SCP-3984

Cutucando a Morte com um Graveto

avaliação: +3+x

A biblioteca está quente e escura. Lá fora, é uma noite de verão — o calor e a umidade persistem no ar desde mais cedo. Prevê-se uma tempestade para a semana à frente, mas o céu está claro por enquanto. A biblioteca está fechada há várias horas.

Você fecha a porta da frente silenciosamente atrás de você e começa a sair do saguão, O chão é um tapete, macio e grosso, abafando cada um de seus passos por você. O olhar coletivo de várias câmeras de segurança está direcionado para a porta, mas, por esta noite, elas estão cegas.

Uma porta de madeira leva do saguão para a biblioteca propriamente dita. Ela se abre suavemente, sem nem mesmo um gemido. Em qualquer outra noite, ela rangeria alto. Você adentra na biblioteca.

Um livro perdido está no chão, envolto na escuridão. Seu pé bate nele. Você tropeça — não o suficiente para cair, mas o suficiente para se desequilibrar. Você estende a mão e pega uma estante. Sua mão, em busca de um lugar para agarrar, bate em outro livro e o joga no chão, onde atinge o tapete com um baque que ecoa por toda a sala.

Você congela. O eco enfraquecendo. A biblioteca volta ao silêncio. Se alguém estivesse aqui, esse alguém definitivamente teria notado isso. Você decide que está sozinha e continua, caminhando normalmente agora.

Você chega à mesa dos bibliotecários, você pula sobre ela, senta-se a um dos dois computadores e o inicializa. Um prompt de login aparece. Você retira um caderninho do bolso e insere os detalhes na primeira página. O login foi bem-sucedido.

O resto do caderno está repleto de instruções: combinações de botões para pressionar, comandos para inserir. Você abre dois terminais diferentes, insere uma série de comandos, observa linhas de texto que você não entende piscando diante de seus olhos. Eventualmente, conforme o caderno exige, você retira uma unidade USB do bolso e gentilmente a enfia no computador.

A tela fica preta enquanto pensa no que precisa fazer. Um longo e tenso momento passa.

O arquivo para SCP-3984 ilumina a sala assim que a página carrega, queimando seus olhos, que se acostumaram com a escuridão. Você estremece, pisca e espera seus olhos se ajustarem.

Você exala em alívio que suas instruções recebidas funcionaram, mas é uma sensação que você interrompe. Você está aqui para resolver um mistério com o qual você viveu por toda a sua vida, um mistério que ninguém mais parece querer resolver ou mesmo reconhecer, um mistério que existe há vinte e quatro anos. E você torce — você tem que torcer — para que este arquivo contenha pelo menos algumas respostas. Ele é o único lugar que resta para olhar.

O arquivo começa com uma nota de um dos pesquisadores. Ler do início parece uma boa maneira de começar.

Aviso a todos os funcionários

ΩK é real. Ele aconteceu. Nós todos temos que viver com isso agora.

Apesar da especulação — não importa quão prevalente seja essa especulação — não sabemos ao certo se causamos ou não o ΩK, se algum de nossos SCPs o causou, ou se algum deles pode consertá-lo.

O que sabemos é que agora ele define nossas vidas.

A Fundação SCP não destrói anomalias, ela as contém. Esse é o nosso propósito. ΩK é uma anomalia e vamos contê-la. Não vamos acabar com ela, nós não vamos "reverter as coisas" como certos indivíduos tem perguntado. Esse não é nosso propósito, essa não é nossa batalha. No entanto, iremos contê-lo, ou pelo menos tentaremos.

Então, se algum de vocês estiver esperando que minha equipe de pesquisa invente alguma solução mágica para acabar com o ΩK, pare de esperar por isso. Iremos tratar os sintomas, mas não curar a doença.

ΩK está aqui e não vai embora, então cresçam e sigam em frente. Vocês são profissionais — ajam como tal. Não é como se isso fosse matá-los.

— Dra. Emily Young

Dra. Emily Young. Um nome que você tem tentado evitar nos últimos vinte anos.

Você se encontrou com Young no ano passado, e basta dizer que ela é de muita pouca utilidade para fins de pesquisa. Você não terá nenhum benefício de falar com ela. Este documento é realmente o último lugar que você pode consultar.

SCP-3984

Item nº: SCP-3984

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: A contenção de SCP-3984 gira em torno da indução da morte nos animais afetados. Como isso não é atualmente possível, SCP-3984 pode ser considerado não contido. Esforços de pesquisa devem ser direcionados ao desenvolvimento de métodos alternativos de indução da morte.

