/06/1963, os procedimentos de contenção para SCP-378 foram atualizados. Funcionários designados ao projeto SCP-378 devem revisar sua documentação atualizada o mais rápido possível.

— Claudia Southey, Diretora, RAISA

Item nº: SCP-378

Classe do Objeto: Thaumiel

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-378 deve ser contido em um Terrário de Contenção de Entidades Subterrâneo. A temperatura e a umidade devem ser mantidas em níveis ideais para o crescimento e habitação de Heterodermia kaincrow1 e Prenolepis everettmann2. Duas vezes ao ano, SCP-378 deve passar por um exame médico e psicológico.

Acesso ao terrário de contenção de SCP-378 é separado da instalação circundante por uma câmara de descontaminação. Funcionários de tratamento devem usar proteção de corpo inteiro e devem ser escaneados por SCP-378-A antes de sair da descontaminação. Funcionários infectados devem ser exterminados a menos que a posição de SCP-378-1 ou -3 esteja vaga, caso em que o funcionário infectado deve ser designado para a posição relevante.

Como da adoção do Protocolo Kraken, a contenção de SCP-378 está focada em manter seus três componentes de contenção primários:

  • SCP-378-1 está alojado na caserna da Área-19. SCP-378-1 é empregado como um técnico de manutenção com uma liberação de segurança de 0/A19. Após a morte do atual SCP-378-1, funcionários reserva em coma ou em estado de morte cerebral podem ser escolhidos para substituí-lo. Como SCP-378-1 é o principal meio de comunicação com SCP-378, deve-se tomar cuidado para manter as funções vocais de SCP-378-1 em funcionamento.
  • SCP-378-2 atualmente assume a forma de David Lockheed, um homem caucasiano de 36 anos de idade empregado pela Iniciativa de Contenção Sobrenatural Americana (ASCI) como auxiliar de escritório. Afim de manter operações continuadas da Fundação SCP nos Estados Unidos, SCP-378-2 foi encarregado de sabotar as operações da ASCI contra a Fundação, bem como coletar informações de interesse da Fundação. Espera-se que SCP-378-2 siga um regime estrito de saúde e exercícios, devido à dificuldade inerente em substituí-lo.
  • SCP-378-3 atualmente assume a forma de Lisa Martin, uma funcionária mexicana-americana de 33 anos de idade da Spicy Crust Pizza em Staten Island. No caso de morte de SCP-378-3, ela deve ser substituída o mais rápido possível.

Cada componente está equipado com um dispositivo de rastreamento e um gravador de áudio. A cada semana, agentes inseridos estacionados perto de cada componente devem avaliar a saúde e a integridade de cada componente e de seu equipamento de vigilância associado. A utilização de SCP-378-A em outras infiltrações está pendente de aprovação do Supervisório da Fundação.

Descrição: SCP-378 é um artrópode superficialmente semelhante a uma instância larval deformada da Scolopendra gigantea3. As pernas de SCP-378 são em grande parte vestigiais, servindo principalmente para auxiliar na locomoção peristáltica. SCP-378 mede 3 metros da boca ao ânus, com uma espessura corporal de 1 metro e um peso de 233 quilos. Em circunstâncias normais, SCP-378 é um onívoro, com uma dieta que consiste principalmente de líquen e insetos.

SCP-378 é capaz de reprodução assexuada à vontade, produzindo instâncias de SCP-378-A de seu ânus. Instâncias de SCP-378-A assemelham-se a uma Scolopendra gigantea adulta; dissecção sugere que essa semelhança é superficial, visto que SCP-378-A carece dos sistemas de órgãos esperados além de uma rede neural primitiva. Instâncias de SCP-378-A são controladas remotamente por SCP-378.

SCP-378-A são endoparasitas obrigatórios, infectando primatas avançados, como humanos, Homo ignotus4 e Gigantopithecus sapiens5. Após a infecção, SCP-378-A se integra ao sistema nervoso de seu hospedeiro por meios mal compreendidos, induzindo a morte encefálica e estendendo o controle remoto de SCP-378 ao próprio hospedeiro. Funções vitais e a entrada sensorial permanecem inalteradas.

Ao infectar um hospedeiro adequado, SCP-378 tentará reintegrar seus hospedeiros na esfera social de suas respectivas espécies. Uma vez integrado, SCP-378 direciona seus hospedeiros a se engajarem indefinidamente nos comportamentos típicos de sua espécie, como trabalho comunitário e recreação social. Hospedeiros humanos preferem ambientes com alta densidade populacional e um cenário de entretenimento robusto.

O limite máximo de hospedeiros ativos que SCP-378 pode manter a qualquer momento é desconhecido. Após o interrogatório inicial, SCP-378 confessou a existência de vinte e seis hospedeiros humanos, bem como duas instâncias de Alouatta pigra6 e três instâncias de SCP-10007, dos quais ele observou ter adquirido durante um período de intoxicação pesada.


Adendo 178-294b:

Uma Avaliação Psicológica de SCP-378

Conduzida por Dr. Simon Glass


Provisoriamente designado Scolopendra anomalia, SCP-378 é único entre os artrópodes, possuindo ou níveis humanos de sapiência ou a habilidade de emular as habilidades intelectuais de seus hospedeiros. De qualquer maneira, SCP-378 é autoconsciente e extremamente inteligente.

O relacionamento de SCP-378 com seus hospedeiros é complicado; enquanto SCP-378 mantém um senso consistente de identidade em vários hospedeiros, cada um é tratado como uma persona para SCP-378 fazer atuação. Hospedeiros raramente interagem com SCP-378 ou outros hospedeiros, sugerindo que SCP-378 utiliza suas habilidades anômalas principalmente para entretenimento. Isso é ainda mais sugerido pela prontidão de SCP-378 em abandonar tais personas sob pressão.

