SCP-392
avaliação: 0+x

Item nº: SCP-392

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: Todas as instâncias vivas de SCP-392 devem ser mantidas em um setor de estufa padrão no Sítio de Pesquisa Biológica 103. A população de instâncias SCP-392 deve ser mantida em um limite superior de dez. Sementes selecionadas de SCP-392 devem ser extraídas e mantidas em armazenamento criogênio no Sitio Biológico 103.

Descrição: SCP-392 é uma espécie artificial de planta criada por meio de taumaturgia Devita,1 semelhante à espécie Prunus persica (pêssego). De acordo com Uma Crônica dos Devas, a criação de SCP-392 foi atribuída à Matriarca Devita Waq do clã Waq de cerca de 800 AC. Embora originalmente percebido como um ato de desvio social na sociedade devita, o cultivo era tolerado2 e adotado por descendentes matrilineares do clã Waq localizados na Ásia Central contemporânea e em Xinjiang, China.3

Embora SCP-392 seja fisiologicamente semelhante ao P. persica, uma diferença significativa é que SCP-392 não produz frutos do ovário na floração. Em vez disso, ele produz uma série de cabeças humanas masculinas fisicamente idênticas. Análise de DNA indica que elas são do mesmo indivíduo. Como as tatuagens encontradas nas cabeças são indicativas de concubinos humanos pertencentes a matriarcas devitas, postula-se que as cabeças crescidas em SCP-392 representam um concubino humano da Matriarca Waq Waq.

A fisiologia das cabeças cultivadas de SCP-392 é quase idêntica à de um ser humano, embora as cabeças não tenham pálpebras e a semente de SCP-392 esteja localizada no córtex pré-frontal. Além disso, as cabeças são capazes de responder a estímulos externos, conforme indicado por várias ações de reflexo. PET-Scans de cabeças conectadas identificaram atividade neural no cérebro. Notavelmente, a taxa de movimento dos olhos e a atividade neural são consistentemente maiores quando figuras humanoides femininas estão dentro do eixo visual da cabeça, em comparação com outros tipos de objetos. Abaixo está uma lista resumida de ações de reflexo e respostas obtidas de cabeças crescidas de SCP-392.

Quando desconectadas de SCP-392, atividade neural e ações de reflexo das cabeças cessarão. As cabeças podem ser arrancadas ou cairão da planta naturalmente por barocoria. Quando desconectada de SCP-392, a cabeça irá gradualmente sofrer decomposição, permitindo que a semente seja exposta a água e oxigênio. A matéria decomposta da cabeça servirá então como fertilizante orgânico para a germinação.

SCP-392 foi descoberto na Villa Imperial Katsura em Kyoto, Japão em ██/██/1945. Ligações com a cultura devita foram posteriormente identificadas por meio de referências cruzadas de tatuagens encontradas nas cabeças, e este documento foi posteriormente atualizado com descobertas relevantes de fontes devitas conhecidas pela Fundação.

Adendo 392-1: Instâncias de SCP-392 plantadas em Kyoto foram plantadas durante a Guerra do Pacífico, como parte de um ritual para orar pela prosperidade nacional. Esses espécimes se originaram de uma única semente de SCP-392, que estava entre os presentes do Imperador Yang da Dinastia Sui em resposta ao tributo enviado por representantes japoneses. Esta prática se originou de uma descrição de SCP-392 pelo representante Ono no Imoko, alegando ser um símbolo de prosperidade encontrado apenas nas famílias da nobreza.

Adendo 392-2: Devido à menção da Dinastia Sui e confirmação do envolvimento devita, uma cópia de A História da China alterada por SCP-140 para incluir interações deva-chinesas foi consultada para obter informações adicionais.

O livro mencionou SCP-392 como sendo um dos itens saqueados de cidades devitas capturas pelos soldados chineses já no período dos Estados Combatentes (cerca de 475 AC - 221 AC). SCP-392 seria cultivado por esses soldados, que colhiam e esfolavam as cabeças. Os crânios seriam então passados como combatentes inimigos executados e apresentados aos oficiais em troca de promoções e outras recompensas (por exemplo, títulos de nobreza, terras, escravos).

Os descendentes de muitos clãs envolvidos no cultivo de SCP-392 ganharam posições de destaque em várias dinastias chinesas, até as famílias imperiais de várias dinastias. Consulte o Documento 392-Su para obter mais informações sobre o assunto.

Adendo 392-371: Proposta de Contenção Especializada — Projeto YIN-YANG (Subcategoria: Argus-100)4

A seguinte proposta consiste em um teste cruzado entre SCP-392 e SCP-2733. O uso de SCP-392 e SCP-2733 circunavega questões éticas relacionadas ao uso de um ser humano vivo e à manutenção a longo prazo de um observador vivo. O referido teste cruzado consiste nas seguintes fases:

  1. Um funcionário classe-D estará envolvido no cuidado de SCP-392 por um período de um mês, e não estará envolvido em outros projetos SCP. Isso é para facilitar a preparação.
  2. Dito funcionário será então instruído a abrir SCP-2733 enquanto pensa em SCP-392. Devido aos efeitos anômalos de SCP-2733, acredita-se que uma cabeça se manifestará.
  3. SCP-2733 será mantido aberto por um período de teste de um ano para examinar a sobrevivência a longo prazo da cabeça.

Se a sobrevivência a longo prazo da cabeça for possível, outras aplicações sob o Projeto YIN-YANG (Subcategoria: Argus-100) serão consideradas.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License