Pesquisas para reverter os efeitos de ΩK, ou sobre sua origem, estão proibidas.

Proibido? Estranho. O que a Young estava fazendo?

Descrição: SCP-3984 refere-se a um fenômeno no qual quaisquer organismos vivos no reino Animalia sob a taxonomia de Cavalier-Smith1, incluindo humanos, são incapazes de morrer.

Atualmente, todas as formas de vida conhecidas no reino Animalia estão sob os efeitos de SCP-3984. Isso satisfaz o critério para um cenário classe-ΩK "Fim da Morte".

A fonte ou origem da prevalência de SCP-3984, como tal, é referida como "ΩK". A natureza exata do ΩK está atualmente em debate. Este documento se refere apenas a SCP-3984 e seus efeitos, não sua origem.

ΩK ocorreu em 2020-09-12 aproximadamente às 14:02 GMT, um horário que foi derivado da última morte humana registrada globalmente. Desde então, SCP-3984 está presente em todas as criaturas vivas assim testadas. Como resultado, as taxas de mortalidade caíram para zero.

SCP-3984 parece se estender apenas à capacidade de morrer. SCP-3984 não concede um efeito de cura, não previne o envelhecimento, não previne a concepção ou gravidez e não impede sujeitos de sofrerem lesões.

A longo prazo, SCP-3984 representa uma grande ameaça à estrutura social, visto que é esperado que a população se expanda exponencialmente. Modelos atuais estimam que a superpopulação começaria a levar a uma escassez excessiva ao ponto de fome generalizada no início da década de 2040. Além disso, embora o crescimento populacional seja uma preocupação considerável para humanos a longo prazo, uma preocupação muito maior a curto prazo é apresentada por animais estrategistas-r2.

Esforços mundiais devem se concentrar na geração de recursos suficientes para que o planeta seja capaz de lidar com o aumento da população. Estão em andamento negociações com governos em todo o mundo para determinar estratégias de gestão do crescimento populacional, tanto para humanos quanto para animais. Esforços da Fundação devem se concentrar no desenvolvimento de soluções alternativas e/ou artificiais para substituir a morte.

O ponto até o qual SCP-3984 constitui imortalidade 'convencional'3 é objeto de pesquisa em andamento, liderada pela Dra. Young conforme solicitação. Registros de experimentos e uma teoria sobre o mecanismo de SCP-3984 são apresentados abaixo.

Registro de Experimento 01

Data: 2020-09-14
Pesquisador: Dra. Emily Young
Cobaia: D-1190

Procedimento: D-1190 foi asfixiado por estrangulamento manual de D-9981.

Resultados: D-1190 inicialmente lutou, mas parou de resistir após alguns minutos de estrangulamento. D-9981 foi instruído a segurar por mais dez minutos. D-1190 se recuperou pouco depois, sem danos permanentes.

Registro de Experimento 02

Data: 2020-09-14
Pesquisador: Dra. Emily Young
Cobaia: D-6812

Procedimento: D-6812 foi asfixiado por D-9981 amarrando um cinto em seu pescoço.

Resultados: D-6812 inicialmente resistiu à asfixia, apesar das instruções em contrário, mas parou após alguns minutos de estrangulamento. D-9981 foi instruído a manter o cinto em posição por mais dez minutos. D-6812 se recuperou com danos leves, mas permanentes, em vários ligamentos musculares do pescoço.

D-6812 foi internado na ala médica do Sítio-06, mas não teve nenhuma recuperação adicional.

Registro de Experimento 03

Data: 2020-09-15
Pesquisador: Dra. Emily Young
Cobaia: D-1190

Procedimento: D-1190 foi colocado em uma câmara selada a vácuo da qual o ar foi ventilado.

Resultados: D-1190 começou a asfixiar alguns minutos após o início do teste, visivelmente lutando por ar, e caiu contra a parede da câmara depois de menos de um minuto, permanecendo consciente. Cobaia foi deixada durante a noite, após o que o ar foi liberado de volta para a câmara. D-1190 foi internado na ala médica do Sítio-06 com hipóxia cerebral aguda e vasos sanguíneos rompidos nos olhos. A cobaia se recuperou fisicamente em três dias, mas permaneceu em estado vegetativo por várias semanas. Ao acordar, D-1190 apresentava sintomas de habilidade motora e de fala permanentemente prejudicadas, bem como paralisia generalizada.

2020-11-02: Um mês após acordar, D-1190 não mostrou quaisquer sinais de recuperação adicional. Parece que a natureza anômala do efeito de regeneração se estende apenas a lesões fatais ou doenças. D-1190 permanece efetivamente inútil como um Classe-D. Sob circunstânscias normais, eu recomendaria exteminá-lo. - Dra. Emily Young.

