SCP-4313

Included page "component:ad-astra-theme" does not exist (create it now)

avaliação: +1+x
pioneer.jpg

Represenção artística de Pioneer 11 saindo do Sistema Solar.

Item nº: SCP-4313

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: Seis sondas de monitoramento, cada uma equipada com equipamento ectoiluminador,1 estão em órbitas que passam próximas de várias bordas conhecidas de SCP-4313. Propulsores devem fornecer as correções necessárias no curso após colisões de ectoplasma. Todo o controle da sonda deve ser realizado remotamente — nenhum funcionário da Fundação tem permissão para se aproximar ou entrar na anomalia.

Em cooperação com a NASA, encobrimentos em relação aos fenômenos ao redor da sonda espacial Pioneer 11 foram disseminados. Detalhes sobre mudanças na aceleração de Pioneer 11 foram alterados para aproximadamente bater com as alterações não anômalas experienciadas por Pioneer 10 devido à pressão de radiação.

A sonda de monitoramento Overhead-ZETA está seguindo uma trajetória paralela a de SCP-4313-Z através do espaço interestelar, mandada para observar explosões de projéteis da anomalia. Protocolos de encobrimento de Fundação para atribuir rajadas de partículas de alta energia a outros fenômenos astronômicos estão em prática.

Como o comportamento de SCP-4313-Z não impacta o Sistema Solar, nenhuma contenção adicional é necessária.

Descrição: SCP-4313 é os remanescentes de uma gigafauna extraterrestre, orbitando de 20 a 25 unidades astronômicas (AU)2 do sol. O corpo é totalmente translúcido, impedindo pesquisa precisa de sua anatomia,3 e é composta de nuvens de ectoplasma, que colidem com quaisquer objetos ou naves espaciais passando por elas.

Em adição ao ectoplasma, SCP-4313 contem altas concentrações de detrito metafísico não-corpóreo, visualmente visto por observadores dentro das bordas da anomalias como vísceras cianas luminescentes. Detrito que colidir com qualquer ser sapiente se funde com seu corpo e subsequentemente se desintegra. Este processo resulta no ser sendo implantado com memórias emocionais e sensações variáveis, que acredita-se serem originárias de SCP-4313 antes de sua morte. Memórias registradas incluem:

  • Ruptura de membros.
  • A sensação de ser perseguido.
  • Pânico.
  • Empalamento repetido.
  • Uma inabilidade de falar.
  • Caindo de uma altura extrema.
  • Desorientação; perda de concentração mental.
  • Exsanguinação.
  • Silêncio.

Isso geralmente é acompanhado por imagens relatadas de formas abstratas e cores impossíveis. Confusão resultante de sujeitos que acreditam temporariamente que são a gigafauna extraterrestre é comum

Construtos metafísicos maiores existem na forma de dez instâncias SCP-4313-Y. Para observadores dentro de SCP-4313, estas são vistas como cilindros vermelhos alongados, possuindo uma ponta afiada em uma das pontas e motores de natureza indeterminada na outra. As instâncias se estendem através da largura de SCP-4313 em padrões regulares, potencialmente em áreas onde estruturas de órgãos costumavam existir. Sujeitos que passam pelas instâncias SCP-4313-Y dizem que "não há mais necessidade de perseguir".

Descoberta: SCP-4313 foi originalmente encontrado pela sonda espacial Pioneer 11.4 Ao atingir uma distância de 20 AU do sol, a sonda colidiu com as nuvens de ectoplasma de SCP-4313 e começou a atravessar sua massa. Colisões repetidas causaram alterações na trajetória, desacelerando a sonda em quantias pequenas mas notáveis.

Nenhum outro fenômeno foi observado até Pioneer 11 atingir a marca de 21 AU, onde as câmeras da sonda transmitiram uma série de imagens sem solicitação. As imagens mostravam a aproximação da sonda até uma instância SCP-4313-Y, aproximando-se até atingir a superfície. Imagens subsequentes são de formas abstratas e padrões meméticos, que, quando observados, são vistos como sortimentos de membros e mãos escurecidos. Contato caiu por uma semana antes de retornar quando Pioneer 11 saiu de SCP-4313. O processo de saída ocorreu sem eventos, e todas as funções da sonda retornaram ao normal.

spears.jpg

Imagens de raios X de alta energia das trilhas dos projéteis de SCP-4313-Z, disparados em 14/03/2040.

Adendo.4313.1: SCP-4313-Z

Em 10/01/2002, pouco após o sinal de rádio de Pioneer 11 se tornar muito fraco para ser detectado, uma série de rajadas de raios-X de alta energia foram detectadas da direção da sonda. Isto se repetiu em 10/01/2002, 26/09/2015. e em trinta datas de 2020 a 2025. A nave de exploração Messier-002 foi enviada para a localização prevista da sonda em 23/04/2025.

Pioneer 11 foi encontrada equipada com uma matriz de armas anômalas. Nove apêndices visualmente consistentes a instâncias SCP-4313-Y radialmente estendiam de seu chassi, cada uma terminando em metralhadores que disparam projéteis a velocidades relativísticas próximas a 0,9c. As rajadas de raios-X se originaram da energia liberada pelos lançamentos de projéteis e das colisões que os projéteis teriam com o meio interplanetário circundante. Existem poucas trajetórias comuns para os projéteis. Os alvos pretendidos não são conhecidos.

A designação de SCP-4313-Z para a sonda foi estabelecida em Maio de 2025. Desde então uma única transmissão de SCP-4313-Z foi registrada:

Calmo.

Pare de sussurrar acima de mim.

Eu ainda estou caçando.

Included page "component:ad-astra-theme" does not exist (create it now)

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License