SCP-386
avaliação: 0+x
386.jpg

Uma instância de SCP-386 na natureza. A instância foi fotografada pelo Sr. ███ ███████, e foi recuperada e contida pela Fundação depois de um surto que ocorreu no incidente #386-22B

Item n°: SCP-386

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: Nenhuma entrada na área de contenção é permitida sem a aprovação do Comando da Área. A área de contenção de SCP-386 não deve estar conectada a nenhum sistema externo além de uma câmara de vácuo (ou retaguarda). Os seladores e filtros da câmara de vácuo deverão ser checados diariamente, e substituídos se necessário. Os dispositivos de incêndio deverão ser colocados de dentro da área de contenção, com os controles de ativação remota. Em um evento de violação de contenção, os dispositivos de incêndio deverão ser imediatamente detonados e a área de contenção deverá ser completamente bloqueada e isolada por um período de um mês, com a intenção de encontrar e conter qualquer vazamento de esporos de SCP-386.

A área de contenção de SCP-386 deverá ser limpa e reparada pelo menos duas vezes por ano. Qualquer coisa que for detectada saindo da área de contenção deverá ser verificada em busca de esporos de SCP-386. Qualquer funcionário que entrar ou trabalhar perto da área de contenção de SCP-386 deverá estar utilizando um traje de proteção completo.

Descrição: SCP-386 é a forma de um cogumelo que parece ter um rápido processo regenerativo, e é altamente resistente a qualquer meio de dano físico. As unidades de SCP-386 crescem a partir de esporos microscópicos individuais. Esses esporos crescem e atingem a fase de maturidade em quatro dias. Foi observado que os esporos crescem sem água, luz solar ou qualquer outra forma de nutrientes, e podem permanecer viáveis mesmo após a exposição a altas temperaturas, vácuo, radiação e extrema força cinética. SCP-386 não produz hifas e os meios pelos quais ele reúne a energia para o crescimento são desconhecidos. Uma quantidade suave de ácido (pH 4) parece ser secretado em pequenas quantidades pelo chapéu de SCP-386, cuja identificação foi inconclusiva.

Tentativas de danificar ou coletar amostras de SCP-386 tiveram sucesso limitado. As unidades de SCP-386 possuem uma textura e peso semelhante à esponja, mas são extremamente difíceis de cortar, perfurar, quebrar, triturar ou danificar fisicamente. As unidades de SCP-386 podem ser comprimidas a 1/10 do seu tamanho original, além do qual a compressão se torna quase impossível. O fogo e os ácidos extremamente fortes mostraram ser capazes de quebrar SCP-386; no entanto, os esporos mostraram-se resistentes a essas medidas.

SCP-386 emite entre 50 e 100 esporos a cada dez dias após atingir a sua maturidade. Uma unidade de SCP-386 totalmente crescida não parece envelhecer ou apodrecer, com alguns espécimes permanecendo viáveis após 122 anos. A contenção de SCP-386 é consideravelmente difícil devido à constante reprodução e emissão de esporos microscópicos. Surtos de SCP-386 podem sobrecarregar áreas em curtos períodos de tempo, e o acúmulo de esporos e secreções ácidas pode tornar uma área extremamente perigosa para qualquer forma de vida.

Um dos perigos apresentados por SCP-386 surge da inalação de esporos. Estes irão crescer e se reproduzir dentro dos pulmões, causando sufocação, hemorragia interna e a morte do indivíduo. O mesmo acontece com a ingestão acidental de esporos e sua subsequente reprodução dentro do sistema digestivo. A introdução de esporos na corrente sanguínea resulta em uma grave hemorragia interna, trauma e eventualmente em morte. Devido ao tamanho microscópico e extrema durabilidade dos esporos, não há "cura" para SCP-386 neste momento.


Notas da Recuperação: SCP-386 foi recuperado depois de várias denuncias sobre um surto de fungos em ██████, Michigan. Vários anos antes disso, uma espécie de nematoide começou a infestar em plantas locais e causar danos massivos. Os agricultores locais fizeram um esforço concentrado e eliminaram 95% da população de nematoides com pesticidas. Pouco tempo depois, uma forma de cogumelo altamente invasivo começou a brotar, imune a pesticidas e muito resistente a danos. Os surtos foram queimados ou enterrados e geralmente ignorados.

A polícia local respondeu a um cidadão preocupado, que relatou que seu vizinho não havia sido visto por várias semanas. A polícia entrou na residência, encontrando uma enorme quantidade de cogumelos cobrindo a maioria das superfícies, com a maioria localizada no quarto. Restos humanos foram encontrados sob uma grande pilha de cogumelos, identificados como o dono da casa. Os agentes da Fundação responderam após relatos de que todos os oficiais respondentes morreram sob condições idênticas, com cogumelos começando a se espalhar a uma taxa exponencial.

As amostras de SCP-386 foram coletadas, e após várias tentativas fracassadas de conter os surtos de SCP-386, a área foi então bombardeada. A área foi monitorada e um outro surto ocorreu após quatro dias. A contenção total e esterilização foi promulgada, com cinco surtos de SCP-386 adicionais ocorrendo durante este processo.

Foi determinado que a espécie de nematoide eliminada pelos agricultores locais era um dos principais predadores de SCP-386, cuja remoção permitiu um surto populacional maior de SCP-386. Foram feitas várias tentativas de encontrar mais membros sobreviventes desta espécie, mas todas as tentativas não tiveram sucesso.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License