Registro de Experimento 04

Data: 2020-09-17
Pesquisador: Dra. Emily Young
Cobaia: D-8833

Procedimento: D-8833 teve cortes feitos em seus pulsos e tornozelos e ao longo de 6 horas teve cerca de 80% de seu sangue drenado. O sangue removido foi retido e reintroduzido no corpo no dia seguinte por gotejamento intravenoso.

Resultados: Quase da mesma maneira que no experimento anterior, D-8833 foi 'ressuscitado' com sucesso, mas sofreu lesões consistentes com perda prolongada de oxigênio para o cérebro. Nesse caso, os sintomas incluíam perda de sensibilidade na metade esquerda do corpo e perda de compreensão de qualquer assunto mais complexo do que nomear animais. Observe que D-8833 permaneceu consciente apesar de não ter um volume significativo de sangue.

Os registros continuam praticamente da mesma maneira, com alguns Classes-D infelizes sendo expostos a algo que normalmente os mataria. Veneno, fome, explosão, qualquer coisa. Você rola para baixo, procurando por um em particular. A velha roda do mouse clica alto, vinte vezes com cada movimento de seu dedo, uma série de cliques altos ecoam pelo silêncio da biblioteca. Você para no Experimento 10.

Registro de Experimento 10

Data: 2020-10-11
Pesquisador: Dra. Emily Young
Cobaia: D-11424

Procedimento: D-11424 foi decapitado com uma guilhotina de lâmina de aço.

Resultados: Cabeça foi perfeitamente removida. D-11424 permaneceu consciente durante e após a operação. Esforços foram feitos para respirar, mas falharam, e D-11424 começou a mostrar sinais de asfixia e perda significativa de sangue. D-11424 foi internado na ala médica do Sítio-06, a lesão foi considerada "irreparável". A cabeça e o corpo foram colocados em armazenamento refrigerado.

Você sorri, levantando a mão para tocar a cicatriz em relevo que forma um anel em volta do seu pescoço e as pequenas protuberâncias de pontos antigos. Irreparável.

Você continua descendo.

Registro de Experimento 20

Data: 2025-11-05
Pesquisador: Dra. Emily Young
Cobaia: D-10273

Procedimento: Um cartucho de arma de segurança padrão foi disparado na testa de D-10273 por Dra. Young.

Resultados: Cobaia sofreu uma grande lesão na cabeça e foi admitida na ala médica do Sítio-06 com dano cerebral e perda de sangue graves.

2025-12-28: Depois de quase dois meses sob cuidados médicos, D-10273 teve uma recuperação completa, embora com grande perda de memória de história recente e mais antiga. Cobaia se lembra de habilidades básicas, como comer e falar, mas não se lembra de nenhum detalhe pessoal.

Registro de Experimento 21

Data: 2025-12-31
Pesquisador: Dra. Emily Young (substituto: Dra. Joyce Michaels)
Cobaia: Dra. Emily Young

Procedimento: Dra. Young autoadministrou uma única bala na cabeça utilizando uma arma de segurança, da mesma maneira que no teste anterior.

Resultados: Cobaia sofreu forte grande lesão na cabeça e foi internada na ala médica do Sítio-06. A bala perfurou o lobo temporal, o lobo frontal e o tronco cerebral, o último dos quais aprece ter desconectado o cérebro de Dra. Young de seu corpo. Ela se encontra incapaz de se comunicar ou realizar qualquer função motora.

Observação: Como Dra. Young está incapaz de realizar pesquisas adicionais, ela foi removida da equipe de pesquisa de SCP-3984. Ela passará por uma revisão psicológica pendente de sua recuperação. Nesse ínterim, assumirei o controle da pesquisa. -Dra. Joyce Michaels

Nota: Dra. Young negligenciou manter um registro das intenções específicas da pesquisa para cada experimento. Apesar disso, fomos capazes de estreitar a origem da imortalidade ao cérebro. Experimentos subsequentes devem se concentrar nisso — podemos considerar o resto do corpo mortal. - Dra. Michaels

Michaels não está errada. Você já viu alguém em um acidente de carro, seu corpo irreconhecível de tão mutilado, membros em lugares que não deveriam estar e sangue em todos os lugares que deveriam, mas aquele corpo que deveria ser um cadáver ainda encontrava energia para pedir ajuda, para gritar de dor. Você não acha que ele tenha parado em algum momento

Registro de Experimento 22

Data: 2026-02-02
Pesquisador: Dra. Joyce Michaels
Cobaia: D-373A, um Macaca mulatta macho, ou macaco-rhesus

Propósito: Confirmar ou negar a suposição acima.