Além da integração nas esferas sociais humanas, o comportamento do hospedeiro é amplamente exclusivo para cada instância. Extroversão é relativamente comum; hospedeiros raramente se isolam, exceto para dormir ou excretar. SCP-378 parece ter o mesmo entusiasmo em situações estressantes e agradáveis.

Digno de nota: SCP-378 está particularmente ligado à identidade de Lisa Martin. Em contraste com outros hospedeiros, a rotina semanal de Lisa Martin é relativamente estática:

  • Das 8h às 18h, todos os dias, exceto aos sábados, a Sra. Martin aparecerá para trabalhar na pizzaria mais próxima do antigo local da Tortas do Digiannantonio, independentemente do status de emprego ou do horário programado.
  • Das 18h às 23h, todos os dias, exceto aos sábados, a Sra. Martin se envolverá na manutenção de um dos dezessete jardins de cobertura da Cidade de Nova York. Destes, treze são mantidos por uma cooperativa, doze das quais Sra. Martin não faz parte.
  • Das 8h às 23h aos sábados, Sra. Martin alterna entre socializar-se com um grupo de amigos, colegas de trabalho e amantes e tocar piano em vários bares sofisticados.
  • Das 23h às 00h, Sra. Martin tomará banho e se preparará para dormir.
  • Sra. Martin dormirá das 00h às 7h, quando ela acordará e se preparará para o próximo ciclo.

No caso da Sra. Martin morrer, SCP-378 direcionará outro hospedeiro a assumir sua identidade. Tentativas de interromper a rotina da Sra. Martin foram recebidas unilateralmente com níveis incomuns de hostilidade de SCP-378 e seus hospedeiros.


De: DHeiden@Scipnet (Diretora Assistente Daniela Heiden, Classificação de Nível RAISA-4; Funcionário Número 134)
Para: Dir19_KFeinstein@Scipnet (Diretor Kelsey Feinstein; Classificação de Nível XK-4; Funcionário Número 87)
Re: Re:Re:Re:Identificando os hospedeiros atuais
Data: 27/04/1963

Diretor Feinstein,

O trabalho do Sr. Song e de Dr. Glass revelou bastante sobre SCP-378. Mais importantemente, eu não acredito que ele compreenda o significado da dinâmica social, especialmente no que diz respeito à hierarquia e ao capital social.

Várias das identidades de SCP-378 ocupavam posições surpreendentes de poder; de fato, duas delas (David Lockheed e Alfonso Leoz) estão além do alcance da atual capacidade de contenção da Fundação. Apesar disso, SCP-378 mostrou-se disposto a sacrificar tais hospedeiros a fim de defender, substituir ou manter Lisa Martin. Estranho, sim, mas bastante útil.

Seria uma pena se algo acontecesse com a Sra. Martin e seus amigos, não seria?

SCP-378 é sapiente, mas de forma alguma entende o significado de suas ações. Com um pouco de persuasão, David Lockheed pode ainda ascender de um mesquinho burocrata da ASCI, exatamente onde a Fundação mais precisa de um fantoche. E, se não me engano, a Spicy Crust Pizza sempre pode fazer uso de uma segunda franquia.


Proposta: Empregar as habilidades anômalas de SCP-378 para defender as operações da Fundação nos Estados Unidos.

RESUMO DA VOTAÇÃO DO CONSELHO:

SIM NÃO ABSTEVE
O5-01
O5-02
O5-03
O5-04
O5-05
O5-06
O5-07
O5-08
O5-09
O5-10
O5-11
O5-12
O5-13

STATUS
APROVADO

Proposta aceita. O Protocolo Kraken foi iniciado.


De: SSong1@Scipnet (Pesquisador Sênior Sang-Hun Song; Classificação de Nível γU-3; Funcionário Número 148)
Para: Dir19_KFeinstein@Scipnet (Diretor Kelsey Feinstein; Classificação de Nível XK-4; Funcionário Número 87)
Re: Atrasos no Projeto γU-2677
Data: 21/07/1965

Então, boas e más notícias, Diretor.

As boas notícias, como eu assumo que você já tenha ouvido: com os planos para a construção do Sítio-56 (tudo graças a um certo Sr. Lockheed), o Protocolo Kraken está recebendo uma expansão muito necessária. Com sua proximidade relativa ao nexus do Lírio do Vale e ao Noroeste do Pacífico, é uma oportunidade perfeita para expandir o escopo da contenção de SCP-1000, garantindo que a ASCI não acabe com o LdV antes de chegarmos a ele.

Apesar de todas as suas esquisitices, SCP-378 parece estar encantado com a perspectiva de uma mudança de cenário. Não consigo imaginar que uma centopeia tropical goste de ter uma esfera de influência limitada à Nova Inglaterra de todos os lugares, mas isso está além do ponto. Seu -A foi obediente o suficiente no caminho até lá.

O que me leva às más notícias.

Rupert Tremont é um rapazinho divertido. Agente da "Unidade de Incidentes Incomuns" não oficial do FBI e estúpido demais para confiar sua bebida ao Agente Ryans enquanto ele ia ao banheiro. Depois disso, era uma questão de transportá-lo de volta à Área Provisória-56 em Black Rock e enfiar uma centopeia garganta abaixo. O problema surge quando 378 nos diz que não consegue estabelecer uma conexão. Agora, Tremont ainda está vivo, então isso não é normal. Executamos uma série de testes para tentar descobrir o que deu errado.

E é aí que encontramos uma centopeia diferente em sua cabeça, bem aonde nossa centopeia normalmente vai.

Mais por vir, mas tenho um mau pressentimento sobre isso.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License