Procedimento: D-373A recebeu uma dose de injeção letal4.

Resultado: A injeção primária não conseguiu fazer com que D-373A ficasse inconsciente; no entanto, suas vocalizações tonaram-se mais lentas e sintomas semelhantes a pânico foram observados. A injeção secundária proporcionou relaxamento muscular generalizado e dificuldade respiratória induzida. A injeção terciária induziu rapidamente a parada cardíaca, pela qual D-373A permaneceu consciente e visivelmente em pânico apesar do severo relaxamento muscular.

Após 12 horas, quando os medicamentos administrados foram declarados como não causando mais ativamente os sintomas na cobaia, D-373A foi internado na ala médica do Sítio-06 com hipóxia cerebral aguda devido à falta de fluxo sanguíneo. Observe que D-373A permaneceu consciente durante todo o experimento.

2026-02-25: Com atenção médica do Sítio-06, D-373A teve uma recuperação completa sem efeitos colaterais permanentes.

Observação: É interessante observar que a sedação foi incapaz de induzir inconsciência na cobaia. Pode não ser que o cérebro seja imortal, mas que seja impossível fazer com que alguém fique inconsciente. - Dra. Joyce Michaels

Registro de Experimento 23

Data: 2026-02-07
Pesquisador: Dra. Joyce Michaels
Cobaia: D-374A, uma Macaca mulatta fêmea, ou macaco-rhesus

Propósito: Confirmar ou negar a suposição acima: que não é possível fazer com que o cérebro fique inconsciente.

Procedimento: Ao longo de 5 dias, D-374A foi injetado com:

  • Um sedativo leve
  • Um sedativo forte
  • Um anestésico local leve
  • Um anestésico geral leve
  • Amnésticos Classe C

Resultados: D-374A respondeu positivamente ao sedativo leve (dosagem insuficiente para levar ao sono), anestésico local e geral e amnésticos. D-374A não respondeu ao sedativo forte — de fato, nenhum efeito do sedativo foi observado, apesar do sedativo fraco mostrar uma resposta positiva de sonolência.

Observação: Sedação, pelo menos até o ponto da inconsciência, não é uma opção para experimentos futuros. Isso apoia a suposição acima. - Dra. Joyce Michaels

Registro de Experimento 24

Data: 2026-02-19
Pesquisador: Dra. Joyce Michaels
Cobaia: D-390A, uma Macaca mulatta fêmea, ou macaco-rhesus

Propósito: Estabelecer se os efeitos de SCP-3984 são mantidos mesmo quando o cérebro não existe mais convencionalmente.

Procedimento: Depois de contido, o crânio de D-390A foi cirurgicamente aberto de cima para baixo até o pescoço. A conexão com a coluna vertebral foi cortada e o cérebro removido. Como os danos aos neurônios e outras células cerebrais não são um risco, o cérebro foi separado em células individuais por meio de uma combinação de desagregação química e trituração mecânica (com um liquidificador). As células cerebrais individuais foram então suspensas em uma solução salina.

A mistura resultante, conhecida como Solução-3984-24, foi submetida a uma série de testes para determinar sua atividade elétrica.

Resultados: Sinais elétricos persistiram em todas as células cerebrais suspensas na solução, como seria de se esperar para um cérebro humano saudável, levando à conclusão de que D-390A afeta as células individuais do próprio cérebro. Apesar disso, não foi possível determinar se D-390A permaneceu ou não 'consciente', uma vez que a ressonância magnética foi inconclusiva devido à natureza de não ter formato de cérebro da solução e à randomização das localizações das células. Amostras da Solução-3984-24 estão disponíveis mediante solicitação.

Você já viu registros de teste suficientes. Nenhum deles contém as informações que você procura. Você sabe que em algum momento haverá um onde eles reconectarão a cabeça decepada de D-11424, mas, além disso, nenhum deles lhe interessa.

Você desce até o final da página.

Resumo da pesquisa: Por meio das pesquisas orquestradas pela Dra. Young e Dra. Michaels, no geral, SCP-3984 pode ser caracterizado por uma incapacidade do cérebro ficar inconsciente. A teoria atual propõe que SCP-3984 não representa imortalidade como tal, mas sim uma incapacidade do cérebro de perder função. A quantidade de função não é retida enquanto o cérebro em si permanecer operável (consulte o Experimento 03).

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License